person_outline



search
  • Artigos / Textos
  • Postado em

O ALFABETO DO VELHO OESTE - LETRA B

Badlands – Regiões do Nebraska, Norte e Sul Dakota, caracterizadas por profundos riachos, colinas que se erguem improvisadamente e cursos d’água pantanosos, no início era uma longa pradaria, mas com o passar do tempo foi esburacada pela água. Os “Voyageurs” franceses que entre 1800 e 1837, que lá estiveram caçavam animais de pele e faziam expedições, deram o nome para essas regiões. A “Bad Lands” oferecia aos ladrões de gado e bandidos entre 1865 e 1900, esconderijos ideais e os cowboys e os tutores da lei, podiam capturar os delinqüentes geralmente e somente a custo de inimagináveis perigos, sofrimentos e perdas, inóspitas ao cultivo.  
 
Bad Man – Homem mau, Homem de força, “Desperado”, Ladrão, “Killer”; denominações também usadas para os defensores da lei, que usavam a força bruta para o exercício de suas funções. Assim homens como Wild Bill Hickok, King Fisher, Jim Cartrigh e os irmãos Earp eram todos “Bad Men”, porque usavam primeiramente a força, diferentemente de funcionários como Bill Tilghman, os investigadores da Agência Pinkerton, etc., que primeiramente tentavam de prenderem os procurados e levá-los ao juiz, não eram levados em consideração.   
 
Ballard – Ballard Rifles. Rifle de um só tiro, fabricado entre 1875 e 1890, segundo a patente de C.H. Ballard. Chegou ao West em várias versões e calibres. Os modelos mais importantes: Ballard Creedmore A 1 Long Range, Ballard Far West número 1 3/4, Ballard Gallery número 3, Ballard Hunters número 1, Ballard Long Range número 7, Ballard Monala número 5 1/2, Ballard Pacific número 5 e Ballard Union Hill número 8 e 9.
 
Ballard Derringer – Pistola de um só tiro, da fábrica de armas C. H. Ballard & Co. de Worcester, Massachusetts. Calibre. 41 comprimento do cano: 7,5 cm, corpo de cobre, peso 230 gramas; uma arma com um bom efeito até os 10 metros de distância, mas imprecisa em distâncias maiores.
 
Baltimore – O primeiro derramamento de sangue da Guerra Civil verificou-se na cidade de Baltimore, onde o Sexto Regimento de Massachusetts, para chegar a Washington, cidade isolada da imprevista deserção de Maryland, teve que enfrentar a multidão. Quando os soldados conseguiram passar por ela, 100 mortos estavam ao chão ensangüentado.   
 
Banda de Jazz – The Buddy Bolden’s Band – 1895/1900. A primeira Jazz Band tinha em sua formação: Jimmie Johnson, Brock Mumford, Willie Cornish, Frank Lewis, Willie Warner e o lendário Buddy Bolden, barberio de New Orleans que foi o primeiro trompetista da história do Jazz. Morrerá em um manicômio. O Jazz nasceu nos USA ao fim do século XIX, foi inicialmente considerado uma expressão do folclore afro-americano e teve New Orleans, como sua primeira casa. Outro jovem negro também fez parte da cultura dos USA: Ira Aldrige, nascido provavelmente em New York, filho de pais não escravos em 1807. Foi o primeiro ator negro de fama internacional. Aos vinte anos foi para Londres e recitou “Otelo”, com imenso sucesso. Também figurou como o escravo “Mungo”, na comédia musical “O Cadeado”, que era uma representação sobre a vida dos negros em plantações de algodão.
 
Bandana – Grande lenço, geralmente dobrado em modo diagonal e com nó na nuca, assim o tecido triangular estava no pescoço e no peito, podendo ser puxado sobre o nariz e boca, em qualquer momento, para proteger o cowboy da poeira e areia. Geralmente o cowboy preferia a sua bandana em seda e colorida vermelha escura. Os Mexicanos as usavam geralmente, em suas próprias cabeças.
 
Bando – (Band). Falando de cavalos os cowboys não usavam nunca a palavra “manada”, mas sempre “um bando de cavalos”, enquanto que um grupo de cabeças de gado era chamado de “manada”. Os cowboys também “guiavam” uma manada de bovinos, mas “pastavam” um bando de cavalos.
 
