person_outline



search

hinotama - livro 1 conspiração - capitulo 1 o princípio.

     - No princípio quando YHWH deus(pronuncia: IAUÊ= eu sou o que sou) criou todos os seres: feras divinas, animais e seres racionais. infelizmente por causa da inveja e da discórdia houve a expulsão de todos nós do paraíso. Essa é a história que os meus antepassados me contaram há muito tempo... Discórdia jamais abandonou o coração das raças inteligentes criada por YHWH deus único, o Anjo Rhaviel e várias hostes trairam seu deus e pai provocando a inveja, o ódio, a discórdia e a mentira tudo baseado na teoria que o líder deles, que era o portador da luz  chamado lúcifer fundou: a ciência do bem e do mal na qual o indivíduo conhece o bem e a verdade mas pratica o mal e a mentira , semearam a mentira em outros mundos. Então os humanos foram expulsos e mandados para uma ilha chamada Daitor, os elfos foram mandados para Sora uma ilha ao sul de Ader, os Orc´s que eram as criaturas mais belas e puras se corromperam por matarem pela primeira vez foram banidos para Sarhum no continente onix se tornando os mais horrendos seres racionais, sylfers o povo dos céus habitaram em grandes ilhas flutuantes nos céus se achando superiores aos outros por causa do seu conhecimento tecnológico , os ferais ou feras humanas habitaram em Sogen a terra das colinas verdes no continente elder, os Draconianos descendentes de Solaris habitaram na ilha solaria a terra dos elementos, os piscianos ou homens peixe habitaram o oceano colossal do norte, os elfos marinhos habitaram o oceano vermelho do sul, os sábios rapinos habitaram as mais altas montanhas do pais nevaska no continente de elder, os saurianos habitaram no deserto de hadra no continente aras e os homens insetos javelins habitaram nas savanas de aras. o mundo é grande e há várias terras desconhecidas e desabitadas, mas os interesses dos líderes de algumas raças era o de tomar a terra dos outros e seus tesouros mostrando seus poderes e suas glórias, então surgiram as primeiras guerras terriveis e sangrentas. os indivíduos se odiavam mais e mais e a tensão entre as nações era muito crítica.

    Mas os problemas começam quando o príncipe herdeiro filho do dragão Solaris o faraó de solaria nasce, seu nome é Amon Solaris, um jovem de cabelos grandes, loiros ondulados, de uma beleza fria e inteligência promissora,um guerreiro draconiano que sonhava ser conquistador, desde pequeno se mostra egoísta, cruel e ambicioso sonhando em tomar o lugar de seu pai no reino, ele é tão poderoso que seus inimigos  temem as histórias contadas pelos sobreviventes que batalharam contra ele. Em suas campanhas de defesa contra os ataques dos ferais e dos orc´s ele sempre tem se saído vitorioso, é o primeiro Draconiano a nascer depois de seu pai e tem cinco mil anos de idade, mas aparenta ter vinte e dois anos, além de Amon Solaris teve outros filhos e filhas, mas nenhum nasceu banhado na luz como Amon o que o torna sucessor do trono depois do reinado de cinco mil e cem anos de Solaris. Ultimamente o príncipe herdeiro questiona as ordens de seu pai que o impede de atacar outros povos e exterminá-los, por causa disso Amon vem alimentando sua ambição de tomar o lugar de seu pai, a força.

  Mais uma batalha termina, o príncipe guerreiro junto de seu exército atravessa os portões da capital da terra dos elementos a cidade solar recebido com festa pelo povo que atira pétalas de rosas brancas nos soldados, na batalha Amon perdeu um de seus irmãos mais novos Akmen-hor o guardião da ilha do trovão, triste com os acontecimentos Amon já não costuma ser muito feliz como antes. Recebidos pelo faraó no palácio Amon e seus soldados finalmente podem descansar e se fartar com um banquete feito especialmente para eles. O sol se põe, a festa termina, Amon  dirige-se a sala do trono a fim de ter uma conversa com seu pai. ao chegar, na presença do rei ele se ajoelha e diz: - Meu rei, mais uma batalha eu venço em nome da nossa honra peço-te permissão para exterminar os exércitos enfraquecidos dos orc´s que atacaram a ilha do trovão - disse Amon inclinando o rosto ao chão.

