person_outline



search

Ressalva

A noite guarda sons estranhos; perturbadores e periculosos,

para os quais a parte sã dos ouvidos humanos já se fechou.
Sons doentios e primitivos, de reação incontrolável; inércia. 

Mantém um pulsar denso e contínuo e respira pesadamente

dizendo segredos entre roncos e suspiros de pulmões tuberculosos.
Utiliza-se de uma voz surda, indistintos e breves fonemas, 

propriamente para não fazer-se ouvir,
tal qual um orador dedicando-se a um discurso que não verá platéia.
A noite tem ruídos fúnebres e vulgares:
Ouve-se a reprodução das partículas e a avidez de dentes ferindo a proteção. 

É tudo, exceto sagrada. É antes, uma estátua viva,
ou uma imagem de barro, de onde a promiscuidade sangra dos olhos.
Sepulta sozinha os fenecidos às claras. E é deles, a viúva relapsa.
Flerta com o tempo e o distrai em seu decote.

Simula miséria para que lhe estendam a mão.
É uma meretriz cheirando a álcool e depressão;
tecendo longas cortinas com luvas de cetim
Até o mundo acordar e descobrir-lhe a vil face nirvânica.

Pin It
Atualizado em: Ter 28 Fev 2012

Comentários  

#1 PauloJose 19-06-2012 06:36
PARABÉNS MUITO REFLEXIVO ESTRELEI!!!
ABRAÇOS.

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222