person_outline



search

SINFONIA DE UM DIA DE SOL

Me sinto vivo e canto

E esqueço por ventura
Toda a dor e amargura
Que cansei de escrever
Não pronuncio notas vãs,
Falsas, imaginárias, intocadas
Eu sinto e canto
E não há uma melodia retilínea
Com começo, meio e fim
A cada instante é um eterno recomeçar
Eu canto o que vejo e o que vivo
Não sei se canto bem,
Se acerto os tons certos
Se me perco nos compassos
Eu canto a melodia que vivo
E nas minhas notas me permito viver
Sem maestro, ou pautas, ou pausas
Eu vou na valsa
Tal qual um barco à mercê do oceano
Eu canto as minhas notas e no meu tempo
Não me preocupo com perfeição,
Com passos e compassos, acertos e desacertos
Eu canto e vivo, canto o que vivo
E apenas gostaria de nunca parar de cantar...

Pin It
Atualizado em: Qua 11 Dez 2013

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222