Autores.com.br

EntrarCadastrar-se
Início » Artigos / Textos » Todos Textos
A+ R A-
Enviado por: francy amaro
francy amaro

A importância do planejamento escolar

Enviar por e-mail

Segundo o autor Libanio, “Planejamento escolar é uma tarefa docente que inclui tanto a previsão das atividades didáticas em termos da sua organização e coordenação em face dos objetivos propostos, quanto a sua revisão e adequação no decorrer do processo de ensino”.

            Portanto o plano de ensino, o plano de aula e o de escola constituem modalidades do planejamento, que vem a ser um modelo de articulação do professor e do núcleo gestor de acordo com o contexto social. A ação de planejar visa refletir objetivos, conteúdos, métodos e etc.

            Algumas funções destacam-se bem no que tange o ato de planejar, tais como: O processo de participação democrática; Objetivos e métodos de organização; Coordenação do trabalho; Condições sócio-culturais do aluno; o inter-relacionamento; O aperfeiçoamento do conteúdo e a Facilidade ao selecionar e preparar a aula.

            Os planos como instrumentos para ação exigem uma seqüência lógica para ser bem desenvolvidos e funcionam comoguia de orientaçãovisto que, orientam e estão sempre abertos a novas práticas; aordem seqüencialé que permite o progresso do docente; através dele deve-se terobjetividade, ser prático, direto e há um interesse especial, que venha a superar os pressupostos.Dentre os instrumentos para ação o desenvolvimento do planejamento escolar estão também inseridos acoerênciae aflexibilidade.Sendo que  coerência é a relação que deve  existir entre as idéias e a prática, tendo uma lógica entre os componentes do plano. Para conseguir dos alunos uma certa autonomia de pensamento, capacidade de raciocínio, devemos programar tarefas onde os alunos possam desenvolver ativamente os propostos na elaboração do planejamento.

            No que se refere a flexibilidade do planejamento nota-se que o mesmo poderá ser modificado no decorrer do ano letivo, pois ele é tido como um guia e não como algo inflexível. Com o passar das aulas e com o andamento da absorção do conteúdo por parte dos alunos o plano irá passando por adaptações de acordo com a situação da turma. Portanto Não existem métodos e estratégias aplicáveis para qualquer classe ou professor. São as vivências em sala de aula que vão regulando as ações.

            O planejamento deve ser um momento de reflexão sobre ações executadas anteriormente para se projetar novos caminhos. É hora de repensar atitudes que não deram certo, rever possíveis acertos, vislumbrar possibilidades...

            Planejar requer pesquisa, estudo, traçar de planos a médio e longo prazo, definidos, levantamento de recursos humanos e materiais necessários à ação.

            Dessa forma, torna-se imprescindível que haja planejamento por parte de todos os gestores e educadores da escola, visto que ele permitirá ao quem planeja tornar-se conhecedor do projeto a ser executado.

            “Como tornar proveitoso o trabalho de planejar, que vai influir no rendimento do ano todo? Devemos seguir o roteiro abaixo relacionando:

1 – Do balanço do ano que passou à reflexão em grupo.

v  Depois de tomar contato com as políticas públicas, o coletivo escolar reúne-se para definir diretrizes, receber os novos professores e organizar as turmas para o novo ano.

v  A organização de um ano começa no fim do anterior, com um balanço mostrando quais metas se realizaram. A retrospectiva é tanto individual quanto em grupo; o ideal é que o planejamento e a auto-avaliação sejam processos permanentes.

v  Indo do geral para o particular, o ponto de partida do planejamento serão as diretrizes educacionais do governo e as políticas públicas vigentes.

2 – eleger os conteúdos e criar o plano anual dos professores.

v  Com o coordenador, os responsáveis por classe e séries cruzam informações e mostram uma grade coerente com o que os alunos precisam aprender.

v  O foco se fecha sobre o trabalho didático e deve começar com o estudo dos resultados da avaliação realizada no fim do ano anterior.

v  A equipe situa-se em relação a temas como desempenho dos estudantes, pontos que concentram dificuldades de aprendizagem e estratégias que funcionaram ou  não.

3 – hora de fechar o foco na própria classe e pensar nos detalhes.

v  O professor monta o horário semanal, prepara as atividades e faz o levantamento de recursos materiais necessários para as aulas.

v  O professor organiza o próprio trabalho detalhadamente, a distribuição cronológica, dessa vez, tem um caráter eminentemente ordenador, como se fosse uma agenda.” (Adaptação da revista nova escola. Planejamento.)

Entrar