Bando Dalton – Em 1851, Adeline Younger, tia dos irmãos Younger (que mais tarde passariam para a história como bandidos no estado de Oklahoma), casava-se com o kentuchkiano Lewis Dalton em Independence, Missouri. Não podia imaginar então, que seria a mãe mais odiada dos estados de: Kansas, Oklahoma e Arkansas. Por volta de 1860 transferiu-se com o marido para Lawrence, em Kansas e di lá para Coffeyville. Os Dalton tiveram 15 filhos: nove homens e seis mulheres. Um dos irmãos Dalton, o Frank, exerceu a função de vice-xerife, sob as ordens do famigerado Juiz Isaak, o qual procurava com todo o rigor da sua obsessão bíblica de direito, estabelecer a ordem em seu território, que era imenso como a metade da Alemanha e no qual reinava uma situação completamente caótica. Em 1877, Frank Dalton foi morto durante o exercício de sua função, durante um tiroteio. Gratton Dalton (Grat) assumiu o lugar do irmão e nominou imediatamente o seu irmão Robert (Bob) como seu ajudante. Emmer Dalton, ainda então um rapaz, trabalhava como cowboy no Ranch Bar-X. Bob e Grat Dalton tornaram-se logo famosos e duros caçadores de bandidos. Conheciam palmo a palmo toda a região e nunca retornavam a cavalo, sem o homem que caçavam. A segurança e o sucesso desses jovens caipiras obrigou o juiz Parker a confiar a eles, em 1888, a tarefa de instituírem uma tropa policial indígena, com índios selecionados da tribo dos Osage. Poderiam agir com total autonomia, e eles então se estabeleceram em Pawhuska o quartel general e nomearam o irmão Emmett como o terceiro homem, no cargo de vice-xerife. Em 4 de julho roubaram 14 pôneis e duas mulas. Em Wagoner tentaram vendê-los, porém não encontraram compradores. Foram então para o Kansas, onde venderam os animais para um homem chamado Emmett Vann. Logo após estavam perto de Claremore. Ali se apresentaram aos agricultores Frank Musgrove e Bob Rogers e se ofereceram a procurar alguns cavalos roubados. Como recompensa pediram a metade do valor dos animais. Os Dalton foram atrás dos animais, mas rapidamente, soube-se que eles tinham roubado e escondido o grupo de cavalos.  Os agricultores furiosos quiseram fazer justiça com as próprias mãos. Perseguiram os Dalton e capturaram Grat. Bob e Emmett conseguiram escapar, indo para a California, onde, em 2 de fevereiro de 1891, juntamente com o irmão Bill, assaltaram o trem #11 da Southern Pacific, perto de Alila e essa ação, sinalizou o fim para eles. A Sociedade Ferroviária prometeu uma recompensa de 5.000 dólares pela captura dos bandidos. Grat e Bill foram presos e processados, Bob e Emmet escaparam novamente, agora para o Oklahoma, começando a assaltarem diligências e trens. Os irmãos Grat e Bill, após a prisão, foram condenados a 20 anos de pena. Mas enquanto eram conduzidos para a Prisão Estadual de St. Quentin conseguiram escapar. Foram eles também para Oklahoma onde se uniram aos irmãos Bob e Emmet, que continuavam sendo procurados por inúmeros mandados de prisão, pelos homens da lei. Em Oklahoma outros quatro homens uniram-se ao bando dos Dalton: Charley Bryant (Cara Negra), do Texas, o temido bandido Bill Powers, conhecido também como Tom Evans, uniu-se também Bill Doolin, filho de uma respeitável família de plantadores de algodão em Arkansas e Dick Broadwell, um pequeno colono de Cimarron, que desiludido por uma mulher, tornara-se bandido. Em 9 de maio de 1891, o bando que agora contava com 8 integrantes, assaltou um trem de passageiros da linha Santa Fé, perto de Wharton e roubaram seus valores. Um jovem empregado da estação durante a ação pegou o telégrafo para pedir ajuda e foi morto com um tiro na testa, disparado por Charley Bryant. Assim a recompensa pelo bando aumentava cada vez mais. Mas, Bob Dalton adotara uma estratégia que rendia impossível aos Agentes da Lei, encontrarem qualquer rastro do bando. Após cada assalto, o bando dispersava-se em várias direções cavalgavam grandes distâncias entre eles e o local do ataque. O único problema deles era a troca dos animais cansados. E eles não tinham muitas opções, roubando animais onde encontravam. Numa dessas trocas de cavalos, um dia os Dalton foram surpreendidos por alguns cowboys. Os agricultores vítimas formaram uma patrulha, que sob o comando do xerife W. T. Starmer lançaram-se em perseguição aos famigerados bandidos. Dessa vez, novamente os Dalton conseguiram escapar. O bando continuou a agir. Entre as mais impressionantes por eles executadas, foram os assaltos ao trem da linha Missouri-Kansas-Texas, perto de Lilliea, em 15 de setembro de 1891, ao trem de Santa Fé, perto de Red Rock em junho de 1892 e ao Katy-Express, perto de Adair, em 15 de julho de 1892. Em 5 de outubro de 1892, galoparam em direção a Coffeyville, Kansas. O plano era assaltarem simultaneamente dois bancos, assalto esse planejado por Bob Dalton. Ao inicio as coisas andaram perfeitamente bem, segundo o plano estudado. O bando dividiu-se em dois grupos; um entrou, ao momento fixado, na sala dos caixas da C. M. Condon & Company, o outro adentrou o First Naional Bank. Era o mais temerário assalto da história dos USA. Mas enquanto os bandidos enchiam os sacos com dinheiro, que traziam consigo, a sorte abandonava-os ao próprio destino. Num tremendo tiroteio que durou mais de oito minutos, Bob e Grat Dalton, Tom Evans e Dick Broadwell foram mortos e Emmett Dalton seriamente ferido. Ele sobreviveu e passou muitos anos na prisão. Atrás das grades ele escreveu suas memórias e a estória do Bando dos Dalton que, até o imprevisto fim, tinha sido o mais audacioso bando do Velho Oeste Americano. Escreveu entre outras coisas: “Seus irmãos segundo o código de honra do West, nunca dispararam por trás a ninguém, deixando sempre suas vítimas à possibilidade de defesa, e manejavam suas armas com certo orgulho. E comportavam-se completamente diferente de outros bandidos da cidade grande”.           
 
