person_outline



search

POESIA E POLITICA

É verdade que Brasileiro não é muito adepto a leitura, muito menos poesia e por esta razão desconhecem os vários períodos da literatura.
Houve grandes literatos que marcaram o Barroco, Arcadismo, Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parnasianismo, Simbolismo, Pré-modernismo e Modernismo. Posso nesse momento, mencionar celebres brasileiros que se destacaram nos diversos períodos destacados acima:
* Barroco: Gregório de Matos, Padre Antônio Vieira.
* Arcadismo: Jose Inácio de Alvarenga Peixoto, Tomaz Antônio Gonzaga.
* Romantismo: Gonçalves Dias, Castro Alves, Jose de Alencar.
* Realismo/Naturalismo: Joaquim Maria Machado de Assis, Aloisio de Azevedo, Raul Pompeia.
* Parnasianismo Olavo Bilac, Alberto de Oliveira e Raimundo Correia.
* Simbolismo: Cruz e Souza e Camilo Peçanha
* Pré-modernismo: Euclides da Cunha, Monteiro Lobato, Lima Barreto e Augusto dos Anjos.
* Modernismo foi dividido em duas fases
1ª Mario de Andrade, Oswald de Andrade e Manoel Bandeira.
2ª Carlos Drummond de Andrade, Murilo Mendes e Vinicius de Moraes.
Dos nomes acima relacionados, à minha memoria afirma que Olavo Bilac, Carlos Drummond e Vinicius de Moraes tiverem seus poemas musicados, e por consequência suas obras foram mais divulgadas e conhecidas por brasileiros de norte a sul, leste a oeste. Dentre as musicadas, transcrevo um texto de Olavo Bilac que poeticamente escreveu uma grande “inverdade” num delírio de poeta.
“Contemplando o teu vulto sagrado,
Compreendemos o nosso dever,
E o Brasil por seus filhos amados,
Poderoso e feliz há de ser”... ( KKKKKKKKKK temos que rir).
Será que alguém sabe em que poema foi escrito esse sonho que foi musicada por Francisco Braga? Deveríamos saber! É provável que 90% da população brasileira não saiba, a não ser que seja interrogado ao “doutor Google”, pois é o gênio dos tempos atuais.
Drummond tem um dos seus poemas musicado por Paulo Diniz, que cantando fez José ser conhecido de verdade no passado e principalmente nos dias atuais. O POETINHA (Vinicius de Moraes) como era conhecido, teve algumas das suas obras musicadas por Tom Jobim, Toquinho, Baden Powell, João Gilberto, Francis Hime, Carlos Lyra e Chico Buarque de Holanda.
Tenho certeza de que, se esses artistas não tivessem musicados os versos de Vinicius, o mesmo seria um poeta semelhante à linha do equador, onde todo nós sabemos que existe, mas não vemos. Seria lido de vez em quando em alguns livros, como vimos à linha antigamente quando a Geografia era ensinada. Os mapas de hoje, a geografia de hoje, indicam a zona de grande perigo, onde é quase impossível a população passar sem o receio da bala dita como perdida.
.
Politica e poesia é o que escrevo nesse momento. O aprendizado de todos esses períodos da literatura era feito nas escolas quer primária ou secundária, e os alunos quando prestavam vestibular pra adentrar na universidade, tinham um vasto conhecimento (Vinicius de Moraes) de todo esse conteúdo literário. Hoje, poucos estudantes sabem identificar esses períodos. Não existe uma preocupação em ensinar e muito menos em aprender num pais como o Brasil, onde a educação não é levada a serio. Crianças vem ao mundo nascidos de jovens que não tem condição de serem país. Jovens se tornando avós, quando deveriam estar se preparando para serem adultos responsáveis e profissionais capacitados. A população cresce de forma desordenada, e sem controle, e a cada ano, sem estrutura familiar e educação acadêmica, a criminalidade aumenta de forma avassaladora.
