person_outline



search

Não é Mamãe, Não é Mamãe!

CENA 1 – Na fila do Consultório

Secretária – Silêeencioooo! Todos fiquem quietos! (vira-se para uma mulher com bebê) Minha senhora, a senhora já vai ser atendida. O doutor Petrônio já vai começar atender!

(pessoas na fila ficam reclamando da demora)

Mary – Aaaaaaaaaaaah! Abram caminho! Querido, que cheiro de pobre? Aliás, fedor néh? Por que pobre não cheira!

Baby – Ah mamãe! Estou ficando enjoada com esse cheiro de colônia! Por favor me tira daqui papaaai!

Jonh – (virando-se para a secretária) Você pode me explicar o que significa isso? Esse aglomerado de baixa-renda? Por acaso tão distribuindo alguma coisa aqui?

Secretária – Não senhor. É que o doutor, desde quando ficou mudo, prometeu tirar um dia do mês para atender gratuitamente! O Senhor pode ir para o final da fila, ai quando chegar a sua vez a gente ver o que vocês precisam, ai te darei uma senha.

Mary – Eeepa! Nada disso, Eu? Mary Deodorit Palhares vou ficar no meio desses aglomerado de doença de pobre!

Baby – Mamãeeee! Estou passando mau! Acho q vou comitaaar!

Jonh – Olhe aqui sua assalariada, estou aqui com minha filha passando mau, e eu quero ser atendido por esse doutorzinho ai! Você quer quanto para deixar a gente passar na frente dessa fila do SUS. (tira o bloco de cheque)

Figurante 1 – Epaaaaaaaaaaa! Que história é essa? Nada disso! Quem você pensa que é, meu filho?

Figurante 2 – Eu to aqui nessa fila desde de manhã e eu quero atendida primeiro!

Mary – E desde quando pobre quer alguma coisa? Eu vou entrar nesse consultório é agora! (vai em direção ao consultório, a secretária se coloca na frente da entrada, e uma figurante 3 pega Mary pelo cabelo)

Mary – Aaaaaaaaaah! Socorroo!

Baby – Solte minha mãe!

(começa a brigar Mary e baby VS figurante 2 e figurante 3)

Jonh – Parem, não adianta ficarmos aqui discutindo, vou entrar logo e levar minha filha para ser atendida. Com licença! (Empurra todo mundo e entra)
CENA 2 – O Médico

Secretária – O doutor me desculpem mas eles entraram, assim, eu tentei impedir mas não deu!

Mary – O doutor, minha filha passou a noite todinha, eu já dei tudo que foi remédio para mal-estar, mas nada resolveu. Doutor? Doutor?

(John tira o jornal da cara do médico, e ele estava dormindo, com fone de ouvido)

(médico acorda assustado e leva uma queda)

Jonh – Mas que coisa feia, doutor, aquele um monte de gente, se bem que pobre não é gente néh? lá fora esperando o senhor começar atender, e o senhor aqui dormindo!

(médico acorda e faz mímica transmitindo mensagem: Oh desculpa, mas em que posso ajuda-los)

Mary – Aaahn? O está acontecendo aqui? Alguém pode me explicar, que palhaçada é essa?

Jonh – (pega o medico pela blusa) O senhor, está frescando com a nossa cara? Você vai morrer!

Baby – Oh não papai, não antes dele me consultar!

Secretária – Pare com isso! O doutor recentemente perdeu a fala. E ainda não aprendeu a língua dos sinais, então temos que nos comunicarmos através de mímicas!

(então doutor, repete a mímica)

Jonh – Eu acho que ele quer que você repita, amor!

Mary – Aaah Táh! É minha filha que passou mal a noite inteira. Querendo vomitar! Eu estou começando a achar que está deve está com alguma infecção!

(doutor se levanta e pega baby para ser examinada)

(então ele examina, a deixa sentar, e começa a fazer mímica para dizer: Ela está grávida!)

Mary – Ela ta gorda néh? Também acho, sabe doutor, essa menina sai comendo toda porcaria que ver pela frente. E eu disse para ela que isso um dia ia fazer mal, mas ela não acreditou. Ah cansei dessa vida de ficar cuidando dos outros, acho que estou precisando de um psicólogo!

(então médico faz gestos de negação)

Jonh – Não é isso? Então o que é doutor?

(toca o cel. De Mary)

Mary – Alô, querida! Tudo bem? Nãao? Conta! Mentira? Jura? E agora? Eu sabia que ela ia levar um pé na bunda! Mas querida, tu acha mesmo? Aram! Claro! Claro...(John ruge)...Meu bem, preciso desligar, estou no médico. Beijinho (dois sons de beijos)

Mary – Ops! Desculpem-me! Mas enfim, o que ela tem doutor?

(doutor faz novamente os gestou para tentar dizer que a garota está grávida!)

Jonh – Eita vida, essa consulta vai ser longa! (fala olhando para cima de depois para o relógio)

Mary – Calma doutor, tente com mais calma...

(doutor novamente faz gestos para falar da gravidez)

Mary – Agora entendi. É verme. Baby querida, eu disse que você tinha voltado da casa da sua amiga com cheiro de mato. Naquele final de semana que eu e seu pai viajamos você não foi para o shopping num foi? Você foi para a casa de praia daquela sua amiga!

(doutor faz gestos de negação)

Jonh – Não se meta doutor, aqui são casos de família. Essa menina tem que aprender, essa juventude de hoje em dia está perdida!

(novamente doutor faz gestos de negação)

Secretária – Affe doutor, deixe de ser insistente! Num ta vendo que o casal não quero que o senhor se meta, deixa eles discutirem em paz.