Bando Doolin – Grupo de bandidos que sob o comando do chefe William “Bill” Doolin, apavorava o território de Oklahoma nos anos 1895/96. Um dos mais famigerados bandidos do Bando Doolin foi Dynamit Dick. Bill Doolin foi preso em Eureka Springs. Duas mulheres fizeram parte desse bando; Cattle Annie e Little Bitches, que antes de agirem por conta própria, fizeram também parte do Bando Dalton.

 
Bando McCarty – Tom, George, Bill, Lew e Fred McCarty até 1884 eram cowboys e criadores de gado por conta própria em Utah. Eram filhos do cirurgião Dr. William McCarty, médico militar do Exército Confederado entre 1861/65. Entre 1884/85 formaram o temível bando que assaltavam trens e bancos e que até ao fim de 1893 assaltaram em Colorado e Oregon. Em 12 de janeiro de 1893, foi preso Matt Warner, um membro do bando. Durante o roubo ao Banco de Delta, foram mortos Bill McCarty (45 anos) e seu filho Fred (22 anos). Em seguida a quadrilha passou o comando para Butch Cassidy e eles, juntos a Elza Lay, deram origem ao primeiro “Wild Bunch” (Grupo Selvagem).
 
Bando Plummer – Pouco após a fundação de Virginia City em Montana, um grupo de bandidos aterrorizou nessa região de garimpeiros de ouro. Eles assaltavam diligências postais, transportes de ouro e os garimpeiros que obtiveram sucesso e conheciam bem todos os planos mais importantes da Administração Geral das Diligências Postais e das empresas de transportes num raio de 90 milhas de Bannack até Virginia City. A quadrilha contava com mais de 50 homens e operava separadamente, muitas vezes em diversos locais simultaneamente. As testemunhas eram sempre executadas e no bando era vigente uma disciplina de ferro, imposta por seus chefes, que chamavam a si próprios de “The Innocents”, e que impediam que fosse revelada a identidade de todos. Somente com a morte do vice-xerife Dillingham, que tentava resolver alguns assaltos, revelou antes de morrer que os próprios xerifes de Bannack e Virginia City, Henry Plummer e os seus vices Jack Gallagher, Buck Stinson e Ned Ray eram os chefes do bando. Conseqüentemente John Xaver Beilder, chamado “X”, fundou um Comitê de Vigilantes, ao qual aderiram centenas de cidadãos em Bannack, Nevada City e Virginia City. No espaço curto de 6 semanas os Vigilantes emitiram sentenças contra 22 membros (de 21 de Dezembro de 1863 a 3 de fevereiro de 1864) do bando e os lincharam, onde eram encontrados. Porém em 12 de maio de 1864 os atos de violência recomeçaram mais cruéis ainda e os Vigilantes lincharam a revelia o assassino James Brady em Nevada City. Em 2 de março de 1866 foi oficialmente enforcado, o último membro do bando Plummer, após essa execução os Vigilantes foram destituídos de suas funções.

