person_outline



search

In Poema

E foi assim:
enlaçada pela palavra
que me dispersei
e tornei-me lavra
campo aberto ao mundo
um pomar, florido...
Já sem limiar
corpo de infinito
ao tempo a exalar
o incontido grito
vida a esvair
do frasco restrito...
Num evolar solene
num fluir tão livre
mergulho ao perene
em suave deslize
tal o orvalho ameno...
E à verve incontida
a ebulir ao amplo
nunca em mesmo rito
ato em dispersão
entranhado ao mito
nova encarnação...
Pin It
Atualizado em: Dom 30 Ago 2009

Comentários  

#3 tania_martins 09-12-2010 15:07
Parabéns!
Abraços.
#2 anamariagazza 09-12-2010 14:55
O

lá Abreu, como vai!
Grata pela visita e comentário.
Sejas sempre bem vindo!
Abraços
ANA MARIA
#1 Abreu 08-12-2010 21:11
Reflexivo...

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222