Autores.com.br

EntrarCadastrar-se
A+ R A-
Enviado por: CarryManson
CarryManson

O ultimo portal

Enviar por e-mail

O universo paralelo
de o ultimo portal
“A vida não está fácil,meus amigos se mantém distantes de mim,estou cada vez mais sozinha perdida neste lugar tão assustador,viver aqui é como viver em um pesadelo sem
fim.Rodeada de pessoas que me odeiam e daquelas em
quem eu não posso mesmo confiar!”
Uma jovem escreve com lágrimas em seus olhos castanho claro,enquanto a sua mão pálida pega a uma garrafa de vinho que está no canto da enorme mesa,que contém vários papeis com estranhas anotações e símbolos,e um pequeno nootbook no meio desta,dentro de um
escuro e bagunçado quarto todo pichado com nomes de banda de rock.
_Já não suporto mais essa droga de vida!Nada faz sentido!
A jovem diz enquanto rasga o papel em que havia desabafado antes,ela tem a pele amarelada
,os olhos castanhos claros e cabelo ondulado de cor castanho chocolate tingido com algumas
mechas coloridas,sempre usa uma maquiagem pesada e roupas que destaquem as suas curvas
já que não possui a seios fartos. Suas roupas são sempre negras ou ligeiramente obscuras,com
estampas de frases como “No stress?Você não me conhece para me mandar ficar calma!” “Conte até 10 e a raiva passa? Com certeza ela não passa mas o ódio permanece!” etc.Tem uma personalidade bastante peculiar vive estressada,perturbada e é sempre muito pessimista,
seu nome é Isabelle Calligari.
“A vida pode está difícil mas não deixarei nada me abalar,pois
não irei enfraquecer por nada,não acredito em finais felizes pois
para mim a minha história tem que ser vivida ao invés de chegar ao fim”
Uma jovem escreve com um escuro olhar triste,olhando para o canto da cabeceira da cama
enquanto abraça ao seu urso cor de rosa,dentro de um quarto bastante feminino e delicado,
pensando em todas as vezes que aquele quarto,se tornou um verdadeiro pesadelo onde ela
derramou lágrimas e mais lágrimas enquanto cortava o seu pulso com uma adaga.
_Meus vícios nunca terminam...
A jovem diz enquanto visualiza a adaga dentro da gaveta,ela tem longos cabelos negros,
pele amarelada e olhos negros como a noite,usa sempre um lápis de olho reforçado e vestes
clássica do anos 50.Tem uma personalidade bastante amável porém um pouco sonhadora
e triste ao mesmo tempo.seu nome é Natasha York.
“Ah como a vida está se tornando entediante,já não encontro mais razões para viver aqui,porém não posso me dá ao luxo de
morrer,já que por mais patética que seja a vida,ela é para ser vivida,ou pelo ódio ou pelo amor,e eu vivo pela vingança”
Escreve uma jovem em seu diário com as suas mãos pálidas,enquanto fica sentada em sua cama de estrutura clássica em seu quarto pouco arrumado,que possui vários posters de lindos
cantores,e algumas coisas que não comera por completo porquê queria evitar engordar.
_Preciso de um novo encontro...
A jovem diz com um sorriso em seu rosto tentando parecer alegre.Ela tem os olhos verdes como esmeraldas,cabelos longos e lisos e uma pele pálida como a de um papel,usa sempre
roupas comuns que lhe agradem mais,sempre de acordo com as tendências.Possui uma  personalidade um pouco misteriosa porém apesar dos belos sorrisos,ela não é alegre sempre sofre com extremas depressões e como Isabelle já tentou se suicidar diversas vezes,mas em
todas as vezes falhou e por isso decidiu não tentar mais nenhuma vez.seu nome é Alexandra
Hans.
“O amor pode ter morrido para muitos,e uma vez já morreu para
mim também,mas não posso negar que eu o amo mais que tudo
e que sua voz ainda ecoa em minha mente todos os dias,e ainda sinto calor do seu corpo”
Uma jovem escreve em seu diário decorado,com os olhos escuros cheio de lágrimas sentada a
uma escrivaninha,que está sendo iluminada por uma lanterna de caveira,em um quarto pouco
claro que é metade feminino metade cheio de caveiras espalhadas por todos os cantos.Seu nome é Victória Haster,usa sempre roupas ao estilo da moda “caveira”.
_Eu te amo e és um dos motivos para eu viver!
A jovem diz com lágrimas nos olhos enquanto passa a mão em seus cabelos.Ela tem olhos
castanhos escuros,cabelos ondulados quase lisos de cor negra e pele clara amarelada,usa as roupas do estilo gótico porém sempre seguindo as tendências da moda rock. E enquanto todas as jovens sofrem com os seus distúrbios diários,em algum lugar devastado estão um
grupo de homens reunidos em volta de uma caldeira monitorando-as.
_Pobre coruja...Nunca a vi tão triste ela precisa de mim e eu não posso ir ainda Samarith!
Diz um dos homens enquanto ergue a sua mão em direção a imagem de Isabelle se cortando.
Ele tem olhos castanhos claro como mel,cabelos negros ondulados curto estilo dos príncipes da época das cruzadas e a pele quase semelhante a da jovem.usa sempre roupas ao estilo rock anos 70 e possui uma personalidade bastante louca,as vezes é uma pessoa as vezes é outra,não
consegue entrar em um consenso consigo mesmo,está sempre se contradizendo e é alguém
muito complicado de se lidar.
_Entendo Leviroth...Não suporto ver o que a rosinha está passando...
Responde um homem enquanto faz a imagem mudar  com a força do pensamento e então aparece a jovem Natasha.Ele possui os olhos castanhos,a pele um pouco escura porém pálida
e os cabelos negros curtos estilo punkrock,usa sempre roupas que evidenciem ao estilo da revolução e da liberdade das pessoas em fazer o que desejam.Mas apesar das suas vestes ele possui a uma personalidade bastante sábia,raramente comete erros infantis.
_Vocês dois são duas bichas! Façam ao seu trabalho e então iremos até elas!
Diz um dos homens que se afasta da caldeira com a cabeça baixa.Ele possui olhos verdes como água,pele clara como papel e cabelos loiros longos e ondulados,usa sempre vestes
ao estilo medieval como um verdadeiro cavaleiro,sua personalidade é bastante grosseira
,poucas vezes demonstra sentimentos tentando esconder que os tem.
 _Controle-se Belliath só porquê não consegue amar ninguém não menospreze aos outros!
Diz um dos homens que estava próximo a caldeira com um olhar solene.Ele possui olhos
castanhos quase cor de ouro,pele amarelada um pouco bronzeada e cabelos ondulados loiros.
usa sempre roupas que exaltem ao seu corpo no estilo roqueiro.Seu nome é Samalasth e sua personalidade é bastante alegre e um pouco atrevida,está sempre junto dos outros príncipes porém sempre troca olhares com as outras moças da dimensão,e apesar do seu jeito descontraído,sabe o momento certo de ser sério e controlar as ações a sua volta.
_Não aguento vê-la sofrer...Pobre menina o destino dela parecia ser tão grandioso...
Diz um jovem enquanto olha para um pequeno caldeirão.Ele tem olhos castanhos,cabelos
louro escuro,e pele amarelada,tem uma personalidade bastante dócil porém é muito sonhador e inocente,por mais que ele tente ser maduro ele sempre acaba por fazer coisas infantis,e usa sempre roupas ao estilo rock anos 80.Seu nome é Jhonnata Wister.
_Não interfira em sua vida pequeno aprendiz,ela não merece os privilégios que você tem!
Diz um velho homem com os olhos fundos enquanto se aproxima do rapaz.Ele tem olhos
verdes claros,cabelos grisalhos lisos longos e a pele pálida como papel.Sua personalidade é
bastante séria,quase nunca fala demais e sempre se mantém distante das pessoas com quem
se envolve.Seu nome é Luiz cujo o sobrenome é desconhecido.
_Senhor os relatórios chegaram...Tudo está como deveria...
Diz um rapaz com um enorme sorriso em seu rosto logo ao entrar na sala,onde todos eles
estão.Ele tem cabelos curtos e encaracolados negros,olhos verdes e a pele morena escura.
usa sempre roupas ao estilo “americano largado’’.e possui uma personalidade bastante
submissa,adora seguir as ordem do seu chefe Luiz sem se quer saber quem é ele é.
seu nome é Boris Rosáles.
_Não deves deixar que as nossas crianças desviem do caminho...cuide delas como se fossem
as suas filhas
Uma voz diz vindo de dentro de um caldeirão.Onde há uma jovem senhora de uns 30 anos,
que esta coberta por uma túnica toda negra,não se consegue ver ao seu rosto porém ela tem
uma pele pálida e existe uma enorme marca de um pentagrama em seu pulso,e esta ao lado
de três belas moças uma de cabelos ruivos,outra de cabelos loiros claros e a ultima com os cabelos castanho chocolate,ambas com peles pálidas e olhos claros,um amarelo como de um gato preto,o outro verde como esmeraldas e o ultimo castanho quase vermelho.Ambas com túnicas de cor vermelha.

Prólogo
666 A.C...É de noite e toda a cidade da Babilônia está vazia,pois todos os seus cidadãos
estão se divertindo em um templo grego,dançando ao som daqueles tambores violentos
como loucos,sedentos de vontade de acasalar uns com os outros,enquanto bebem várias
jarras do mais puro vinho,se tornando cada vez mais insanos enquanto esfregam os seus
corpos uns nos outros,lenta e intensamente até que então não suportam mais e tiram as
suas vestes.É quando os tambores param,e um grupo de homens vestidos com túnicas
negras entram no lugar,usando máscaras de ouro com o formato de cabeças de aves.
Ao ver tais pessoas,todos param e os reverenciam com seriedade,e eles fazem o mesmo
sendo totalmente elegantes,e então passam pelas pessoas dizendo-lhes palavras esquisitas
em seus ouvidos,tão estranhas que chegam a ser hipnóticas.Cada um vai caminhando e
parando para dizer as coisas nos ouvidos das pessoas,até que então chegam em uma bela
jovem,a quem todos rodeiam e dizem as tais palavras. Os tambores voltam ao rugir desta
vez um pouco mais lentos,enquanto a jovem tira as suas roupas lentamente,fazendo uma
dança sensual que é reverenciada e agraciada por todos,olhando para todos com um olhar
profundamente obsessivo,tocando o seu corpo das coxas até o ar,até que a ultima peça de
roupa é tirada e ela então grita,dançando de uma forma veloz e violenta mudando até o
curso do vento,enquanto gira por entre todas as pessoas que estão paradas diante dela.
Dando gritos furiosos e vorazes,enquanto os seus passos se movem em alta velocidade,
e seu quadril gira no ar e ela então cai nos braços dos homens encapuzados,que estão
em um circulo dizendo as mesmas palavras indecifráveis.Dizendo coisas como: “O
primeiro portal será aberto e os anjos renegados saíram do Inferno,o desejo mortal é
a chave para libertar o príncipe demônio da prisão do clero”

1200 A.C Era das Trevas...Inglaterra todo o mundo está sob o poder da “nova fé” a fé em
um único Deus senhor de todos os pobres e ricos,o criador de todo este mundo,para quem
todos devem se curvar e obedecer cegamente,sem contestar a verdade por trás desta “nova
religião”,uma religião maravilhosa que chegou destruindo a todas as velhas culturas que já
existiam aqui,e transformou muitos Deuses maravilhosos em meros Santos servos do senhor.
Fazendo com que as mulheres(as únicas que poderiam tirar a igreja do poder) passassem de
Deusas para demônios,prostitutas do terrível Satanás,a força maligna que ronda a este mundo
fazendo com que todos cometam pecados diante do maravilhoso Deus,cujo o nome nunca é
dito pois só aqueles que tem a honra de chegar perto dele é quem sabem.Agora que já sabem
tudo o que deviam saber sobre a igreja católica.Vamos mais além...Como todas as mulheres
eram consideradas verdadeiros demônios fêmeas,que Satanás costumava a seduzir por serem as suas favoritas,a igreja submetia então a mulher a se tornar alguém submissa,que deveria ser
sempre boa,cuidadosa e delicada como a sua Eva(que apesar dos erros era alguém que deveria
ser cegamente respeitada!).Aquela que não fosse como a mãe de todas as mulheres,era logo considerada um demônio que era submetido a terríveis torturas,pois do momento que as belas
dissessem não as ordens do marido,ou então simplesmente se satisfizessem com as próprias mãos,elas logo eram consideradas servas das sombras e como tal não eram humanas.Mas em
meio a tanta escuridão de hipocrisia surge então mulheres que estavam prontas para lutar...
Noite de Lua cheia...Um grupo de jovens estão em cima da montanha dançando envolta de
uma fogueira em circulo,com as mãos unidas no ar ambas livres de suas roupas,cada uma com uma coroa de flores em sua cabeça. “Chamo a ti ó poderoso espírito do Norte” diz a jovem com a coroa de Violetas na cabeça,enquanto solta sua mão das outras e abre os braços
para o céu. “Chamo a ti ó poderoso espírito do Sul” diz a jovem com a coroa de Magnólias
na cabeça,fazendo o mesmo que a primeira jovem. “Chamo a ti ó poderoso espírito do Oeste”
diz a jovem com a coroa de Rosa menina na cabeça. “Chamo a vós ó poderoso espírito mal
para que abra a nova terra com um portal” diz a jovem com a coroa de Rosas vermelhas na
sua cabeça,enquanto para diante do fogo e abre as mãos para o céu.É quando os ventos se
tornam mais fortes,e elas então juntam aos braços fazendo uma corrente humana,enquanto
giram no sentido inverso do relógio dizendo algumas frases incompreensíveis.E então uma tempestade surge banhada de uma chuva forte,que quase derruba as  jovens que forçam os olhos,enquanto seguram nas mãos umas das outras dizendo as palavras cada vez mais alto.
Até que então a jovem que invocou ao espírito do Leste cai para trás,em um sono profundo
com os braços livres das outras jovens.A chuva passa a cessar as jovens abrem os olhos e então vão em direção a garota,todas se ajoelham ao redor dela e então a jovem da coroa de
magnólia passa mão no rosto da jovem,preocupada com o fato de algo ter dado errado.A jovem então abre os olhos rapidamente eles estão vermelhos como rubi,e então ela passa a
sua mão pálida de aspecto mórbido sob o rosto da outra jovem,e lhe dá um beijo bastante
intenso nos lábios,enquanto sua mão apalpa aos seios das outras duas deixando a todas três
garotas bastante excitadas.E enquanto sua língua fica entrelaçada a das outras ela abre um
pouco aos seus olhos,então coloca os dedos na boca das outras que os sugam sem parar.
sentindo aos dentes das jovens em suas mãos,a jovem da coroa de rosas sente aos seus
dedos molhados,e então os introduz nas áreas femininas fazendo-as gemer de prazer.Vendo que a jovem da coroa de rosas estava excitando as outras com os dedos,a jovem de coroas de magnólia então puxa aos cabelos da garota,e então molha aos seus dedos com o próprio lubrificante natural,e os introduz no corpo da jovem deixando-a excitada. E então enquanto as jovens se excitam a lua começa a ficar cada vez mais vermelha,até que elas começam a chegar no nível máximo do prazer,tendo múltiplos orgasmos.Gemendo e gritando cada vez mais alto
sentindo os seus corpos quentes e apertados demais,e finalmente chegam a gozar muito mais
do que deveriam,chegando a perderem suas consciências por minutos. “E o segundo portal foi
aberto,o anjo agora pode então transitar entre a linha que divide os mortos dos vivos” Dizem
as jovens com os olhos vermelhos e as peles pálidas,ambas com as mãos erguidas para o céu.
Renascença...Itália Após anos e anos de torturas psicológicas com marcas físicas,banhadas em sangue inocente,finalmente surge então um momento em que o homem começa a pensar por si,passando a ser o senhor de sua existência,procurando então responder as perguntas de seu mundo através de detalhados estudos científicos.Explicando que as obras criadas pelo homem
pertencem ao homem!Um grande avanço para nossa sociedade tão caótica.E em meio a tantos
avanços,ainda haviam muitas pessoas que se postavam diante de um senhor que nem se quer sabiam se de fato existia.E assim como os muitos fanáticos religiosos haviam também aqueles que estudavam a arte da magia,porém agora eram novos tempos e a magia não era apenas mais uma religião,e sim uma ciência oculta que era conhecida só pelos sábios.
É meia noite um pequeno grupo de treze homens está indo em direção a um velho castelo abandonado,ambos todos vestidos de negro carregando a uma tocha erguida no ar com a mão esquerda a maioria usando máscaras de teatro enquanto que outros usavam máscaras de aves de rapina.os jovens chegam ao lugar e então são recebidos por uma mulher que está com uma túnica vermelha usando uma máscara de ouro de Falcão,que então os conduz para dentro de um salão secreto.No salão...No meio da sala abre-se uma porta e então surge uma jovem  usando uma máscara de coruja(suindara),com uma túnica vermelha com detalhes pretos,que recebe a todos os jovens com uma reverencia.uma musica primitiva começa a tocar,e a jovem começa a dançar de acordo com a musica enquanto ergue a barra de sua túnica,exibindo as suas belas pernas para os rapazes que as olham bastante excitados.
Logo a jovem então passa a sua mão pelo corpo das outras jovens puxando-as para dança,e quando se dão conta todas estão dançando,com as mãos coladas para o ar girando no sentido inverso do relógio,erguendo a barra das suas túnicas com a outra mão enquanto os rapazes a olham,e elas trocam olhares com os rapazes que estão com máscaras semelhantes as suas.
A jovem que está com a máscara de Jacurutu(o Bubo virginianus) olha para o rapaz cuja a máscara é semelhante a sua então solta a mão das jovens,e vai até ele usando o seu corpo como um poste de dança.Imitando aos seus passos a jovem com máscara de corvo segue em direção ao jovem de mascara semelhante,então coloca seu pé na coxa do jovem e começa a dançar para ele com a perna aberta,jogando o seu corpo um pouco para trás.e enquanto as jovens seduzem aos garotos de máscaras semelhantes as suas,a jovem com a máscara de suindara fica no centro dançando sensualmente,para o jovem de mascara semelhante que
a olha friamente,visualizando aos movimentos do seu corpo detalhadamente,até que não
resiste e então vai até ela dançando por trás,passando a mão sob os seus seios. É quando
ela sorri e então ergue o braço passando a mão pelo rosto do jovem,enquanto os seus olhos ficam rubros como rubi e ela faz uma pequena invocação.Todas deixam aos rapazes bastante
excitados então voltam a formar um circulo,e tiram as suas túnicas exibindo aos seus belos
corpos,enquanto elas dançam umas com as outras com os corpos colados e suados,sentindo
a um prazer tão enorme que logo desmaiam.Sem perder tempo os rapazes de máscaras iguais
as pegam em seus braços,cobrindo-as com um lençol branco enquanto dizem invocações bem indecifráveis,eles as cobrem dos pés a cabeça e então carregam-nas para dentro da porta por
onde a jovem da máscara de suindara saiu.Dentro da sala secreta...O lugar está pronto para o ritual,há um enorme pentagrama desenhado no chão,quatro camas de ferro com algemas de couro alinhadas em um circulo perfeito,com uma tocha de ferro acesa em cada canto,com
pétalas de rosa espalhadas pelo chão,uma mesa retangular no canto com algumas jarras de barro e umas taças de cristal,junto de algumas garrafas com bebidas de diferentes cores,
alguns objetos de medicina e a imagem de um ser místico exposta em um quadro no fundo.
Os rapazes entram no lugar e então colocam cuidadosamente cada uma das jovens sob uma das macas,e então se dirigem para a mesa onde se encontram as bebidas,cada um pega uma jarra e então despejam um liquido vermelho dentro destas.logo voltam em direção as moças derramam ao tal liquido sob os seus corpos,encharcando ao lençol com o tal liquido viscoso enquanto dizem uma invocação desconhecida em um tom baixo.As moças abrem aos
seus olhos e despertam asfixiando-se com aquele lençol branco cobrindo aos seus rostos,sendo
observadas pelos rapazes que continuam fazendo a sua invocação,mas antes delas caírem em um sono profundo,eles andam até elas e desembrulham ao seu corpo lentamente.eles tiram
as máscaras das jovens são belas e irresistíveis moças,que começam a uma nova invocação com os olhos abertos e as mãos para o ar.
Não tarda para que os jovens tirem as suas máscaras também e exibam as belas faces,rostos lindos como os de um anjo e o ideais frívolos como os de um demônio,que não temem e logo
tiram o lençol vermelho que cobria ao corpo das jovens,deixando-as nuas enquanto todos eles
amarram aos seus braços e pernas de forma bruta na maca de ferro,deixando-as excitadas com
aqueles atos tão primitivos.Após amarrá-las eles derramam de novo um liquido vermelho sob
os seus corpos,só que desta vez é o que chamam de o sangue dos santos que fora recolhido de
um grupo de padres inquisidores que mataram a várias bruxas.Eles derramam o liquido pelo corpo das jovens dos pés a cabeça e então o limpam com a boca,passando suas línguas por
todas as áreas onde o sangue escorreu,desde os lábios das jovens até suas áreas intimas.
Deixando-as extremamente excitadas,enquanto fazem a invocação crucial. “Oh Deusa Lua
Negra envolva-nos em teu véu de escuridão”Dizem as jovens não escondendo aos gemidos,
enquanto os rapazes prosseguem com os seus trabalhos. “Oh Deusa protetora de todas as belas bruxas nos dê ao poder para prosseguir sem perder a nossa essência genuína” Dizem as jovens enquanto os rapazes beijam cada parte dos seus corpos livre das roupas. “Deus Sol
envolva-nos sob o teu poder” Dizem os rapazes enquanto tiram as suas vestes diante das jovens,exibindo aos seus belos corpos bem esculpidos olhando-as profundamente.“Deus Sol nos dê a força necessária para prosseguir sem perder a nossa essência” Dizem os rapazes
enquanto introduzem aos seus membros no corpo das jovens,fazendo-as gemer enquanto eles
não resistem e fazem o mesmo devido a extrema excitação delas os envolvendo. “Deusa Lua
Negra e Deus Sol unam-se para abrir então ao terceiro portal!” Dizem todos juntos enquanto
sentem os seus corpos se tornando um só,ambos suando desesperadamente gemendo cada vez
mais alto,mais alto ,mais alto...Mais alto!Até que chegam todos ao nível máximo do prazer e
derramam suas gotas de orvalho sob os corpos um do outro. “E o terceiro portal foi aberto o veneno do anjo agora pode ser destilado entre mortais” Dizem os jovens trêmulos e então caem sob um sono profundo.Do qual acordam todos horas depois,com os olhos vermelhos
e os caninos afiados.Porém nem todos são aqueles que parecem ser os rapazes deixaram de
existir dando espaço então para criaturas milenares se apossarem de seus corpos.
1945...Segunda Guerra Mundial...O mundo todo está sob o poder de um novo ditador,
seu nome é Adolf Hitler e sua maior ambição é fazer com que todo o mundo se renda a
Alemanha e ao sistema nazista.Milhares de pessoas inocentes já haviam morrido e outras
estavam com traumas mentais e físicos da tal batalha.Mais uma vez o mundo caia naquela
escuridão de ignorância. E o que aparentemente parecia apenas mais um jogo de ambição
na verdade ia muito mais além do que isso,o que muitos não percebem ou não sabem ao estudar sob a tal guerra é que Hitler era aficionado por ocultismo,e parte do seu império
não veio apenas de sua inteligência mas sim do seu poder oculto.Ele era considerado por muitos como o verdadeiro anticristo aqueles que todo temiam que viesse a terra e levasse-a
o caos absoluto.Nada mais distante da verdade...Muitos o chamavam de anticristo por ele
sacrificar a vários judeus e gente de cor em seus julgamentos,mas ele não deveria carregar
o tal titulo,deveria era ser chamado de messias!pois os únicos que adoravam sacrificar a gente inocente em prol de um mundo perfeito eram os católicos e seus seguidores(inversos ou
na ordem perfeita) não os verdadeiros satânicos!Basta pesquisar um pouco para descobrir o porquê de Hitler assassinar aos Judeus e aqueles que eram gente de cor,para entender que ele só o fazia por considera-los demônios que deviam ser exterminados deste planeta.Se for um esperto poderá perceber a semelhança dos ideias com a outra ditadura mais conhecida como
a fé cristã.Enquanto o mundo mais uma vez caia nessa terrível desgraça...A ordem da Lua então teve que fugir da Itália e ir para os Estados Unidos.Logo que chegaram ao pais,todos
os 8 belos jovens mascarados que restaram da caçada da ordem dos Inquisidores na cidade de Revenna,foram para cantos diferentes do pais,onde construíram seus novos lares e viveram ali
por alguns anos em paz.Até que chegou o dia terrível...
Era novamente lua cheia e o ciclo de vários anos estava completo um novo portal deveria ser
aberto,todos os jovens estavam na floresta cobertos com suas túnicas vermelhas com detalhes negros encapuzados sem máscaras desta vez,envolta de um pentagrama feito com as cabeças dos jovens aprendizes da lei celeste,enquanto giram de mãos dadas falando as mesmas frases indecifráveis outra vez.Logo eles se envolvem em um ritmo envolvente onde dançam com os
seus corpos colados uns aos outros,e começam a sentir aquela mesma vontade de tirar as suas
roupas,mas desta vez as jovens é quem tiram as túnicas dos rapazes beijando aos seus corpos
intensamente,fazendo-os gemer como lobos no acasalamento.deixando-os tão excitados que
eles as puxam com força e começam a beija-las movimentando os seus membros sob os delas.
enquanto passam as suas mãos sob as pernas das jovens fazendo-as gemer com os todos os seus leves toques.E seguindo aquele ritmo de musica primitiva que apenas eles ouviam os
jovens ficam todos livres de suas roupas e então correm até o rio,onde os jovens envolvem
as garotas em seus braços e então as penetram intensamente,deixando-as excitadas o bastante
para que ambos expressem com gemidos aos seus desejos.Até que então a água começa a ficar
agitada e uma tempestade começa a se formar.Uma chuva forte cai sob os seus corpos fazendo
com que água do rio fique quente,mas os jovens não param!continuam envolvidos com o seu ritual carnal,forçando os seus corpos sob os das suas amadas cada vez mais.Eles saem da água
e então colocam as jovens tremulas deitadas sob a terra,então lhe beijam intensamente até que
voltam a introduzir aos seus membros em seus corpos,fazendo-as gemer de prazer,fazendo os
movimentos de “vai e vem” cada vez mais fortes e intensos,beijando-as no pescoço e na boca
,não escondendo nenhum gemido.Todos chegam ao nível máximo do seu prazer dando gemidos altos e escandalosos. “E o quarto portal foi aberto o poderoso anjo agora pode libertar a besta e deixar nos mortais a sua marca” Dizem todos os jovens juntos e então
 caem em um sono profundo do qual não despertam tão cedo.
De manhã um grupo de aprendizes de exorcistas caminha em direção ao rio e encontram
aos jovens deitados sob os corpos um dos outros,com o enorme pentagrama de cabeças formado no meio do lugar.Todos ficam assustados e então começam a jogar pedras nos
jovens enquanto rezam ao “Pai Nosso,e o Ave Maria”.Logo os jovens abrem os olhos e
despertam assustados com garras de águia no lugar das suas unhas,e os olhos vermelhos
como sangue.que deixam aos jovens aprendizes ainda mais assustados que gritam em alto
e bom tom demônios!demônios!.
Mas os jovens bruxos apenas sorriem e então ficam parados diante dos seus inimigos,que não tardam em pegar uma adaga que mantinham escondida em suas bolsas,e então correm até os
jovens que se separam divididos em um grupo separado.Cada um luta com um inimigo os rapazes logo destroem aos seus inimigos,sem perder tempo fácil e rapidamente.Mas as moças
ainda brincam um pouco e deixam eles perfurarem aos seus corpos,achando que nada pode lhes matar mas o inesperado acontece,elas ficam ainda mais pálidas,com suas as veias roxas pulsando em suas peles e elas caem para trás envenenadas.E enquanto os seus olhos estão
para se fechar elas olham para os rapazes e percebem então que haviam anjos dentro dos
seus corpos sorrindo para elas enquanto diziam “E o quarto portal foi aberto,mas o quinto,
o sétimo,ou qualquer outro jamais será pois bem prevalece sempre sobre o mal!Deus seja louvado e o demônio e seus filhos exterminados!”.Elas então gemem de dor molhadas de
suor,vendo aquelas criaturas tão próximas delas,com formas angelicais que realmente lhe
feriam apenas de chegar perto.Ao ver as jovens naqueles estados tão grotescos,os rapazes
usam as suas garras para cortar fora ao pescoço dos anjos,eles cortam e então correm até
as suas parceiras,que estão com os lábios cheios de sangue que não para de escorrer.
Naquele mesmo dia todas elas morrem e são levadas pelos anjos em direção ao céu.
Os jovens ficam chateados com a perda da batalha e juram vingança.
Capitulo 1
As garotas perdidas
Tudo começa em um dia nublado onde a maioria das nuvens estão acinzentadas,e uma leve chuva cai em cima de uma pequena cidade,cheia de prédios altos baixos e médio,fazendo com
que a água caia em cima do velho telhado de uma faculdade,onde Isabelle,Marisca,Alexandra
e Victória estão caminhando pelo corredor com os olhos fundos e preocupados,cada uma com
uma ideia mais assustadora que a outra.Enquanto lembram-se de quando invadiram a escola na noite passada para que pudesse jogar ao jogo do espíritos.
_Sente-se senhoritas...
Diz uma mulher com uma expressão séria em seu rosto apontando para um pequeno sofá em frente a sua mesa,logo que as moças atravessam a porta da diretoria.A tal mulher tem lindos olhos verdes que vivem escondidos em um óculos adequados para o seu rosto,que tem a pele
pálida e os cabelos longos e lisos que estão em um rabo de cavalo.Cujo o nome é Amélia Mongonoy e que usa sempre a roupas negras,ao estilo secretária que exibem ao seu belo corpo escultural ao estilo grego.
_Senhora Mongonoy nós...Gostaríamos de pedir desculpas...
Diz Isabelle após trocar uns olhares com as suas amigas,enquanto ambas seguram nas mãos
uma das outras,uma mais assustada que a outra,com medo do que a tão temível diretora da
universidade poderia fazer com elas.Mas a bela mulher apenas lhes olha e então tira a manga
de cima do pulso mostrando a elas a marca do pentagrama.
_Podem ver?Está é a minha marca como sua protetora...
Diz Amélia após mostrar a todas a sua marca de nascença deixando-as confusas,afinal de contas elas não estavam ali para serem repreendidas pela invasão na escola?.Percebendo ao
que as jovens estavam pensando a bela diretora apenas se levanta da mesa e então segue em
direção a elas,deixando-as novamente em pânico pois sabiam que o pentagrama não apenas representava ao seu lado como também ao lado do inimigo.
_Não temam a mim...Sou uma aliada de seus pais...Sou a guardiã de vocês,principalmente de você senhorita Calligari...
A bela mulher diz com um olhar sério enquanto se agacha na frente das jovens,demonstrando
que não era aquela pessoa totalmente formal que aparentava,e que realmente não era alguém a ser temida mas alguém que deveria sempre está perto delas para observa-las.
_É a primeira pessoa a se revelar assim como um guardião!
Diz Natasha com uma expressão séria enquanto cruza as pernas e os braços,vigiando cada movimento da bela diretora para lhe impedir de algum ataque surpresa.Desconfiada de que
aquela mulher não era quem dizia ser,porquê não era o primeiro ser a tentar se manifestar
como um suposto guardião,quando na verdade só queria assassinar a uma das jovens.
_Gosto de sua personalidade senhorita York...Mas guarde os seus comentários para si!
Não quer confiar em mim não confie,mas saiba que o rei Ballian não irá gostar disso!
Retruca Amélia com um sorriso em seu rosto e então volta a ficar com uma expressão
séria,lembrando-se da ultima vez que se comunicou com os pais das jovens,que neste
momento estão com os olhos surpresos ao saberem que ela conhece ao nome secreto
do verdadeiro pai de Natasha.
_O que tem para dizer...Diga logo...Irei confiar em ti,mas não ouse trair a mim ou a
minhas amigas,se não eu não responderei por mim!
Diz Isabelle com uma expressão séria e um olhar obscuro,deixando a diretora um pouco assustada pois a menina havia herdado de fato o sangue de seu pai.porém antes que o clima
se torne cada vez mais denso,ela apenas balança a cabeça e então pensa em lhes revelar logo
o que de fato ela tem para lhes dizer em nome dos seus pais.
_De fato é a filha dele...Bem estou aqui para lhes dizer que muito do sofrimento de vocês se
dá por causa de seres celestes,que ficam a sua volta dizendo-lhes coisas terríveis! Eu agora lhes pergunto :Quantas vezes estavam bem e felizes em seus caminhos,e do nada pensaram em se
matar ou começaram a chorar?
Diz Amélia surpresa com a atitude da rebelde Isabelle,e então olha para todas com um olhar
cheio de convicção e certeza tão profundo,que parece que ela viveu a situação que ela descreve para as jovens,chegando bem perto de tocar aos seus corações quando Natasha fecha os olhos e então volta a olhar possessa para a diretora.
_Se nossos pais nos amam tanto...se eles mandaram você até nós,porquê então nos deixam sofrer desta forma se para eles tudo é possível!?