Bando Selvagem – (Wild Bunch). O maior, temerário e aventureiro de todos os bandos de bandidos que tenha existido nos USA. Derivado do terrível bando McCarty, que no período de 1886 a 1893 foi o protagonista de numerosos assaltos a bancos e trens em Colorado e Oregon. Butch Casidy, Matt Warner e Elza Lay fundaram em 1893, o assim denominado Bando Selvagem, originário porque os bandoleiros surgiam em festas, fazendo brincadeiras atrozes. Num primeiro momento o Bando Selvagem era composto por uma dúzia de jovens que, sob o comando de Butch Cassidy, cometeram pequenas agressões. Em 1894, Cassidy foi condenado a dois anos de prisão e foi libertado em 1896. O Wild Bunch só foi comentado depois que um bando chamado “Junior Wild Bunch”, composto por quatro jovens: George Harris, George Bain, Joe Rolls e Shirley, todos com seus 18/20 anos, no outono de 1896 em Meeker, Colorado e foi exterminado após assaltar um banco. O início efetivo do grande Bando Selvagem, do qual a dado momento fazia parte mais de 100 homens, foi em 1 de dezembro de 1897, quando George Curry, juntamente aos irmãos Logan (Henry, Johnny, Lonny e Harvey) e a outros 75 bandidos do Bando “Hole in the Hall” (Buraco na Parede), uniram-se ao Bando Selvagem, de Butch Cassidy, dando origem a um “Train Robbers Syndicate” (Sindicato de Ladrões a Trens). O bando era subdividido em pequenos grupos, respectivamente sob o comando de George Curry, Lonny e Harvey Logan, Sundance Kid e Elza Ray, todos sob o comando geral de Butch Cassidy, que operavam separadamente e cometeram inúmeros assaltos a bancos e trens em Wyoming, Utah, Colorado e New Mexico. O raio de ação deles estendia-se praticamente sobre todo o território USA da fronteira canadense até a mexicana, que recebeu o nome de a “Rua dos Fora-da-Lei”. Investigadores da Agência Pinkerton causaram tais perdas ao Bando Selvagem; com a captura ou morte de seus componentes, que finalmente Butch Cassidy e Sundance Kid, em 20 de fevereiro de 1902, fugiram para New York e dali para Buenos Aires, Argentina. Um ano após aconteceu o último ataque por parte dos bandidos dispersos do bando. Em Cholilo, Butch e Sundance, no mês de maio esconderam-se num pequeno Ranch que tinham comprado, onde criavam gado e onde permaneceram tranqüilos até 1906. Os investigadores Americanos descobriram o esconderijo e eles abandonaram o local, assaltando bancos de Mercedes, Bahia Blanca e arrecadaram 20.000 dólares a cada assalto. Deixaram então a Argentina e reapareceram em 1907 na Bolívia. Onde assaltaram um trem em Eucalyptus, roubando os salários de trabalhadores de uma mineira. Continuaram a assaltar, até que foram descobertos em San Vicente por uma Guarnição de Cavalaria. O tiroteio causou muitas mortes aos soldados, finalmente Butch de comum acordo com Sundance, ao término de suas munições, matou o colega e suicidou-se (hipótese esta, contestada por muitos historiadores – muitos afirmam que morreram de velhice e nos USA). A maioria do Bando Selvagem era composta por cowboys. É de se notar também que Butch Cassidy não só havia proibido inúteis derramamentos de sangue, mas que matou sua primeira vítima, quando se defendia acuado em terras Bolivianas. Isso porque o bando observava e seguia um rígido código moral e era generoso com o dinheiro obtido em assaltos, mas, provavelmente também pela profunda aversão que existia no West pela Agência Pinkerton e seus investigadores e pelas Companhias Ferroviárias e Bancárias. O Bando Selvagem adquiriu em seu tempo áureo, uma fama lendária, semelhante a Robin Hood e seu bando.   
    
