Autores.com.br

EntrarCadastrar-se
Início » Artigos / Textos » Todos Textos
A+ R A-
Enviado por: JOSE JAILSON DA SILVA
JOSE JAILSON DA SILVA

A Avaliação da Aprendizagem e suas Inquietações

Enviar por e-mail
RESUMO:

A palavra "avaliação" mexe insanamente com todos que necessitam submeter-se a uma "atividade" classificatória, sobretudo, com o estado emocional, uma vez que, o individuo que possua consciência de que uma "prova" decidirá o tão sonhado futuro pode sofrer conseqüências precipitadas. Devido à necessidade de uma compreensão aprofundada sobre a avaliação é que surgiu esta pesquisa, para conhecer melhor os instrumentos avaliativos, bem como, todo o processo metodológico, cujo intuito, é entender coerentemente as principais inquietações vividas por alunos em sala de aula perante as questões propostas pelo educador. Deste modo, a avaliação consistirá desde o acerto (aspecto positivo) quanto ao erro (aspecto negativo) sob a ótica de melhoramento educacional e profissional. O objetivo deste artigo é justamente, despertar no profissional que trabalha com o processo de avaliação cuidados e cautelosidade para que ele não cometa injustiças nos que estão participando do processo avaliativo.

Palavras - chave: Avaliação. Atividade classificatória. Conseqüências. Erro. Acerto.

INTRODUÇÃO

A avaliação é composta por grandes desafios, os quais se tornam sempre complexos. É deste enfoque que o processo avaliativo ganha "voz e vez" e conduz de maneira perspicaz todos os indivíduos transtornando-os com sua plena voracidade.

Dentro os objetivos mais primórdios para esta problematização destaca-se:

* Analisar as questões propostas diante de um trabalho, teste ou prova.
* Conhecer os diversos tipos de instrumentos avaliativos.
* Desenvolver atividades que construam aprendizagens significativas.
* Proporcionar debates aos alunos para que eles apontem os aspectos positivos e negativos sobre a maneira de como estão sendo avaliados.

Pois, são eles que determinam o percurso do processo de ensino aprendizagem numa visão construtivista em meio aos aspectos positivos e negativos compostos por ela (avaliação), uma vez que, a avaliação esteja voltada para a finalidade de compreender o processo metodológico aplicado na sala de aula por professores para verificação das inquietações visíveis nos alunos das diversas modalidades de ensino (fundamental ou médio).

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

A avaliação é uma das ferramentas de ensino que mais é discutida dentro do processo de aprendizagem devido às injustiças cometidas por educadores até então despreparados.

Não há uma receita eficaz para avaliar o alunado, e por isso, algumas inquietações constituem o seu universo simplório, como por exemplo, o desespero, a pressa em terminar de responder as questões propostas, o bloqueio mental por não conseguir assimilar as informações perante os conteúdos, o stress, e entre outros fatores.

A avaliação é sinônima de complexidade advindas de trabalhos, testes e provas. Elementos estes que perpetuam durante a prática pedagógica do professor ao transmitir os conteúdos e em seguida as atividades adicionais completam subjetivamente o processo avaliativo.

De acordo com Luckesi (1998, p. 18) "os professores utilizam as provas como instrumentos de ameaça e tortura prévia dos alunos, protestando ser um elemento motivador da aprendizagem".

Nesta perspectiva, grande parte dos educadores são alienados, pois utilizam a prova como instrumento condicionado a "medir" a aprendizagem, contudo muitas vezes se depara com situações tipicamente fracassadas.

Sob este aspecto, Lima (1994, p. 41) aborda que "o professor não compreende a prova como instrumento de avaliação do processo pedagógico como um todo, acaba realizando um julgamento da aprendizagem individual de cada aluno".

Neste mesmo contexto, Sousa (1997, p.96) afirma que "a avaliação chega a ser confundida com os momentos de atribuição de conceitos, e os alunos sentem-se compromissados não com a aquisição de determinados conhecimentos, mas antes, com a conquista de determinados conceitos".

O que mais é visado no aspecto avaliativo é a nota classificatória, pois nenhuma pessoa que se submete a uma avaliação buscará ver os acertos ou erros, mas, objetivamente a categoria atingida por meio de um conceito. Deste modo, pode-se perceber as diversas reações diante do processo avaliativo, e como argumenta Gama (1993, p. 48) "a melhor nota é o que passa a ser objeto de conquista".

METODOLOGIA

Serão realizadas diversas atividades com base nos instrumentos avaliativos, onde se aplicará questionários. E daí, verificar o comportamento / inquietações dos alunos na sala de aula.

A aplicação das atividades consistirá em algumas modalidades de ensino da rede municipal, estadual e privada, onde se analisará os dados coletados para compreensão significativa do processo de avaliação em meio a aprendizagem.

O uso de entrevistas e debates será oportuno para entender os por quês de notas baixas e os motivos de inquietações.

CONCLUSÃO

A avaliação é um dos mecanismos que mexem excludentemente com todos os indivíduos independentemente de classe social, raça, ou cor, pois é ela que norteia todos os "conflitos" pertinentes no ser humano.

A avaliação é um instrumento que antes de ser aplicado deve ser pensado com muito cuidado, uma vez que, sua atuação é fervescente no âmbito educacional de ensino, e que com isto remete a significância da aprendizagem, ou seja, o que pode ser máximo pra uns pode não ser pra outros.

REFERÊNCIAS
GAMA, Zacarias Jaegger. Avaliação na Escola de 2° Grau. São Paulo: Papirus, 1993.
LIMA, Adriana de Oliveira. Avaliação Escolar: Julgamento ou Construção? Rio de Janeiro: Vozes, 1994
LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem Escolar: Estudos e Proporções. 7ªed. São Paulo: Cortez, 1998.
SOUSA, Clarilza Prado (Org.) Avaliação do Rendimento Escolar. 6ªed. São Paulo: Papirus, 1997.

Entrar