- você conhece minhas ordens, sabe que eu não sou a favor disso.

- Meu rei, eles tomaram a vida de meu irmão Akmen-hor covardemente e deixaram meu sobrinho Samut sem pai, permita que eu vingue a morte de seu filho! - disse Amon cerrando os punhos.

 - a morte é uma consequência meu filho, agora nós ficaremos de luto por causa de seu irmão - disse o faraó com um aspecto triste no rosto e com lágrimas escorrendo de seus olhos dourados - vivemos em um mundo no qual os reinos não se entendem, mas não é por isso que vou exterminar uma raça toda, tivemos nossa vitória, você deve aprender isso, pois um dia você será faraó quando eu for dormir no sol. Seu irmão foi um grande draconiano, um grande filho, eu declaro luto no reino todo.

 - meu pai reconsidere, por favor, não precisarei de muitos soldados pois, eles não são o suficiente para mim! - implora Amon.

 - aceite a morte de seu irmão! Como meu neto está desamparado de hoje em diante ele é seu filho e você deve ensiná-lo a ser um verdadeiro príncipe draconiano assim como eu ensinei você e seus irmãos, você não irá defender nenhuma ilha até o garoto crescer e completar seus 100 anos - responde o faraó convicto.

     Neste momento o ódio toma conta do coração de Amon que se sente impotente por não poder vingar seu irmão, Amon reverencia seu pai e sai da sala do trono com um propósito: se tornar o mais poderoso de todos os draconianos e tomar o trono. Com o ocorrido Muh-Ray o segundo filho mais velho de Solaris, príncipe da terra é quem assume o comando dos exércitos de Amon, ele cumpre bem seu papel e por 90 anos obedece inquestionavelmente seu pai, ele é conhecido como o gigante de pedra, sua estatura física é descomunal, sua aparência é um pouco intimidadora: um draconiano de dois metros e vinte de altura com pele negra cabelos brancos e com a musculatura muito desenvolvida, ele é diferente de seus outros irmãos principalmente de Amon, pois em batalhas Muh-ray possui o dom da cura e pode repor membros perdidos com exceção da cabeça. Com o tempo passando e com 1010 anos de idade finalmente 

Muh-ray se casa com uma draconiana chamada Sunna e tem um filho chamado Madakay ,idêntico ao pai a criança surpreende a todos por nascer banhada no sol assim como Amon e por consequência disso ele chama a atenção do faraó pois até então todos pensavam que a linhagem do sol viria apenas de Amon.

   90 Anos se passaram desde a morte de Akmen-hor e seu filho Samut já é um rapaz de 100 anos de idade, ele pode ser descrito: de estatura mediana, olhos verdes, cabelos longos (parecidos com os de seu tio Amon ao qual admira) e um pouco magro. Por 90 anos Amon não viu ou conversou com seu pai, ele viveu apenas na ilha do trovão como líder local e se comunicava com o faraó através de seu irmão Muh-ray, se sentia entediado e passava a maioria do tempo ampliando seus poderes solares e estudando, pois seu passatempo preferido antes eram as batalhas, foi um ótimo professor e pai para Samut, mas ao mesmo tempo era distante por causa dos seus problemas pessoais. Como Samut completou seus 100 anos recentemente, Amon finalmente poderá voltar a exercer suas funções como príncipe do sol, retornar as batalhas e se comunicar com seu pai pessoalmente. Alguns dias se passam e uma festa é preparada para o novo príncipe da ilha do trovão e para o retorno de Amon a ilha do sol na cidade solar, Amon e Samut são recebidos pelo faraó com um abraço, feliz o faraó diz:

- Filho meu, que bom que voltaste, criou bem Samut, eis aqui o príncipe do sol, o meu primogênito e meu neto Samut o novo príncipe do trovão que as festividades se iniciem!

  - é uma honra meu rei poder voltar a servi-lo diretamente! - diz Amon reverenciando seu pai junto com Samut.