Bando Younger – “Entreguem o dinheiro rapazes e sem pestanejar, somos os famosos irmãos Younger e não percam tempo, em orações”. Assim diz a balada dos Younger, que faziam parte do Bando de Jesse James. Bob, James e Cole Younger. Bob morrerá em prisão de tuberculose em 1889, Cole e James serão anistiados após descontarem 25 anos de árdua prisão.  

Bannock – Palavra dos índios Shoshones “Raiva dos Bannocks”. Tribo secundária dos Paiutes setentrionais fazendo parte da família lingüística “Uoazteca”, que viviam no território ocidental do Wyoming, ao sul do Salmon River em Idaho e nas margens do Rio Serpente de Montana meridional até o Oregon oriental. Os primeiros brancos que tiveram contato com eles foram Lewis e Clark em 1805. Depois os Trappers de Johann Jacob Astors, penetraram em seu território e os índios os mataram até o último homem em 1814, perto do Bosie River. Então em 1824 a Hudson’s Bay Company concluía com eles e Alexander Ross um contrato para trocas de mercadorias. Um Trapper em 1828 os descreveu como: “Ladrões saqueadores, que assaltavam todos e todos eram assaltados”.  Em 1867 foram vencidos pelo general Canner no “Rio dos Ursos” e em 1869 transportados para a Reserva de Fort Hall em Idaho. Sendo a mortalidade por fome altíssima nessa Reserva, eles se negaram a nutrir-se mediante a cultivação e voltaram para sua vida nômade nas Montanhas Rochosas. Quando o Exército dos USA em 1887 estavam perseguindo os índios Nez Percé, os Bannocks servirão como espiões e até 1878 a relação entre os Bannocks e os brancos era pacífica. Até quando um erro contábil e a intransigência do governo dos USA em não entender esse erro, forçaram o início da “Guerra dos Bannacks”. A então chamada “Pradaria de Camas”, que levava esse nome, porque em seu solo existiam grandes quantidades das “Raízes Camas”, ingrediente essencial para a tribo. O contador, porém havia trocado uma descrição da Reserva dos Bannocks pedida pelo governo, à palavra por essa raiz comestível, com a de “Pradaria do Kansas”, que em Washington era interpretada como “Uma região de pastagens semelhantes à pradaria do Kansas”. Assim o território dos Bannocks foi deixado livre para os colonizadores brancos e Washington negou-se em desfazer o erro e de anular a liberdade de seus colonizadores. Os porcos dos colonos comiam as raízes da terra e em pouco tempo manadas inteiras dos brancos invadiram as Pradarias Camas. Quando todas as tentativas em induzir o governo dos USA a respeitarem o contrato de Fort Bridge de 1867 foram inúteis, o cacique “Chifre de Bisonte” preparou uma insurreição. Mas somente uma percentagem pequena de guerreiros Bannocks aderiu. Após as fileiras de guerreiros de “Chifre de Bisonte” terem recebido também guerreiros Pajutes setentrionais, Shoshones e de Umatillas, os índios mataram cada branco que avistavam e saquearam colonos e fazendas. De 23 de junho de 1878 até 12 de setembro de 1878, dez Regimentos dos USA debatiam-se em pequenas batalhas contra os Bannocks. O resultado dessa guerra foi: 9 soldados mortos, 24 soldados feridos, 24 civis mortos, 34 civis feridos, 78 índios mortos, 66 índios feridos, conforme escrito em relatório oficial da época.  
 
Barbecue – (Pronúncia inglesa: “Barbikiu”). No BQ = Bar-Be-Que Ranch no Texas, pela primeira vez durante uma festa de aniversário numa família em 1854 o fazendeiro Bequett assava um novilho sobre o fogo, em seu quintal e para essa comemoração tinha convidado seus vizinhos. Rapidamente esses “Barbecues” tornaram-se um acontecimento social, durante os quais não só se dançava e falava-se de negócios, mas era feita também muita política. Do Texas sul oriental essa usança difundiu-se em todo o território Americano, em que se criavam bovinos. Desta comemoração, em assar um animal inteiro, hoje no Oeste dos USA, mesmo lá onde não se criam mais bovinos, ficou a cultura em assar pedaços de carnes sobre brasas. 
 
