person_outline



search
  • Crônicas
  • Postado em

Entrevista

E hoje lá fui eu para mais uma entrevista. Uma vaga que eu não sei direito o que vou fazer, um salário que eu não sei qual é, mas como diz o ditato: " é o que tem pra hoje".
Acordei três horas antes da hora marcada, peguei as duas roupas que tinha selecionado na noite anterior, a primeira ficou boa. Passo batom? Vou parecer muito vaidosa? Coloco o óculos? Vou ficar com cara de inteligente? E ai bate aquele feminismo que estamos ouvindo bastante por ai, vou passar o batom e deixo o óculos para quanto eu precisar. 
Greve dos transportes, um transito de lascar chego 20 minutos antes. Espero, aquela ansiedade, para onde olhar? Pego meu livro, leio uma página, não prestei atenção em nada.
Chega a dupla, que parece enxergar até minhas veias através da pele, vamos para salinha? 
E ai começa a ladainha, nossa essa é sua experiência? Quanta coisa diferente né? Qual o seu foco? 
Bate o desespero, poxa vida, qual o problema da minha grande perigrinação, não é em 10 minutos que você vai saber que minha mãe ficou doente, que meu apartamento foi roubado, até porque você não esta interessado. Respondo tudo errado, não sei nem falar Oi em francês, esqueci o nome do software que eu usava na empresa anterior, e não faço a menor ideia de qual a missão da empresa do site que li e reli dez vezes. Falo o nome do amigo em comum, qual o sobrenome dele? Facebook de merda, te deletei a dois meses e agora, qual o sobrenome do João? Ai vem o nome de uns famosos na cabeça e você fica lá com aquela cara de paisagem parecendo que tava mentindo.
Eu quero trabalhar lá, quero muito mas todas as minhas respostas dizem o completo contrário. De repente não sei nem o nome da minha mãe.
Fui embora, descontente, com aquele sorriso amarelo do tipo, chega logo elevador de merda.
Entro no Uber, tentando disfarçar e refazendo todos os diálogos com as respostas que não me vieram na cabeça na hora. Porque meu deus, porque?
Fico cantalorando palavras pra la e pra ca, corrigindo até ter o dialogo perfeito, se tivesse usado esse seria contratada para ser CEO da empresa. 
O que eu faria se fosse pra contratar alguém? E eu sei lá, se eu soubesse não estaria aqui no auge dos meus quase trinta anos procurando vaga de assistente.
Só sei que eu não sei e ninguém sabe, porque depois contrata cada coisa chata que não para de reclamar e demite quem era pra ficar.
Ai chego em casa, abro o computador e começo a escrever um monte de coisa para ver se cai do céu alguém que me contrate para escrever.
Mas não, essa vaga foi preenchida pelo filho do amigo que tinha ela a oferecer.
Pin It
Atualizado em: Qui 16 Mar 2017

Pessoas nesta conversa

  • Super me identifiquei, não sei se a história é exatamente verídica mas nota-se que no minimo é baseada na veracidade haha
    Passei por essa situação esses dias, e é incrível como quando queremos muito falar o certo e nos preparamos e na hora sai tudo ao contrário.
    Boa sorte!

    0 Curtir

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222