person_outline



search

No Balanço das Ondas


Personagens:

Rubi– Advogado judeu de cinqüenta anos. Tem cabelos grisalhos e pele muito branca É tenso e está sempre de cara amarrada.

Kai– Surfista cinqüentão. Bronzeado do sol, porte atlético está sempre de bem com a vida.

Cenário: Praia fictícia de Atol dos Medos.

 

Trilha Sonora:

 

Upside Down– Jack Johnson

Steal My Kisses(Ben Harper)

Cena um

Toca a música Upside Down (Jack Johnson)

Rubi entra em cena.

Ele chega à praia. Está usando roupa social. A gravata está frouxa e o paletó ele carrega jogado nos ombros. Está descalço e os sapatos ele carrega em uma das mãos.Ouve-se barulho do mar e gaivotas sobrevoando. Ele senta na areia e fica olhando para o horizonte como se estivesse perdido no mundo. Ele avista Kai que se aproxima sorrindo carregando uma prancha de surf.

Kai –E aí Rubi. Beleza?

Rubi –Como vai Kai?

Kai cumprimenta Rubi com um forte aperto de mãos finca a prancha na areia ao lado de outra e senta-se ao lado do amigo.

Kai– A que devo a honra de presença tão ilustre aqui em Atol dos Medos?

Rubi– Não enche Kai.

Kai– O que foi que aconteceu para o doutor advogado aparecer por aqui de manhã em plena quarta-feira?Você não deveria estar no escritório ou no fórum?

Rubi (soturno)– Fui demitido.

Kai– Nossa cara!Que barra pesada!O que foi que aconteceu?

Rubi – (olhando para o horizonte)Reestruturação.

Kai– Poxa, você trabalhou tantos anos naquele escritório. Você colocou o primeiro tijolo pra erguer aquela porcaria. Não pensei que fossem  fazer isso com você.

Rubi– Nem eu.

Kai– Foram quantos anos de dedicação?

Rubi– Mais de vinte. Quando entrei eu ainda era estagiário.

Kai– Você já sabe o que vai fazer agora?

Rubi– Vou voltar para casa e contar à família o que aconteceu.

Kai –Não é isso que eu quero saber. Eu quero saber o que você vai fazer daqui pra frente?

Rubi– Não parei para pensar nisso. Tenho alguns contatos.Vou encaminhar alguns currículos para ver se me dão retorno.Já passei dos cinqüenta anos.Sei que não vai ser fácil conseguir trabalho,mas vou tentar.Não consigo ficar parado.

Kai– Você sempre trabalhou demais. Porque você não monta seu próprio escritório. Você poderá selecionar seus próprios clientes e quem sabe assim ter mais tempo para si.

Rubi– Eu não preciso de tempo pra mim. O que eu preciso é de dinheiro para pagar as contas no fim do mês.

Kai– Deixa de ser munheca!Você ta com a burra cheia de dinheiro!Pra que mais?Daqui a pouco você morre e fica tudo aí.

Rubi– Eu não sou como você que largou o diploma de advogado dentro de uma gaveta pra viver molhando a bunda na água o dia todo!

Kai– Não menospreze o meu trabalho.

Rubi– Trabalho?Isso pra mim é hobby.

Kai– Você se esqueceu que eu fui campeão mundial de surf por três anos consecutivos no final dos anos oitenta?Me rendeu uma boa grana e ainda rende.Foi com o surf que consegui criar meus filhos e encaminhá-los na vida.Nunca faltou nada em casa.Você sabe disso.

Rubi– Sei lá... Acho uma maneira estranha de se ganhar à vida. Surf... Bah!

Kai– A melhor maneira de se ganhar a vida é ter prazer com o que se faz. Você deveria experimentar isso pelo menos uma vez na vida.

Rubi– O que?Viver de surf?

Kai– Não. Viver do que te dá prazer.

Rubi– Se for assim vou ser ator de filme pornô!

Kai– Então seja ator de filme pornô.