Bardos Líricos – Entre as distrações dos pioneiros, dos garimpeiros de ouro, dos lenhadores, dos barqueiros, dos aventureiros, de todos aqueles personagens pitorescos que constituía a população do Oeste, logo após o jogo e uísque, vinha à música e o baile. Pequenos conjuntos musicais viajavam de cidade em cidade, de vilarejo em vilarejo. Entre eles existiam os De Moss, chamados os “Bardos Líricos”: pai, mãe e seis filhos, três homens e três mulheres, que percorreram os USA. George Grant De Moss, um dos filhos, era famoso por sua habilidade em soar dois trompetes, simultaneamente. Em uma sociedade como aquela do West, onde as mulheres eram escassas, os homens organizavam torneios de dança, nos quais, além da bravura era premiada também a resistência. Eram manifestações onde os homens encontravam desabafo para a sua exuberância e que geralmente terminavam em disputas esportivas. Ainda mais após grandes bebedeiras, brigavam por motivos fúteis.   

 
Bareback Riding – (Cavalgar sem sela). Umas das cinco regras de competições do Rodeo, na qual o cavaleiro deve cavalgar num cavalo selvagem, sem a embocadura, sem a sela e sem estribos.
 
Bass, Samuel – Nasceu em 21 de julho de 1851 em Lawrence County, Indiana. O bandido mais célebre do Wild West chegou ao Texas em 1870 como ajudante de moleiro e trabalhou até 1874 como ajudante do xerife Willian F. Eagan, em Benton County. No outono de 1874 comprou uma égua de corrida, que a chamou como a filha do xerife “Ginny” e abandonou a sua função, após sua égua vencer várias corridas. Foi para o Fort Sill em território indígena e lá em diversas competições com os índios, ganhou um pequeno grupo de pôneis, o qual os índios negaram a entrega. Uma noite Bass roubou os pôneis e desapareceu, chegando em 1875 em San Antonio no Texas, onde fez amizade com Henry Underwood e Joel Collins. O trio comprava e vendia cavalos e organizava corridas.  Em agosto de 1876 empregaram Jack Davis e levaram sob a ordem de pequenos fazendeiros uma boiada com 500 animais da raça Longhorns para o noroeste do Estado de Kansas, onde venderam as reses, mas não voltaram mais para o Texas, mas dirigiram-se para Deadwood em Idaho. Lá se uniram a Bill Heffridge, Jim Berry e Tom Nixon e logo após começaram a assaltarem diligências postais da Colônia dos cercadores de ouro. Em 19 de setembro de 1877 o bando assaltava um trem da Union Pacific, perto da Big Spring Station, o montante de 60.000 dólares. Durante a perseguição ao bando, Collins, Heffridge e Berry foram mortalmente feridos. Bass, Underwood e Davis escaparam para o Texas, onde formaram um novo bando, que por quase um ano assaltavam diligências postais e trens do Texas, até que em 21 de julho de 1878 em Round Rock foram capturados pelos Rangers do Texas e logo após Sam Bass foi fuzilado.   
 
Basto – (Saddle Skirt). 1- Na velha sela texana, pedaço de couro mórbido abaixo da sela, que estava diretamente sobre as costas do cavalo e por isso era fora da com um tecido similar ao veludo. 2- (Pack Saddle). Foi trazido para a América pelos conquistadores espanhóis. Tinha o formato de uma tela de madeira, semicircular e que em sua parte inferior tinha um feltro pesado. O basto era fixado com uma correia abaixo da barriga, outra passava no peito e a última atrás do animal. Dessa maneira bem ajustada, não se movia. Deste basto espanhol, os índios que depois se familiarizaram com o cavalo, fizeram o próprio basto índio, no qual os chifres de cervo substituíam a tela em madeira. Esse basto indígena recordava muito os primeiros comerciantes de peles e aos “trappers brancos”, que usavam algo semelhante para amarrar seus produtos em mulas. Daí nasceu o basto em forma di cavalete rústico, conquistou o West. Um alemão da Pennsylvania, Georg Decker, construiu em 1804, para os lenhadores do Kentuck, um basto para peso leve, feito em tela com fios de ferro, revestido com tela de vela e com arcos removíveis. Esse basto Decker demonstrou-se muito útil para marchas longas, através de zonas arborizadas e montanhosas e ainda hoje muitos cowboys o utilizam.  Não se compreende bem porque não foi adotado pelo Exército dos USA, e sim o chamado basto McClellan. Talvez se desse mais importância a uma combinação basto-sela, de tal forma que se podia também cavalgar sobre esse objeto. Também nunca foi explicado porque o basto McClellan fosse forrado por pele e tivesse arcos, como os da sela. No ato prático, não era muito adaptável no transporte de cargas.      
 