Diz Natasha com os olhos escuros clareando,tornando-se cada vez mais triste e perdida em seus próprios pensamentos.Pensando no quanto os seus pais verdadeiros são hipócritas e no quanto eles só pensam em si e não lembram dos filhos.Sem perceber que a sua volta havia um grupo de espíritos de luz,dizendo-lhe tais coisas para que ela não se sentisse bem.
_Natasha!Eu já passei por isso não é assim a culpa não é dos nossos pais...
Diz Isabelle com uma expressão incrédula em seu rosto,sentindo-se mal pelas palavras da jovem enquanto vários espíritos de luz começam a rodea-la,dizendo-lhe que tudo o que a sua
amiga falava era verdade que seus pais não prestavam e que felicidade que ela deseja só pode
ser encontrada no caminho celeste,pois este é o seu real destino.
_ “Espíritos que ousaram aqui invadir,eu os ordeno em nome do Caos que saiam daqui!”
Diz Amélia com uma expressão séria em seu rosto enquanto a estrela em seu pulso começa
a ficar inchada,e uma enorme barreira começa a surgir envolta daquele escritório impedindo
que os tais espíritos invadam aquele lugar e perturbem a paz das suas protegidas.
_Não iram mais nos importunar...Não acredito que estão perdendo para espíritos de um nível tão baixo!Precisamos treinar e não temos mais tempo a perder!
Volta a dizer Amélia enquanto a estrela em seu pulso volta ao normal,sentindo ultrajada por meninas tão poderosas serem trapaceadas por espíritos tão fracos e inúteis.E então uma longa
conversa se sucede e a diretora consegue então provar a sua inocência em relação aos terríveis
pensamentos de Natasha.
_Vamos estamos atrasadas!
Diz Isaballe correndo pelo corredor da escola com um olhar assustado,sendo seguida pelas suas amigas que estão tão desarrumadas quanto ela.Já se passaram treze meses desde que as
jovens descobriram o segredo da sua diretora.E agora toda a noite estas garotas estão sendo
treinadas cada uma por uma bruxa diferente.Isabelle está sendo treinada pela bela senhora
Mongonoy,Natasha pela irmã gêmea de Amélia,Léia Mongonoy a loira a quem me referi antes,Alexandra pela misteriosa Anita Flinx a morena de cabelos chocolates,e Victória pela amável senhorita Gisela Morn a doce ruivinha.
_Desculpem aos nossos atrasados!
Diz Isabelle com uma expressão assustada em seu rosto,logo ao atravessar a floresta e chegar a parte cerrada do lugar,colocando as mãos no chão toda desconjuntada parada em frente das belas bruxas que estão diante de uma chama ambas vestidas com túnicas verdes,olhando para
elas com um certo carinho por verem o esforço que as meninas estão fazendo,para poder lhes ajudar com a sua dimensão natal.
_Não se preocupem tanto...Amanhã receberemos uma visita importante porém cabe a vocês
recebê-los da melhor forma possível...
Diz Amélia com uma expressão séria em seu rosto,enquanto joga no fogo uma espécie de pó
que faz com que a chama mude de cor tomando a forma de varias silhuetas de rapazes que
parecem ser atraentes.Porém isto nada agrada as jovens já que todas elas estão comprometidas
com seus namorados a poucos meses,são fieis e não querem dar aquelas temíveis boas vindas aos belos.
_Não podemos...
Diz Isabelle num sussurro com os olhos fundos e com um estranho frio no seu estomago,
começando a ficar um pouco tonta ao ver a silhueta do ser que parece ser o mais infantil.
Não gostando nenhum pouco daquela ideia por causa de seu belo namorado Dantas,que
por sinal era bastante parecido com Leviroth só que tem uma personalidade adorável e
perfeita,é um verdadeiro príncipe.
_Mas eles são os únicos que podem lhes dar as respostas que procuram...
Diz Anita com um olhar obscuro enquanto olha para chama,e então joga um outro tipo de
pó,que faz a chama tomar um novo um rumo,ganhando agora imagens perfeitas de como o
mundo ficara se elas não descobrirem a tempo sobre o seu destino.E o pior é que elas não estão escondendo tudo o que sabem,pois já lhes disseram tudo o que aprenderam e até o que conheceram.
_Esta bem nós iremos mas não irá além de uma conversa!
Diz Natasha com uma expressão séria em seu rosto,enquanto dá um passo a frente das outras meninas,demonstrando que faria aquilo que as suas professores lhes ordenaram,porém só fariam apenas o que deveriam e não iriam além daquilo.
_Não se preocupe senhorita York,Os príncipes do Caos são cavalheiros e as únicas mulheres
que lhes interessam são as princesas do Caos,vocês podem ser importantes mas...Não passam de servas fiquem tranquilas!
Volta dizer Anita com a mesma expressão séria em seu rosto,ela quase nunca sorri e poucas vezes fala desde que o seu amado foi assassinado pela ordem dos Inquisidores.Mas apesar do
seu estado trágico é uma mulher sábia que sempre procura ajudar aos filhos do Caos,sendo
eles sangue puro ou mesmo bastardos.
_Estamos todas de acordo então...“Que as vozes das servas sejam ouvidas,oh senhores do
Caos!Venham a nós na hora marcada e no dia esperado”!

Dizem todas as bruxas mais velhas com as mãos dadas para o ar,enquanto olham em direção a escuridão do céu,pensando no quanto o universo pode ser grandioso.Até que então a mensagem chega aos ouvidos dos príncipes que olham para a caldeira animados em finalmente conhecerem as jovens de quem eles tanto cuidam.

Capitulo 2
Os príncipes do Caos
Na noite seguinte...as jovens seguem em direção a floresta preocupadas com o seu encontro
com os tais príncipes,porém quando chegam ao local apenas encontram a suas professores
falando com o vento e então ficam confusas,perguntando-se se elas de fato eram loucas e se  os seus ensinamentos de nada lhes serviria,ou que o seu destino como agentes do Caos era
uma completa mentira.
_Bem vinda Isabelle estava a sua espera...
Diz uma bela voz masculina vinda de dentro dos arbustos,ao ouvir o seu nome Isabelle fica surpresa pois ela foi a única que ouviu a tal voz,por isso fica parada em silencio esperando ouvi-la novamente,a voz volta a repetir ao seu nome e ela então sai correndo em direção
aos arbustos e chega ao rio.curiosa ela se ajoelha diante dele movendo as mãos com a
intenção de ver os segredos que as águas escondiam.
_Isabelle Calligari um dia serás minha...
Um jovem semelhante a Dantas diz dentro de uma dimensão que parece ser o nosso mundo em ruínas infinitas,com um enorme sorriso em seu rosto.Um sorriso que faz o coração da rebelde palpitar mais rápido e mais forte de uma forma que o seu namorado nunca o fez.
_Não é verdade!meu destino é está com o Dantas!Está escrito nas estrelas desde que trocamos ao primeiro olhar reconhecedor,e vivemos a um amor que nunca será maior
que nenhum outro em minha vida!meu destino é estar com ele e não com o senhor
vossa majestade!

Isabelle diz em sussurro com os olhos distantes,vendo os belos olhos do rapaz encarando-a
de uma forma que ela não consegue resistir,sentindo-se tão leve que fica assustada e então
sai correndo para longe daquele rio.com as mãos na cabeça querendo afastar aquela voz da
sua mente a qualquer custo,porém a voz não para diz que ela esta “enganada sobre o que pensa do namorado e que só existe uma pessoa para ela que não é Dantas.”
No dia seguinte...Isabelle caminha pela universidade com o caderno na mão até que vê Dantas sentado em um banco e corre para abraça-lo,logo que ela chega perto dele ele sorri
para ela de uma forma realmente familiar,e então a olha com uma alta confiança nunca antes
vista,passando a mão em seus belos cabelos ondulados enquanto trocam olhares.
_Hahahahahahahahaha Não pode fugir de mim mortal...
Diz Leviroth com um sorriso em seu rosto logo depois de colocar uma mecha do cabelo da jovem atrás da orelha,e então aproximar os seus lábios do ouvido dela,apresentando-se de uma forma adequada enquanto seus olhos obscuros voam longe.Ao ouvir a voz um pouco
rouca do príncipe a jovem entra em pânico e então tenta da um passo para trás,mas não
consegue e fica sentada no colo do desconhecido.
_Não não posso...Mas então o que deseja?
Isabelle diz com uma expressão assustada em seu rosto vendo os seus lábios mais próximos
aos do príncipe,enquanto o seu coração bate cada vez mais depressa e ela fica ainda mais nervosa com aquela situação,não acreditando que estava mesmo nos braços de um príncipe
do Caos,e que ele tinha se dado ao trabalho de invadir ao corpo do seu namorado apenas para lhe seduzir.
_Você deve saber o que eu desejo de uma serva minha...
Diz Leviroth com um olhar malicioso olhando para as pernas da jovem e indo até os seios,
enquanto sente o seu corpo se tornando cada vez mais quente,por causa dos desejos que o
toque da pele dela lhe provoca,chegando a ficar um pouco confuso.
_Não serei sua por uma noite pode esquecer seu babaca!
Diz Isabelle enquanto se levanta dos braços do jovem,e lhe dá as costas caminhando em direção a entrada da universidade,percebendo o erro que havia cometido ao ter falado com aquela maldita voz naquele maldito dia. Enquanto eles apenas sorri de uma forma confiante.
E enquanto ela caminha em direção a sua sala se depara com uma cena semelhante entre Natasha e Bernardes que estão discutindo de uma forma intensa,mas a jovem não é burra olha em direção ao rapaz e percebe que a sua energia está muito mais densa que o comum.Ou seja o corpo dele também fora invadido por príncipe do Caos.
De noite...Todas as jovens se reúnem no quarto bagunçado da rebelde Isabelle para uma aparentemente festa do pijama,porem a meia noite a história muda de figura e cada uma
delas pega uma lanterna e se sentam em um circulo,cada uma com uma bebida alcoólica.
_Não acredito nisso!O primeiro príncipe do Caos veio até você e disse que queria te levar pra cama!?
Diz Natasha com um olhar surpreso enquanto pega uma fatia de pizza e leva a boca,vendo
que a jovem ficava apenas de cabeça baixa afirmando,recordando-se do momento em que ela estava tão próxima daquele ser,que apesar de ser um completo idiota despertava nela uma imensa paixão.
_Não foi a única...O quarto príncipe veio até mim...Porém não foi tão atirado ofereceu-me
flores mas eu recusei e ele então se chateou,e nós começamos a discutir!
Volta a dizer Natasha logo depois de limpar seus lábios com a costa da mão,lembrando-se do quanto o seu corpo pedia para beijar aquele homem,e do quanto ela queria ter o seu corpo colado ao dele,deixando as outras surpresas porem não a Isabelle que estava pensativa.
_Bem o Ray estava estranho também mas não se revelou como um príncipe...porém ele disse
uma coisa sobre a guerra está próxima e ele precisar do meu corpo...Mas não era ele!
Diz Victoria enquanto bebe um copo da água,com medo de engordar e deixar de ser tão bela,
lembrando-se do quanto a tarde fora prazerosa enquanto ela e Ray estavam realmente muito apaixonados,praticando aos atos carnais banhados em sangue de uma forma que nunca fizeram antes.Sentindo o corpo dele no seu como nunca até que se toca de que aquele
que estava com ela realmente poderia ser um príncipe do Caos.
_Fernan disse que estava apaixonado por mim hoje...
Diz Alexandra com um olhar distante enquanto se lembra dos beijos que ela e o seu amigo
deram,até então irem para a cama onde transaram como cachorros a tarde toda,com direitos
de gemidos da jovem dizendo “eu te amo” para o rapaz.
_Eram os príncipes!O que me intriga é...O que eles querem conosco!?
Diz Isabelle após virar uma garrafa inteira de Coca-cola de dois litros,com um olhar obscuro
preocupada com o que estas visitas querem dizer e porquê os príncipes estavam interessados
nelas,não seria a primeira vez que o céu usa homens para lhes atrair para uma armadilha.
Por isso não podem arriscar confiar em criaturas tão belas que se manifestam como os seus
amados para elas.


