Autores.com.br

EntrarCadastrar-se
Início » Artigos / Textos » Todos Textos
A+ R A-
Todos Textos

Todos Textos » Literatura » Prosa Poética

Prosa Poética

É uma prosa em clima lírico mas que, diferente da poesia, não se prende à regras como métrica ou rimas. É escrita em linhas longas(uma prosa) e, em geral, visa provocar um forte efeito emocional no leitor.

Autores de Prosa Poética: Cruz e Souza, Mário Quintana

Resultados 1 - 10 de 1648

Literatura/Prosa Poética
Autor:CESAR SOARES FARIAS
         Como é que você faz pra conseguir,          Onde é que você vai pra pegar um pouco?          Qual é o ônibus que se pega, afinal?          Pra que lado fica o morro?          Perguntas que te martelam, sempre que a paz acaba....
Sábado, 07 Março 2015 | 60 ace |  Enviar por e-mail | Relatar | Leia mais
Literatura/Prosa Poética
Autor:Amanda
Acordei sem beijo quente, o café também não ficou quente, só o coração. Gata cheirando meu pé, coração apertado, leitura embaçada, janela embaçada. Cheiro de poesia velha, empoeirada, cansada de gritar pra sair do coração. Desespero no ar. Coloquei melodia nas coisas, mas elas...
Sexta, 20 Fevereiro 2015 | 11 ace |  Enviar por e-mail | Relatar | Leia mais
Literatura/Prosa Poética
Autor:neide himenes
           Há um sonho  que me habita            Bem guardado ,por vezes se agita            Grita,luta,quer sua conquista            Acorda,adormece,cogita            Soltar as amarras,soltar a desdita            Em pleno voo então volita      ...
Sexta, 20 Fevereiro 2015 | 14 ace |  Enviar por e-mail | Relatar | Leia mais
Literatura/Prosa Poética
Autor:Ricardo Fragelli
Muitos dirão: - Mais uma boca! E eu direi: - Para me beijar. Muitos dirão: - Mas, o apartamento é pequeno... Eu direi: - Então vamos ficar juntos! Muitos dirão: - Mas, você é professor! Eu direi: - Então, vou ensinar ao meu filho o valor do caráter! Muitos dirão: - Vocês são...
Terça, 10 Fevereiro 2015 | 26 ace |  Enviar por e-mail | Relatar | Leia mais
Literatura/Prosa Poética
Autor:Wal Stone
Seu vestido negro arrastado pela madrugada... Suáveis são seus passos como o mais perfeito engano, Seus lábios sagram encantamentos levados pelo vento da noite. A palidez de sua pele reflete o brilho do prazer, Na dança irreal dos pensamentos. És bela envolvida na escuridão do...
Terça, 03 Fevereiro 2015 | 144 ace | 1 Comentário |  Enviar por e-mail | Relatar | Leia mais
Literatura/Prosa Poética
Autor:Anderson Almeida
Procuro pela minha paz. Sim, aquela que perdi diante de tanta confusão. O ódio paira sobre as nações. O ódio ao negro. O ódio ao pobre. O ódio ao homossexual. A paz, esta está escondida em um labirinto recheado de medo.  Pra que tanta raiva? Pra que tanta vontade de propagar o mal? O...
Quarta, 28 Janeiro 2015 | 64 ace |  Enviar por e-mail | Relatar | Leia mais
Literatura/Prosa Poética
Autor:José Luiz de Carvalho
Cuidem bem dos meus versos. Prometo não esquecer os teus. Sei que ao concluirmos uma obra, Ela não mais nos pertence. Talvez até ganhe algum dinheiro, além de elogios, Ou críticas... Mas a propriedade psicológica, agora, está distribuída. Equalizaram-se os níveis de...
Sábado, 17 Janeiro 2015 | 72 ace | 3 Comentários |  Enviar por e-mail | Relatar | Leia mais
Literatura/Prosa Poética
Autor:José Luiz de Carvalho
Soltei seus braços. Antes que caísse a segurei. Assim se aprende a andar. Pouco ou nada nos lembramos deste momento mágico. Repleto de manifestações humanas essenciais. O amparo! A vontade! A aventura! A recompensa! A liberdade!   E passamos o resto da vida: Caindo e...
Sábado, 17 Janeiro 2015 | 51 ace | 2 Comentários |  Enviar por e-mail | Relatar | Leia mais
Literatura/Prosa Poética
Autor:José Luiz de Carvalho
O ar anda pesado em nosso país. De qual? O do meu, o do seu, o de qualquer um onde, Mini guerras civis eclodem a cada momento e lugar. Todos contra todos, e nenhum vencedor.   A sociedade se arrasta. O ópio consumista e tecnológico cega. O bom é o veloz, É o que muda, É o...
Sábado, 17 Janeiro 2015 | 40 ace |  Enviar por e-mail | Relatar | Leia mais
Literatura/Prosa Poética
Autor:José Luiz de Carvalho
Experimentei a escuridão...   Buscava claridade no fim de qualquer coisa. Temia pelas falsas lanternas, Que ofuscam até a cegueira, Queimando quem as ouse tocar.   Luz, que viesse como a madrugada. Fim de uma noite, suavemente iluminada pela da lua. Ou pelas estrelas em falta...
Sábado, 17 Janeiro 2015 | 47 ace |  Enviar por e-mail | Relatar | Leia mais

Página 1 de 165

Entrar