Autores.com.br

EntrarCadastrar-se
Início » Artigos / Textos » Todos Textos
A+ R A-
Enviado por: JOSE JAILSON DA SILVA
JOSE JAILSON DA SILVA

Relações Interpessoais: Conhecendo outros e si mesmo

Enviar por e-mail
O Lúdico: Da Teoria a Prática

RESUMO:

O objetivo deste artigo é refletir sobre o ser humano perante as relações interpessoais através da interação de bem esta, satisfação e compreensão para com o outro, para poder conhecer-se melhor. É neste ritmo que as possibilidades de aceitação são fluentes, pois, entre diversos mistérios que o individuo possui, o mesmo permite desvendar as reações diante das situações cotidianas e buscar a integração dos valores para o meio social é o espetáculo da boa convivência. Deste modo, o respeito propõe entre as pessoas de diferentes culturas a verdadeira harmonia.

Palavras - chave: Ser humano. Relações interpessoais. Aceitação. Mistérios. Harmonia

INTRODUÇÃO

Não basta refletir ou conscientizar as pessoas da necessidade de interagir com as outras para construir um mundo melhor, ou apontar fatores negativos que influenciam na convivência.

O objetivo é valorizar a dinâmica para poder conduzir o indivíduo, e com isso, apreende-lo na perspectiva de inovar a atuação do mesmo na sociedade visando os aspectos negativos como principais desafios que deverão ser supridos, contudo, reconhecer seu papel enquanto cidadão, não é e nunca será uma atividade fácil.

Como o indivíduo não conhece a si próprio e nem tão pouco o outro, tem dificuldades de comunicar-se, entretanto, ele precisa envolver-se em várias técnicas como a de interação, relaxamento, e outras, pois o intuito é mostrar o comportamento do ser humano em diversos campos para entender suas reações do universo humanista.

REFERENCIAL TEÓRICO

A convivência com as pessoas possibilitam conhecer seus verdadeiros hábitos e costumes, onde sua cultura interage com as demais e unidas causam afinidades. Conhecer o outro é tão complicado quanto conhecer a si próprio, e neste jogo da vida, as relações interpessoais influenciam nos aspectos sociais. O lúdico é necessário para permitir prazeres na vida através da satisfação pessoal, ou seja, se o individuo está satisfeito com sua vida, logo, estará propicio para aceitar o outro em seu contexto social.

Codo (1999), afirma que compreender um ser humano implica em partir do pressuposto de que cada gesto e cada palavra estão imediatamente inseridos num contexto muito maior que transcende a ele e a sua existência. O homem é descoberto a partir do que ele faz e do que ele diz da sua participação na construção de uma sociedade melhor, de uma educação real e não fictícia.

O foco das relações interpessoais são os seres humanos e sua atuação na sociedade como responsáveis por seus atos, dignidade e pela construção de uma cidadania mais perspicaz.

O ser humano tem dificuldades em se relacionar com os demais, devido os conflitos sociais, culturais, intelectuais e, sobretudo, pessoais, contudo, tenta adequar-se aos seus diversos costumes, hábitos e histórias invadindo seu universo.

Não basta somente falar de Relações Interpessoais sem saber o que de fato é ou significa tamanha expressão. Relações Interpessoais é o conjunto de procedimentos que facilitando a compreensão e as linguagens, estabelece laços sólidos nas relações humanas. (ANTUNES, 2003), desta maneira, torna-se simplório compreender a dimensão que percute as relações interpessoais para com os indivíduos, isto é, cada pessoa. Portanto, é um universo revestido do individualismo.

A individualidade persiste no contexto social e às vezes características como a "frieza no que faz e no que diz" marcam cicatrizando as pessoas. Daí, a explicação de alguns fatores como ninguém poderá sentir jamais a saudade que sentimos ou experimentar a felicidade que vivemos ou até mesmo sofrer a angustia de uma verdadeira perda se nunca perdeu, isto significa dizer, que cada sentimento é particular e não pode ser vivido por outra pessoa em seu lugar.