_A minha decisão é selar os corpos dos nossos amados e mantê-los distantes!Todas a favor?
Diz Natasha com uma expressão assustada em seu rosto,vendo que todos os príncipes tinham
algo em comum que era a mesma intenção de leva-las para a cama.E isto a preocupa pois sua
professora senhora Mongonoy gêmea lhe ensinou tudo sobre a magia sexual e o seu poder,e ela sabia que com esta energia pode se abrir até mesmo um enorme risco entre tempo
 e espaço,que facilitaria a passagem celeste para a terra.e antes que ela diga outra coisa
as jovens apenas levantam seus copos no ar afirmando que estão todas a favor daquela
ideia,já que não conhecem aos príncipes do Caos e sabem que nem todos da dimensão
do Caos podem ser confiáveis,principalmente aqueles que possuem uma enorme falha
em seu caráter e são tão belos como estes rapazes.
Naquela noite as jovens procuram por respostas em um livro que ganharam a pouco tempo das bruxas,e então elas se deparam com visões esquisitas de Natasha com uma coroa de Rosa menina em sua cabeça beijando a jovem Isabelle que está com uma coroa de Rosas com um sorriso,ambas totalmente nuas enquanto Victória está tirando a coroa de Magnólias da sua face,beijando aos lábios de Alexandra que está com uma coroa de Violetas.Ao ver a aquelas imagens umas olham para as outras surpresas enquanto se recordam de cenas semelhantes,
quando uma das jovens resolviam dormi na casa da outra.
_Natasha até parece aquela vez em que dormimos juntas em seu quarto...
Diz Isabelle segurando na mão da jovem Natasha enquanto ambas trocam alguns olhares provocantes,recordando da noite em que as duas estavam sob a cama da jovem senhorita York aos beijos mais quentes e intensos,com os corpos colados um ao outro.
_Gostaria de repetir aquelas memórias aqui...
Diz Natasha com um enorme sorriso em seu rosto,enquanto acaricia a costa da mão da
rebelde olhando-a de uma forma cada vez mais profunda,até que esta põe a mão sob o
seu rosto,olhando-a profundamente enquanto passa a língua nos lábios e então é beijada.
Logo após os lábios da jovens entrarem em contato,não tarda para que as suas mãos se tornem cada vez mais bobas.O que deixa a Victória e Alexandra excitadas o bastante para seguirem com um beijo ainda mais quente e saboroso,enquanto suas mãos apalpam aos
seios fartos uma da outra.Ambas entrando em um transe inesperado onde uma voz lhes
diz que tudo o que devem fazer é se entregarem ao amor,e ao prazer de ser amado.Não
demora muito para que elas tirem as suas roupas e então fiquem nuas como pagãs outra
vez.Só que desta vez estão numa nova era por isso estão se entregando ao prazer ao som
da banda de future pop alemã Blutengel,cujo o cd é Into the labyrinth.Seguindo a aquele
som hipnótico dançando umas com as outras,as belas jovens esfregam aos os seus corpos vagarosamente,dando beijos intensos e molhados onde as línguas se entrelaçam e voltam se enrolar como cobras.Tão loucas de prazer que não percebem quando os rapazes pulam a sua
janela e invadem o lugar,realmente bastante excitados ao ver as jovens peladas naquele estado
tão extremo de excitação,que elas gemiam alto expressando ao desejo que sentiam pelo corpo
uma da outra,recordando-se dos rapazes enquanto fantasiavam eles se aproximando delas.É
quando Leviroth tira os braços de Natasha do corpo de Isabelle,e então a beija intensamente no pescoço e nos seios,fazendo-a ficar excitada o bastante para que o seu corpo comece então a derramar gotas de orvalho pelas suas coxas.
_Eu te desejo...Me beija...
Diz Isabelle enquanto sente a língua de Leviroth sob os seus seios,olhando com os olhos bastante desejosos e imersos em desejos impuros,é quando ele sorri e então a joga na parede
e lhe dá um beijo intenso na boca,sentindo a sua língua palpitar enquanto ela se entrelaça e
se enrola a língua da jovem.ambos ficando tão excitados que ela começa a gemer para ele e
ele começa ficar cada vez mais pronto para a penetração intensa.
_Nossa seu beijo está tão selvagem e eu estou adorando!
Diz Natasha enquanto segura no rosto de Samarith movendo o seu corpo escultural sob o corpo do jovem que esta com os olhos desejosos,enquanto apertam aos seios da jovem lhe
dizendo diversas safadezas com uma linguagem clássica que a deixa cada vez mais excitada,
até que ele morde os seus lábios e arranha a sua cintura fazendo-a gemer alto enquanto fica
encostada na parede do quarto,sentindo ao peito nu do segundo príncipe do Caos.
_Nossa eu não sei o seu nome...Mas não me arrependo do que fizemos e quero fazer outra
vez!
Diz Victória enquanto o jovem Belliath sorri dando-lhe mordidas bastante forte em todo o seu corpo,fazendo-a se deliciar com a dor que os dentes dele lhe provocam.Ao ouvir sobre o desejo da jovem querer mais,o terceiro príncipe não perde tempo então abaixa a sua calça e
introduz ao seu membro molhado no corpo da jovem,que suporta a dor dando alguns gemidos fortes,enquanto morde aos lábios do belo rapaz.
_Me possua me de mais umas horas de prazer!
Diz Alexandra enquanto se joga na cama vendo a Samalast em cima do seu corpo livre de
roupas,com o seu corpo escultural todo despido no tórax,que ela faz questão de arranhar
intensamente  com as unhas até sangrar,e quando sangra ela suga ao sangue do jovem.
Se tornando cada vez mais excitado o jovem começa a endurecer e então beija ao corpo
da bela dos olhos verdes dos pés a cabeça,até que então introduz ao seu membro masculino dentro do corpo dela com tanta intensidade que os dois gemem juntos. E ao som da música
Lúcifer a jovens são possuídas por completo,enquanto gemem como fêmeas no acasalamento,
ambas sentindo a um enorme prazer indescritível.Onde a dor de uns arranhões e as muitas mordidas violentas se tornam a maior fonte de prazer misturadas a sensação de algo abrindo
aos seus corpos,por causa da velocidade e força com que os rapazes a penetram.Fazendo-as
gemer muito alto,enquanto ambas têm um orgasmo e imploram por mais,mais,mais e mais!
E assim os príncipes e as moças passam a noite toda naquele quarto.Já que a mãe de Isabelle
mas uma vez havia saído deixando-a sozinha em casa.
No dia seguinte...Isabelle acorda nua abraçada a Natasha que também está completamente
nua,mas a rebelde esta confusa, pois ejaculara demais para uma transa com uma mulher e chega a se recordar de estar na presença de Leviroth,é quando ela corre para o banheiro do
seu quarto e se olha no espelho,preocupada com o que ela deveria ter feito na noite passada
e porquê ela desejara tanto a aquele príncipe do Caos como em sua lembrança,talvez seja o
efeito da Coca-cola que foi batizada com vinho,uma mistura que a solitária chamava de Coinho.Mais tarde...As jovens estão na escola ambas completamente pálidas e surpresas por
saberem que a mesma visão se repetia para todas,e que em tais visões surgiam aos príncipes
do Caos e não aos seus amados,o que havia acontecido de verdade!?Estavam os príncipes ali
com elas?Ou elas estavam apaixonadas demais para se masturbarem pensando em seus namorados,e se culpavam por isso procurando uma resposta mais conveniente?.
_Eu vi ao Primeiro príncipe o desejei com todo o meu ser...precisamos falar com as bruxas!
Diz Isabelle com os olhos fundos sentada no banco de mármore,enquanto se lembra de como se sentiu nos braços do príncipe e como queria que aquele momento se repetisse.Mas ela se sentia culpada  pelas terríveis atitudes em desejar a um ser superior.É quando ela se levanta do banco,com os olhos sujos de lagrimas e então sai andando em direção a entrada da universidade.As jovens trocam olhares cheios de culpabilidade e então ficam pensando que
devem dar um basta nisso antes que as coisas fiquem piores.Logo as jovens saem do banco
e então vão em direção a entrada universidade ambas com o mesmo objetivo “Manter aos
príncipes afastados delas”.Todas as três seguem em direção a sala da senhora Mongonoy
prontas para lhes pedir a ajuda necessária para afastar aos jovens das suas vidas.Enquanto
que Isabelle se tranca no banheiro feminino onde se olha no espelho e usa aos seus poderes
para ver tudo o que fez ou deixou de fazer naquela noite.Mas nada se reflete para ela e ela fica
estressada o bastante para jogar os seus punhos contra o espelho,de uma forma que a sua mão
começa a sangrar intensamente.Logo ela abre a porta desesperada e então esbarra justamente em quem não queria.O próprio e único Leviroth o primeiro príncipe do Caos.Que logo vê ao
sangue na mão da jovem e a puxa pelo braço.
_Mas o que é isso!?
Leviroth diz com uma expressão assustada em seu rosto ao ver a mão da jovem toda banhada
em sangue,enquanto ela lhe olha com um olhar cheio de tristeza puxa a sua mão,e então sai correndo em direção a diretoria pronta para pedir a sua tutora que lhe ensine a afastar o tal
espírito dela.Ela entra na sala e então encontra a todas as suas amigas sentadas no sofá.
_O que houve Isabelle!?
Diz a senhora Mongonoy com os olhos surpresos ao ver a mão da jovem toda ensanguentada,
enquanto se levanta da mesa com um esparadrapo e vai em direção a jovem,que apenas revira
aos seus olhos.Mas a diretora simplesmente ignora pega a sua mão e lhe faz um curativo provisório.
_Isso é o que os príncipes do Caos estão fazendo com todas!Nos deixando loucas!
Grita Isabelle completamente irada ao se lembrar de ter esbarrado com Leviroth,que aos seus
olhos tinha sentido apenas pena pelo fato dela estar realmente apaixonada,enquanto que para ele aquela noite não passara de mais uma diversão com uma serva.Logo ao ouvirem aos comentários hostis de Isabelle as outras jovens apenas concordam com as cabeças.
_Está bem...Iremos selar aos corpos dos seus amados impedindo que os príncipes voltem,
está certo?O faremos essa noite...Cada uma irá para a casa do seu amado e então fará ao seguinte...
Diz Amélia com os olhos tristes entendendo que as jovens estavam passando por diversos transtornos,por causa das formas como os príncipes estavam agindo com elas,enchendo-as
de duvidas sobre o que sentiam pelos seus parceiros,apenas por brincadeira já que as únicas
que realmente lhe interessavam eram as suas princesas e não a meras humanas.Por isso tal
situação tinha que acabar e assim ela resolve lhes ensinar a fazer ao selo dos espíritos.
De noite...Todas as jovens chamam aos seus namorados para saírem com elas,sabendo que
eram os príncipes quem estavam nos corpos destes,e por isso não se envolvem demais com
as frases românticas que estes lhe dizem.Elas e eles entram em uma velha casa abandonada
onde o chão esta coberto por um tapete,e o lugar está cheio de velas brancas.Logo que os
príncipes pisam sob o tapete ficam presos ali como se fosse um imã. É quando as jovens sorriem e então puxam ao tapete revelando-lhes que ali havia a um enorme símbolo de proteção que também serviria para lhes exorcizar e selar ao corpo dos seus namorados.
_O que estão fazendo!? Estão loucas!?
Diz Belliath,o terceiro príncipe do Caos com uma expressão cheia de ira em seu rosto,
não acreditando que ele e os outros haviam caído mesmo naquela armadilha mal feita
das jovens bruxas.Mas elas não o ouvem e então cada uma se localiza no canto da sala
carregando a um livro em suas mãos.
_Tem certeza que eu devo fazer isso!? Sabe que eu odeio a Cipriano!
 Diz Isabelle enquanto segura enojada ao tal livro olhando para Victória que apenas balança
a cabeça afirmando lendo aos versículos,antes de dizer a todos os príncipes do Caos.Ao ver aos  olhos de Samarith a jovem Natasha tem um pequeno reflexo de sentimentos em seu coração,como se eles tivessem estado juntos em alguma fase da vida,mas não teme e então
 dá uma rápida lida nos versos escritos no livro.
_Estão cometendo um erro!Principalmente você Isabelle Calligari!Sabe que pertence a mim
e ainda luta contra isso como se fosse errado!
Grita Leviroth enquanto olha para todas as jovens,parando então na jovem que ele escolheu
perturbar,com um olhar cheio de raiva tentando fazê-la entender,que eles não deviam partir
apenas porquê não lhes agradavam,que eles tinham que ficar que eles precisam ficar.Mas a
jovem apenas balança a cabeça envolvida por pensamentos cruéis em relação ao primeiro e
único príncipe do Caos.
“In nomine Patris et Filii et Spiritus Sancti
Precipio tibi  manisfeste tenebris
Dico vestri nomen
Ad dirigendos vos tergum
ad infernum”
Dizem as jovens enquanto leem ao livro em suas mãos,com a mão erguida em direção aos
príncipes do Caos,com os olhos presos aquela leitura de uma forma tão convicta,que elas nem
se quer conseguem ouvir aos apelos dos rapazes que não param de gritar,já que não suportam ouvir aquela invocação sagrada.Eles tapam aos ouvidos sentindo aos chicotes dos anjos que não param de rir ao vê-los sofrendo diante das palavras das garotas.
_Quis 'nomen tuum Daemonium tenebris ?
Pergunta Isabelle enquanto estende a sua mão para Leviroth,que está ajoelhado sob os seus
pés recebendo a varias chicotadas de anjos em suas costas,enquanto tapa a boca para não dá
a ela aquilo que ela deseja para que ele seja expulso.
_ Não importa!Me chame de príncipe!
Grita Leviroth recebendo a varias chicotadas nas costas,enquanto as outras permanecem com as suas leituras,não ouvindo aos apelos dos rapazes que já não conseguem mais suportar a dor
a qual as garotas o submeteram invocando a anjos para fazer aquele trabalho.
_Responde mihi!
 Grita Isabelle enquanto repete a invocação ainda mais alto.Até que ele não suporta mais a dor em seu corpo e em seu peito e então grita ao seu nome em alto e bom tom.Ao ouvir ao
seu nome a jovem fica com os olhos surpresos e então desmaia caindo para trás,o que o deixa
um pouco assustado.Mas ele nada faz,porquê não consegue se mover já que todos os anjos  permanecem lhe dando chicotadas,ele apenas grita ao nome da jovem e então parte do corpo
de Dantas.É quando as garotas percebem que desperta ao sentimento nos rapazes é a chave
para que eles saiam dos corpos dos seus namorados,é quando elas começam então a jogar a
cera da vela sob os seus pulsos gritando de dor.
O que deixa aos outros príncipes surpresos e  assustados demais para manterem a possessão,e então eles também saem do corpo dos rapazes.As três jovens não desmaiam e então colocam as mãos sob a testa dos seus amados,lendo a uma nova invocação que não estava no livro de Cipriano.Mas que a senhora Mongonoy disse que surgiria na pagina apenas para quem consegue ver o real mundo mágico. Que termina em In nomine Satanas signaveri hoc spiritu!
fazendo surgir a uma pequena estrela cicatrizada nas costas de todos os rapazes.
No dia seguinte...As jovens estão sentadas no banco de mármore conversando aliviadas que
tudo havia dado certo,enquanto se perguntam porquê justo Isabelle havia desmaiado se ela
era considerada pelas bruxas a mais forte delas.Mas a jovem nada responde fica com os olhos
fechados e distantes focada nas imagens de Leviroth apanhando dos anjos enquanto ela por algum motivo correu até ele afugentando tais seres com um olhar, imagens que vieram em sua mente logo que ela caiu em um sono profundo.Como um pesadelo que não acabou até
ela beija-lo e ele partir.Ela precisava de uma resposta ela precisava e o quanto antes melhor!

Capitulo 3
O livro Maldito
Algumas semanas se passaram desde que os príncipes foram expulsados,e tudo parece está bem agora para algumas das meninas.Mas ainda sim mesmo que eles tenham partido as suas
memórias permaneciam na mente das jovens,fazendo os seus corações pulsarem toda vez que
elas se recordavam dos seus beijos inesquecíveis e das coisas que eles fizeram naquela noite.
Que feitiço maldito eles haviam feito para que não saíssem dos seus pensamentos mesmo
depois de partirem!? É a pergunta que não saia das suas mentes.Mas havia duas em especial estavam sofrendo muito mais que as outras Isabelle e Victória.Já que eles haviam despertado
nelas uma verdadeira paixão que não acabaria tão cedo.Um com o seu jeito irreverente e seu
olhar sedutor,o outro com o seu carinho e suas atitudes.Elas já não suportavam mais aquelas
dores,não conseguiam esquecer aqueles seres.Enquanto Natasha e Alexandra estavam bem
e felizes as duas viviam com olheiras e lagrimas constantes em seus olhos,e muitas vezes eram
mal compreendidas por suas amigas,que só pensavam em ter feito o certo mandando embora
a aqueles seres.Certo dia então as duas amigas resolvem sair juntas para a floresta onde elas
podem conversar sossegadamente.
_Não consigo esquecer a Belliath isso é realmente loucura?
Pergunta Victória com os olhos fundos enquanto encosta o copo descartável em sua boca,
pensando nos bons momentos que ela viveu com o príncipe e que jamais viveria com o seu
atual namorado Ray,já que ele era realmente grosso demais com ela e não a valorizava da
mesma forma que o demônio.
_Não pergunte pra mim Vic...Não pergunte pois eu não consigo esquecer a Leviroth!
Diz Isabelle com os olhos cheios de ira enquanto olha em direção ao rio,lembrando-se
de quando ela esbarrou com o príncipe,no dia que ele a usou para ceder aos seus desejos carnais,e mesmo no dia que eles se conheceram.Se perguntando como ela era capaz de
conseguir amar a alguém que não amava.E desprezar a alguém tão extremamente perfeito
como o seu namorado?.
_É bastante difícil não é?...Em pensar que neste momento eles nem se quer se lembram
mais dos nossos nomes...
Diz Victória com uma voz triste enquanto varias lagrimas escorrem pelo seu rosto,pensando
em como ela havia chegado a aquele nível tão submisso do amor.Vivendo apenas para saber
se Belliath estava respirando ou vivo mesmo depois do exorcismo.Isabelle apenas responde a
pergunta balançando a cabeça afirmando,pega a garrafa no chão e então a vira não demora
para que ela fique porre e então se deite no colo da amiga,que lhe faz cafuné.
_Querem parar de chorar!? Encontramos a resposta que precisam...
Diz Natasha logo que entra na floresta carregando a um enorme livro negro com a capa de
prata,dando um olhar indiferente para as meninas,pois mesmo que estivesse apaixonada por
Samarith,ela não estava se deixando levar que nem aquelas duas.Estava triste sim mas não
estava tão desesperada.É quando as jovens viram para ela surpresas,se levantam do chão e
andam em sua direção totalmente confusas e tontas.
_Que livro é este Natasha?
Diz Isabelle aumentando aos sons das letras a e o,por causa do efeito da bebida em seu corpo,
enquanto da passos errados com os braços envolta do ombro de Victória,que esta um pouco
mais acordada que a amiga lhe segurando com todo o cuidado.
_ Se chama O livro das memórias perdidas...Foi difícil rouba-lo do Vaticano,mas com ajuda do poder de Alexandra conseguimos pegar o original e deixar o falso!
Diz Natasha com um enorme sorriso no rosto segurando o livro como se estivesse exibindo-o,
feliz com o que ela tinha conseguido fazer graças aos seus poderes incríveis que não paravam
de crescer.Ao ouvir aquilo Isabelle solta o ombro de Victória e cai na gargalhada pois não acredita que sua amiga “certinha” tenha feito algo tão criminoso como um roubo de um
livro do Vaticano.
_ HAHAHAHAHAHA Não acredito que te ensinei direitinho Nata!
Diz Isabelle dando gargalhadas semelhantes a de Leviroth,é quando ela se toca do que estava
fazendo e então se contem com uma expressão séria em seu rosto.Evitando os risos histéricos
e diabólicos diante das amigas que olham pra ela bastante surpresas.Natasha apenas a olha um pouco indiferente e depois prossegue com a sua explicação.Dizendo que o tal livro fora
escondido no Vaticano por causa da sua incrível capacidade de revelar aos outros as suas  memórias obscuras de um passado que fora esquecido quando as pessoas passam pelo
processo de reencarnação.É quando Isabelle e Victória correm em direção ao livro,para
descobrirem se estavam certas sobre as suas ligações com os príncipes do Cáos,ambas
empurrando uma a outra para ver quem chega primeiro.Mas Natasha puxa o livro para
si e então o abre no meio. É quando ela entra em transe ficando com os olhos abertos e
sem vida enquanto o seu espírito viaja por diversas imagens,tão rapidamente que todas
elas ficam turvas demais.A viajem termina e ela está no Egito vendo a um belo homem
passando a mão sob os cabelos de uma jovem que estava dentro de um velho sarcófago,
dando-lhe um liquido de cor verde com riscos vermelhos no fundo.Logo a jovem abre
os olhos e suas íris são azuis como água quase brancos,ela sorri para ele lhe abraçando
e então uma voz começa a falar na cabeça da viajante. “Vês agora a verdade diante dos
teus olhos aquela que vens negando desde o inicio dos tempos”. Logo Natasha volta
para o seu corpo com os olhos surpresos carregando aquelas imagens em sua mente.
_Minha vêeeez!
Isabelle grita antes que Victória segure no livro,e então o toma para si na mesma página
,mas as paginas começam a se folhear violentamente até que param em uma imagem de
um casal apaixonado.Ela então fica com os olhos vermelhos como sangue e então o seu
espírito sai do corpo,passando por um turbilhão de folhas de papel.Que param quando
ela cai dentro de um castelo de arquitetura gótica bem estruturado e organizado.
Totalmente impecável.Logo surge a um rapaz acompanhando a uma moça com um
olhar bastante apaixonado enquanto que ela apenas olha para as pinturas da casa,sem
lhe da nem um pouco de intenção aparentemente.As imagens voltam ao turbilhão de
folhas e então o mesmo casal aparece em uma floresta,ele ensinando a ela os mistérios
da magia com um sorriso no rosto.E então de novo a voz surge novamente “Agora pode
ver a verdade por baixo da máscara do monstro que criou!”.Isabelle volta para o seu corpo e então joga o livro na mão de Victória que o pega surpresa.Não demora muito para que ela faça a viagem mas ao contrario das outras a sua é mais tranquila,ela é levada por um perfumado turbilhão de pétalas rosas vermelhas.Quando ela chega ao lugar se surpreende vê que é de noite em uma velha taverna,onde há um rapaz sendo cuidado por uma jovem que trata dele com todo o carinho possível.Ele parece ser muito grosseiro apesar das belas vestes.Mas ela cuida dele com todo o seu coração está apaixonada demais para pensar um pouco em si.Logo surge ao jovem caminhando na escuridão carregando a menina em seus braços toda ensanguentada,ele esta chorando desesperado e então ela vira uma bolha de sangue. Surge então aquela terrível voz irada “Agora podes ver o elo que nos une e sempre unirá!”Victória então volta para o seu corpo dando um grito alto enquanto joga ao livro pra Alexandra que o pega na pagina de um Don Ruan.Seus olhos ficam negros e ela então faz a sua viajem tumultuada em um mar de corpos que puxam seus braços e pés,enquanto ela grita desesperada se afogando.Encharcada ela então chega a frente de um rio e encontra a uma mulher e um homem beijando-se enquanto olham para os lados vendo a um jovem e uma moça.Logo a imagem muda e então ela vê ao mesmo rapaz todo ensanguentado com a mão segura no braço da jovem,não deixando-a partir de nenhuma forma.Mas seus olhos estão fundos ela parece não escuta-lo apenas segue em frente.surge então uma voz triste “Agora pode ver a verdade escondida por baixo de cada pecado”.Alexandra volta para o seu corpo
e então joga o livro contra o chão.Ele se parte em vários pedaços e então pega fogo diante
dos olhos das meninas enquanto várias vozes dizem coisas horríveis a seu respeito.“Vadias!
Prostitutas da Babilônia!Merecem pagar!Merecem morrer!Os príncipes morreram!Vocês
vão morrer em nome do nosso senhor Jesus Cristo!Demônios do Inferno!”.Logo os tais
espíritos saem de dentro do livro e apertam aos pescoços das jovens,dando-lhes tapas no
rosto,enquanto cospem nelas.Assustadas as jovens saem correndo desesperadas,empurrando
uma a outra.Porém duas delas caem no caminho e são arrastadas pela perna para dentro do
rio,enquanto elas gritam desesperadas.Pobres Victória e Isabelle não podiam ter escolhido ao
pior dia para beberem.Elas gritam desesperadas enquanto tentam chutar aos espíritos mas eles
dão apenas gargalhadas histéricas.É quando surgem diante delas os seus príncipes por quem elas são apaixonadas.Logo eles começam a brigar com os espíritos e então elas saem correndo
ambas apoiadas umas as outras,desesperadas para saírem daquela floresta.Elas correm pela rua
ambas sujas de lama e cheias de arranhados,parecendo que foram violentadas fisicamente.E para a sua sorte surgem então a Ray e Dantas que estavam a procura de suas namoradas.
_Mas o que houve!? Eu sabia que a Magia só daria nisso Isabelle eu avisei!Você bebeu!
Diz Dantas com um olhar preocupado segurando no ombro da jovem,vendo que ela estava nas piores condições possíveis,é quando ele sente ao seu hálito e vê que ela bebeu.Como ele
tem um enorme preconceito com isso apenas lhe abandona ali na rua e vai embora.Não se
importando se algo havia acontecido a ela,pois só aconteceu porquê ela sempre se envolvia
com as coisas erradas da vida.Ao ver a sua amiga naquele estado Victória olha para Ray que
também a olha indiferente,e logo lhe dá as costas.Ela apenas balança a cabeça afirmando a
algo negativo e então dá apoio a amiga.Quando é  de noite Victória e Isabelle estão na casa dos Calligari,as duas estão sentadas na cama do quarto da jovem rebelde enquanto olham uma para outra com os olhos cheios de lagrimas,como é que pode os seus namorados que
sempre estiveram ao seu lado,tenham se tornado tão frios!? Não eram eles que as amavam?.
É quando o celular da jovem começa a tocar e ela então o pega com a mão tremula e logo o atende,com os olhos fundos e sujos de lagrimas negras que não param de escorrer pelo seu rosto pálido.Enquanto ela ouve a um chiado muito forte em seus ouvidos.
_Não chore!
_Quem ta falando!?
_Não importa!Me ouça...
_Me diga quem é e eu ouvirei!
_Leviroth...
_Não é verdade!Não ouse me enganar!
_Esse selo só serve por umas vinte e três horas!Eu to no corpo de Dantas!Me deixe ficar!
Isabelle tira o celular do ouvido e então olha para Victória que a olha confusa e então ela pergunta o que houve,e a jovem rebelde explica que está no telefone com o próprio príncipe outra vez e não sabe se acredita nele e ouve ou não.Mas a jovem apenas confirma sobre o tal
selo durar por apenas vinte e três horas e trinta minutos por dia.Ela volta ao celular.
_O que quer Leviroth!?
_Apenas ficar e cumprir com o meu dever de te proteger...
_Explique melhor!
_Não...Basta saber que eu tenho que ficar!
_Não basta apenas isso...Não pode ficar!Vai abusar de mim outra vez!
_Não abusei de você!Deixa de ser Idiota!...Entenda não há tempo eu preciso ficar!
_Não!Não precisa!Você só quer ao meu corpo e se diverti é como todos eles!
_Você não os conhece!Eu preciso que você Isabelle me deixe ficar...faltam só
alguns segundos pra que o selo funcione...me deixe...
A ligação então cai e a jovem fica com os olhos cheios de lagrimas,não acreditando que tinha mesmo dito que não queria que o homem por quem ela derramava lagrimas todas as noite,
não deveria ficar no corpo do seu namorado para ficar perto dela.Logo ela abraça a amiga e
então derrama varias lagrimas em seus ombros.Mas a amiga está um pouco mais calma agora,
e por isso pode pensar em tudo o que os espíritos lhes disseram.É quando ela tira a amiga dos
ombros e lhe olha segurando em seu rosto.
_Isabelle tem que deixar o Leviroth ficar...Não sei se viu mas ele te protegeu dos espíritos lá na floresta!Ele brigou com todos eles enquanto mandava você correr e ficar em segurança,ele

deve ter algum bom motivo pra fazer isto!pode não ser sentimentos mas é proteção e nós quatro precisamos de proteção!Temos que trazer a todos os príncipes de volta...
Diz Victória com um olhar profundo lembrando-se de quando estava na floresta e Belliath
a salvou enquanto espancava a um espírito com uma força tremenda.Eles as protegeram e
nesse momento a jovem sabia que ela e suas amigas precisavam de proteção por isso considera que trazê-los de volta era a melhor opção para todas.
_Tudo bem...Eu os trarei...
Diz Isabelle com o rosto sujo de lagrima lembrando-se da sua discussão com o primeiro príncipe do Caos.a forma como ele a tratou e ela tratou ele sentindo-se cada vez mais furiosa,
furiosa o bastante para gritar com ele e deixa-lo ir sem ela dizer que sentia algo por ele.
_Sim...Mesmo que eles não fiquem com a gente da forma que queremos eles devem ficar!
Diz Victória com os olhos fundos desejando que no fundo as coisas não sejam como ela planeja,pois o que ela planeja não era o que de fato queria de verdade mas sim o que ela
deduzia que aconteceria logo que eles chegassem e voltassem aos corpos dos seus
namorados.