A maior responsabilidade dessa realidade esta com os políticos, que vivem enganando o povo a cada quatro anos, com promessas de mais emprego, mais saúde, mais segurança e mais educação, e o Brasil, só multiplicando a situação dos jovens que cada vez mais enfrentam a dura realidade do cada vez “MENOS TUDO”.
Políticos vendendo a dignidade, fazendo a politica do toma lá dá cá, políticos e empresários que estão no poder pensando unicamente em lucrar, legislando sempre e unicamente em defesa de si mesmo.
No passado, tínhamos apenas os noticiários das emissoras de rádio e dos jornais de grande popularidade, nos dando ciência do que acontecia; o rádio era mais usado para musica, futebol, e os jornais, apenas lido pela população mais instruída. Mesmo assim, tínhamos alguma informação dos acontecimentos. Hoje, temos a televisão, a internet que nos coloca a par dos acontecimentos no momento exato do fato, mas que, também de forma negativa influencia através de suas programações tendenciosas, que a população siga uma determinada linha politica, apoiando aqueles que, no poder estão em defesa dos seus interesses comerciais e financeiros.
Hoje sabemos quem votou a favor ou contra o MICHEL TEMER. Sabemos quem não teve coragem de comparecer ao plenário da Câmara, assim como os que mesmo presentes não tiveram a coragem de votar ficando em cima do muro provavelmente para não se indispor e terem seus favorecimentos negados.
As poesias que não foram musicadas, não conhecemos por não termos o hábito de ler. O que lemos são as reportagens dos time que torcemos, as páginas policiais onde estão as noticias tristes, cheias de agressões, destruições, morte que na maioria são causadas pelas rivalidades ou pelos que são pagos no momento de fazerem a segurança e defesa do povo.
Mesmo que não queiramos, temos como saber quem são os traidores do povo, que se dizendo nosso representante, votaram contra a maioria esmagadora da população, que queria que o Presidente fosse afastado do cargo.
Resta-me por fim, dizer que, Vinicius de Moraes, Carlos Drummond de Andrade e Olavo Bilac, com musica ou sem musica ainda pode ser conhecidos. Para tanto aproveito e refresco a memoria desses políticos que governam o Brasil, no âmbito Federal, Estadual e Municipal, trazendo a literatura pré-modernista, do poeta nordestino, nascido no estado da Paraíba AUGUSTO DOS ANJOS que diz o seguinte:
VERSOS ÍNTIMOS
( Augusto dos anjos)
“Vês! Ninguém assistiu ao formidável.
Enterro de tua última quimera.
Somente a Ingratidão - esta pantera -
Foi tua companheira inseparável!
Acostuma-te à lama que te espera!
O Homem, que, nesta terra miserável,
Mora, entre feras, sente inevitável.
Necessidade de também ser fera.
Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
A mão que afaga é a mesma que apedreja.
Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
Apedreja essa mão vil que te afaga,
Escarra nessa boca que te beija!”
Chamo atenção para os seis últimos versos em negrito. No próximo ano, no dia da eleição, saibamos apedrejar aqueles que dizendo falar nosso nome tentou nos afagar, e também saibamos escarrar nesses mesmos rostos dando a eles o mais justo de todos os votos por todos merecidos, ate mesmo quem votou a favor TEMER, pois precisamos de uma mudança ampla, geral e irrestrita em todo Brasil.
A resposta, caminho é o voto NULO. Esse voto NULO, consciente, será um verdadeiro escarro no rosto de tanta gente desumana que só vota contra o povo.
NULO JÁ.
O Nulo não anula uma eleição, mas vamos com essa postura conscientizando e enraizando a lucidez de que a enganação tem os dias contados. Cada nulo é um brasileiro que deixa de dormir num berço esplendido e levanta num grito heroico e bravo DO BASTA!
Pin It
Atualizado em: Dom 17 Set 2017

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222