Batalha de Antietam – Os soldados estavam mortos em 17 de setembro de 1862 na sangrenta Batalha de Antietam. O general Robert E. Lee tinha levado a sua Armada em Maryland com a esperança de chegar a Pennsylvania. McClellan tinha sido novamente convocado ao comando das tropas Federais, após os insucessos de seus sucessores, parando a avançada inimiga em Antietam. Na batalha caíram 11.000 Nortistas e 12.000 Sulistas. Lincoln telegrafa a McClellan, dizendo: “Deus abençoe você e todos aqueles que estão ao seu lado. Destruam o Exército Rebelde, se for possível”. Mas Lee, com os seus sobreviventes, consegue vencer, salvando assim a Confederação que pareciam nulas as suas chances. O Exército dos Confederados parecia indestrutível.  Já em 18 de março de 1862, os navios Nortistas vigiavam o porto de Hampton Roads quando surgiu o primeiro navio couraçado Sulista, o “Merriac”, o primeiro da história, que abriu fogo com suas baterias, afundando dois navios Nortistas e afastou-se lentamente. Na manhã seguinte o navio Sulista voltou a atacar, mas esperando-o estava o navio Nortista “Monitor”, esperando-o. Era um pequeno navio couraçado construído pelo sueco John Ericsson da União. O combate durou por quatro longas horas, enfim os dois couraçados afastaram-se deixando incerto o êxito daquela batalha Naval. Também no Mississipi River a guerra tornava-se furiosa. O controle do grande rio por certo período, assegurava aos soldados Sulistas, que haviam construído ao longo de suas margens, inúmeros fortes; um rápido abastecimento de homens e materiais. Mas a um dado momento as “Tartarugas” Nortistas, embarcações propositalmente construídas para a guerra aquática, conseguem igualmente a conquistar. Estamos na primavera de 1862; o porto de New Orleans e com uma hábil ação de surpresa, afundam vários navios Sulistas que estavam ancorados na parte baixa do curso do grande rio; conhecido também como a “Espinha Dorsal da América”.    
 
Batalha de Bull Run – Em 21 de julho de 1861, aconteceu a primeira e imperativa ação de guerra entre o Norte e o Sul. Tratou-se da Batalha de Bull Run, onde o general McDowell comandando 30.00 soldados Unionistas, após um combate com os 23.000 soldados Confederados sob o comando do general Beauregard e de Jackson, tinha telegrafado erroneamente a Washington anunciando a vitória, porém com a chegada do general Johnston com seus 9.000 Sulistas, ganhava a batalha a favor da Confederação. Essa batalha deu ao presidente Lincoln a ótica exata do despreparo de organização e militar dos seus generais e do Exército Nortista como um todo, que era sustentado somente pelo entusiasmo nas causas pelas quais se combatia e tomaria as devidas medidas.   

Batalha de Fredericksburg – O general Burnside, avançando rapidamente pela Virginia, decidiu em atacar o Exército de Lee, acampado nas colinas peto da cidade de Fredericksburg. Em dezembro de 1862, Burnside que queria uma vitória a qualquer custo, perdeu 12.000 homens nessa batalha e enlouqueceu pela dor da derrota.
 