Capitulo 4
O destino Selado
Desde a ultima noite em que Isabelle discutiu com Leviroth já se passaram alguns dias.E as jovens decidiram então que o melhor para todas era libertar os selos dos corpos dos rapazes,
para que os príncipes pudessem protegê-las desses novos espíritos celestiais que começaram
a persegui-las,desde que Alexandra jogou O Livro das Memórias Perdidas contra o chão.E
Fazia elas verem coisas que não existiam,fazendo-as sofrer com pesadelos constantes onde
elas e os príncipes morriam.Não dava mais para suportar eles tinham um problema com
elas e este problema também estava ligado aos príncipes.Então a única coisa a se fazer é
se juntar ao inimigo do inimigo maior,para que eles tenham poder suficiente para
derrotar aos espíritos que não lhes deixavam em paz.Noite de lua cheia...as jovens
deixaram aos rapazes extremamente loucos com bebidas fortes que aprenderam com
as bruxas para derrubar inimigos.Logo elas o arrastam para a sala onde os amarram
com correntes de ferro a uma cadeira,pegam aos seus livros de magia e então fazem
a invocação inversa desfazendo ao selo.Não demora para que os rapazes logo abram
os olhos totalmente diferentes do que eram.Sim os príncipes chegaram e juram que
vão se aproximar das jovens,mas alem de estarem presos a cadeira eles estão dentro
do símbolo de proteção.que os mantém presos como imãs ao chão.
_Vacas!
Grita Belliath logo que tenta se levantar,mas seus pulsos estão presos nos braços da cadeira junto com as suas pernas.É quando Victória então se aproxima dele com um sorriso e então
 o olha com uma expressão animada em seu rosto,folheando a pagina enquanto procura por algum feitiço que o faça sofrer bastante.
_Terceiro príncipe não é?...O que eu tenho aqui pra te ferir vejamos...
Diz Victória com um olhar cheio de malicia,enquanto passa os dedos na página folheando ao  livro.Pensando em uma forma de machucar ao príncipe,sem pensar duas vezes para que ele sinta a toda dor que ela sentiu,mas antes que ela encontre algo,ele joga o seu corpo para trás
com um enorme sorriso em seu rosto desafiando-a.
_Me fira...Mas abuse do meu corpo depois...Ou eu abusarei do seu!
Diz Belliath enquanto fecha os olhos com um olhar provocante,enquanto ergue ao seu belo
corpo para luz.Logo ele depois dele expor ao seu corpo, faz a proposta a jovem que fica incrédula e passa os dedos pelas paginas totalmente tremula,sentindo-se nervosa demais
com a proposta.O jovem percebe e então olha no fundo dos seus olhos e diz a contra
proposta.
_Nossa o que houve com o príncipe romântico que se apresentou a mim?
Diz Victória com um sorriso nervoso em seu rosto,tentando manter-se de pé para não
deixar ele ficar no controle.Mas ele apenas dá uma enorme gargalhada histérica e então
a jovem é empurrada por alguma força contra ao seu corpo,num impacto tão profundo
que suas mãos deixam cair o livro.Logo ela esta sentada nas pernas dele,de joelhos sob
a sua coxa.
_Ele se foi quando você colocou ao selo!Mas não prefere algo mais carnal?
Diz Belliath dando um enorme sorriso enquanto segura as mãos da jovem mesmo que
seu braço esteja preso ao braço da cadeira.Não permitindo que ela se afaste dele nem por
um segundo,já que ele a mantém presa ali com o seu poder mental e o seu olhar sedutor
,enquanto passa a sua língua entre os dentes.Deixando-a realmente sem jeito e envergonhada
por causa dos desejos que estão vindo em sua mente naquele momento.E enquanto isso mais
uma das jovens passa pelo mesmo problema,só que ele não a puxa para o seu braço mas a faz
ficar ajoelhada no meio das suas pernas.Pobre Natasha York.
_Achou mesmo que poderia me ferir...Por favor Natasha sou muito mais poderoso que você!
Diz Samarith com um olhar cheio de frieza vendo a garota ajoelhada ao meio das suas pernas
da forma que ele planejou,sentindo que em breve ela não resistiria mais e o beijaria por todo
o seu corpo.Se entregando ao desejo carnal que estava vivo em seu corpo.Enquanto que ela
apenas evita olhar para o que está diante dela,olhando para o lado.
_Me tire do meio das suas pernas isso é muito humilhante!
Diz Natasha com raiva com as mãos presas as costas por causa do poder do quarto príncipe,
que a olha com um intenso desejo e ouve ao seus apelos sem se importar,pois sabe que no
fundo ela estava adorando está onde estava mas não assumia,por vergonha ou insegurança.
_Você não prefere dizer excitante?Seja uma boa menina e eu lhe solto...
Diz Samarith puxando-a para mais perto do meio da perna com um olhar.Logo a jovem está
próxima ao símbolo de masculinidade,olhando para o lado evitando a todos os desejos que
percorriam pelo seu corpo naquele momento.É quando ela então olha para ele e o faz sentir
uma pontada de dor de cabeça que faz ele perder o controle,livrando-a daquele poder tão
devastador.Ela se levanta e então tira o sapato de salto e põe ao seu pé sob o órgão viril
do príncipe.
_Seja um bom rapaz e eu prometo que não vou ferir ao seu pênis!
Diz Natasha com um enorme sorriso em seu rosto,forçando o seu pé lentamente sob o
órgão de prazer do príncipe que apenas sorri,gemendo em voz baixa pois no lugar de sentir
dor,tudo o que sentia era o desejo de possuir ao seu corpo fazendo-a gemer o mais alto que
puder,enquanto o seu corpo expelia a aquelas maravilhosas gotas de orvalho.
_Nossa você está me deixando realmente excitado!
Diz Samarith e então a faz cair sob o seu colo com as pernas abertas,olhando-a de uma forma que qualquer um poderia perceber as suas terríveis intenções,enquanto expressava a todos os
seus desejos soltando-se da cadeira com uma força extrema,passando a sua mão pela coxa
dela lentamente e com um certo grau de intensidade.Enquanto isso Alexandra era a única
que não procurava por nenhuma reposta apenas,estava sentada no colo de Samalast beijando
a ele,enquanto sentia os seus corpos excitados com aqueles beijos intensos e furiosos que não
paravam nem para que eles pudessem mesmo respirar.Ela colocava as mãos dele sob os seus seios,e ele os apertava intensamente de uma forma que provocaria uma dor tremenda em qualquer ser humano,mas a ela apenas provocava muita excitação.Ela só queria soltá-lo dali
e então ir para um quarto com ele,onde eles pudessem se divertirem a sós sem ter problemas
com a presença de outras pessoas.É quando ela para de beija-lo e então sai da cadeira.
_Samalast quero saber o que foram as visões que eu tive...
Alexandra diz com um olhar sério enquanto ajeita a sua blusa que ela mesma já via puxado
para baixo,exibindo ao seu sutiã.Mas apesar dela ter sido boazinha o príncipe apenas sorri
e então olha para o lado,pensando que não lhe daria nenhuma resposta não importa o que
ela fizesse ou o quanto ela beijasse-o,ele queria muito mais ele queria ela em seus braços
outra vez.Só que ela não se rende e então lhe dá as costas para pegar ao livro de magia
 como qual ela ira tortura-lo.E enquanto quase todas estão praticamente se rendendo
ao desejo carnal que não para de aumentar em seus corpos.Isabelle está parada diante do
primeiro príncipe da corte da Dimensão do Caos,sem lhe dizer uma palavra enquanto o
olha nos olhos e lagrima com o livro de magia nas mãos.Vendo-a chorar ele não resiste e então se solta das amarras que de nada servia para prender a nenhum deles de fato,e
envolve a garota em um abraço quente e caloroso.
_Sei que disse coisas demais...Mas jamais abusei de você...
Leviroth diz enquanto abraça a jovem sentindo um aperto inigualável em seu coração,
tentando conforta-la e lhe dizer tudo o que ela deveria saber.Mas tudo o que consegue
são lagrimas e mais lagrimas,unidas a mordidas e empurrões para que ela o mantenha
longe de si.Mas de nada adianta ele não a deixa de jeito nenhum.
_O que fez comigo então?...Até onde eu sei nós fizemos...
Grita Isabelle enquanto tenta se soltar dos braços daquele ser,tentando evitar qualquer
contato com ele,empurrando-o com toda a sua força para que ele não faça ela se sentir
pior do que já estava se sentindo naquele momento,olhando em seus olhos.
_Sim fizemos você desejou e eu também...Não foi nada...
Diz Leviroth um pouco exaltado com o que a jovem acaba de insinuar sobre ele.Vendo
no olhar dela que ela jamais o perdoaria pelo o que ele havia feito com ela.É quando ele
a solta e então se afasta dela,sentindo-se mal com o ato que eles haviam feito.
_Não irá acontecer outra vez...Minha preciosa...
Diz Leviroth logo após andar em círculos dentro do circulo de proteção,que já sido desfeito
no momento que as jovens foram puxadas para dentro dele.Ele vira-se para ela e então se
ajoelha pegando em sua mão como um verdadeiro cavalheiro,fazendo-a sentir-se cada vez mais estranha com aquele contato.
_Preciosa?
Diz Isabelle confusa,o que ele queria dizer com “Preciosa?” que ela era preciosa para ele?
ou que ela era como uma pedra preciosa que todos procuravam.O que realmente ele queria
dizer!?ela se pergunta e então se afasta dele encostando-se na parede da casa.Mas ele apenas
vai até ela com um olhar indiferente e lhe dá um beijo intenso,que não é apenas um ato que
ele cometeu por desejo,mas sim a chave que abriria a porta de respostas para a sua pergunta.
Logo os espíritos dos dois viajam juntos por um turbilhão de folhas de papel de mãos dadas.
É quando então eles descem a um rio de água vermelha,onde há uma jovem coberta com uma
 túnica preta encapuzada,falando com uma enorme serpente que estava dentro do mar. “Não perca a sua essência pequena criança sua missão é muito mais importante do possa imaginar ,sua energia pode mudar a ordem de todas as coisas,seja forte e conquiste ao seu objetivo” Diz uma voz para a jovem que estava de costas para o casal.Ao ver aquele olhar confuso da jovem
Leviroth então a puxa pela mão,levando-a até a frente da jovem que tira o capuz exibindo ao
seu belo rosto,ela era idêntica a rebelde só que mais centrada,calma e forte.Ao ver-se em uma
outra época,uma época milenar a jovem fica assustada demais e faz com ela e o príncipe voltem para os seus corpos rapidamente.
_O que quer dizer isso!?
Diz Isabelle enquanto segura Leviroth pela gola da camisa,olhando-o com um olhar obscuro,
não suportando imaginar o que seria o significado daquele verso que ela ouviu em sua outra vida,o que será que ela era? E porquê não possuía mais a aqueles olhos tão belos e aquela sabedoria tão importante?.Mas o príncipe apenas faz ela soltá-lo e segura em seu rosto
beijando-a novamente.Os espíritos deles então fazem a uma nova viajem.Surgem outra vez aos turbilhões de folha de papel que os leva a um novo destino.Agora descem em direção a uma floresta onde ambos estão lutando um contra o outro em cima de uma ponte de cordas acima de um rio fundo,com tanta fúria que a primeira que se vê da a impressão que são inimigos mortais.Só que quando ela cai dentro do rio ele pula dentro da água e lhe salva.
As cenas mudam novamente e eles surgem então conversando e rindo enquanto brincam um com o outro,dando empurrões e tapas inocentes.Ele esta apaixonado por ela mas a jovem está focada em outras questões aparentemente nem nota nada.Mas ele nada tenta as cenas mudam
outra vez e ele surge sozinho.“Deves acompanha-la sempre e protegê-la de todo o perigo que
vier a prejudicar aos nossos planos.Deves cuidar dela como se fosse uma joia rara pois ela é
para nós ela é a nossa Preciosa joia!”Diz uma voz vindo de dentro do rio onde eles estavam
treinando antes,enquanto ele fica sentado ali com um olhar triste.Mas uma vez eles fazem
a viagem de volta e então desta vez encontram os seus lábios unidos em um beijo,que eles
decidem parar afastando-se.
_Isabelle estou cuidando de você há muito tempo,tenho uma enorme consideração contigo
...Conheço a todos os nomes que teve antes,a toda a sua vida antes de parti...
Diz Leviroth enquanto segura no cabelo da jovem que o olha ainda mais confusa,percebendo
então que a sua ligação com ele não era nada daquilo que ela pensava,era apenas um pequeno afeto entre uma peça e o seu guardião.Não era amor,não era paixão,não era amizade,era apenas o que ela tinha visto naquela lembrança do príncipe.
_A primeira princesa não acha ruim você cuidar de uma serva das sombras desta forma?
Diz Isabelle lembrando-se do que as bruxas lhe disseram que os príncipes jamais iriam se envolver com elas,pois as únicas que lhes interessavam eram as suas princesas do Caos.
sentindo-se mal com o fato dos dedos daquele que ela amava estarem entrelaçados em seu
cabelo,como se fosse um carinho maior,quando na verdade era apenas pena ou compaixão.
_Não importa...Você é minha missão...Entende agora porquê devo ficar?
Diz Leviroth dando um sorriso sem humor,enquanto segura nos cabelos da jovem.Olhando
em seus olhos percebendo que em breve ela choraria mais uma vez,por um motivo que ele
desconhecia,é quando ele lhe abraça de novo tentando fazê-la se sentir melhor de alguma
forma,pois mesmo que ela não fosse a sua princesa,ele tinha sim um enorme carinho por
ela,ela o abraça de volta e esconde o seu rosto no peito dele,aproveitando ao pouco de
sentimentos que ela podia ter dele. Naquele dia a única que consegue as respostas que procurava é Isabelle,já que as outras acabaram cedendo aos seus desejos carnais mais
impuros e prazerosos.Entregando-se aos beijos irresistíveis daqueles jovens que tanto as seduziam,sentindo a cada toque em sua pele,enquanto ambos ficam cada vez mais excitados
 e chegam ao nível máximo do prazer ali mesmo na sala.Não se importando com quem estava ali ou deixava de estar.Pois o que importava era deliciar-se dos prazeres aos quais os seus parceiros lhes proporcionavam.Seja com um leve beijo carregado de lentos toques,ou mesmo uma mordida bem violenta e muito sanguinária.E apesar dos gemidos a sua volta Isabelle e Leviroth apenas se abraçavam de uma forma intensa ,demonstrando que estavam focados demais em outras questões,para deixarem se levar pelo desejo.


Capitulo 5
Os 9 portais da destruição
Uns dias após Isabelle descobrir sobre o seu destino ainda misterioso,ela fica cada vez mais curiosa sobre a sua “missão” e começa a ler a alguns  livros sobre ocultismo,os seus segredos
e mistérios.Encontrando muito mais perguntas do que as respostas que ela procurava o que
a deixa bastante furiosa,porém mais uma vez ela tem ao seu guardião para lhe ajudar com as
suas pesquisas.Desde que soube da sua ligação com Leviroth,de guardião para peça preciosa
a jovem passou a evitar todos os seus pensamentos,que pudessem lhe fazer pensar nele de uma forma diferente.Eles então se tornaram mais próximos e passaram a ficar muito tempo
juntos,o que levantava uma enorme suspeita deles estarem mais envolvidos do que deveriam.
Isabelle chega então a uma casa abandonada carregando alguns livros em sua mão,com seus
olhos fundos e marcados de olheiras,os cabelos desgrenhados e as suas roupas de sempre.
_Nossa Leviroth andou acabando com você na cama né Isa!?
Diz Natasha com um enorme sorriso no rosto sentada na roda de meninas,enquanto as outras
riem acreditando que o que ela dizia era verdade.Mas Isabelle apenas lhe dá aquele olhar que
deixa qualquer um sem jeito,e então revira os olhos tentando esquecer o comentário da sua
amiga,sentando-se no final do circulo humano,atirando aos livros no chão com certa raiva.
_Sabem...Leviroth e eu não estamos nada envolvidos!Ele não é um namorado de outra vida
ou coisa parecida,é apenas um espírito milenar que deve me proteger por causa de uma missão que eu desconheço...é apenas isso nada mais que isso...A única que ele ama é a sua
princesa...
Diz Isabelle após atirar os livros no chão apontando para que cada uma pegue a um deles.
Pensando nos dias que ela tem passado ao lado do príncipe que tanto ama,e que evita tocar
por medo de se apaixonar mais do que deveria,interferindo em sua grandiosa missão.Ao ouvir
ao desabafo da jovem,todas largam os livros no piso e lhe abraçam confortando-a,por causa
que podem imaginar a dor que ela estava sentindo.Mas ela apenas seca as lagrimas e então
pega a um dos livros,fazendo sinal para que voltem aos seus lugares com a sua mão.
_Não estamos aqui para falar nisso...Bem cada um destes livros está falando sobre os
famosos portais da destruição,um diz que é uma coisa terrível que levara o mundo ao
caos,o outro que é a porta para uma nova dimensão que é conhecida por poucos neste
planeta,outros que é um peça maldita do demônio e que deve mantê-los fechados para
que a terra não afunde na escuridão eterna...Não dizer qual é real,a única confirmação
que tenho é que são 9 portais e 4 foram abertos,porém faltam 5 que estão fechados por
um motivo desconhecido...
Diz Isabelle enquanto limpa aos olhos sensibilizando as outras jovens na roda,que olham
para ela com tanta dor em seus olhares que pode se perceber o carinho que elas tem por
ela.Mas logo ela quebra aquele momento dramático e explica a todas sobre os milenares
portais da destruição.Os 9 portais do Caos ou do fim dos tempos.São denominados assim
pois toda vez que um deles é aberto,o planeta sofre com alguma influencia negativa que o
leva sofrer com vulcões entrando em erupção,tornados furiosos,tempestades em alto mar
e outros tipos de catástrofes naturais.Diz a lenda que quando os quatro foram abertos o
mundo sofreu com diversas iras do céu,que levaram a terra a se autodestruir.Nenhum
destes portais podia ser aberto mais uma vez pois se isto acontecesse,a terra iria girar ao
contrario levando tudo a ordem natural inversa das coisas.Provocando a desordem no
mundo inteiro,não estou falando apenas de terríveis desgraças naturais desta vez.Me
refiro ao fato de que muitos seres humanos desenvolvam a habilidades paranormais.
“Se o nono portal for aberto o anjo caído pai dos demônios subira do submundo para fazer desta terra o seu novo reino”.Porém apesar destes portais serem tão perigosos as jovens não
se assustam ao ouvir sobre a sua história na verdade se veem familiarizadas com tudo o que
ali foi escrito.Principalmente quando os livros dizem que um grupo de seres das trevas que
aparentemente não apresentava a nenhum perigo seriam os causadores do fim do império.
_Agora que entendem ao significado desta missão...Leviroth me proporcionou a algumas
visões que diz que pode nos ajudar...Bem já ouviram falar sobre a Ordem da Lua?
Diz Isabelle após explicar tudo o que acabei de lhes dizer as suas amigas,com um olhar
tão sério que chega a surpreender a maioria das jovens,que passam a vê-la não só como
a rebelde que sempre respeitaram por suas atitudes impensadas.Mas sim a uma mulher
que era altamente capacitada para ser a líder delas.Ao ouvirem sobre a tal Ordem da
Lua as jovens ficam um pouco confusas e antes que digam alguma coisa,Isabelle pega
a um livro escrito por Helena Pavaroth.Uma bruxa que viveu na antiga Itália a muitos
séculos atrás e acredita ser aquela que introduziu aos reais ensinamentos mágicos aqui
na terra,junto de suas três irmãs Marisca,Catherine e Elizabeth Pavaroth,que foram as
primeiras bruxas a descobrirem a verdadeira fonte da juventude.Ela conta que ela e as
suas irmãs praticavam aos rituais desde muito antes de cristo dominar a terra.Conta
também que apesar do sobrenome Pavaroth,ela foi a primeira imortal que transformou
a todas as suas irmãs.Fala sobre a sua misteriosa missão e também sobre o fato de todas
precisarem dos homens logo depois de abrirem ao primeiro portal.Logo que as jovens
ouvem aos nomes das irmãs de Helena,elas ficam assustadas e surpresas pois se lembram
que naqueles dias de muito amor,os rapazes haviam chamado-as pelos nomes das irmãs Pavaroth.Justificando que aqueles eram os seus nomes em uma vida mais longa.Não era
apenas uma mera coincidência!Não podia ser...Elas de fato eram as Irmãs Pavaroth mais
conhecidas como as Quatro fases da Lua.As senhoras do destino que eram as causadoras
de toda a desgraça e desordem do mundo.
_Marisca Pavaroth!? Esse é o nome pelo qual Samarith me chamou antes!
Diz Natasha com os olhos surpresos lembrando-se de quando ela e Samarith estavam
deitados numa cama,ambos cobertos apenas por um lençol branco.E ele olhou em seus
olhos e disse “É bom vê-la de novo minha Marisca...Não sabe o quanto eu esperei para
que reencarnasse”.Uma frase que não saia da mente de Natasha que não estava mais
descrente de que era a Marisca Pavaroth.A sedutora e doce moça da coroa de rosa-
menina que ela via naquele dia em que caiu em tentação e dormiu com Samarith.
_Bem vocês são as três irmãs mas falta uma...Helena Pavaroth precisamos encontra-la!
Diz Isabelle com um sorriso em seu rosto percebendo que de fato as provas batiam perfeitamente com a realidade das meninas.Porém ela não podia ser a poderosa e perfeita
Helena Pavaroth,pois ela era fraca demais para adquirir a tal conhecimento místico.E seu
amado príncipe não a chamava por aquele nome.Não era ela,não podia ser ela,pois ela só
estava ali para ser o sacrifício de algo.Pois essa deveria ser a única razão para que mesmo
sendo humana Leviroth tivesse de a proteger.
 _Você deve ser Helena...
Diz Victória com um olhar distante pensando que ela poderia ser a escritora do tal livro,
mas isso não era verdade.Não.Não era!pelo menos não para Isabelle que estava tão perdida em seus fracassos que não podia se quer pensar que ela poderia ter sido a bruxa mais importante do mundo,junto das suas irmãs poderosas.
_Não...Leviroth me chama de Lucy e Não de Helena...Talvez Helena seja a primeira a princesa do Caos,por isso não pode ser eu!Meu relacionamento com ele nunca foi além
de um...
Isabelle responde um pouco triste nem ela mesma acredita em seus pensamentos.Mas sabe que é melhor acreditar neles do que viver em ilusão que não a levara a lugar nenhum.É quando Leviroth entra na casa com um sorriso em seu rosto,acompanhado dos outros
príncipes que estão ali para esclarecer algumas verdades a elas.A jovem se cala e as outras
repitem as palavras que ouviram a moça dizer mais cedo. “Relacionamento de guardião
para objeto a ser protegido”Dizem as jovens em coro enquanto Isabelle faz sinal com o
seu dedo indicador para que fiquem caladas,olhando em direção ao príncipe que sorri
ao pensar sobre o que elas estavam falando.Entendendo a tudo sem pensar muito.
_Isso é ruim Isabelle?
Leviroth diz com um sorriso em seu rosto enquanto se aproxima dela para lhe abraçar,
mas ela apenas balança a cabeça negando abraçando ao livro de Helena Pavaroth,cujo
o titulo era “A ordem da Lua”.Um diário que contava sobre tudo o que ela e os seus
parceiros da seita faziam em seus rituais.É quando ela abaixa a cabeça e se afasta do
príncipe que lhe puxa carinhosamente pelo braço e olha em seus olhos.
_“Helena”não é a primeira princesa!Helena é você,ou quem você foi quando te vi uns
quinhentos após você desaparecer sem deixar vestígios...no dia treze de mil e quinhentos...
Diz Leviroth com um sorriso em seu rosto deixando a jovem assustada e admirada com
a pessoa que ela foi em outra vida.Pensando agora em quem poderia ser o parceiro milenar
a quem a bela bruxa se referia em seu diário.Dizendo que eles faziam a todos os rituais juntos
pois por mais poderosa que fosse,ela precisava da essência do seu companheiro,para abrir ao
portal entre o sol e a lua.
_E quem é o homem com quem eu tinha relações em nome do ritual...
Diz Isabelle completamente confusa com o seu passado,e com quem deveria ser o seu parceiro
com quem ela teve as melhores noites de prazer em sua vida.Mas o príncipe nada responde já
que se lembra de algo que realmente não o agrada.Algo que o fere e que fica guardado apenas
para ele.Logo ela faz alguns cálculos e lembra do seu amigo Jhonnata Wister que falava quase
sempre sobre o seu destino interligado.Que ela não deveria está com Dantas mas com alguém
que realmente servisse para ela.Percebendo que poderia ser ele,ela então fica alegre pois sabia
agora que existia alguém pra ela,mesmo que este alguém não fosse aquele que ela desejasse com toda a sua alma,corpo e coração.
_Sinceramente não importa...Bem agora que sabem sobre quem são devem se preparar!

