person_outline



search

POEMA EMPRESTADO

O poema a seguir, autoria do Prof. Adroaldo Ribeiro Costa, emérito que viveu em Salvador.
Grande escritor e magnifico poeta, fundador da instituição “Hora da Criança”, voltada a educação e desenvolvimento da arte.
Uso esse belo poema do ilustre educador para também homenagear a minha falecida mãe.
Peço licença para substitui a palavra “TECLADO por FLAUTA” bem como” VINTE E DOIS DE MARÇO por DOZE DE SETEMBRO”
Titulo original   DEIXAI-ME SÓ

“Hoje é um dos dias em que tudo são cinzas,
A mão pesa na flauta,
Os dedos emparram,
As ideias se arrastam como lesma
O mundo não tem encantos e a vida não tem mais alegria.
Esforço-me para vencer as barreiras que tenho dentro de mim,
afinal, de vale extravasar o coração,
se ninguém sente o que agente sente,
com a mesma intensidade com a mesma dor.
Sábio que o que sufoca suas  angustias
O que não disfarça  as suas amarguras
O que o que não divide as suas tristezas
Porque sentimento confessado,
São sentimentos expostos à zombaria à  incompreensão à falsa piedade.
Mas eu não sou um sábio,
Sou um pobre escriba que mal sabe tartamudear uma prosa com não conhece,
Sou um simples viajante que por dever de oficio, sou obrigado a entreter os outros
Que também viajam
Mas como entreter, se dentro de mim se estancam todos os sonhos de inspiração,
Todos os meios de alegria, todos  os córregos de felicidade.
Como falar das coisas que a vida nos mostra,
Se a vida esta coberta de um véu experso
De cinzas, formado menos pela chuva que cai, do que pela saudade que transborda o meu coração
Não tenho por mais que me esforce, o heroísmo de um palhaço
Que sabe gargalhar enquanto à alma chora,
Não posso destilar mel,
enquanto a taça de fel,  cheia ate a bordas me alucina.
Hoje é um dos dias em que tudo são cinzas,
A mão pesa na flauta,
Os dedos emparram,
As ideias de arrastam como lesma
O mundo não tem alegria.
A vida não tem mais alegria.
Amigos que todos os dias aqui vindes
Para conversar comigo,
A esse canto de página perdoai-me hoje,
Procurai outro que vos possa fazer  rir ou chorar,
Procurai ouros meus caros amigos
Deixai-me só, imerso no oceano das minhas recordações
Procurai outro meus caros amigo,
Nesse dia doze de setembro,
Que era em outras épocas
O dia do aniversario de minha  mãe.”

Hoje 12/09/2018 estaria completando 90 anos, e nós:
Filhos:  Paulo Cesar, Angelica Maria e Eliana Martins
Genro e Nora: Antonio Carlos Travessa e Denise Lopes da Silva
Netos: Fernando, Mayanna, Marcos, Iane, Davi Lucas e Davi Cesar
Bisnetos: Valentina, Guilherme, Marco Antonio, Giovana e Maria.
Ex genro e Nora: Daniel Davi  e Virginia Julia hoje estaríamos juntos  com Ela, comemorando   esse magnífico transcurso, e a cada presente recebido, estaríamos ouvindo a alegre pronuncia de agradecimento. POSSANTE.
Pin It
Atualizado em: Qui 13 Set 2018

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222