Autores.com.br

EntrarCadastrar-se
Início » Artigos / Textos » Todos Textos
A+ R A-
Enviado por: raphaelposteraro
raphaelposteraro

Aristóteles e Platão- análise através de uma imagem

Enviar por e-mail
A figura mostra dois personagens centrais, Platão, a esquerda, e Aristóteles, a direita. Nota-se que Platão aponta para cima, com o braço levemente encurvado, como se ele apontasse para o alto falando sobre algo acima de nós. Junto a ele está sua platéia pessoas cabisbaixas retorcidas.A direita observamos Aristóteles, com a mão apontada para o médio, ao nosso nível, como se ele estivesse buscando o equilíbrio,- sua platéia parece estar igual, calma e equilibrada apaziguada como a expressão que transmite o filósofo. Os dois filósofos estão lado a lado o que sugere que estão discutindo algo, e pela postura dos pés estão em uma pequena disparidade.
Analisando o contexto fora da pintura
Platão- A Ética proposta por Platão se baseia na Ética Ideal, para ele existia um mundo além do físico, um mundo Ideal, um mundo Metafísico, diferente do mundo em que vivemos o Físico. Esse mundo estaria acima do alcance do homem, o mundo real e Físico seria apenas uma sombra do mundo Metafísico, o filósofo associava muito a idéia de perfeição com a Luz. A ética segundo a ótica de Platão devia se basear no Ideal, no perfeito, sendo assim o homem devia espelhar sua moral na moral insolúvel e idealizada.
Aristóteles- Para Aristóteles tudo o que existia estava ao alcance do homem, revelando sua forte tendência para o racionalismo, do mesmo modo era a ética ela não tinha que partir de um Ideal pois em sua concepção o Ideal não existia, a ética deveria partir da realidade, se basear no próprio homem, com suas qualidades e defeitos.
A disparidade entre Platão e Aristóteles
Para Platão a Ética devia moldar a realidade, para Aristóteles a realidade deveria moldar a Ética. A disparidade entre os dois filósofos ainda é muito discutida, e continua gerando outras disparidades quanto ao tema Ética. Nos dias de hoje ainda é persistente este fator, a idéia de Céu e inferno, uma das mais antigas da humanidade, se encaixa perfeitamente na classe dos dois filósofos. A idéia transmite um destino certo que as pessoas teriam após a morte, se fossem boas e perfeitas iriam para o Céu, caso fossem em vida o contrário estariam condenadas ao inferno. Quem nunca errou? Pedir que uma pessoa seja boa a ponto de ser perfeita é pedir algo ilógico, pois a própria definição de bondade é e foi historicamente distorcida. A pintura quando revela Platão apontando para cima com um leve encurvamento revela o quão tortuoso e difícil será o caminho de sua Ética idealizada. Todos temos defeitos horríveis que vivemos reprimindo, não somos perfeitos, sempre teremos falhas, é nesse ponto que Aristóteles se encontra. Se o Homem por si só não é perfeito exigir dele a perfeição seria algo errado pois a perfeição na ótica Aristotélica é inexistente pois não está ao alcance do homem, sendo assim a Ética devia “entender” as limitações do Homem e se adaptar a ele, não “exigindo” o que não existe que no caso é a perfeição.
Conclusão
A discussão iniciada na antiguidade ainda é muito presente, durante a século das luzes se pensava em um Bom Selvagem, - o homem seria bom por natureza, a sociedade que o corrompia- depois com o passar do tempo no século XX Freud falava sobre uma maldade natural do homem, a violência e a maldade seria seu estado inicial, a sociedade era quem intervia em seu comportamento através de repressões desse ser primitivo e o conduzia a um bom comportamento na sociedade. Dessa forma a Ética proposta por Platão propunha um caminho tortuoso e impossível para a perfeição; seria essa uma maneira de fazer com que o homem, naturalmente mal, fosse ético, ele estaria sempre em busca de ser melhor, se vigiando e reprimindo seu lado animal constantemente. Aplicando-se a ética de Aristóteles o homem iria ser negligente frente a seus atos, ele contaria com a desculpa de ser uma de suas limitações ser Ético. A conclusão que chego é que para que haja o equilíbrio da maldade natural humana ela deva ser distraída por uma busca eterna a uma ética Ideal proposta por Platão.RPS

Comments

Uma excelente análise de uma imagem, a despertar o interesse pelo conhecimento e o dissecar de temas como ética e moral. Gostei.

rackel 04-06-2010 06:51 #2

Caro Raphael,
Ao iniciarmos a leitura do presente texto, somos impelidos a exigir de você a publicação das imagens de Platão e de Aristóteles.
No entanto, quando chegamos ao penúltimo parágrafo, alcançamos a certeza de que tais publicações são desnecessárias, pois as retrocitadas imagens são desenhadas no intelecto do leitor através das descrições contidas na introdução.
Esta técnica pode ser chamada de comunicação fotográfica por meio da escrita.
Parabéns, Raphael! Gostei do Texto.

ZEUBARBOSA 16-05-2010 12:52 #1

Entrar