(doutor entra em desespero, por não entenderem o que ele diz)

Secretária – Calma doutor, vou pegar copo de água com açúcar para o senhor! (pega o copo com água, dar para o doutor beber)

Mary – Vamos lá doutor, com devagar...

(doutor começa a fazer todos os gestos de novo)

Secretária – Eu acho que ele ta tentando dizer que sua filha está grávida!

(doutor pula da cadeira de felicidade, e faz cara de alivio)

Jonh – Anh?

(baby desmaia)

Mary – Por favor, me arranje um copo com água!

Jonh – Mas como pode? Nós sempre prendemos essa menina o máximo que podíamos?

(chega o copo com água)

Mary – Vamos descobrir isso já já! (pega o copo com água e joga na cara de baby) Acorda desnaturada! Diz logo se isso é verdade! Ta atrasado?

(Baby acorda assustada)

Baby – Mamãe, eu posso explicar! Acalme-se!

Mary – E quem disse que eu estou nervosa? Eu estou nervosa? (pergunta para secretária)

Secretária – A senhora, nervosa? Imagina! Nunca vi uma avó tão calma!

Mary – Aaaaaaaaaah! Avó? Eu vou ser avó? Oh Meu Deus! Não sei como vou suportar ouvir alguém me chamando de avó?

(doutor faz mímica querendo dizer: “eu quero que a baby se deite para me terminar de consulta-la”, mas faz gestos ambíguos)

Jonh – Como é a história, doutor? Que pouca vergonha é essa? (vai pra cima do doutor)

Secretária – Não é nada disso que o senhor está pensando! Ele só ta querendo continuar a consulta!

Jonh – A ta!

(doutor olha a barriga, examina, e gesticula querendo dizer: “éh, realmente ela não tem nada, não está passando mal, só pode ser o filho mesmo”)

Jonh – Como é doutor? Minha filha ta correndo risco de vida por causa!

(médico faz sinal de não e repete a mimica)

Mary – Isso não dar para mim não...tem que ter muita paciência! (vira-se para secretária) Ô inútil, ver se você entende o que este louco ta querendo dizer!

Secretária – Ele só está dizendo que Baby não tem problema nenhum, e pela experiência dele deve ser gravidez.

(medico faz mímica dizendo que é melhor esperar o exames)

Secretária – Ele ta dizendo que é melhor esperar o exames!

Mary – Eu não preciso de exame nenhum, tenho certeza absoluta. Agora, filha desnatura, diga quando tudo aconteceu?

Jonh – Você sabe pelo menos quem é o pai?

Baby – Bom, deixe-me ver...Se eu ter engravidado naquele final de semana que vocês viajaram o pai é o motorista da minha amiga, por que eu fui para o sitio dela.

Mary – Safada! Eu saiba que você tinha ido pro meio do mato, aquele cheiro horrível de cavalo.

Baby – Mas, se tiver sido naquela noite em que vocês foram para o casamento daquela sua amiga, então o pai é o Pedro, filho da doméstica lá de casa!

Jonh – Então você ta dizendo que meu neto, vou é filho do motorista ou filho da filho da empregada! Você nem para escolher um pai que preste hein?

Mary – Oh Meu Deus! Meu neto vai ter sangue de pobre na veia!

(doutor pega baby e liga aparelhos na sua barriga. Então toca um áudio de uma pessoa dizendo: “não é mamãe, não é mamãe”)

Mary – Tive uma idéia! Sabe aquele seu primo abestatinho, filho da irmã de seu pai. (vira-se para o médico e diz) – Só podia ser da família do seu pai, para ser abestado, porque na minha família todos somos super espertos! (volta-se para baby) Pois éh, Felipe, acho que é o nome dele. Sei que naquela ultima festa que teve na casa de sua tia você dormiu com ele, pois sumiram logo no inicio da festa. (vira-se novamente para o médico) – Foi horrível, passei a festa toda decepcionada, pensando que minha filha estava na cama com um mongolóide!

Jonh – Sim mulher, fala logo o que você está pensando!

Mary – Bom, você vai dizer está grávida, e que o filho é dele! Ai sim meu neto nascerá em uma família descente!

Jonh – Boa idéia! Vamos ligar agora mesmo, para lá dando a noticia! (pega o celular, e procura na agenda, e liga) Você fala?

Mary – Sim, pode deixar...como é o nome da sua irmã mesmo?

Jonh – Mara!

(Mary está ligando ai toca som dizendo “Seus créditos passaram da validade por favor recarregue seu aparelho”)

(John fica todo errado e toma o cel. Da mão de Mary)

Jonh – Eu acho que peguei o celular errado, esse é do motoboy lá da empresa!

Mary – Então liga aqui do meu...

(Mary dar o cel. Para Jonh e ele disca e a devolve)

Mary – Ta chamando...Alô, Mara querida, tudo bem? Que ótimos, ta tudo muito perfeito! Estou ligando para lhe dar uma ótima noticias. Ahn? Você adora suspense néh? Sei como éh...Éh por que...PARABÉNS, você vai ser vovó. Isso mesmo que você ouviu, Baby engravidou e o pai é seu filho, num é ótimo, a família ta crescendo!

(começa som de zumbido no telefone, então a ligação cai)

Mary – Pronto, o golpe já ta dado, agora é planejar toda a decoração do quarto do beber...(então saem os três de braços dados conversando)

(secretária e médico ficam sem entender)
Pin It
Atualizado em: Ter 16 Dez 2008

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222