person_outline



search

O anjo do Telhado

“Às asas do meu anjo Shairon, que me fazem ir muito além do horizonte.”

Era o meu guardião, uma mariposa deslumbrante que embebia minha alma num sopro de alegorias fantasmagóricas e ilusões circenses. Todo encharcado em minha insignificância, era esmero meu desejo de vê-lo, presenciar sua face Angélica, sua candura atemporal. Mas eu não conseguia presencia-lo, nunca intuí-lo...

Talvez uma ou outra vez pudesse ouvir barulhos que me fariam percebe-lo, mas sou hipócrita e como tal não me deixava acreditar nas obrigações, para mim, patéticas de que eu estava sendo protegido por um ser de além mundo. Infelizmente talvez nem mesmo eu cria nessa ultravida. Pobre pecador de certeza ré.

Minha idolatria, se é que posso extraviá-la, era ao mundo e para o mundo, descrente não de Deus, pelo contrário sempre O servindo, mas incrédulo de sua magnitude, de seus mensageiros.

Meu pobre anjo era um Ser abandonado, escondido ou recolhido dentro do seu pobre e derradeiro abismo, o do abandono. Se anjos guardam mais de uma pessoa, tenho certeza que eu era de quem Shairon menos gostava de preservar.

Meu guardião nunca passou da fronteira de meu telhado, de meu incrédulo telhado que fazia separar-me de meus desígnios mais preciosos, de minha virtude mais suprema.
Pin It
Atualizado em: Seg 28 Set 2009

Comentários  

#4 jrs49 10-10-2010 12:05
Parabéns.
#3 tania_martins 25-02-2010 23:52
ótimo texto.
#2 francicleiton 25-10-2009 21:01
Obrigado!
+1 #1 Abreu 22-10-2009 09:51
Basta acreditar. Toda energia está contida em nós, a hibernar, aguardando conhecimento.
Excelente texto!

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222