person_outline



search

Marrom

Foi numa manhã ensolarada

O brilho da alvorada luzia novos ares

Libertação que anuncia o despertar de um novo dia

Tal qual herança de Palmares

 

Era um período de renascimento

Reconstrução de dentro pra fora, hora após hora

Ferida cuidada, mas não cicatrizada

A separação ainda machucava a alma

Embora a vida já estivesse mais calma

 

Centro da metrópole, multidão

Milhares nas ruas aos arredores

Centenas nos corredores

Explosão de cores bailando na imensidão

Matizes vermelhas, azuis, amarelas

Aqui o verde é escasso, que imensa aquarela!

 

Nesse enorme mosaico multicor

Havia um ponto opaco, de cor marrom

Normalmente passaria despercebido

Afinal a retina busca a vivacidade

Mas a felicidade me focou nesse tom

E tocou fundo, com aquela força capaz de mudar o mundo

Tal qual um casulo, o marrom se transformou

Na mais bela visão, no meu grande amor


Foi numa manhã ensolarada

Que finalmente aprendi a enxergar

O marrom, que tingia aquela blusa

Da minha amada musa

É a cor da terra e da raiz

Alicerces das belezas

Que tornam a vida mais feliz

Pin It
Atualizado em: Qui 10 Dez 2009

Comentários  

+1 #6 Kokranne 18-04-2010 00:41
Delicia de texto! Lindo..estrelado. Parabéns!
#5 Cerson 05-04-2010 22:48
Muito bom! - Gosto muito da cor marrom... abraços
#4 LucasMelo 08-03-2010 23:06
A cor é bem relatada nesse texto.
Gostei muito da aquarela :D
5 estrelas amigo
#3 tania_martins 21-02-2010 23:13
Parabéns!
+1 #2 Abreu 03-01-2010 19:51
Está dentro de nós o valor de cada cor.
#1 MRegina 08-12-2009 18:31
Fábio

Gostei muito de seu poema!

Merece estrelas.

As cores surgem com novas visões.

Parabéns!

Abraços.

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222