Diz Leviroth tentando manter o ciúme,mas falha e a jovem Victória percebe e fica rindo para si mesma,já que podia entender perfeitamente o que estava acontecendo entre ele e a jovem
bruxa,ambos tentavam esconder mas era obvio que apesar de não viver na cama.eles haviam
se beijado varias vezes e mesmo ido para a cama,mas isso era raro.É quando o jovem príncipe
percebe ao sorriso de Vic e a olha confuso,tentando entender porquê ela lhe olhava com um
olhar de “to sabendo heim!”.Os príncipes se aproximam das jovens e então eles lhes abraçam
envolvendo-as em seus braços,esquentando-as com o seu carinho.Pelo menos a maioria.Já que
um deles fica apenas encostado na parede olhando para a jovem,que não o encarava.Mais tarde naquela noite todos os jovens estão divididos em casais,enquanto ambos estudam a um
livro diferente.Alexandra e Samalast estudam ao livro conhecido por Nove chaves do poder de
Andrew Louis.Um livro que explica sobre como aprender a usar o seu corpo como um instrumento de batalha seja ela espiritual ou física,contando sobre os passos do autor para conseguir atingir cinco dos nove passos,pois dizia ele que os outros quatro apenas estavam disponíveis para aqueles que tivessem o sangue sagrado que ele não possuía. Victória e Belliath estudam ao livro O poder da mente de Luis González.Um livro que fala sobre os avanços dos estudos mentais,que ensina a todos os seres humanos a usarem mais do que
um por cento do seu cérebro.Ensinando-os a atingirem aquilo que ele chama de o poder
sobre a matéria,já que conseguindo atingir a todos os níveis da mente o ser humano chega
a se tornar a um Deus em seu ponto de vista.Isabelle e Leviroth estudam ao livro O poder
está dentro de você! De Luiza Moura.Um livro que parece ser de alto ajuda no inicio,mas
no fundo há muito mais.Ele ensina mais do que pensar positivo,ensina que o poder está
em quem o manipula.Muitas pessoas chamam ao poder de Deus.Mas a autora explica que
“Se você não manipula ao poder,ele manipula você,ou tu controlas as ações ou elas iram
te controlar,ou seja este Deus é você ou este Deus prevalece sobre você”.Ensina também a todos os passos de meditação para atingir aquilo que ela chama de “O controle absoluto
sobre o seu próprio ser”.E por fim Natasha e Samarith estudam ao livro “A luz da sabedoria”
de Luciana Queiroz.Um livro que conta sobre toda a batalha do mundo desde o inicio dos
tempos,explicando como o apocalipse ira se suceder e muitos serão cegos demais para ver.
Explicando que “nem tudo aquilo que era sagrado era divino”.Que o Divino estava nos olhos
de quem o vê.Que “o mesmo Deus era divino para muitos por causa da sua suposta bondade,
para os sensatos era visto como um monstro já que sempre ansiava por sangue humano.Da
mesma forma que Lúcifer era considerado Divino pelos gênios e um monstro para os fracos”.
Logo que terminavam os livros eles trocavam e assim passaram a noite inteira.
Capitulo 6
Insanidade
Passara-se alguns meses desde que as jovens descobriram sobre os seus destino tão obscuros.
Isabelle jamais conseguiu se envolver com Leviroth por causa que sabia que não seria seu.Mas foi feito um acordo para que ele só aparecesse quando fosse chamado,para que ela tivesse ao
menos a Dantas.Só que ele já não satisfazia aos seus desejos nem era uma boa companhia lhe
deixava entediada e ela já não o suportava mais,só continuava com ele porquê precisava está
perto do seu guardião.Sim seu relacionamento havia caído numa escuridão de crise que não
acabava.Por isso ela passou a sair com o seu melhor amigo Jhonnata.Não ela não traiu ao seu
namorado,se é o que está pensando.Tudo o que fez foi apenas conversar com o seu amigo sim
de vez em quando ele não perdia a chance de lhe cantar,mas ela não cedia brincava com ele
dizendo que retribuía ao sentimento dele como amiga.Ele entendia o que ela queria dizer e
então não voltava a tocar no assunto.O rapaz era o único a quem ela podia contar tudo pelo
que passava em relação aos seus sentimentos pelo demônio.Sentimentos que de seu ponto de
vista jamais poderiam ser correspondidos e isso doía demais.Leviroth não gostava nenhum pouco do amigo da jovem,por um motivo que para ela era um mistério já que seu amigo
não era nenhum cristão idiota.Por causa do jovem ela discutia com o namorado e mesmo
com o homem que amava.Ela não podia abrir mão da única pessoa que lhe ouvia quando
o seu coração estava cada vez mais partido e ela estava tão distante da felicidade.Natasha
já não tinha mais tempo para amiga.Havia começado a estudar demais e raramente entrava
na internet,ou respondia as suas mensagens no celular.Quando não estava estudando tudo
o que ela fazia era ler sobre ocultismo,sabia que o fim estava próximo e queria se preparar
mas não conseguia muito.Então saia todas as noites com Samarith para treinar e mesmo
para um momento intimo onde pudessem namorar.Alexandra estava super feliz ao lado
de Samalast considerava-o ao homem mais perfeito do mundo,aquele com quem ela sem
duvidas queria passar ao resto da sua vida.Jamais pensava em sua amiga e também pudera
sua fase de depressão tinha acabado e ela não queria se contagiar com a energia da menina.
Quando não estava com o príncipe do Caos da primeira família,ela também estava estudando
ou trabalhando.E Victória não estava nas melhores condições mesmo estando com Belliath,
sua felicidade não estava completa não tinha conseguido passar na prova de curso técnico,
por isso não se sentia bem.Sua mãe e irmãs estavam sempre doentes seja no sentido físico
,espiritual ou mesmo mental.Ela era dedicada cuidava de sua família com todo o carinho.
E não tinha tempo nem mesmo para aquele que mais amava.Via-o a noite quando podia
e quando não eles ficavam na mensagens até ambos dormirem.Isabelle estava sozinha só
tinha ao seu amigo e dele não iria abrir mão pois eles bebiam juntos,saiam juntos e ele
era o único capaz de lhe fazer sorrir.Certo dia eles chegam da ultima saída ambos porres
e Dantas os encontra abraçados,ele dizendo que a ama mais que tudo e ela lhe dizendo
que o amava também.O rapaz fica furioso e então acredita que ela havia lhe traído.Não
tarda para que Leviroth pense o mesmo,tome posse do corpo do rapaz e vá a um bar onde
a amiga dele trabalha.No bar ele seduz a uma garota de peso exagerado,cabelos loiros e lisos
,olhos verdes e pele clara queimada de sol.Que usa sempre roupas do tipo normal e mais do que brega.Cujo o nome é Kart e a personalidade não faz parte da vida.É do tipo Maria vai
com as outras ou vou mudar se eu quiser agradar aquele que amo.De quem Isabelle não
gostava nem um pouco desde que a viu a primeira vez. Não demora muito para a garota
ceder a ele.Pois há muitos anos joga indiretas ao rapaz mas ele nunca cedeu.E como agora ele veio até ela.A garota acha que finalmente é uma mulher bonita que ele deseja.Mas a verdade é que ela não mudou nenhum pouco.Continua a mesma ogra de sempre.Os dois mal falam e já partem para um motel.No quarto Leviroth está tão possesso de raiva que não se controla logo morde cada parte do corpo da jovem com uma certa repulsa e nojo,chegando a tirar pedaços
da sua pele a cada mordida.Que ele não disfarça e cospe no chão pois o sangue dela tinha um
gosto tão ruim quanto o sangue bovino.Após deixa-la toda ferida o jovem então faz o que tem
de fazer.Introduz ao seu membro nela enquanto lhe dá alguns tapas,puxando ao seu cabelo de
uma forma que a faça gritar bastante.Pois ele está descontando nela tudo o que tem passado ao ver Isabelle e o amigo juntos todos os dias.No final da noite ela diz a ele que o ama mais
que tudo.E que por ele seria capaz de suportar a toda aquela dor todos dias.Que sabia que
era difícil para ele ter que transar com uma certinha feito a Isabelle,que não suportava nem
metade do que ela suportou com ele.E antes que ela diga mais uma besteira o príncipe então
cai na gargalhada e sai do quarto deixando-a para trás.Enquanto se sente auto realizado já que
sua vingança estava completa.No dia seguinte Isabelle conversa com Leviroth e decide que era hora do seu amigo partir porquê ela não queria trair a Dantas.O jovem fica surpreso com a confissão da menina e começa a se sentir mal pelo que fez.Passa a agir de uma forma estranha não consegue se aproximar dela ou olhar em seus olhos.Sente-se envergonhado demais para lhe dizer alguma coisa.Procura a amiga mais uma vez e não faz nada desta vez apenas diz a
ela que a usou.Ela fica furiosa e jura que irá se vingar dele e da aberração que ele namora.
Não demora muito para que a verdade venha a tona.Certo dia a jovem chega a universidade e Kart vem até ela.Logo ao vê-la a jovem para e então começa a lhe dizer muitas verdades,que ela sabia do interesse da amiga pelo seu namorado,que não tinha medo dela,porquê ela não era uma ameaça.Humilhando-a diante de todos deixando-a tão furiosa que ela cai na gargalhada e grita para todo mundo ouvir que ela e Dantas dormiram juntos.
A jovem fica em pânico ao ouvir aquilo e então sai correndo em busca do namorado para confirmar.E ele diz que não se lembra de nada.Mas ela não acredita.Não seria a primeira vez
que o namorado mentiria para ela.Lhe dá um tapa no rosto e o empurra contra o chão.Uma
chuva começa a cair do céu ela lhe olha nos olhos furiosa e vai embora.Os dias se passam e
as amigas de Isabelle passam a se aproximar dela outra vez.Mas ela não é mais a mesma.Não
é pois o seu mundo havia desabado.Estava ela entre a negação dos fatos reais e a verdade que
era ainda mais devastadora.Ela estava enlouquecendo a cada dia que se passava.Ia aos médicos
 psicologistas mas ninguém sabia lhe dizer o que ela tinha de verdade.Todos diziam que era apenas um pós trauma,que como ela nunca fora traída não conseguia aceitar aquilo,pois isso
era algo novo em sua lista de tragédias.De inicio ela passava apenas uns dias consciente e quase nunca tinha surtos.Mas com o tempo foi piorando.Passou a se cortar como não fazia
a muitos anos.Deixando aos seus pulsos marcados como jamais fizera antes.Tinha trocado as
suas roupas sexy por um casaco enorme encapuzado de cor cinza com calças legue e um par
de coturnos também negros.Raramente fazia a sua a maquiagem pesada andava com um batom vermelho no máximo.Seus cabelos ondulados agora estavam virando uma palha.Sim ela estava ficando muito descuidada.E por isso já não era mais um sucesso na sua faculdade.
Todos a chamavam de aberração ou de demônio.Ninguém queria ficar perto dela pois a sua
densa energia lhes fazia mal.Ela estava sozinha de novo.E só tinha a suas laminas para lhe
confortar.Já que fora obrigada a mandar o seu amigo embora dizendo-lhe coisas ruins que de
fato eram verdade e outras não.Ela só queria que ele fosse embora tinha medo dele e ela se
aproximarem demais.E ele se foi com o coração mais do que partido.Todos os dias cortava
aos pulsos.Todas as suas amigas tentavam mas nenhuma conseguia chegar a verdadeira Isabelle,pois ela estava perturbada demais com as lembranças.Não falava coisa com coisa.
Se trancava em qualquer canto isolado do mundo.Quando não ia para trás da universidade
onde pegava uma faca e cortava ao próprio corpo.Leviroth já não suportava vê-la naquele
estado.Ele sabia que era o culpado.Já havia lhe confessado tudo o que fez.Porquê havia feito e ainda sim ela estava cada vez pior.Ele agora cuidava dela e havia tomado a posse permanente
do corpo do rapaz.Mas nem mesmo envolvida com ele,ela conseguia melhorar.Todos os dias
eles brigavam.Ela o empurrava e então partia para longe dele.Para longe de todos.Pois não
podia confiar em ninguém.Em ninguém.Para piorar a inimiga estudava na mesma faculdade
que ela via aos seus surtos e sorria.Pois sabia que em breve o jovem não suportaria mais
ficar com aquela aberração como ela costumava chamar a garota.Só que os dias se passaram
e o jovem não deixava de cuidar da sua namorada nem por um segundo.Amava a ela cada vez
mais.E isso deixava Kart muito irada.Não queria saber de nada só queria que o jovem fosse dela.É quando ela então se envolve com magia negra vendendo a sua alma para o Diabo para
que Dantas seja dela e Isabelle morra com vários males dolorosos.Não demora para que o pacto faça efeito e a jovem rebelde começa a desmaiar nos braços do namorado.Mas o único
problema é que só o fantasma de Dantas vai atrás de Kart.O homem incorporado não.E isso
a deixa com raiva o bastante,para pegar ainda mais pesado com os seus feitiços.De manhã
Isabelle está caminhando pela rua ao lado de Leviroth e os outros integrantes da ordem da
Lua.Ambos estão brincando e jogando conversa fora.A jovem está um pouco feliz mas é só
ela passar de uma arvore a frente.Que seus surtos começam a agir outra vez.Ela começa a gritar com o príncipe e a empurra-lo violentamente.No fundo ela sabe que esta agindo de
forma contrária ao seu natural.Mas ainda sim age daquela forma.Sem perceber que haviam
espíritos diante dela que estavam fazendo-a ficar com ódio dele.Enquanto todos eles lhe espancavam.Bebiam do seu sangue e sugavam a sua pura energia.Deixando-a tonteada e fraca.lhe dizendo coisas horríveis que deixavam-na triste e irada.“Que ela tinha que se afastar de Dantas,que ela não amava ao homem na frente dela.Devia sentir muito ódio dele.Ele não prestava não servia nem para nem para limpar o chão onde pisa.Que tudo que saia de sua boca era mentira”.
 _Não se aproxime de mim!
Grita Isabelle enquanto começa a se sentir perturbada com os olhos vazios.Com a mão na
parede do muro e as pernas bambas.Sentindo-se nauseada e fraca com muitas dores de cabeça.Não querendo que Leviroth fique perto dela de nenhuma forma.Mas ainda sim ele
se aproxima dela e lhe agarra.Encostando-a na parede passando a mão pelo seu rosto suado
de leve.Preocupado com o que estava acontecendo a jovem para ela agir daquela forma.


_Isabelle sou eu Leviroth!Volte para mim meu amor...Volta para mim...
Diz o príncipe enquanto passa a mão pelo rosto da jovem.Olhando-a profundamente com
um peso em seu olhar.Pois sabia que a culpa era sua que ela estava daquela forma por causa
do seu erro.Por causa que tinha dormido com aquela garota para se vingar.Achava que era a
sua culpa porquê desde que a garota contou tudo a menina,ela começou a sofrer com essas
constantes mudanças de humor e surtos psicóticos avançados para a psicopatia.Todos os dias
a jovem o atingia com tapas e socos furiosos.Que deixavam a sua marca na pele dele sempre.
_Eu sei quem você é!
Diz Isabelle empurrando Leviroth para longe dela.Com tanta intensidade que ele cai para trás.A briga entre eles é tão intensa que todos se focam nela.E ninguém vê que Kart estava
escondida ali atrás da arvore ouvindo tudo.Ao ouvir a jovem chamando ao rapaz por Leviroth.
A amiga de Dantas fica confusa e então olha no fundo dos olhos do jovem e percebe que não
há um vazio.Que ele estava convencido do seu amor pela senhorita Calligari.Ela logo entende
que aquele não era mais o seu amigo e então sai correndo em direção a casa de Paulo Mirraje.
O bruxo negro mais temido da cidade.Cujo os trabalhos eram feitos em sigilo e todas as suas
vitimas saiam mortas de acordo com as suas maldições.Ela bate na porta e então entra na casa antes que o dono venha abri-la.Olha para os lados se sentando no sofá,louca para ver ao tal
bruxo.Para lhe perguntar quem era o tal espírito que ficava no corpo de Dantas agora.
_Não tem um pingo de educação não é senhorita Wills?
Diz um homem bastante feio cujo os traços do corpo são imperfeitos demais.Seus olhos são
negros e pequenos demais para o rosto.Seu nariz é muito inadequado é fino e gordo.Seus lábios são cheios.seu cabelo crespo e negro e sua pele um pouco escura.Usa sempre roupas
de grife.e deve ter no mínimo uns cinco anos a mais que Karty.Sua personalidade não é um
mistério.É aparentemente alguém perverso.Mas no fundo não sabe nem se quer o significado
da real maldade.É mal apenas por ser mal.Não tem uma razão para ser apenas é. E a verdade é que se tem uma pessoa que ele odeia naquela cidade é Isabelle Calligari.Pois ele sabe do seu
segredo.Aquele segredo que ela guarda para si por ser prudente.Ele não suporta a ideia de que
alguém tão jovem e aparentemente tão boa seja quem é. É um invejoso que joga com a vida
das pessoas para a sua diversão pois não tem algo melhor para fazer.É um inútil de natureza.
e só que lhe deem um pouco de atenção.A atenção que obviamente jamais recebeu de alguém.

_Num me importa!Estou aqui por quê ouvi a macarrão chamando ao namorado por Leviroth!Quero saber quem é esse cara!e o que ele fez ao meu amor!
Diz Kart olhando com raiva para o bruxo.Que apenas a olha com um olhar vazio ao saber
quem é a pessoa que estava protegendo a sua inimiga.A sua tão odiada inimiga.Que lhe odiava tanto quanto ele odiava a ela.Mas a verdade é que ela nem se importava mais com
ele.Era carta fora de baralho.Que grande erro da parte da rebelde ao agir assim.
_Não pode ser!Leviroth!?Não pode ser!
Diz Paulo completamente chateado batendo na mesinha na frente do sofá da sua casa.Não
acreditando que os seus planos seriam ameaçados.Por causa alguém tão forte como era o príncipe.Sentindo-se desesperado ao ouvir aquele nome.Entendendo agora porquê Isabelle
jamais morrera em todas as vezes que tentou se matar.Esquecendo-se de Kart que o olhava
um pouco confusa.Sem entender porquê aquele nome causava tanta insegurança ao bruxo
mais poderoso da cidade.
_Leviroth é o filho do segundo príncipe do Inferno!Sua anta!Não entendo que acordo aquela
vadia fez com ele.Ele nunca faz acordo com ninguém e a única que lhe interessa é a princesa.
Não sei o que há por trás disso mas não é bom para os meus planos para aquela vagabunda!
Grita Paulo cada vez mais exaltado com a ideia de que o filho de um demônio.Protegia a sua
inimiga mortal.Enquanto Kart apenas o observa calada perguntando-se a mesma coisa.Porquê
um demônio protegeria a uma garota que apenas se fazia de rebelde mas era uma certinha na
cama?.Que espécie de feitiço ela havia usado para manipular a alguém tão poderoso?.Quem era que tinha dormido com ela noite?Era Dantas ou Leviroth?.Só podia ser Dantas.Aquelas
palavras que foram ditas a ela sobre ele amar a louca demais.Não podiam vim de um
demônio.São criaturas incapazes de amar.Ou será que não?.
_Está tudo bem agora Isabelle?
Pergunta Samalast dando a um copo de água para a jovem.Cuidando dela de uma forma tão
dedicada.Passando a mão em seus cabelos enquanto a deixa de repouso em um colchão dentro de um quarto abandonado.que qualquer um pensaria que eles eram irmãos.Menos é claro Leviroth que ficava cada vez mais enciumado com as atitudes carinhosas do quarto príncipe da primeira família da dimensão do Caos.
_Sim estou um pouco melhor não entendo o que acontece comigo.Desculpe mais uma vez
Leviroth...


Diz Isabelle bebendo ao copo de água.Muito mais pálida que o natural.Vendo a enorme marca da sua unha no pescoço e no rosto de Leviroth.Que apenas balança sua cabeça para
um lado e para o outro.Tentando parecer que está bem.Quando de fato não está.Rodeada
por todos os seus amigos da Ordem da Lua.
_Sabe que em breve será a lua cheia não é?.Todos os quatro portais devem ser abertos.E eu
vou precisar da sua ajuda...para conseguir abri-lo...
Diz Leviroth enquanto se senta ao lado da jovem colocando o seu braço envolta dela.Dando-lhe um beijo na testa.Pensando nos perigos que terão de enfrentar desta vez para conseguirem
abrir aos portais.Pensando no perigo que vai correr quando ela estiver ao lado de uma adaga.
_Sim eu sei e eu temo que eu não consiga abri...Não sinto mais amor por você...
Diz Isabelle enquanto abraça ao príncipe.Porém logo se afasta sentindo uma enorme repulsa a
ele.Tudo efeito do feitiço de Kart.Pensando em varias coisas ruins sobre o rapaz.Sim outra vez
aqueles espíritos estavam ali.Só que diferente da outra vez Isabelle começa a senti-los e então empurra Leviroth para longe dela.Achando que aquela energia que a feria vinha dele.Quando na verdade vinha dos espíritos de luz que estavam envolta dela.Sentindo-se outra vez aquela mesma perturbação em sua mente.E desta vez o príncipe não conseguia mesmo suportar ver a aquele sofrimento.Pede para que os amigos dela cuidem bem dela e então sai do quarto.Pensa que é que tudo sua culpa e que não sabia que iria machuca-la tanto.No inicio ele queria isso mas agora já não mais.Queria poder ver a um belo sorriso brotando em seus lábios.Um sorriso que fosse de alegria.Não a um sorriso de escárnio.Ele começa a sentir-se perturbado
também e então sai caminhando pela rua sem rumo.Até que é parado por Kart que sorri para ele.Sentindo que desta vez o seu feitiço deu certo.Pois os olhos dele estavam vazios como os da sua inimiga haviam ficado após o seu primeiro surto violento.Mas não era por causa de um feitiço que ele estava assim.Estava passando por uma fase difícil.Caiu em um pesadelo para o qual arrastou a garota por quem está perdidamente apaixonado.E não sabia como tirar
ela dali.
_A Calígula só piora não é?
Pergunta Kart com um enorme sorriso em seu rosto.Um sorriso que Leviroth nem nota apenas balança a cabeça afirmando que sim.Com os olhos vazios não dando a mínima importância para o que a jovem ia lhe dizer.Ela começa a falar um monte de coisas ruins sobre a jovem rebelde.Olha para ele percebendo que ele a ignora e então comete o enorme erro de dizer o que havia feito.Gritando com as seguintes palavras. “Não sei mais o que eu
devo fazer para você me amar!Até tentar matar aquela vadia eu tentei!Mas ela não morre!”.
_Como tentou matar Isabelle?
Leviroth diz com um olhar cheio de ira.Obscurecido pela raiva que sentia naquele momento.
Enquanto olha no fundo dos olhos de Kart.Fazendo-a sentir enormes calafrios de pânico enquanto as suas pernas ficam bambas diante dele.Ela nada diz.Olha para um lado e depois
para outro.Procurando ganhar tempo para inventar a uma mentira.Mas isso deixa ao príncipe
ainda mais enfurecido.Enfurecido o bastante para usar aos seus dons em publico.Fazendo-a
sufocar e cair diante dos seus pés.
_Responda!Como tentou matar Isabelle!?
Pergunta o príncipe aumentando a intensidade do sufocamento aos poucos.Olhando para a
provável causadora dos males que estavam afetando a ele e a jovem.Mas a baranga apenas ri.
Não importa a dor que sinta.Ela sabia que Isabelle estava sofrendo e isso era o bastante para
ela.Mesmo que o príncipe jamais fosse dela.Ele também não seria da sua inimiga.
_Ta sendo muito pior agora que não pode comer ela não é!?Deve ser difícil a desgraça
ficando louca!Ela vai morrer e você não pode comer ela!pois ela não que você nem a toca.
Se não ela mesma vai te matar antes de morrer!.
Grita Kart dando enormes gargalhadas mesmo sendo sufocada pela força mental do jovem.
ela não se importa se vai morrer ali.Ela sabe que Isabelle não passa de uma humana e por isso jamais poderá conseguir se livrar do seu feitiço.O poderoso feitiço que ela fez selando a um pacto com o Diabo.Para conseguir aquilo que mais desejava a sua vingança.Uma vingança que poderia lhe custar muito mais caro do que imagina.
_Desgraçada!Isabelle tentou me alertar sobre você!Se pensa que vai sair vencendo está enganada Kart!Eu vou tocar a Única humana que amo!Está ouvindo sua vadia!?Eu vou
ficar com a Isabelle!Sabe o que ela tem a mais que você?Tirando a um belo corpo e um
rosto de beleza sem igual.Tem a uma personalidade!Você não é nada!Foi usada por mim!
Porquê ela não me queria.Só por isso e nada mais.Fui eu Leviroth quem te usou!
Grita Leviroth no inicio entendendo então o que de fato havia acontecido para que a jovem começasse a agir daquela forma com ele.Porem logo baixa o seu tom de voz e olha nos olhos
de Kart com os olhos mais vermelhos do que antes.Chegando a ganhar a um tom de rubi.
Vendo que a jovem de corpo desfigurado estava quase morrendo aos seus pés.Mas antes que
ele termine com a vida dela.Ele para e então caminha em direção a casa dos Calligari.
_Não me importo se não me ama!Você não é quem eu amo!É o demônio que me estuprou!
Grita Kart ajoelhada no chão com lagrimas nos olhos.Pois de fato ela havia se apaixonado
mais pelo príncipe com quem transou do que pelo próprio melhor amigo.Mas ele não sentia
nada por ela.Como sempre Isabelle estava em seu caminho.Sempre ela.Sempre.E por isso ela
devia morrer logo.Não podia mais perder tempo deixando que Paulo brincasse com a vida dela.A queria morta e enterrada.Longe daquele homem que partira mostrando cotoco.
Mais tarde...É de noite e o príncipe chega a casa dos Calligari.Isabelle está tendo a mais um dos seus surtos.Está quebrando a tudo no seu quarto.Para ter cacos de vidros com os quais possa se cortar e sangrar sem parar.Como sempre sua casa esta vazia.Já que sua mãe trabalhava muito e quando não tinha a uma boa vida social.Dantas já era o conhecido da mãe da rebelde.Por isso não era difícil para o príncipe entrar na casa.Ao ouvir que a jovem estava quebrando ele corre para o quarto dela e então empurra a porta com força.Ele abre a porta e então se depara com uma cena que o deixa em pânico.A jovem está estirada no chão com os pulsos cheios de cortes sangrando muito.Quase inconsciente por causa das três garrafas de calmante que estavam vazias no chão.Preocupado ele a pega nos braços e a coloca na cama.
_Leviroth não se aproxime de mim...Não se aproxime de mim...
Diz Isabelle sentindo aos seus olhos quase se fechando.Vendo a imagem borrada do jovem.
Sentado na cama ao seu lado.Enquanto passa a mão na sua testa e a deita em seu peito.Ele
sabia que apesar dos exageros dela.Ela não iria morrer.Era muito forte para isso.Muito mais
forte do que ela mesma poderia imaginar.Por isso apenas lhe fazia carinho e beijava a sua testa.Diferente das outras vezes uma lagrima começou a cair pelo seu rosto.Sim agora estava mais do que comprovado que a culpa era sua.Que ela só estava sofrendo daquele jeito por sua
causa.Por causa do seu erro.Porquê ele se envolveu com uma mulher que era muito perigosa.
Sentindo-se sozinho ele então liga para a sua nova amiga Victória Haster.Sim uma das amigas
de Isabelle.Após a jovem começar a sofrer com a insanidade.A garota passou a conversar mais
com o príncipe.Para que pudesse aceitar que ele era a pessoa certa para a sua amiga.Já que ao
que tudo indicava a garota o odiava demais.E faltava muito pouco para que ela odiasse também.O príncipe pega ao celular e então liga para a jovem.
_Victória...
_Boa Noite Leviroth.Isabelle está bem?
_Não...Na verdade hoje ela tomou a três garrafas de calmantes diferentes!
Quem vai acabar louco sou eu...Mas não importa só quero vê-la bem.
_Nossa!Ela realmente não desiste!
_Não mesmo.Mas ela não é a culpada.Kart me abordou hoje e eu descobri
que Isabelle estava certa.Ela fez algo para que não pudéssemos ficar juntos!
_Sim eu já imaginava...Mas quando vai contar a Isabelle?
_Sinceramente amanhã...Quem sabe quando ela souber que há algo causando aos
 seus males.Não melhore?
_Não custa tentar.Mas não sei se vai funcionar e termina ai.Isabelle acha que as
coisas estão muito mais além do que o relacionamento de vocês.
_Como assim?
_Ela acredita que Kart é uma ferramenta celestial para que não abram ao ultimo portal.
De fato não discordo.Pois o portal jamais deve ser aberto por desejo carnal mas sim pela
real expressão do amor.Lembra?
_Sim.Amanhã converso com ela.Avise a todos das novas.Eu vou dormir um pouco agora.
_Está bem boa noite Leviroth cuide bem da Isabelle.
_Irei cuidar
Leviroth desliga ao celular e então se deita ao lado da jovem.Abraçando-a com todo o cuidado para que ela não desperte do seu sono.Mas ela desperta e então sorri de uma forma tão doce.
Que o príncipe sente-se o pior homem do mundo por ter feito o que fez a ela.Ela coloca os seus braços envolta dele e o abraça forte.Com os olhos fechados um pouco sonolenta ainda.
Pedindo então para que ele não lhe abandone naquela fase tão difícil.Pois sabia que aquelas águas um dia voltariam a ser calmas.Ele não entende bem o que ela quer dizer com aquilo.
Mas a abraça forte e os dois adormecem juntos.
No dia seguinte...Isabelle acorda um pouco melhor.Dá um beijo nos lábios do namorado e
então vai se arrumar para aula.Ela se arruma.Quando já está quase pronta ela se olha no espelho.Por algum motivo se sente mais bonita.Até que o espelho escurece e ela se depara
com uma versão demoníaca dela.A jovem dá um pulo para trás pois a coisa coloca as mãos
no espelho.Ela tem os olhos esverdeados e a pele tão mórbida que chega a ser azul.Cuja as veias pulsam sob o rosto e os lábios são roxos.Que possui a um par de asas negras nas costas.Tem cabelos ondulados e negros.Usa a um vestido branco que parece ter sido feito na renascença e parece ser uma menininha.Uma criança de uns nove anos.
_Não fuja de mim.Não fuja de si mesma Isabelle!Está é quem você é...
Diz a menininha no espelho.Com as mãos pousadas sobre este olhando para ela com um olhar cheio de tristeza.Pois no fundo o seu espírito sabe que ela o renega mais que tudo.Mas
a garota não a houve e dá um passo para trás completamente assustada.Não gostando de ver
aquela versão obscura de si mesma.Nem por um minuto pois apesar da doçura da menina é
possível se ver que ela é muito cruel e perigosa.Poderia ferir a si mesma só para conseguir
ficar em seu lugar.
_Por favor!Não sou uma criatura mal desenvolvida!Não insulte a si mesma!Estou aqui porquê você me criou e precisa de mim.Pode dizer que eu sou o reflexo do seu...Eu
inconsciente.Ou do seu Satã interior.Mas uma coisa que não pode é negar que este é um reflexo de si mesma!
Diz a menininha no espelho irritada com os pensamentos da jovem.Não gostando nenhum
pouco de imaginar que ela desconfiava até mesmo de sua própria criação.Sendo que naquele
momento ela era a sua única parte consciente e capaz para lidar com o que quer que fosse.
_Quem é você de verdade!?
Grita Isabelle percebendo que aquela criatura por mais parecida que fosse consigo.Ela de
jeito nenhum poderia ser ela mesma.Pois a rebelde já havia se visto antes e por mais jovem que aparentasse em sua forma original.Jamais seria uma criança de uns nove anos.É quando a menina começa a lagrimar e então coloca a mão para fora do espelho.Segurando na mão da
jovem com a sua mãozinha.Que aqui fora era amarelada como a da jovem.
_Sou a sua criação.Sou o fruto de um dos portais...
Diz a menininha segurando a mão da jovem.Fazendo-a ficar completamente assustada com
o que ela estava vendo diante dela.Uma menininha que se parecia tanto com ela.Mas que de
fato não era ela.Só podia ser a sua criação.E para ter sido gerada na criação do portal.
a menininha demoníaca diante dela.Só poderia ser o que ela menos esperava.
_Não pode ser!Até onde sei,nós não podemos!
Grita Isabelle segurando na mão da menininha.Olhando-a nos olhos enquanto lagrima não acreditando que a criaturinha que estava diante dela.Poderia ser mesmo quem ela dizia ser.
Vendo que a menina só queria um pouco de calor humano da sua criadora.A jovem a puxa
por completo para fora do espelho.Com tanta força que a jovem bate com a sua cabeça na
parede.Caindo sentada no chão segurando a menininha em seus braços.A menininha olha
para a jovem.Aqui fora ela é amarelada.Tem lindos olhos castanhos.Seus cabelos são ondulados.E a sua roupa ainda é a mesma.Só que ela é muito bonita tanto quanto Isabelle.
_O que aconteceu a você?Porquê está encharcada?
Diz Isabelle segurando a menininha em seus braços.Passando a mão em seu rosto.Preocupada
com o que poderia ter acontecido a pequena.Para que ela estivesse naquele estado tão ruim.
toda molhada e irada com algo.Precisando tanto do carinho de alguém.
_Eu morri quando fiz nove anos.Você não podia me criar.Então me entregou a uma mulher
que parecia ser boa gente.Só que depois que você e Ele partiram.A mulher descobriu que eu pertencia a dimensão do caos e me assassinou.Jogando-me dentro do rio com as pernas presas
a uma corda com uma pedra pesada.Mamãe não me deixe aos cuidados de ninguém
outra vez!
Diz a menininha com os olhos de cheios de lagrimas.Abraçando a jovem com cada vez mais
força.Recordando-se daquela mulher terrível jogando-a dentro de um rio.Com medo daquilo
voltar a acontecer mais uma vez.Pois agora ela finalmente havia sido libertada daquela prisão.
Não queria voltar para dentro do rio outra vez.Ao ouvir a menina lhe chamando de mamãe
Isabelle fica assustada e então desperta daquele estranho sonho.Ao lado do jovem Leviroth que estava abraçando-a.Preocupada com o fato daquilo ser verdade.Ela começa a mexer nele para que ele acorde logo.Ele acorda um pouco assustado com medo de que ela queira lhe bater mais uma vez.
_O que foi Isabelle?
Diz Leviroth enquanto os seus olhos se abrem o mais rápido possível.Ajeitando-se na cama
com medo de que ela resolva lhe bater mais uma vez.É quando ele percebe que os olhos dela
estão fundos e ela está muito pálida.E começa a ficar preocupado com o que assombrava desta
vez.
_Tivemos uma filha quando eu fui Hellena Pavaroth?
Pergunta Isabelle sem mais delongas preocupada com a menininha do seu sonho.Ao ouvir a
pergunta da jovem.Leviroth fica um pouco sem jeito e então a coloca sentada ao seu lado.Pois
tem muito a lhe contar sobre o passado deles dois.Uma parte do passado que ele gostaria de lhe esconder para que ela não sofresse outra vez.
_Não exatamente.Você encontrou a uma menininha que estava muito doente e que se parecia demais com você.Se apegou demais com aquela criança.Achava que a sua missão
estava cumprida.Só queria cuidar dela.Por isso tive que tomar providencias você não podia desviar da sua missão...
Diz Leviroth com os olhos distantes.Sentindo-se triste com as lembranças que tinha dos Estados Unidos.Pois foi lá que a vida deles começou a desandar.Primeiro veio a pequena
Eliza.A quem a jovem dedicou mais do que metade de seu tempo para cuidar daquela por
quem ela chamava de sua criação.havia lhe chamado assim pois tinha lhe ensinado todas
as coisas que ela deveria saber na sua idade sobre magia.E depois então veio a ordem dos Inquisidores que logo assassinaram a sua amada.
_Então você entregou ela a aquela mulher que a matou ao seu pedido!
Grita Isabelle sentindo-se irada com os pensamentos que vem a sua mente.Enquanto se
levanta da cama e se sente cada vez mais chateada com Leviroth.Como ele tinha tido coragem
de ferir a alguém tão inocente como a pequena Eliza.Por causa de uma missão que ela deveria
cumprir?.Onde estava o seu bom senso ao fazer isso?.É o que se pergunta a jovem andando em direção a entrada universidade.Usando as suas roupas comuns que transpareciam a sua beleza e sensualidade.O que deixava Kart realmente irada já que seu plano começava a falhar.

