person_outline



search

Perdido

Eu acendo outro cigarro, alimentar o câncer, sabe como é, olho para o teto e ele continua ali, parado, parado como as horas dos meus dias, imóvel, dou uma tragada longa e profunda fazendo minha cabeça ficar um pouco tonta, o teto ate da umas giradas, toca pet cemetery do ramones no som ali ao lado, o volume esta alto sinto a vibração na ponta das orelhas, isso é bom, me agrada, assopro toda a fumaça nicotinada dos meus pulmões deixando o quarto todo enevoado, ta tudo fechado, portas, janelas e cortinas, os beijos dela não tem mais corações, esta calor, e isso me incomoda, muito, no refrão Joe canta: "i don't want to live my life again" Joe esta morto, morreu jovem, a muito tempo, sinto um alivio trazido pelo meu ceticismo, não existe outra vida, não ah vida apos a morte, quem é que em sã consciência iria querer outra vida? eu acho que quem quiser não deve ter a consciência muito sã, tragando meu prego do caixão eu aumento um pouco o volume, oque é vida se não uma torturante espera pela morte, isso é a vida, você esta mais morto a cada minuto que passa, torno a olhar para o teto, cigarro apagado na boca, acendo outro, a saudade de tudo aquilo que não tenho mais é oque mais me machuca, abro a janela, a brisa fria da noite passa pelo meu corpo nu e pegajoso de suor, isso me agrada, Kurt berra com toda a força: "RAPE ME! RAPE ME! RAPE ME!" Kurt esta morto, morto e belo, teve coragem para destruir seu lindo rosto com uma espingarda de caça, coragem ou egoismo? dou um grande gole naquele jack a muito tempo largado ali, não deixo nada para o santo, santos são perfeitos, canonizados pela santa igreja católica, não precisam ficar bêbados, eu preciso, não consigo, abro um livro e tento ler, não consigo chegar ao final da pagina, o turbilhão de coisas na minha mente atrapalha as palavras de formar qualquer frase, jogo o livro no lugar em que ele estava, me deito, a irritação nos meus olhos os deixam lacrimejados, tento secar com o travesseiro, não consigo, Petter canta com sua voz cavernosa: "everyting die, everting dieiaiaiai" Petter esta morto, fiquei sabendo de sua morte só um ano apos ele ter morrido, estou com fome, não tenho vontade de comer, dou mais um gole, acendo um cigarro, ligo a tv, tento achar algo que prenda minha atenção, não consigo, é tanto lixo sendo televisionado que apenas me faz ficar mais inquieto, desligo a tv, olho a hora, não vejo que horas são, na verdade não importa, não me importo em dormir, deixarei a exaustão apagar meu corpo como de costume, o sono é a unica fração do sabor de liberdade que um ser vivo pode experimentar, e isso é jogado na cara de todos quando acordam, acorde para a sua prisão, Chorão esta cantando: "como é bom viver, como é bom sonhar".
Pin It
Atualizado em: Ter 15 Mar 2016

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222