person_outline



search
  • Contos
  • Postado em

A nave, o piloto, os cogumelos alucinógenos e o bolo de heroína

- O que é aquilo? – perguntou o piloto da nave, o Ente Sinariano.

 

- O quê? – respondeu a nave Derelito.

 

- Aquele objeto em forma de disco – falou o Ente. 

 

- Ora, é um prato de feijão – disse o propulsor principal da nave.

 

- Está contra o vento, veja os feijões voando em nossa direção – disse o Ente, de olhos arregalados e avermelhados.

 

- Será que são o que você está pensando? – disse o computador proteico da nave.

 

- Não sei, acho que a pintura está soltando pedaços de tinta – falou o Ente, arrotando pedaços de metal, que havia comido na véspera.

 

- Vamos perguntar ao computador Zen – choramingou o analisador de amostras do Derelito.

 

- Não, não vamos! – choramingou também o Ente.

 

- E por que não? – disse nervosinho o centro de comida hidropônica da nave.

 

- Porque ele comeu os cogumelos mágicos – falou o Ente, cheio de paciência.

 

- É mesmo?

 

- Sim, são cogumelos alucinógenos – disse a ranhura do gravador de CD do painel de controle da nave.

 

- E o LSD que está saindo do seu estômago de metal enferrujado? – falou o Ente Sinariano.

 

- O quê? – falou o gravador, olhando para o seu próprio umbigo.

 

- Tem lesmas de Chthulhu abrindo buracos em sua barriga – observou o Ente, lambendo os beiços.

 

- Não, é o resultado de minha excreção, não são lesmas – peidou o computador Zen.

 

- Ora, deixe disso, a minha barriga está longe de ser algo normal – discutiu o Ente, raivoso.

 

- Como assim? – perguntou o LED de raios gama da espaçonave.

 

- Uma árvore baobá cresceu dentro de mim, ontem à noite – o Ente babou.

 

- Sóóóó.... – a nave parecia estar quase lá, quase em estado Zen.

 

- E uma lagarta veio comer a macieira que está em meu ouvido – analisou o Ente, filosoficamente.

 

- É... estou vendo uma multidão de abelhas em sua pupila – falou a nave, pacientemente.

 

- É... acho que comemos muito bolo de heroína... – concluiu o Ente, deprimido.

 

E assim, a nave espacial “Derelito” e o seu piloto, o Ente Sinariano, entraram em comunhão Beta, saindo em velocidade acima da luz fora do Mundo Alucinatório.

Pin It
Atualizado em: Qua 15 Out 2014

Comentários  

#2 logansolo 21-11-2014 13:06
Ôpa, Paulo, não tenho entrado muito no Autores, faz um tempão.

Muito obrigado pelo elogio... eu estava com a veia humorística, quando escrevi esta crônica...

Legal!
#1 PauloJose 03-11-2014 21:37
PARABÉNS!
SHOW...

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222