Capitulo 7
O sequestro
Isabelle entra na universidade sem um pingo de paciência para estudar.Por isso resolve não ficar na sala.Pensando na menininha que apareceu no seu sonho.No quanto aquela menina
precisava dela.E no quanto Leviroth tinha sido cruel ao fazer aquilo com a pobre criança.E
enquanto ela fica pensando naquelas coisas terríveis.Surge então Kart com os mesmos olhos
de peixe morto.Vendo que a rebelde havia melhorado bastante da noite para dia.Pronta para lhe confrontar.
_Sei que Leviroth te contou da macumba que fiz pra ti e quer saber não ligo eu acabei contigo!Ainda existe lembrança daquela Isabelle fodida que tu era!
Diz Kart como quem não quer nada.Enquanto para ao lado da bela Isabelle que está tão concentrada em sua suposta filha.Que nem liga para o que a inimiga lhe diz.Até que então
 ela ouve que foi vitima de um feitiço e olha para ela com um olhar cheio de ira.
_Então você foi a causadora do meu mal psicológico!?
Grita Isabelle com um olhar cheio de ira.Não acreditando que estava certa o tempo todo
sobre ter alguém por trás dos seus males psicológicos.É quando ela pega a garota pelo pescoço
e a encosta na parede.Mas esta apenas dá enormes gargalhadas e cospe contra o seu olho só que a jovem desvia dando um tapa no rosto da inimiga.Que a leva para o chão e deixa a marca das suas unhas no rosto desta.E enquanto ela fica jogada no chão com o rosto ensanguentado.Surgem então as amigas da jovem.Que ficam surpresas ao se depararem
com aquela cena diante dos seus olhos.
_Isabelle porquê partira para a violência!?
Pergunta Natasha com um sorriso no rosto.Vendo Isabelle olhando para todas com um olhar frívolo enquanto se afasta.Seguindo em frente na direção da saída do corredor.Preocupada ela
pensa em ir atrás mas Alexandra segura em seu ombro.Dizendo com o olhar que não era bom
perturba-la naquele momento.Para quebrar aquele clima de enterro.Victória entrega ao seu
celular para Natasha dizendo-lhe umas coisas no ouvido.Que a jovem apenas confirma com a
cabeça.Alegre com a ideia a jovem sai correndo o mais depressa possível e some.Logo ela volta
junto de Leviroth que não estava nada bem naquele momento.Puxando-o com uma das mãos
e com a outra um galho enorme e grosso.Pede para que fique parado ali para que controle aos movimentos de Kart.Que continuava estirada no chão tão concentrada em sua raiva.Que nem
se importava com quem estava a sua volta.
_Hey animal!É você mesma Kart!
Diz Victória com um sorriso em seu rosto.Enquanto cutuca ao seios da jovem com o galho que estava na sua mão.Fazendo-a virar de frente com uma expressão de “mas o que diabos está acontecendo aqui!”.Porém a jovem apenas ri um pouco e então volta a olha para ela
com uma expressão séria em seu rosto.Demonstrando que não iria brincar em serviço.
_O que foi!? Eu comi o namorado dela!Não foi Leviroth?O príncipe do caos e o rei da cama!
Diz Kart com os olhos de peixe morto um pouco esbugalhados.Mais feia do que nunca já que
a sua maquiagem estava derretida.E por causa do galho os seus seios estavam de fora mas ela
nem sabia.Sentia tanta raiva por causa da humilhação que estava sofrendo por causa da sua
inimiga mortal.Que nem sentia ao próprio corpo.É claro que era ela que tinha direitos sobre o rapaz pois a propósito ela o conheceu primeiro.Mas Leviroth nada responde apenas dá uma enorme gargalhada.
_Meu nome é Dantas e não Leviroth!Você é quem deve está louca e fica falando da Isabelle!
Leviroth é um apelido que ela me deu.Por me considerar o príncipe dos seus sonhos!É uma besteira mas ela gosta fazer o que?
Diz Leviroth após dá uma gargalhada irônica.Fazendo com que Kart fique realmente abismada com aquelas palavras.Ela viu a jovem o chamando de Leviroth.Não é possível que só seja um apelido que ela deu para o rapaz.Não podia ser.Ela foi realmente enganada pelo
homem que sempre amou.Ele a usou para que ela fosse humilhada e jogada no fundo do poço.
_Não!Não é verdade!Você me apertou com o poder do pensamento!Você me apertou o pescoço sem pegar!Eu lembro!Eu lembro !Eu não to louca!Não to!

Grita Kart com os olhos assustados recordando-se de quando ela confessou a ele que havia
tentado matar a rebelde.De como ele ficou irado e como os seus olhos ficaram rubros com
um tom tão claro que pareciam dos rubis brilhando diante dela.
_Agora sim eu tenho certeza que andou se drogando!
Diz Leviroth rindo do quanto a jovem estava tentando se explicar.E só ficava ainda mais
confusa com aquelas lembranças e palavras.Não sabia mesmo o que dizer falava sobre poderes
que só poderiam ser considerados fonte da sua própria imaginação.Pois de certo ninguém iria
acreditar nos “elfos” dos quais a jovem estava falando.
_Não!Eu me entrei na magia negra!Fiz pacto com o Satanás para que tu fosse meu e a
Isabelle fosse morta!Mas o Satanás não fez!O Satanás não fez!
Grita Kart desesperada negando que havia se drogado.Mas afirmando que havia feito um pacto supostamente com o próprio Satanás para que a amada do jovem fosse destruída.Ao
ouvir aquilo Victória então lhe dá um tapa no rosto.Pois não suporta a ideia de que ela tenha
chegado a tanto só para destruir a sua amiga.A sua melhor amiga de tanto tempo.É quando ela se ajoelha diante da jovem e então olha nos olhos dela.E se concentra em seu poder.
Fazendo surgir diante dela uma imagem de um demônio horrendo.Cujos os olhos são negros como a noite.a pele pálida como a neve.que possui a um par de assas de morcego e os dentes
tão afiados quanto os de um tubarão.Porém só ela pode ver.Já que ela acreditava que tinha ingressado no mundo da magia.
_Sai de perto de mim coisa do inferno!Em nome do nosso senhor Jesus Cristo sai!
Grita Kart desesperada ao ver aquele ser diante dela.Se encostando na parede desesperada.
Chutando a Victória com os seus pés gordos.Enquanto os outros jovens apenas dão várias
gargalhadas sem parar.Se divertindo com o enorme sofrimento da garota.Pois agora ela estava experimentando do seu próprio veneno e logo iria de fato sucumbir a loucura.Já que nenhum
dos jovens deixaria barato.Logo todos ficam envolta dela e mostram as suas terríveis e piores
formas para a garota.Cada um pior que o outro.Alexandra cuja a forma era uma mulher com
os olhos de serpente.A pele pálida e viscosa.As unhas enormes como a de um bicho preguiça.
e os dentes iguais a de um tubarão.Natasha cuja a forma era uma mulher com os olhos cegos
de cor branca.Toda banhada em sangue com vários machucados em seu corpo.E Leviroth cuja
a forma era um homem de pele tão mórbida que chegava a ser azul.Os olhos eram tão verdes
que pareciam esmeraldas.E os dentes tão afiados e brancos quanto os de um morcego.Ao ver
aquelas criaturas diante dela.A jovem amante começa a gritar puxando aos próprios cabelos.
_Pai nosso que estás no céu...Santificado seja o vosso nome...Venha nós ao vosso...
AI MEU DEUS!SOCORRO ME SALVA DESSA CRIATURAS HORRENDAS!
Desesperada por não conseguir escapar dali com o seu “poder satânico”.Kart junta as suas
mãos e começa a rezar convicta de que isso afastaria aos maus espíritos.Sem perceber que os
jovens haviam se ajoelhado diante dela e estavam com as mãos na sua coxa com o rosto bem
próximo ao dela.É quando ela chega no segundo verso da oração sagrada e abre os olhos.Logo
ela vê as criaturas tão próximas dela que começa a gritar desesperada.Batendo em todos eles.
_AI MEU DEUS SOCORRO!NUNCA MAIS ME MEXO COM MAGIA NEGRA!
Grita ela desesperada enquanto chora.Pensando que o seu fim seria ali.É quando a tela escurece e então aparece a frase “Nunca se envolva com as forças que você desconhece”
a fonte gótica e surge a moldura do youtube.
_Então gostou do meu presente pra você?
Diz Victória com um sorriso segurando o celular para Isabelle.Que não parava de dá risadas.
 Chegando a ter que tapar a sua boca para esconder o riso.Pois ela estava vermelha de tanto
ri.Ao ver a alegria no rosto da jovem a amiga fica feliz que a sua vingança tenha dado tantos
frutos.Pois não só a rebelde estava muito melhor dos seus surtos psicóticos.Como também
o vídeo “Cuidado com a magia que se envolve” era o maior alvo de sucessos na cidade.Kart
havia sido demitida do emprego.E não era vista na cidade a um bom tempo.A única noticia
que se sabia dela era que “Ia se transferir de escola pois não queria mais estudar no mesmo lugar que os demônios”.Todos riam dela.A humilhavam toda vez que passava na rua gritando
coisas como “OH DEUS SALVA-ME DOS DEMÔNIOS POIS SOU SATANICA” “TO VENDO UM DEMÔNIO NÃO!SÓ ME VI NO ESPELHO HOJE”.Ela que tanto queria destruir a jovem.Acabou sendo morta socialmente.Ao terminar de ver o vídeo pela quarta vez.
Isabelle sorri para Victória e lhe dá um abraço bem forte.Dizendo que sem duvidas aquele era
o melhor presente que ela já havia recebido em toda a sua vida.E enquanto abraça a amiga vê
a menininha dos seus sonhos no outro lado da rua.Olhando para ela com um sorriso em seu
rosto.
Mais tarde naquela manhã....Isabelle está sentada a mesa prestando a atenção na aula.Quando
de repente começa a ouvir uma voz de mulher lhe chamando.Primeiro ela logo olha para trás
.Mas não há ninguém ali por isso ela volta a prestar atenção na aula.A voz volta a lhe chamar
e ela então fingi não ouvi.E assim ela passa o resto da sua manhã estudando.Na saída.Como
sempre Isabelle fica sozinha na sala de aula arrumando as suas coisas.A voz volta a chama-la.
Ela fica assustada então olha para o lado e para o outro.Pesando que poderia ser Kart com a
vontade de se vingar.
_Kart apareça!e lute como uma mulher!
Grita Isabelle exaltada ouvindo a sua voz ecoar dentro da sala de aula.Enquanto ela empurra
as mesas com os braços para trás.Preocupada com o que poderia lhe acontecer por causa da
vingança dos seus amigos com a inimiga.E quando ela menos espera um homem com uma
túnica negra encapuzada entra na sala e então coloca o lenço com boa noite cinderela.Para
que ela não grite.Ela logo desmaia em seus braços e então ele a carrega para fora da sala.
O celular dela começa a tocar e na tela aparece o nome “my love e.e”.Sem pensar duas
vezes o homem pega o celular e o joga no chão.Algumas horas depois surgem então o grupo
de jovens.Todos preocupados com o que poderia ter acontecido a jovem naquele momento.
_Leviroth o celular dela...
Diz Victória logo que pega o celular da amiga.Olhando para o príncipe que fica com a garganta seca ao ver que o celular dela estava ali diante dele.Mas ela não estava.E se não
estava onde poderia estar?.Em algum lugar não identificado.Esta a jovem sem as suas roupas
presa a uma cadeira com correntes em seus pulsos e pernas e uma venda em seus olhos.Com
um grupo de uns sete homens a sua volta.Ambos com túnicas negras encapuzadas.Sem lhe
tocar ou força-la a fazer algo que ela não queria.Pelo menos por enquanto.
_Diga o numero do seu celular!
Diz um dos homens enquanto se ajoelha com um celular na mão diante da jovem.Que está um pouco acordada agora.E ainda não percebeu que esta sem as roupas.Mas a jovem balança a cabeça negando que irá dizer aquilo que ele deseja.É quando entra na sala então Kart.Que pega o celular da mão do homem com certa violência e então liga para o celular da jovem.
O celular dela toca na mão de Leviroth aparecendo na tela “numero desconhecido”.Louco
de preocupação ele pega ao celular e então o atende.
_Isabelle!?
_Não quem fala é a mulher gostosa!não a Calígula.
_Kart!O que faz ligando para o numero de Isabelle!?
_O que faço ligano para o celu dela?Tanto faz!O que
importa é que os cara vão literalmente foder ela!Por sua
culpa Levi!E eles vão adoooora pois dizem que o gozo dela
é poderoso saca?uma parada meio assim!


_Se o fizer não vai para o hospício vai para o necrotério sua vagabunda!
Diz Leviroth exaltado sentindo um enorme ódio crescendo dele.Não acreditando que a sua antiga amante tinha tido a coragem de sequestrar a sua amada.E que ela estava envolvida com
a nova ordem dos inquisidores.Que estavam loucos para abusar da sua amada por causa do seu poder.Logo ele desliga o celular e então olha para todos e lhes explica tudo o que estava acontecendo.Todos entram em pânico com medo dos objetivos da nova seita para a jovem.
Com medo do que poderia lhe acontecer.Já que Kart estava envolvida naquele meio.
_Não iram machucar a minha mãe...
Diz uma menininha olhando para todos enquanto segura a sua pasta.Ela tem olhos claros como a cor do mel.Pele amarelada quase branca.Usa sempre roupas que lhe façam parecer
uma bonequinha gótica.Sua personalidade possui aos traços da jovem rebelde misturados
ao do jovem príncipe da dimensão do Caos.
_Sua mãe ?Do que está falando?
Diz Leviroth com um olhar confuso ao ver a menininha diante dele e dos outros.Perguntando
a si mesmo se aquela menina iria ajuda-los ou se tinha algum problema psicológico.É quando
ela se aproxima dele e então toca a sua mão com as suas pequenas mãozinhas.De inicio o jovem não gosta muito da ideia da pequena se aproximar.Não importa o quão bela seja e o quanto ela o faça se lembrar de Isabelle.Pois ele tem uma enorme repulsa a crianças.Mas logo
que as suas mãozinhas tocam as dele.Ele recebe a algumas memórias e então fica surpreso.
_Me solta!Me solta!Socorro!
Grita Isabelle completamente exaltada movendo ao seu corpo.Percebendo finalmente que estava completamente nua diante daqueles homens.Com medo do que poderiam lhe fazer.
lagrimando enquanto sente aos dedos de alguém sendo passado por entre as curvas do seu
corpo.Pois detesta a ideia de ser tocada por qualquer mão.
_Não grite...Vai aprender a gostar...
Diz Kart passando a sua mão pelo corpo da jovem lentamente.Repetindo as mesmas palavras
que o príncipe lhe disse logo que ela recebeu o primeiro tapa.Lembrando-se de quando ela e ele fizeram todas aquelas coisas.No quarto de um velho motel abandonado.E para não perder
o clima de pânico que existia ali.Ela introduz os seus dedos secos dentro da jovem fazendo-a gritar.
_Já chega!Kart não vai machucar preciosa!
Diz Jhonnata logo que tira o seu capuz.Ordenando com a sua mão que os outros tirem ela de
perto da garota.Eles a tiram e ele então passa a sua mão pelo rosto da jovem.Preocupado com o estado em que ela estava.É quando ele não resiste e então encosta aos seus lábios nos da
jovem.Ela recebe aquele beijo com raiva e então morde os lábios do rapaz até sangrar.
_Isabelle sou eu o Jhonnata!
Diz o rapaz após colocar o dedo em cima dos seus lábios ensanguentados.Sentindo uma dor
incrível no lugar onde a jovem cravou os dentes.Não acreditando que ela tenha agido daquela
forma mesmo depois de ouvir a sua voz.Que os sentimentos que ela poderia ter adquirido por
ele não fossem forte o bastante para se sentir segura com ele.
_Eu sei quem é!Se está envolvido com estes loucos com certeza não é mais meu amigo!
Grita Isabelle com raiva.Não se importando se estava presa numa cadeira.E que com toda a
certeza aquela não era uma situação favorável para que ela demonstrasse que era forte.Pois
todos que estavam ali.Estavam mais do que preparados para destruí-la sem pena.
_Não deveria agir assim com a sua alma gêmea Isabelle...
Diz Boris Rosálles caminhando em direção a garota com um manto.Ele chega até ela e tira
a sua venda.Cobrindo-a com o tal manto.Para que ela não se sinta desconfortável.Olhando
para todos os seus seguidores com indiferença.Pois até o momento haviam feito tudo errado.
A menina temia a eles e odiava ao rapaz com quem ela deveria fechar ao quinto portal em nome do céu.Dos anjos e de Deus.
_Ele não é minha alma gêmea!Meu amado é Leviroth...Meu único amado é ele!
Grita Isabelle desesperada dando os sinais dos quais Boris precisava.Para perceber que a menina havia mordido a isca da qual ele precisava.Que em poucos dias eles iriam converte-la
numa verdadeira criatura angelical e com isso iriam conseguir selar aos quatro portais que faltava serem abertos.Pois o poder de Isabelle era muito forte e por isso poderia ela abrir aos portais e fecha-los quando desejasse.Os dias então se passam e Boris a livra daquela cadeira
e passa a lhe ensinar sobre os mistérios da magia negra.Ensinando-lhe que a magia vinha do céu.Pois ela nada mais era do que o segredo mais obscuro de lá.Que os sacrifícios humanos de fato não faziam parte da magia Satânica.Pois os Satanicos não eram esse perigo todo que
aparentavam eram muito corretos.E isso era realmente chato.Pois eles sim respeitavam a natureza como ela é.Não infringiam nenhuma lei.Ao contrario dos bruxos do céu.Que apenas
se faziam de corretos.Mas se qualquer um fosse parar para observar apenas um pouco.Este poderia enxerga que não existiam regras a serem seguidas.Pois mesmo que elas estivessem ali
.Cada uma delas poderia ser enganada facilmente.Como por exemplo A gula era um pecado.
um verdadeiro crime.Porém ainda sim as igrejas se reuniam para fazer um enorme banquete
onde todos os féis pudessem se empanturrar.E se eles simplesmente podiam abrir uma exceção para isso.Poderiam fazer também para matar.O tempo continua a se passar e os
amigos da jovem não param de procura-la.Leviroth começa a ficar louco e então passa a beber todas as noites antes de dormir.Imaginando onde a sua amada poderia estar.Que perigos ela corria?.A pequena garotinha também não dá pra trás procura por Isabelle incansavelmente até
a sua hora dormir.Como não a encontra fica triste. E dorme todos os dias com a ideia de que possa achar ela antes que seja tarde demais.Natasha,Victória e Alexandra procuram-na usando todas as formas tecnológicas possíveis.Usando até o rastreador do celular dela.Mas não conseguem nada.Os príncipes usam os seus poderes mas algo os bloqueia de acha-la.Onde ela
estava?.Porquê tanto mistério?.E enquanto todos ficam desesperados.A jovem parece estar cada vez mais encantada pelos ensinamentos da magia negra.Aprendendo cada coisa que Boris lhe ensina.Com toda dedicação.Principalmente que Leviroth a enganou que demônios
mentem.E que o seu destino sempre foi com Jhonnata Wister.Já que ela nunca foi de fato um
demônio.Mas sim um anjo sagrado.
_Amanhã deverá fechar ao quinto portal está preparada?
Pergunta Boris com um olhar sereno.Segurando uma xícara de chá.Enquanto fica sentado diante de uma mesinha em um lugar escuro iluminado por velas coloridas.Coberto por uma túnica verde diante da jovem que o olha com um sorriso em seu rosto.Apenas balançando a sua cabeça afirmando que estava pronta assim como ele queria.Ele apenas sorri para ela.Pois tudo está correndo da forma que ele queria.A jovem era muito ingênua não sabia se camuflar como as outras criaturas.Logo ele faz  uma reverencia para ela e se levanta.Ela então fecha os olhos e começa a se concentrar. “Sabe o que é verdade não sabe?” Pergunta a voz macia de um homem.Mas a jovem fica apenas em silencio respondendo com um olhar sincero. “Não
está deixando se levar por eles está!?”A jovem apenas balança a cabeça afirmando de uma
forma sutil. “Leviroth é o seu destino.Você o escolheu.E és tão sagrada quanto eu” Diz a voz
respondendo a afirmação da jovem.“Quem és tu ?” Pergunta a jovem com o pensamento. “Sou o único em que deves confiar.Pois eu ajudei em tua criação” Responde a voz deixando
a jovem ainda mais confusa. “Sou o seu pai.O seu verdadeiro Pai.Me ouça pois eu sei o que
é melhor para ti.Esses insignificantes só querem te usar”.Diz a voz respondendo ao olhar confuso da jovem. “Tenho que ir não há tempo para me comunicar mais” Diz a voz exaltada
e então fica apenas o silencio na mente da jovem.No dia seguinte...Todos os integrantes da ordem dos inquisidores estão formando um circulo envolta de Isabelle.Que está coberta por
uma túnica verde encapuzada.Completamente nua por baixo desta.Em lugar escuro que está
sendo iluminado apenas por umas tochas.Com vários símbolos do cristianismo sob o chão.
Os pés da jovem começam caminhar enquanto os seus olhos imploram para que lhe salvem.
ela caminha então por um curto corredor.Onde encontra a Jhonnata com uma túnica branca
cobrindo ao seu corpo.Ao vê-lo ali a jovem começa a se concentrar em seus dons.E então manda um chamado de socorro para Leviroth.O príncipe que estava correndo pela rua procurando por ela.Ouve aos seus gritos em sua cabeça e então se ajoelha no chão.Tentando
descobrir de onde eles vinham.Ele fecha os olhos e coloca aos dedos na testa.Logo ele vê os
olhos dela.E então entra em união com o seu corpo.Enxergando com os olhos dela agora.
“Isabelle estou vendo com os teus olhos.Que lugar é este!?”Pergunta Leviroth com os olhos
fechados.Ajoelhado no meio da calçada.Usando a força do seu pensamento.“Não sei.Me ajude.Só você pode me ajudar!”Grita Isabelle desesperada.Parada ali diante do homem com
quem ela deveria selar ao portal.“Não quero estar aqui.Mas se eu não ceder a eles.Eles me
obrigarão!.Kart já me estuprou e eu temo que os outros façam o mesmo!”Diz Isabelle com
os olhos distantes.Ainda parada diante do rapaz dando um sorriso para disfarçar ao seu medo.
“Isa deve saber onde esta!”Responde o príncipe com os olhos apertados.Sua força está ficando
cada vez menor.A conexão entre eles pode ser desfeita.“Venha me ajudar.Falta pouco para que meu corpo seja purificado!”Grita a jovem enquanto caminha lentamente em direção ao
jovem.É quando Leviroth acorda desesperado.Será que aquilo era apenas uma visão de fato?
Ou sua amada realmente estava prestes a ser obrigada a copular com outro homem?.Ele olha para o relógio vê que já é de manhã e liga para Victória.
_Eu tenho uma ideia de onde Isabelle está.
_Onde!Onde!?Ele sabe onde a Isabelle está
_Numa floresta...Isa esta com vocês?
_Sim senhor Leviroth aqui estou eu
_Ótimo sabe me dizer onde sua mãe pode estar?
se receber as vibrações do pensamento dela?
_Posso tentar...Uma floresta...Deve se unir a um homem hoje...
Por Satã eu sei onde ela está!Vamos...Eu os levarei lá agora...
Não há tempo!
_Sim estou indo para ai agora!
E assim então todos os jovens se reúnem diante da universidade onde a jovem estudava antes.
Ambos estão pouco arrumados.Porém todos estão cheios de energia para chegarem ao seu destino.Logo todos entram no carro e seguem em direção a floresta onde a jovem pode está.