Quando as relações interpessoais englobam neta metamorfose, pode-se perceber que o sentimento é único, assim como cada um que faz e compõe sua história Vidal, ou seja, cada pessoa de fato é impar. Na verdade, quando esta percepção voraz é visível, os seres humanos, ampliam o contexto da dificuldade no aspecto das relações para com os outros, e é desta maneira que se propala, por exemplo, que "a melhor escola é a escola da vida" ou simplesmente, que "a vida ensina" SANFELICE, José Luís. (Comunicação oral).

As relações interpessoais se cruzam no dia - a - dia através das diversas situações proporcionadas pelo momento instantâneo, por isso, que para fortalecer a união entre as pessoas, o uso do lúdico nas dinâmicas ajuda a refletir o processo de relação cardial entre eles.

Antunes (2003) ressalta que é de tal forma significativa a importância da comunicação em todos os esquemas das relações interpessoais: "falar e dizer"; "a palavra, a verdade e a mentira" e "nem só a palavra comunica", são exemplos simplórios deste contexto.

A importância da dinâmica para provocar a interação entre as pessoas são possibilidades palpáveis para a valorização do individuo, e submeter algumas técnicas proporcionam uma desenvoltura cabível na dimensão respeitável dos seres humanos.

Na dinâmica destacam-se as pessoas que souberem:

  • Saber ouvir a equipe;
  • Dividir suas funções;
  • Expor suas opiniões com segurança baseados em dados fundamentados.
  • Saber falar e expor suas idéias.

São nestes "objetivos" que os indivíduos sentem a necessidade de se reconhecerem, e profundamente, precisam invadir o espaço do outro para compreender seus passos, idéias, ideologias, verdades e, sobretudo, as versões sobre os fatos. Quando esta finalidade não está coerente, ocorre uma contradição em relação ao aspecto das relações interpessoais e a recusa em:

  • Não participar da dinâmica;
  • A predominância da arrogância;
  • A interrupção nas atividades desconcentrando os integrantes.

Dissolvem e "aprimoram" as conseqüências das relações interpessoais. As dinâmicas são instrumentos, ferramentas que estão dentro de um processo de formação e organização, que possibilitam a criação e a recriação. Essa função norteia o individuo para conhecer respectivamente o seu papel diante desta criação e recriação. A finalidade da dinâmica é justamente descobrir que as pessoas pensam o que sentem, o que vivem e o que sofrem e daí entender as reações intercaladas nos indivíduos causam conflitos devido a ausença dimensional da aceitação.

As pessoas reconhecem seus lugares quando sabem o que vão fazer, e por isso, alguns elementos da dinâmica (objetivos, recursos, ambiente, tempo determinado, passos, número de participantes, perguntas e conclusões) conduzem a praticidade na desenvoltura da índole.

Enfim as técnicas auxiliam para que a simplicidade não seja tão cruel quanto apresenta ser.

METODOLOGIA

Através de referências com base em estudiosos, pode-se analisar o processo de relações interpessoais na construção significativa de melhorias entre os indivíduos, visando não somente os aspectos positivos como prática do sucesso, mas também os aspectos negativos, cuja função consiste na busca de suprir os desafios proporcionados ao longo dos tempos.

Com este cunho, vê-se que a prática que vai além da teoria busca através da inovação a perfeição das técnicas para compreensão da dinâmica e das relações interpessoais.

CONCLUSÃO

É de suma importância o papel das dinâmicas na construção das relações interpessoais, pois, este artigo propõe uma verificação sucinta da necessidade de conhecer, buscar e integrar o indivíduo dentro do contexto social para que descubra a função do relacionamento, uma vez que, não apresentado o valor espontâneo ou até mesmo significativo que merece, pode ocasionar transtornos e conseqüências como conflito devido o "choque de idéias".    


REFERENCIAS

ANTUNES, Celso. Relações Interpessoais e Auto - estima: A sala de aula como um espaço de crescimento integral. Petrópolis: Vozes, 2003

CODO, Wanderley. Educação: Carinho e Trabalho. Petrópolis: Vozes, 1999

 

Entrar