person_outline



search

Cronômetro

No horizonte da fatalidade
a dinâmica do tempo exíguo
a nos exigir urgências!
Enlouquecido de sádico prazer
Cronos devora-nos lentamente
cabelos, virilidade.
Tânatos, cão faminto, nos espreita
das esquinas da vida
nas encruzilhadas da morte.
E o barqueiro, mudo e mouco,
à cada instante tilinta moedas
de seu infinito tesouro
Pin It
Atualizado em: Qua 2 Nov 2016

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222