Capitulo 8
O segredo

Os jovens estão dentro do carro.Seguindo na direção da estrada que os leva para uma
fazenda abandonada.O lugar é realmente é um lugar lindo.Há plantas verdes como esmeraldas.Animais fofos e cheios de vida.Que vão dos mais dóceis aos mais perigosos.
Com enormes montanhas aos fundos.Um verdadeiro paraíso para quem o olha a primeira vista.A primeira vista pois quem para ali descobre que aquele lugar era apenas uma fachada.
Pois a verdade é que ali aconteciam aos piores crimes já praticados pelo homem.Que iriam
desde assassinar animais irracionais a crianças inocentes.E em meio a aquele lugar tão terrível
estava Isabelle coberta apenas por uma túnica verde.Rodeada pela ordem dos Inquisidores que
estavam prontos para ver o ritual do selo começar.Ela fecha os olhos respirando fundo.Com o medo do que teria fazer.Caso o seu pedido de socorro fosse anulado.Os tambores começam a
tocar.É hora do ritual começar.Ela começa a balançar o seu corpo lentamente,olhando para todos a sua volta.Seguindo o ritmo da música com os pés e os quadris.
Enquanto isso na estrada...Leviroth dirige em alta velocidade vendo ao caminho como se
fosse um vulto.Deixando a todas as jovens com os olhos arregalados de medo.Fazendo com que elas se abracem.Enquanto os príncipes olham para a estrada.Como se aquela corrida fosse o passeio mais tranquilo do mundo.Nem um pouco preocupados com o que poderia lhes acontecer com eles.Afinal de contas todos eram Deuses.
_Leviroth pare de correr Victória tem problemas de coração...
Diz Belliath olhando tranquilamente para o príncipe pelo espelho retrovisor.Mas o jovem apenas balança a cabeça negativamente.Com um olhar cheio de medo e de ira.Pensando apenas no que poderia estar acontecendo a sua amada naquele momento.Ao ver aquele
olhar Victória compreende a perturbação com que o jovem sofria.E então coloca ao seus
braços envolta do seu príncipe.Que lhe abraça dando-lhe o conforto de que precisa.
_Não posso.Não há tempo.
Diz Leviroth com um olhar obscuro sentindo o vento batendo em seu cabelo.Seguindo na
mesma velocidade máxima.Com um tom de voz bastante assustador e ao mesmo tempo muito calmo.O que deixa a todos.Sim a todos no carro.Bastante assustados e preocupados
com o transtorno que o príncipe sofria naquele momento.Logo os príncipes abraçam as
jovens e elas a pequena Isa.É quando a pequena então começa a desaparecer dos seus
braços.Como se ela fosse algum fantasma.Todos ficam ainda mais assustados.Será que a
menina então era uma armadilha?.Estavam eles sendo guiados para a direção errada?.
“Eu já havia partido.Chegaram ao seu destino.Não posso mais ficar aqui.Digam a minha
mãe que sempre a amei!”Responde a voz da menina enquanto ela surge no vidro do carro
em sua forma grotesca outra vez.Leviroth apenas olha para todos e então desliga o veiculo
perto de uma velha e enorme cabana.
_É aqui...
Diz Leviroth com o mesmo tom de voz assustador descendo do carro.Pronto para enfrentar
a todos e salvar a sua amada das garras da ordem dos inquisidores.Mas antes que ele siga em
direção a velha cabana.Todos os outros príncipes o param perguntando se por um acaso ele
havia perdido a noção do perigo.Ele fica irado e então os empurra.Mas os jovens usam todas
as suas forças para barra-lo antes dele ir até a onde a jovem pode está.
Na cabana todos os homens deitam a jovem numa cama e então tiram a sua roupa com toda
a calma.Bem lentamente.Fazendo-a olhar para eles com um medo estampado em sua face.Ela
não quer estar ali com eles.Ela não gosta de sentir aquelas mãos em seu corpo.Ao ver o medo
no rosto da jovem Kart começa a sorrir.Fazendo um sinal de que iriam possuí-la.Colocando o seu dedo indicador dentro de um punho fechado.Mostrando a sua língua pra fora mostrando
que sentia prazer com a dor da inimiga.Vendo que a jovem estava se deliciando do seu medo
a rebelde.Olha para o outro lado onde encontra Jhonnata olhando para ela.Com um olhar de
dor e tristeza.Ele a deseja é verdade.Mas não quer força-la a fazer o que não deseja.E após várias trocas de olhares.A jovem está completamente nua.Vendo o enorme sorriso de Kart
estampado em seu rosto.Que dizia “Já era sua quase virgem.Ta fodida literalmente”.
_Não quero mais...Por favor Senhor Boris!
Diz Isabelle sentindo o seu corpo sendo encharcado por um liquido azul celeste.Que a sua
inimiga faz questão de jogar sob a sua pele.Para que ela veja a expressão que a jovem faz
enquanto ela sente aquele frio cobrindo a sua pele.Sorrindo com uma cara de safada que ela
adora fazer quando vai “dá o seu corpo” para um homem.Deixando a jovem ainda mais assustada.É quando ela se levanta da maca desesperada.Não querendo mais ganhar nenhum
tempo.Só querendo ter a sua liberdade não importa o custo.Mas um grupo de homens vem até ela e lhe prendem ali a força na maca.Ela começa a lagrimar e a gritar desesperadamente.
Deixando a todos os homens preocupados.Mas antes que ela grite mais um pouco Kart coloca
vários panos na boca dela.Usando toda a sua força.Vendo a jovem derramar rios de lagrimas que lhe satisfaziam bastante.
_Chora agora sua desgraçada!Vai ser considerada uma vadia também!
Diz Kart com um ódio tremendo enchendo a boca de Isabelle com vários panos.Quase fazendo-a sufocar.Vendo que aquilo não daria em nada.O antigo amigo da jovem mais uma
vez manda que todos tirem aquela bruaca de cima da menina.Eles a tiram a força e a jogam
para fora da cabana.Alegando que o seu trabalho havia acabado.Ela fica furiosa e então sai
andando para longe daquele lugar.É quando ela se depara com o carro dos jovens a poucos
metros de distancia e então sai correndo de volta para a cabana.Mas antes que ela chegue
Victória surge na sua frente com a cabeça baixa.Numa questão de poucos segundos.
_Não vai a lugar nenhum.Andou estuprando a Isabelle não é?
Diz Victória com um sorriso enorme em seu rosto e um olhar obscuro.Enquanto olha para
o lado e as outras jovens chegam no mesmo tempo.Todas elas começam a rodear a jovem e
então ela pensa em gritar porém antes de abrir a boca.Surge Leviroth que a faz sufocar em
segundos.Fazendo-a perder a consciência.Na cabana...A jovem está lagrimando com o rosto
já vermelho.Sentindo os homens tocando ao seu corpo enquanto grita em seus pensamentos.
“Socorro!Alguém me ajude!”. Prontos para se apoderarem do seu corpo a qualquer momento.
Porém eles só podem toca-la.Já que o único que pode possuí-la e lhe purificar é o anjo que viera a terra com o nome de Jhonnata.
Logo o jovem aparece com um olhar cheio de tristeza.usando apenas uma túnica para cobrir ao seu corpo.Ele troca um olhar com a jovem e então puxa a túnica para trás exibindo ao seu tórax e a um par de calças brancas.Preocupado com o que tinha que fazer com a garota.O rapaz fecha aos seus olhos e então chega nela em uma pequena fração de segundos.Ao vê-lo tão perto a jovem começa a estremecer.Implorando com os seus olhos para que ele não faça nada.Mas ele ignora fecha os olhos e então se concentra na imagem dela ali naquela maca.É o seu dever fazer tal coisa.No inicio ele sabia que ela iria sentir medo.Mas ele também sabia que
logo ela iria ceder.Pois ela mesma já tinha lhe revelado que temia gostar dele.Só que naquele
momento ela o odiava sentia uma enorme repulsa ao seu corpo.Não importa o quanto fosse
tentador.Ela estava sendo forçada a fazer aquilo e por isso sentia medo.Uma emoção tão forte
que os seus olhos se enchiam de lagrimas.Que escorriam pelas suas curvas molhando ao seu corpo.O jovem olha para os lados e todos fazem um sinal para que ele prossiga com aquilo.
Não podia existir nada mais importante do que a sua missão.E ele sabia disso porém não
suportava ver a jovem com medo.Ele só queria que ela ao menos o desejasse para que fosse
em frente.Mas ela não o desejava.Quando seus olhos não estavam assustados.Estavam cheios
de ira.
_Me perdoe...
Diz Jhonnata com os olhos tristes torcendo um pouco os lábios.Já no meio das pernas da jovem pronto para purifica-la ali naquela maca.Ele encosta o seu membro no sexo dela e
ela começa a chorar e a gritar.Puxando o seu corpo para cima.Com tanta força que parece
que seu tórax vai sair e os braços e pernas iram ficar presos na maca.E ela não se importa
prefere que o seu corpo se quebre em mil pedaços.A cometer o ato carnal com outro ser.
Que não seja ao primeiro príncipe da segunda família.“Leviroth me salve!Socorro!Me
Salve!Preciso de você!Por favor...” a jovem pensa com os olhos sujos de lagrimas olhando
para o teto daquele lugar.E quando tudo parece estar perdido.Alguém entra na sala onde
o ritual estava prestes a acontecer.E esta pessoa fica com os olhos vermelhos de ira.
_DESGRAÇADO!
Grita Leviroth avançando para cima de Jhonnata dando-lhe um enorme murro no rosto.
Não se importando com os outros homens que estavam ali.Pois o seu ódio estava tão gigantesco que se um humano se aproximasse dele virava uma bola de sangue.Mas por mais possesso que ele estivesse se concentrava em seu punho para dar uma surra no anjo.Deixando ele com a boca toda suja de sangue em minutos.E ele seguia em seus golpes numa velocidade tão incrível.Que para quem estava de fora só podia ver um vulto.Um fantasma veloz que está se movendo em várias direções.Ao ver aquele vulto Isabelle começava a temer o que poderia acontecer.Pois o príncipe já não era ele mesmo.Ele tinha sede de sangue.E a sua sede era a única coisa que importava.Não haviam sentimentos para lhe impedir de mata-la.Vendo que poderia morrer nas mãos daquele ser.A menina começa a gritar puxando as suas pernas e pulsos como antes.Rodeada de corpos banhados em sangue.A menina tenta gritar.Mas não
adianta ninguém pode ouvir aos seus gritos.Os únicos sons que podiam ser ouvidos eram
os rugidos da criatura atacando ao anjo.Gritos de raiva e gritos de dores extremas e medos
incontroláveis.Mas para piorar tudo um repentino silêncio paira naquele lugar.Ao perceber
que não haviam mais gritos a jovem fica paralisada.Pois logo que ela abre os olhos vê que
 a criatura está no meio de suas pernas.Olhando com aqueles olhos irados vermelhos.
Rangendo aos seus dentes de caninos afiados banhados em sangue.Com as suas mãos cheias de garras negras sob a coxa dela.Fazendo-a sentir mais medo do que sentia antes.Mas ele não
está ali porquê sente algo por ela.Não ele não sente nada.Ela começa a gritar mas os panos em sua boca não permitem que dê um piu.Vendo ao medo em seus olhos a criatura sorri para
ela.Arranca os panos da sua boca com as suas unhas.E com as mesmas segura em seu rosto
pressionando-as com força.Fazendo o sangrar e arder bastante.Enquanto ele a olha com um
enorme desprezo.
_Por favor não me machuque...
Isabelle implora com os olhos cheios de lagrimas.Vendo aquele olhar frio que nunca tinha visto antes.Temendo que ele não só a machuque como também a aniquile.Mas antes que ela
comece a gritar.Os caninos dele pressionam os seu lábio inferior.Fazendo-a sentir uma dor
ainda maior que as garras dele proporcionaram a sua pele.Sangrando nos lábios do demônio.
enquanto ele se delicia da sua dor.Porém mesmo naquele estado os olhos dele refletem o seu
interesse de mantê-la junto dele.
_Não irei te matar mas você vai sofrer um pouco em minhas mãos...
Diz Leviroth enquanto corta com as unhas as correntes que mantinham a jovem presa a maca.Olhando no fundo dos olhos dela com aqueles olhos vermelhos.Dando um sorriso obscuro e assustador.Ela agora está livre das correntes.Mas há uma criatura ainda pior do
que um anjo em cima dela.Ela tenta se levantar da maca mas ele a joga nela e segura aos
seus pulsos.Pressionando as suas unhas na pele da jovem.Arrancando dela um gemido de
dor.Que o faz sorri.
_Por favor não me machuque...
A jovem volta a pedir com uma voz doce.Mas isso deixa ele tão irritado que ele força as
suas unhas até entrarem no osso da jovem.Fazendo-a gritar mais alto do que nunca.Ao
ouvir os seus gritos de dor.Ele sorri e então a beija nos seus pulsos.Passando a sua língua
sob o lugar ferido fazendo-o voltar ao normal.Deixando a jovem bastante surpresa com
aquela atitude.Porém a gentileza dele não dura.Ele a puxa para si e começa a beijar os
seus seios sem parar.Arranhando ao seu corpo com força.Sentindo o gosto da sangue
da jovem a vez que sua língua se movimenta sob a pele dela.Concentrado em seus
desejos ele começa a tirar a camisa exibindo ao seu tórax para a garota.
_Me morda isso é uma ordem...
Diz Leviroth ajoelhado em cima da maca com o mesmo olhar frio.Sem pensar duas
vezes a jovem vai até o seu ombro e começa a lhe morder com força.Mas logo que
ela começa a cravar os seus dentes na pele dele.Ele a puxa pela costela e lhe joga na
cama dando um beijo violento.Entrelaçando e desenroscando a sua língua da dela.
Fazendo-a se sentir mais confortável em seus braços agora.Confortável o bastante
para se excitar com as suas caricias.Sentindo o sabor do beijo do monstro a garota
começa a desabotoar as suas calças.Entregando a aquele momento.É quando ele se
toca que ele estava sendo gentil com ela e lhe joga na cama com força.
_Não ouse jogar o seu encanto em mim minha Princesa...
Diz Leviroth segurando as costelas da jovem com a calças desabotoadas.Mas ela só
fecha aos seus olhos e espera que ele faça o que quiser com ela.Logo ele começa a
beija-la e a morde-la num curso que começa do pescoço e vai até o seu sexo.Onde
ele para e beija intensamente.Introduzindo a sua língua dentro do corpo dela como
se fosse o seu membro.Arrancando-lhe gemidos intensos e profundos do mais forte
prazer.Gemidos que lhe deixavam excitado demais.Excitado o bastante para puxar
as suas calças ficando pelado em alguns segundos.
_Não irei pegar leve minha Princesa...Pode escolher se quer isso ou não...
Diz Leviroth deitado em cima da jovem.Arranhando-a com pouca intensidade para
não machuca-la agora.Com os olhos ainda vermelhos como um par de pedras de rubi.
Pressionando ao seu membro sob o símbolo de feminilidade dela.Desejando de verdade
que ela escolha prosseguir.Mesmo que sinta medo das maldades que ele fará com ela.
_Não sou sua princesa...Me deixe em paz!
Diz Isabelle com os olhos distantes percebendo que o príncipe não estava com ela.Mas
sim com outra mulher em seus pensamentos.A sua princesa aquela que pertencia a primeira
família e sem duvida alguma era ela.De repente os olhos da jovem começam a ficar violetas
e ela olha para ele irada.Jogando-o contra a parede com força.Tanta força que ele perde a
consciência.Sentindo-se usada ela já não teme aos corpos a sua volta.Coloca os seus pés naquela poça de sangue e então caminha até a porta.“O que eu fiz de errado desta vez!?”
Se pergunta o príncipe logo que recobra a consciência.Vendo a jovem partindo pelas brechas
dos seus olhos vermelhos.“Lucy pode não ser a mesma que conheceu antes.Mas isso não irá
mudar quem ela é. A feriu fazendo-a pensar que a princesa não é ela.Quando você e eu sabemos da verdade sobre Isabelle”Responde uma voz serena e um pouco irada. E então
uma luz começa a brilhar numa intensidade forte demais.Fazendo com que Leviroth feche aos
seus olhos.Com medo do que poderia ser a tal criatura ele abre os olhos.E acaba se deparando
com um anjo de asas negras.Cabelos ondulados louro escuro.Pele amarelada quase dourada e
olhos cor de ouro.Que contém a certos traços físicos que são semelhantes aos de Isabelle
.Vestido com um terno branco e com uma personalidade realmente exótica.Alguém para quem você olha e percebe que ele nasceu para ser um líder.

_Eu não acredito.Você foi preso na dimensão da escuridão como pode estar aqui!?
Pergunta Leviroth surpreso com a presença daquele anjo diante dele.Sentindo-se um pouco
estranho com o estado que estava.Recordando-se de quando beijou Isabelle pela primeira vez
e então descobriu que ela carregava uma coroa que ela desconhecia.Mas o anjo apenas sorri
para o jovem. “De fato eu não deveria está aqui meu caro.Mas este é apenas um reflexo meu.
Permaneço preso na dimensão da escuridão.E se Isabelle não quebrar logo ao ultimo selo logo
continuarei.Ela não está em seu juízo perfeito sua mulher não se recorda de você” Responde ao anjo pelo pensamento com a boca fechada.Em um sorriso confiante.
_Isabelle não é minha mulher!A amo mas ela não é...Ela...Lucy morreu naquele dia...
Grita Leviroth assustado com aquela ideia.Sentindo que no fundo ele sabia que algo estava muito errado.Com aquela menina pois ela era forte demais para uma humana.“Não importa
que nomes ela tenha.Lucy,Helena Pavaroth e Isabelle Calligari são a mesma pessoa.São a minha filha.Aquela com quem se casara há muito tempo e quem deve herdar ao meu reino”
Responde o anjo com os olhos tristes.Se recordando de quando ele a escolheu para uma missão tão arriscada e ela respondeu com um sorriso.Lucy não tinha mudado nenhum pouco
possuía aos mesmos traços de beleza e aos mesmos olhos.Porém mudara um pouco nesta vida
porquê os anjos tiraram-lhe a coragem que ela tinha.Mas sua personalidade permanecia a mesma.“Lucy realmente morreu naquele.Pois a morte é o sinônimo da evolução e ela evoluiu
para Isabelle.E vamos ser francos meu caro ainda ama como antes”Responde o anjo com o mesmo olhar sério.Leviroth então começa a pensar na jovem e percebe que de fato o anjo estava certo.Ela poderia ter mudado mas ainda sim era aquela que ele amava.
Enquanto isso...Os jovens estavam conversando despreocupados.Quando de repente se depararam com Isabelle andando nua em sua direção.Ao ver a jovem naquele estado a bela
Victória tirou o seu casaco e correu para cobrir a garota.Mas bastou apenas um olhar para
que a menina parasse no meio do caminho.Com as pernas bambas e os olhos assustados.
A jovem dos olhos violetas pega o casaco da mão da amiga de forma grosseira.O coloca tentando ficar calma e então se depara com Kart jogada ao lado do carro.Com os braços
e pernas amarrados diante dela.A jovem então sorri com um olhar cruel e a pobre menina
feia desperta do seu sono pesado.
_Calígula!O que ta fazeno aqui porra era pra tu ta morta!
Grita Kart assustada ao ver jovem diante dela.Mas a jovem apenas sorri e então levanta a sua
mão para o ar.Deixando a antiga amante do seu namorado completamente confusa.Porém sua
confusão não dura muito tempo.Já que a jovem faz surgir vários pedaços de madeira,que ficam flutuando a sua volta.Ao ver o nível do poder da garota e o sangue em seu corpo.Os jovens trocam olhares assustados e correm em direção a cabana.Deixando apenas Kart e Isabelle para trás.Sozinhas.Predadora e presa.
_Eu avisei muitas vezes.Não sabe com o que ta se metendo.Não se envolva com ele.
Não faça nenhuma besteira.Eu avisei fui gentil e humilde.Mas você desconsiderou e o fez!
Mas não se preocupe mortal,você vai morrer agora sentindo aquilo que tanto ama...
Diz Isabelle enquanto caminha lentamente em direção a Kart.Que fica com os olhos arregalados ao ver o nível do poder da jovem.Estremecendo cada vez que ela ouve aos passos
da sua inimiga.Sentindo o medo percorrer a sua pele toda vez que olha para os pés dela.Que
estão banhados de sangue.E quando ela já não suporta mais ao medo a jovem predadora só
sorri para ela.E então desintegra as suas roupas em segundos.Deixando-a nua quando diz que
ela morrerá de uma forma prazerosa.Ao ficar nua ela pensa em gritar mas antes que ela abra
a boca.A jovem olha furiosa para ela e introduz violentamente os pedaços de madeira dentro
das entradas para o seu corpo.Fazendo-a gritar desesperadamente.Enquanto aqueles pedaços
de madeira penetram ao seu corpo.Com tanta intensidade que ambos atravessam o seu estomago.Fazendo um barulho enorme pois estão se batendo sem parar.E enquanto ela grita
com toda as cordas vocais.Babando como um bebê.Isabelle da enormes gargalhadas provando
que ela era muito mais cruel do que poderiam imaginar.Vendo que a garota já sofreu demais.
Ela então faz com que os pedaços de madeira saiam do seu corpo.Regenerando ele em alguns
segundos.Ao ver-se regenerada a garota começa a sorrir pensando “Idiota me fode e fica achano que vou pidir desculpas?Que ta tudo bem agora?Mas tu é muito idiota”.Porém antes
que ela comece abrir a boca para falar as suas besteiras.A jovem então coloca novamente os
pedaços de madeira.Perfurando o anus dela primeiro fazendo-a gritar ainda mais alto que antes.E em seguida enfia vários pedaços de madeira na vagina dela.tanto que começa a rasgar
a sua pele.E ela grita.Grita sem parar.Grita até não ter mais voz.Grita porquê sabe agora com
quem ela havia arranjado briga de verdade.Agora ela sabia quem era Isabelle e porquê todos
na universidade a temiam.E enquanto ela sangra sem parar.A jovem permanece enfiando as
madeiras e regenerando as áreas feridas para que ela sofra ainda mais.
_Isabelle quanta crueldade...
Diz Leviroth usando apenas a sua calça jeans vendo a sua antiga amiga presa numa árvore.
Com vários pedaços de madeira perfurando ao seu corpo.Ela ainda continua viva gemendo de dor.sentindo aqueles pedaços de pau com espinhos abrindo ao seu corpo.Ao ouvir a voz do
príncipe a jovem olha para ele com raiva.E tenta lhe jogar contra a parede.Mas ele apenas sorri para ela com os olhos vermelhos como rubis.Caminhando em sua direção.
_Você é sim a minha princesa,você sem duvidas é a minha Lucy que partiu...A história é longa...E eu estou disposto a lhe contar...
Diz Leviroth dando passos lentos em direção a garota vendo apenas ela e nada mais.Sentindo
que queria se aproximar dela e lhe contar tudo o que o anjo lhe contou.Mas ela revira os seus
olhos e dá um passo para trás.Por isso ele usa seus poderes e surge na frente dela em alguns
segundos.Como se fosse um vulto.Deixando-a desconfiada e surpresa.Enquanto Kart os observa.Percebendo que a antiga amante olhava para eles.Isabelle rapidamente puxa o jovem
pelos cabelos e lhe dá um beijo demorado.Que deixa a sua presa com mais raiva do que ela
estava sentindo antes.
_Se quer uma única chance para me dizer algo.Basta me dizer o que sente por mim...
Diz Isabelle em voz alta com a intenção de Kart ouça mesmo a conversa deles.Ao ouvir a condição da jovem o demônio olha para cima da arvore.Vê a sua antiga amante morrendo
de dor.E então se ajoelha no chão e sorri para a jovem dos olhos violeta.Ao vê-lo se ajoelhar
a jovem na arvore começa a chorar.“Se ajoelhar é mó humilhação.Porquê ele se ajoelhar pra essa menina?Porquê fazer isso por ela!?.Ela fugiu dele quando ele estava pra chega nela.Ela não ama de verdade.Ela não ama ele como eu amo” Pensa a antiga amante com os seus olhos cheios de lagrimas sentindo-se ultrajada por vê ao seu amado.Caído aos encantos de uma bela bruxa poderosa.Uma bruxa que ameaçava ao seu contos de fadas perfeito.Que destruiu a sua vida quando apareceu na vida de Dantas.Ensinando-o a sorrir e a viver da forma mais errada.
_Eu realmente te amo...Você é a única pessoa com quem me importo e por quem eu morreria...e me da licença a alma daquela ali não serve para nada!
Diz Leviroth segurando a mão da jovem dando-lhe leves beijos sendo cavalheiro.E sedutor olhando profundamente nos olhos da sua amada.Dizendo os seus sentimentos a ela em voz
alta pois ele sabia que ela não queria a revelação dele.Só queria ver a inimiga se mordendo
de raiva.Por isso no final ele olha para ela indiferente.Lhe dá uma olhada tremendamente
assustadora com o seu sorriso diabólico.E então faz com que a alma dela se desintegre.
Para que ela não possa aparecer na longa vida deles dois outra vez.