    Todos os príncipes e suas esposas se reúnem em um banquete comemorativo da família real junto ao faraó e sua rainha Elu-ah mãe dos draconianos, eles se fartam e comemoram a festa com muita musica, mas algo chama a atenção de Amon: o filho de Muh-ray que emana um brilho invisível para a maioria dos ali presentes. Sentindo a energia que o garoto emana de seu frágil corpo, Amon até então pensava que tal energia só vinha de seu pai, estranhando os olhares de Amon para a criança Muh-Ray resolve atrair a atenção de seu irmão iniciando uma conversa:

   - então Amon, já faz dois anos que os orc´s e os ferais não nos atacam e eu estive com os líderes deles negociando uma trégua, pois, não somos uma ameaça a eles e sim somos seus amigos e irmãos, sei que és um verdadeiro guerreiro e suas campanhas sempre foram bem sucedidas. Na realidade quero saber se você vai manter as relações diplomáticas com os orc´s e os ferais daqui por diante e deixar a espada de lado... - pergunta Muh-ray, chamando a atenção de todos na mesa.

  - Muh-ray sempre dedicado... - diz Amon tomando um gole de vinho, com um sorriso frio Amon continua a falar: nesses últimos 90 anos muitas coisas mudaram e meu exército já possui um novo líder bem melhor do que eu.

 - o que você quer dizer com isso? - pergunta Kamo príncipe do vento.

  - eu vim justamente para falar a respeito disso - responde Amon direcionando seu olhar a seu pai - Quero declarar que meu irmão Muh-Ray ainda será o defensor da ilha do sol e general dos meus exércitos.

    Muh-Ray desconfia de tal atitude de seu irmão e todos ficam impressionados com a decisão do primogênito do faraó. Amon sempre com uma expressão fria direciona um sorriso gélido para Muh-Ray e inclina seu olhar a seu pai  para falar-lhe:

  - meu rei, peço permissão para sair do nosso país e me ausentar por 10 anos.

  - meu filho, o que quer fazer além do nosso território? - pergunta Solaris curioso tomando um gole de vinho em seu cálice dourado.

  - preciso conhecer outros povos e me socializar mais com eles. Pois, não sou uma máquina de guerra e já faz tempo que almejo isso. Meu pai essa jornada significa muito para meus estudos e principalmente para minha espiritualidade, preciso me afastar por mais um tempo agora que criei seu neto e ensinei a ele como se comportar como Príncipe guerreiro- responde Amon.

 - meu filho, assim seja - Solaris se levanta da sua mesa, em seguida todos se levantam em sinal respeito, ele propõe um brinde - brindemos todos juntos a Amon futuro faraó de Solaria.

  - em 10 anos estarei de volta, Muh-Ray é um defensor excelente garanto que irá cumprir com suas obrigações como sempre - diz Amon tranquilamente.

    Algumas horas depois no alto da torre mais alta do palácio do faraó, Amon observa as estrelas quando Samut se aproxima e diz:

  - senhor Amon, deixe-me ir com você, ainda não estou pronto para sua partida.

  - não se assuste Samut, agora você tem obrigações no qual deve cumprir e não pode abandoná-las. Viajar é uma escolha minha, é algo que devo fazer sozinho, está na hora de você demonstrar tudo que ensinei a você e honrar a memória de seu pai.

 - mestre Amon... - disse Samut triste - espero que encontre o que o senhor busca - disse o jovem apertando a mão de Amon em sinal de respeito.

    O sol nasce e Amon se despede de seu pai e abandona a cidade solar, desde então não se ouve rumores sobre Amon e sua jornada, a única coisa que se sabe é que ele foi visto em lugares considerados perigosos. Durante sete anos os draconianos não entraram em conflito com os seus inimigos e até receberam o líder dos ferais o Kaiser Thunderdell para uma festa entre as raças, no nono ano começaram as relações comerciais entre os países e o décimo ano foi o mais calmo de todos.

Pin It
Atualizado em: Sex 28 Dez 2012

Comentários  

#1 PauloJose 17-02-2013 08:10
parabéns gostei
abraços.

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222