Silêncio

Kai– Você diz não gostar de surf porque nunca experimentou. O dia em que experimentar não vai querer largar nunca mais.

Rubi –Duvido.

Kai– Quer apostar?

Rubi– Não.

Kai–(empolgado)Vai judeuzinho de merda. Vamos lá. Eu te ensino a subir na prancha.Vem molhar a bunda na água comigo e sentir a onda te levar,o vento na cara...

Rubi– Você está ficando doido. Eu não trouxe calção de banho pra entrar na água!

Kai–(intimando)Tira a camisa, dobra a barra da calça e vem comigo!

Kai se levanta e pega uma das pranchas.

Kai– Vai. Pega a prancha e vamos lá!O mar ta te esperando.

Rubi –Eu não vou.

Kai– Ta com medo do mar bundão?

Rubi– Claro que não. Só não sei surfar.

Kai– Eu te ensino, é pra isso que estou aqui. Eu sou instrutor esqueceu?

Cena dois

Kai (sobre a prancha)Olha como eu faço depois você tenta fazer o mesmo!

Kai se equilibra na prancha com habilidade e desliza nas ondas com perfeição. Na vez de Rubi ele mal sobe na prancha e cai desengonçado na água.

Rubi –Porra caralho!Essa merda vira toda hora!

Kai (gritando sobre a prancha)Tem que se equilibrar!Você nunca andou de bicicleta cara!É a mesma coisa!Equilíbrio!

Rubisobe novamente na prancha e cai.

Kai– Precisa se concentrar. Ouça a música!

Rubi– Que música cacete?

Kai– A música que vem do mar!

Rubi cai novamente.

Rubi –Eu vou parar com essa merda!Não nasci pra isso!

Kai– Já vai desistir bundão!

Rubi– Isso cansa cara.

Kai– Não é você que diz que surf não é trabalho?Vamos lá mexer esses músculos atrofiados.

Rubi– Eu não quero mais.

Kai– Você vai aprender a surfar hoje de qualquer jeito!

Rubi sobe na prancha, Coloca  um pé pra frente, outro pra trás e abre os braços.Ele permanece assim por algum tempo.Pela primeira vez ele abre um sorriso.

Rubi –Consegui cara!Consegui!

Rubi cai novamente. Kai cai na risada.

Kai –Você é um bundão mesmo...

Rubi– Você vai ver quem é o bundão!

Rubi sobe novamente na prancha e permanece mais tempo sobre ela. Outra onda vem e o atira na água.

Kai – (dando gargalhadas)Surfista de merda!Não agüenta nem uma marolinha!

Rubi nada até ele e afunda cabeça do amigo na água. Depois é a vez de Kai afundar a cabeça de Rubi.

Apagam-se as luzes.

Cena três

Na areia da praia

Rubi–O sol está se pondo e eu nem percebi.

Kai – É assim mesmo quando a alma de surfista se revela!

Rubi– Alma de surfista... Se liga cara!

Kai ri. Rubi tira o celular do bolso do paletó e olha no visor.

Rubi –Cinco chamadas perdidas. As cinco da minha casa.Será que minha mulher ligou pro escritório e descobriu que fui demitido?  Vou ligar para ela.

Rubi disca o número e espera ser atendido.

Rubi –Oi meu bem, você me ligou?

Rubi fica calado enquanto sua mulher fala do outro lado da linha.

Rubi –Eu não demoro... Eu passo na padaria antes... Ta bom. Beijo.

Kai– E aí...

Rubi– Ela não sabe de nada. Ainda bem.

Kai– Ainda bem.

Rubi –Obrigado por me aturar hoje.

Kai– Que isso! Foi um prazer.

Rubi– Que bom que você achou um prazer.Porque amanhã eu volto.

Kai– Como volta?E aquela história de molhar a bunda na água;como é que fica?

Rubi– A gente molha em dupla!

Toca a Música :Steal My Kisses(Ben Harper)

Fim


Pin It
Atualizado em: Ter 3 Abr 2012

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222