Capitulo 9
O ultimo Portal a ser aberto
Naquela noite Leviroth conta tudo que o anjo lhe contou a Isabelle.Que há muito tempo ela
 e ele se casaram na dimensão do Infinito.E no dia da lua de mel deles começou a guerra do fim dos tempos.Foi uma tragédia atrás da outra.Muitos demônios importantes morreram e outros foram presos na dimensão da escuridão.No meio daquela confusão o pai da jovem então os chamou diante do seu trono.E lhes deu a missão de ir a terra e proteger a todos os demônios que há habitavam.Já que na medida que a guerra se desenvolvia em breve ele estaria acabado.Nunca fora de se render mas ele precisava para que pudesse ganhar tempo.
Não tardou para que o seu pai fosse preso.Os celestes o consideravam um perigo para o novo paraíso Lucy(Isabelle) entrou em pânico.Estava irada e não queria deixar o seu pai na mão.
Chorava e gritava que o tiraria da dimensão do Infinito.Mas foi em vão já que ela tinha que fugi dali ou então seria a próxima a ter que se render.E em meio a tantos problemas nenhum dos seus servos queriam servi-la.A única pessoa que esteve com ela e cuidou dela foi o próprio príncipe com quem havia se casado.Ela estava desesperada amava ao seu pai e não gostava de vê-lo fracassar.Passava noites e mais noites estudando as leis para que encontrasse uma forma de tira-lo de lá.E como na dimensão do Infinito as leis regem a tudo que seria impossível em nossa terra.Não é de se surpreender que ela tenha conseguido descobrir sobre Os nove portais da destruição.Eram considerados assim mesmo onde ninguém nunca morre.Pois a profecia dizia que “Se aquele que despertar aos nove  dons divinos não souber usa-los.Os dons o usaram”.Todos os seres temiam a profecia.Mas Lucy não.Sabia que o sangue que corria em suas veias era tão divino quanto o de seus pais.Por isso estava disposta a abrir os portais e usar os seus dons para libertar ao seu pai.Abrindo uma enorme brecha intertemporal para libertar a seu pai e os outros príncipes daquela dimensão.Mas haviam leis que lhe impediam de fazê-lo.Pois na dimensão do Infinito já haviam poderes demais.Ela não podia ter mais dons do que já tinha se não iria desaparecer para sempre.Foi então que ela armou o seu plano.
Decidiu que iria fazer o que seu pai havia lhe ordenado.Ia a terra proteger a todos os demônios que habitavam nela.E ela foi e descobriu que além dos 9 portais da destruição
lhe proporcionar poderes incríveis.Poderiam aumentar também aos poderes dos demônios
que tinha que proteger.O que faria com que eles pudessem se defender sozinhos.E ela teria
mais tempo para trabalhar em seu plano para libertar ao seu pai com um exercito de ouro.
Os seres celestes nada sabiam dos nove portais.Por isso jamais interferiram em seus rituais
acreditavam que ela não era capaz.Lucy era muito diferente do seu pai.Não era tão inteligente
quanto ele.Na verdade era uma das suas maiores decepções.Era carta fora do baralho.E não
importava o quanto ela fosse devotada ao pai.Eles sabiam que ela não era capaz ter algum avanço que pudesse lhes prejudicar.Mas ela não desistia era corajosa e logo o seu plano foi
descoberto.Lucy foi morta levada para a dimensão do Infinito a força em 1200 AC.Mas antes
que pudessem prende-la como fizeram ao seu pai Leviroth interviu.Ela voltou a terra e abriu
ao segundo portal então trazendo de volta a vida a suas irmãs das trevas.Temendo que fosse descoberta de novo ela usou aos seus poderes de demônio e camuflou ao seu corpo.Tomando o nome de Helena Pavaroth na renascença onde descobriu que precisaria de Leviroth para abrir ao terceiro portal.E por isso o selou em seu suposto marido.Mas a verdadeira tragédia se
deu em 1945 quando ela e o marido abriram ao quarto portal.Foram enganados pelos anjos que se passaram por fanáticos religiosos e eles assassinaram a ela e as irmãs.Pois agora eles
sabiam que problemas a pequena filha do anjo poderia lhes causar.Temendo que ela fizesse
mais alguma coisa junto com as suas irmãs.Eles então fizeram uma lavagem cerebral em sua mente e selaram ao seu corpo.Sem esperar que tais selos seriam desfeitos quando todas as outras atingissem a certa idade.Por causa do seu sangue demoníaco.Mandaram-na para a
 terra então onde lhe condenaram a pagar pela sua enorme ousadia.E assim ela finalmente
conheceu ao processo de Reencarnação.Onde nasceu como Isabelle Calligari.
_Mas o que eles não esperavam era que eu possuía as minhas memórias,e que eu queria que eles me fizessem humana,para que eu pudesse estar de acordo com as leis da dimensão do
Infinito. Podendo agora libertar aos 9 dons divinos sem me preocupar em desaparecer.
Diz Isabelle com os olhos distantes após ouvir a narração de Leviroth.Ao vê aqueles olhos
violetas tão desfocados ele percebe que ela havia despertado.E então lhe abraça pressionando o rosto dela contra o seu peito.Demonstrando que mesmo que ela tivesse medo ele estaria ali com ela.Não importa o monstro que ele havia sido antes.Pois o mesmo monstro que a feriu poderia matar e estraçalhar qualquer um que tentasse fazer igual.Mas ela logo olha para ele cheia de indiferença.E se afasta dele dando passos largos em direção a cabana onde estão os
outros.O príncipe fica preocupado com o que estava acontecendo e lhe puxa pelo braço.
_Lucy.Sou seu marido porquê me trata dessa maneira?
Diz Leviroth olhando para a jovem preocupado.Quer dizer agora ela sabia da verdade.Sabia
que ele a protegia a muito tempo e que eles eram casados.Porquê então ainda continuava com aquele tratamento cheio de frieza?.A jovem vira-se para ele com os mesmos olhos vazios.
_Só está se reaproximando porquê sabe que sou a Lucy se eu não fosse você jamais ficaria
comigo...Deixe-me em paz.Vou trazer Jhonnata de volta a vida preciso dele e não de você!
Diz Isabelle em tom de voz bastante arrogante com o mesmo olhar frio de antes.Soltando-se
das mãos do príncipe enquanto caminha em direção a entrada da cabana.Ao ouvir que a sua
amada iria trazer o anjo de volta a vida.O demônio fica extremamente furioso,e então avança
até e lhe joga na parede com força.Fazendo-a bater a cabeça e fechar os olhos.Mas logo que ela volta a enxergar lhe dá o troco quebrando aos seus pulsos.
_Não deveria ter feito isso...Mesmo que eu tenha sido Lucy eu não sou mais ela.Entenda que
a sua amada partiu para sempre e eu sou uma pessoa completamente diferente.A única coisa
que tenho em comum com a minha outra eu é o objetivo de abrir aos portais.
Diz Isabelle com um pequeno sorriso em seu rosto ao ver o jovem sofrendo com a dor no pulso.Já que ela havia quebrado o seu osso com um olhar.Porém logo volta a uma expressão
séria e o empurra para longe dela.Entrando na sala onde todos os jovens estão sentados lendo
um livro em voz alta.“E os portais se encontravam na natureza.Cada um seguindo a uma direção mas todos estavam no mesmo lugar.O passado e o futuro se encontravam em um só
lugar.O caos estava aqui e apenas aqueles que são dignos de ver ao poder divino poderiam
vê ao seus portais”Diz Alexandra em voz alto com os olhos focados na leitura.Enquanto todos
se perguntam o que isso quer dizer de verdade?.Porquê aquele verso estava com uma espécie de fonte diferente?.
_Isso quer dizer que os cinco portais restantes estão aqui...Cada um em um ponto cardeal...
Diz Isabelle com os olhos surpresos caminhando em direção aos jovens.Que não sabiam se ficavam surpresos com o fato dela descobrir sobre o verso.Ou com aqueles olhos violetas.
Logo ela chega e sorri para todos sem jeito.Tentando expressar que estava alegre ao invés de manter aquela cara fechada.Porém todos percebem que algo estava errado.Ela os ignora e pega o livro da mão de Alexandra.E então seus olhos leem ao livro em silencio.
_Sim é isso mesmo temos que seguir cada um para uma direção...Alexandra e Samalast
devem ir para o Norte.Victória e Belliath para o sul.Natasha e Samarith para o oeste e eu
seguirei para o Leste...
Diz Isabelle com os olhos focados no livro.Olhando para cada um deles só na hora de apontar
para onde devem ir.Todos atendem as suas ordens sem perguntar porquê ela teria que partir
sozinha.Já que o príncipe da segunda família estava ali esperando para ir com ela.Cada casal
segue em direção aos seus destinos prontos para fazerem o que tiver de fazer.
_Esperem!Iram precisar disso...
Grita Isabelle um pouco exaltada preocupada com algo que havia esquecido.Então morde as suas mãos até sangrar e vai em direção as meninas.Oferecendo-lhes ao seu sangue pois não havia mais ninguém,além dela que possuísse ao sangue divino ali.Todas ficam confusas mas
ela lhe dá aquela olhada que todas temem e fazem o que ela ordena rapidamente.Logo todas
as garotas estão segurando nas mãos da garota tomando ao seu sangue.
_ Ego intercluderent eius daemones
Et susceperis divini doni
Diz Isabelle com os olhos fechados concentrando em fazer o que tem de fazer.Enquanto imagina que os poderes de fogo estavam selados.Para que a luz invadisse ao corpo daqueles
seres de trevas.As jovens começam a sentir uma enorme queimação em seus corpos e a jovem
ordena que os príncipes segurem-na.Já que aquela mutação era realmente dolorosa.
_  Et quod ad me est divina
tenebras, quae circumdedit me
Invoca Isabelle com os olhos abertos e vermelhos agora com as suas mãos abertas diante das
jovem.Pressionando ao coração de cada uma rapidamente.Selando aos seus poderes obscuros
para que possam receber ao dom divino.Mas o que você pensa ser divino na verdade não se
compara a visão da jovem.O Divino para ela é o cruel e a escuridão.Logo as suas amigas caem
em um sono profundo.E ela ordena que os jovens carreguem-nas em direção aos portais.Pois
o seu selo não duraria muito tempo.Que eles não devem temer nada pois nem a morte seria
capaz de detê-los.Eles ouvem as suas ordens e seguem em direção a porta.A jovem então se
joga na maca e olha para o teto.Com os olhos novamente castanhos claros pensando no que
tinha que fazer em breve.É quando ela olha para o lado e dá vida outra vez a Jhonnata.Que
desperta no chão todo banhado em sangue.E vai até ela vendo que estava solta e que ela tinha
lhe trazido de volta a vida.


_Isabelle me deu a vida de volta.Me ama então?
Diz Jhonnata alegre com o fato dela ter o trazido de volta.Mas ela apenas balança a cabeça
negando.Com os olhos distantes e cheios de tristeza.Uma tristeza que ele só tinha visto uma
vez e o motivo do seu sofrimento se chamava Leviroth.Logo ela se aproxima do rapaz e lhe diz algumas palavras em seu ouvido que o deixam assustado.Na floresta que ficava perto da floresta abandonada...Samalast coloca a Alexandra deitada sob uma rocha.Olhando para os pulsos cortados da jovem que já não parava de sangrar.Ela desperta e olha para ele um pouco confusa.Não está com as suas roupas habituais.Está com um belo vestido branco estilo grego com os cabelos soltos e com os lábios vermelhos do sangue que bebeu.Logo príncipe sorri para ela e se deita sob o seu corpo dando um beijo em seus lábios.Que vai descendo por entre os seus seios.Fazendo-a gemer um pouco apenas com aqueles carinhos.O príncipe então tira a sua camisa e expõe ao seu tórax para que ela o veja.e o deseje mais e mais.Ele passa as suas mãos pela coxa dela pressionando as suas unhas.Ela retribui mordendo ao seu ombro com certa intensidade.Ele começa a gemer um pouco.Ambos já estão excitados demais.Não irá demorar para que ele a possua.No sul...Victória está deitada sob a terra já sem roupa.
enquanto Belliath morde ao seu corpo com certa violência.deixando um pequeno rastro de sangue por onde passa.Arrancando a gemidos de dor e prazer da jovem.Que o retribui arranhando com as unhas a suas costas.Deixando-o excitado para ter a chance de ir mais uma vez para cama com ele.Porém ele percebe que ela deseja que ele a possua ali naquele momento.E então segura em seus pulsos esfregando ao seu corpo no dela lentamente.Fazendo com que ela sinta ao volume no meio das suas pernas.Fazendo-a gemer apenas com os seus movimentos.Vendo que os olhos dela imploravam pelo que estava por vim.Ele sorri e então puxa os pulsos da jovem com as duas mãos.Beijando aos seus seios com bastante intensidade.
Enquanto ela tenta reprimir aos seus desejos daquele momento.Deixando ele cada vez mais excitado para tortura-la um pouco.Descendo pelo seu corpo até que chegar em seu sexo.Onde ele passa a língua levemente só para provoca-la mais um pouco.Suas mãos soltam ao pulso dela e ele então abre as suas pernas para que ela sinta ainda mais o frio da sua saliva.Ela sente e geme sem parar.Ouvindo aqueles gemidos ele então coloca a sua língua dentro do corpo dela.Fazendo transbordar o lubrificante em sua língua.O que o deixava ainda mais excitado.
No Norte...Natasha está presa por correntes em um tronco de árvore de costas para Samarith.Que está abraçando-a por trás enquanto lhe morde em suas costas e arranha aos seus seios sem parar.Fazendo-a sentir uma dor enorme que só mesmo os demônios poderiam suportar.Transformando toda adrenalina de dor que percorria em seu corpo em puro prazer.
Implorando que o príncipe lhe machuque ainda mais do que antes.Arrancando dele enormes gargalhadas.Já que ele adorava ouvir aos seus gemidos intensos que não paravam.Sentindo as mãos dele em seu corpo ela acaba por se empinar um pouco para ele.Que gostou tanto da visão.Que tira o resto do vestido dela deixando o seu corpo completamente nu agora.Logo as mãos dele estão apertando agora ao seu bumbum.E seu membro esta bem sua lisa entrada.
Arrancando pequenos gemidos enquanto ele a possui usando apenas uma pequena parte de seu membro.
No leste...Isabelle está deitada numa rocha no alto de uma montanha completamente nua.Tocando ao seu corpo enquanto  aperta com as mãos aos seus seios.Tentando conseguir o prazer que precisava.Para que ela e os outros abram aos quatro portais restantes.Colocando aos seus dedos na boca deixando-os bastante encharcados.Passando-os em seus lábios sensíveis logo em seguida.Porém não consegue ter ao prazer de que necessita e se joga na rocha.“Sabe que precisa de mim para sentir o prazer de que  necessita.Quanto ao seu anjinho eu o matei! Ele não iria me atrapalhar de ficar com você” Diz uma voz familiar vindo da direção das árvores.Ao ouvir aquela voz a jovem se levanta da rocha e olha para os lados.Procurando alguma evidencia de que ele estava ali nas arvores.Com toda a sua ira já que não esperava que ele viesse ao seu encontro tão cedo.E quando ela menos espera o príncipe está em cima dela.Prendendo-a ali como se fosse a sua vitima com um enorme sorriso em seu rosto.Com um olhar obscuro em seus olhos vermelhos apenas de calça jeans.Ela tenta se soltar dos braços dele.Pois não deseja que ele lhe toque.“Não se faça de difícil são muito mais que trezentos anos de casados.Eu te conheço melhor do que possa imaginar.Sei que me deseja neste momento.Que mesmo me odiando você ainda pensa em mim.E me quer ao teu lado” Diz ele enquanto olha no fundo dos seus olhos.Dando um leve beijo nos lábios da garota contra a vontade dela.Não se importando se ela movia-se rapidamente de um lado para o outro.Vendo que os beijos leves não se resolviam ele começa a jogar baixo.Coloca os seus dedos sob os lábios sexuais dela.Sentindo se ela estava molhada ou não.E ela estava muito mais do que molhada.Por isso ele sabia que de alguma forma ela o queria.Logo ele coloca os dedos na boca os deixa um pouco úmidos e os introduz no corpo dela.Ela não resiste e geme um pouco forte.Aproveitando-se da situação ele então lhe dá um beijo intenso.Que no inicio ela luta para negar mas acaba retribuindo.Puxando o cabelo dele para que ele não pare de beija-la.Vendo que aquele beijo deixava ela excitada o bastante para transbordar lubrificante.
Ele começa então a movimentar seus dedos como se estivesse possuindo-a.Arrancando dela agora gemidos um pouco mais intenso que os de antes.Logo todos os jovens naquela floresta
estão com os rostos vermelhos.Sentindo um prazer que era indescritível.Seja ele provocado por um avanço violento.Seja ele provocado por dores inacabáveis.Seja ele provocado por mesmo um jogo de sedução.Ou pela submissão sexual.Todos estavam adorando aquele momento.E enquanto as jovens eram possuídas estavam com o rosto vermelho de tanto prazer.Declaravam-se para os rapazes dizendo os seus sentimentos por eles e eles diziam-lhe
que sentiam o mesmo.E era verdade todos eles as amavam de uma forma semelhante que elas
os amavam.Logo todos chegam ao orgasmo no mesmo tempo.Sem perder tempo todos fazem
as suas invocações.Sentindo o êxtase que percorria pelos seus corpos molhados de suor.
Enquanto gemiam como animais acasalando.Entregando-se de corpo e alma aos seus parceiros sem medo.Até por fim acabam transbordando as suas seivas de amor.E onde as suas seivas caíram começa então a brilhar e surge então a um portal.Isabelle acaba desmaiando e o príncipe a pega em seus braços.Não se preocupa nenhum pouco pois isto sempre acontecera antes.Mas logo que ela abre os olhos o olha assustada,o empurra violentamente e sai correndo
para longe dele.Pega o casaco que Victória a vestiu antes e corre para dentro da floresta.Com
os olhos cheios de medo e preocupação.Sentindo os seus cabelos voarem e os seus pés ficarem
sujos com os rastros de terra ela chega ao lugar.Jhonnata está estirado ao chão todo banhado
em sangue.Sem seus olhos e com o peito aberto sem o coração.A jovem se ajoelha ao lado do
rapaz e então começa a gritar.Leviroth chega logo em seguida usando apenas as calças jeans.
_Seu desgraçado!Como pode!?
Grita Isabelle indo na direção do príncipe.Dando-lhe socos e tapas no tórax.Desesperada já
que o coração do rapaz e os olhos foram arrancados.Ele não podia mais voltar a vida e a sua
alma iria vagar na escuridão para sempre.Já que ele não podia enxergar a nada sem os seus
olhos.Ao ver o desespero da jovem por causa do anjo.Leviroth sente um ódio enorme e então
dá enormes gargalhadas afirmando que ela agora queria um amante.Mas jamais teria pois ele
era o seu marido e ela pertencia a ele.Deixando-a ainda mais chateada.Chateada o bastante
para lhe atingir com um humilhante tapa no rosto.
_Eu despertei seu idiota!Recordo-me de tudo e até mesmo do meu irmão de sangue que foi
sequestrado pelo céu!e reencarnou no corpo de Jhonnata!Mas agora você o matou!Você não
pensa nunca não é!?
Grita Isabelle completamente alterada vendo apenas o olhar cheio de ira de Leviroth.Olhando
para ele com toda a raiva do mundo.Já que ele havia tirado dela o seu irmão mais novo que havia sido sequestrado na maldita guerra.Havia o tirado para sempre para que nunca mais pudesse voltar.Para que ela não pudesse lhe salvar da escuridão que jamais o permitiria ver a
luz outra vez.Ao ouvir sobre Jhonnata ser o irmão dela.O príncipe começa a entender o erro
que cometeu aniquilando ao coração do anjo e aos seus olhos.E percebe que de fato aquilo era
verdade.Pois ela e o rapaz sempre foram muito próximos.Sempre possuíram uma ligação que o deixava inseguro.Já que ele tinha sentimentos incondicionais por ela.E realmente não era de se estranhar que ele a desejasse.Na dimensão do Infinito os casos incestos eram bastante
comuns.Só que mesmo a amando mais do que deveria ele jamais faria algo contra ela.Por isso o céu providenciou para que ele fosse influenciado a seguir as suas leis.Para que quando fosse
o momento o sangue puro do anjo caído se unisse a própria irmã.E eles dois então selassem ao portal.Já que por serem ambos sangue puro eram os únicos que tinham tal poder.Mas como os seus planos sempre deram errado ela e o irmão nunca se uniram daquela forma.E eles resolveram fazer ele reencarnar nesta vida amando-a como mulher.Para que Leviroth o destruísse.Já que se o poder dele não poderia ser usado por eles.Não seria usado por mais ninguém.Desta vez tudo correu bem e a jovem não pode salvá-lo.Ela fica com os olhos cheios de lagrimas segurando ao jovem em seus braços.De repente todos os jovens reaparecem com os olhos assustados.E dizem que Isabelle deve abrir logo ao quinto portal pois faltavam apenas duas horas para que o dia 21/12/12 acabasse.Ela olha para eles com uma expressão
séria e então corre para a cabana onde se localizava o ultimo e mais importante portal.Aquele
que poderia libertar ao seu pai.Para que ele pudesse trazer o seu irmão de volta a vida e então
pudesse lutar guerra que estava prestes a começar.Na cabana ela tira ao seu casaco e ordena que Leviroth comece a lhe tocar.Ele o faz com toda a perfeição de sempre arranca dela alguns
gemidos.Colocando a sua língua dentro do corpo dela sem se importar com o que os outros
o olhem.Ele a deita na maca e beija aos seus seios fazendo-a derramar gotas de orvalho.Logo
ele olha em seus olhos perguntando se ela quer prosseguir.Seus pensamentos não estavam nele naquele momento.Estavam no seu pobre irmão que havia morrido.Ela apenas balança a
cabeça afirmando que sim com os olhos vazios.Ele então introduz o membro no corpo dela
fazendo-a gemer com a intensidade.Mas não lhe proporciona algum prazer ela está fazendo
aquilo porquê devia fazer não porquê desejava.Vendo aquela situação Victória se senta ao
lado do livro que lhes deu a localização do portal.E começa a lê-lo logo vem uma voz que
apenas ela ouve em sua cabeça. “Não iram conseguir nos libertar se ela não o amar.Tudo
é amor.O mundo foi gerado pelo amor.Se o amor não for expressado o portal não abrirá”.
Ao ouvir aquela voz a jovem fica com os olhos assustados e corre em direção ao circulo.
_Isabelle meu pai me disse que se você não amar a Leviroth o portal não se abrirá!
Grita Victória olhando para os jovens pelados diante dela como se aquilo fosse normal.
Preocupada com que tudo que elas já tenham sofrido antes não dê em nada.O céu realmente
era muito mais esperto do que poderia imaginar.No ultimo momento deveriam saber que em
algum momento ela poderia recobrar a memória.E que não amaria mais ao príncipe.Quando visse ao seu irmão banhado em sangue estirado ao chão.Ouvindo aquelas palavras o casal troca um olhar triste e ele para de possuí-la.
_Me perdoe eu não sabia que ele era seu irmão.Andavam muito juntos.Você e ele sempre
andaram muito juntos.Eu fiquei inseguro.Porquê Isabelle...A verdade é que mesmo sem saber
que você era Lucy eu te amava.E isso me assustava porquê você não parecia retribuir nunca...
estava sempre triste e estressada comigo.Mas com ele não sempre estava sorrindo e ainda dizia que o amava.Isabelle isso doía demais...Pois você nunca dizia algo bom pra mim eram sempre palavras hostis!
Diz Leviroth com a cabeça baixa explicando porquê ele agiu daquela maneira com ela.Tão
concentrado em reconquistar ao coração dela que nem se lembrava que todos estavam ali.
Ao ouvir aquelas palavras ela se lembra de quando ele disse que ela lhe pertencia.Das coisas
que ele fez por ela e de tudo que ele teve que aguentar por causa do fantasma de Kart.As coisas que lhe disse e as vezes que ele a beijou a força.E a verdade é que por mais que ela
tenha lhe dito que não gostava sempre adorava e queria mais.Estava com tanto medo de sentir algo por ele que não podia ver o que ele sentia por ela.E então fica comovida ao ouvir
que ele a amava não porquê ela era Lucy.Mas sim porquê era quem ela era nesta vida.o abraça pois não gostava de ver ele se sucumbindo a dor.Ao sentir os braços da jovem  envolta do seu corpo ele olha para ela triste.E ela então lhe dá um beijo leve nos lábios.“Eu sempre te amei”
Diz ela enquanto o abraça.Ele a abraça de volta e os dois começam a se beijar intensamente ali.E que algumas poucas palavras o amor se reascende em seu coração e ela então se entrega
a ele.Amando-o com toda a sua alma e o seu corpo.Sentindo o membro dele penetrando ao seu corpo lhe dando todo o prazer que ela sempre teve.Vendo aquela cena os outros logo tiram as suas roupas e fazem o mesmo.Sentindo ao mesmo prazer que o casal.Tanto prazer que não demora muito para que eles façam a invocação e abram ao ultimo portal.O portal se abre puxando a todos para dentro de um enorme buraco negro.Todos então começam a gritar
desesperados.Com medo de que não sejam fortes o bastante para lidar com aquele poder.
O buraco começa a crescer ainda mais abrindo uma barreira intertemporal.Que faz com que
a cabana seja puxada para dentro dele.Mas os jovens não eles lutam com todas as suas forças
para que não sejam levados para dentro deste.Porém sozinhos não conseguem nada e então
juntam as suas mãos.E começam a invocar que a dimensão da escuridão abra um portal para que os anjos venham até eles.Só que a intensidade do buraco negro aumenta e todos eles voam no ar.Gritando desesperados pois ninguém sabia o que de fato havia depois do buraco negro.Poderia ser o fim das suas vidas eternas.Ou mesmo uma tortura interminável.Eles gritam como loucos e seus corpos já estão na entrada do buraco negro.Mas antes que eles sejam puxados saem de lá os quatro reis da dimensão do Caos.E fecham o portal todos caem
no chão e então desmaiam.Mais tarde...Todos estão numa mansão vestidos de negro sentados a mesa com os reis.“Obrigado Isabelle meu pequeno anjo.Obrigado minha filha por nunca ter esquecido de seu pai”Diz o anjo em sua forma humana para a jovem agradecendo-lhe por ela não ter desistido nunca.“Ninguém acreditou em você.Mas eu sempre soube que você seria aquela que me salvaria” Diz o anjo com um enorme sorriso.Sentindo o orgulho que sempre teve da sua menina.“Obrigado a todos que ajudaram-na também...Este é o ápice da nova era o rei dos demônios   está de volta”Diz o anjo sorrindo para todos cumprimentando-os e logo todos os anjos que estavam ali tomam formas demoníacas.E o pai da jovem toma a forma de Satanás.
Fim

Comments

muito envolvente, adorei,mesmo,
faz parte da vida, lí todo.
aplausos de pé.

PauloJose 22-04-2013 10:02 #2

A Editora Highlands é nova no mercado editorial e estamos procurando novos parceiros que desenvolvam romances de ficção. Se o senhor já possui uma editora, então desconsidere o nosso contato. Caso contrário, gostaríamos de dar uma olhada em seus trabalhos.
Meu nome é Nelson Martins Brudeki e sou editor-chefe. Fico no aguardo de seu retorno. Em caso de dúvidas, visite nossos sites:

www.editorahighlands.com.br


[weblink]s://sites.google.com/a/editorahighlands.com/editorahighlands/


[weblink]://www.facebook.com/pages/Editora-Highlands/139586526194676?ref=hl

Ou, se preferir, mande um e-mail para:

editora_highlands 01-01-2013 12:56 #1

Entrar