Batalha de Gettysburg – As cidades do Norte assistem incrédulas e aterrorizadas a avançada de Lee. “Se a cabeça da Armada de Lee está em Martinsburg e o rabo em Chancellorsville, quer dizer que a serpente terá em algum lugar o seu ponto mais sensível; não podem atacá-lo?”. Disse Lincoln numa reunião aos seus generais. O general Meade, com 88.000 soldados, decide atacar o inimigo ao norte. Os soldados de Lee e os soldados de Mead encontram-se a Gettysburg. Pennsylvania. A batalha extremamente sangrenta, dura três dias. Lee batido foi obrigado a retirar-se. Mesmo tendo seus generais cometido vários erros, o comandante supremo Sulista, assume toda a responsabilidade. “Essa batalha, eu a perdi. Ajude-me a reparar tal erro o quanto antes possível”, diria ele aos seus generais. Em 19 de novembro de 1863, foi inaugurado o cemitério militar de Gettysburg com a presença do presidente Lincoln, no qual ele pronunciou em cinco minutos o seu maior discurso e o mais famoso da história americana; ele disse: “Lá se vão oitenta e sete anos ou mais, quando nossos pais geraram uma nova Nação, concebida em liberdade e fundada sob o princípio que todos os homens nascem iguais. Hoje estamos empenhados numa guerra para demonstrar se essa Nação ou qualquer outra concebida dessa mesma maneira, possa permanecer. Estamos aqui para consagrar um pedaço deste campo de batalha, como local de repouso para aqueles que sacrificaram suas vidas, pela vida da Nação”. Nessa batalha (1/3 de julho de 1863) foi decidida a sorte futura dos USA. O general Lee entrando em Pennsylvania com 75.000 soldados, foi parado em Gettysburg pelo general Mead, com seus 88.000 soldados. Após três dias de combate, os Sulistas derrotados, dobraram-se e foram para Potomac. A União estava salva; começava a contraofensiva. O momento mais dramático desse combate foi i ataque do general Sulista George Pickett que, na extrema tentativa de abrir as linhas inimigas, manteve com seus 15.000 Virginianos um sangrento corpo-a-corpo com os veteranos soldados do general Meade e não recebendo algum reforço, teve que se retirar, após grandes perdas. O local dessa batalha, no qual caíram 40.000 soldados, seria depois declarado: Cemitério Nacional.
   
Batalha de Sete Dias – A avançada de McClellan, chamada também como a “Campanha da Península”, tornou-se lenta e extenuante através dos terrenos pantanosos. Devia-se continuamente construir suportes em madeira para que os pesados canhões, por eles passassem, em seus carroções. Chegando a beira de Richmond, McClellan debateu-se com seus homens muito mais debilitados, contra o general Robert E. Lee, que no curso da Batalha de Sete Dias recebeu o reforço de 18.000 voluntários, sob o comando de seu tenente Jackson, apelidado de “Parede de Pedra”. McClellan é obrigado a “dobrar-se” em Potomac, após ter perdido 20.000 soldados.  
 
Batalha de Wagon Box – Na primavera e verão de 1867, os trabalhos continuavam em Fort Phil Kearny, comandado desde 7 de janeiro daquele ano, pelo general H. W. Wessler, que tinha sob o seu comando quatro Companhias do XVIII de Infantaria e um Destacamento de Cavalaria. Red Cloud e Crazy Horses, caciques encorajados com os últimos sucessos, demonstraram uma louca temeridade continuando a atacar os edifícios da Bonanza Trail. Foi assim que o abastecimento tornaram-se sempre mais difícil, os víveres foram racionados e as provisões foram confiadas a dois civis: Gilmore e Proctor, que encarregaram certo G. R. Porter de desenvolver a distribuição. G. R. Porter, chegando a Fort Phil Kearny, teve a função de assegurar em turnos a madeira que tinham sido a origem do triste Caso Fetterman. Em 31 de julho, ao amanhecer, dezesseis carroções pesados deixaram o Fort para as florestas vizinhas. O major James W. Powell, oficial que jamais teria exposto seus homens a inúteis riscos, comandava a tropa de proteção composta por 51 soldados da XVIII de Infantaria. Eles estavam armados com os novos rifles Springfield 50, que asseguravam um tiro rápido. Fort Phil Kearny tinha apenas recebido 700 exemplares desta arma e 100.000 cartuchos de balas. Uma vez deixado o Fort, a caravana dividiu-se em duas fileiras que avançavam paralelamente. Sem dificuldades chegaram perto a Big Pine Creek, a cinco milhas do Fort, a oeste de Sullivan Hill. A tropa devia permanecer naquela posição por alguns dias, para esperar o trabalho dos lenhadores. O major fez uma estreita barricada oval, com 14 carroções deixando pequenas aberturas em suas extremidades. Nenhum carroção, contrariamente a que muitos afirmam, não eram blindados. Como o major James tinha imaginado, os índios atacaram e eram 3.000. Invés disso 32 os soldados que se encontravam dentro da barricada improvisada, quando 500 cavaleiros detiveram o ataque. Foi iniciado um tiroteio violento. Os índios retiraram-se e concentraram-se a distância. Red Cloud surgiu no cume de uma colina próxima. Pela segunda vez, os índios atacaram e foram novamente dispersados. Red Cloud furioso ordenou a 100 cavaleiros, que tinham participado do primeiro ataque, de atacarem a barricada, agora silenciosa. Após um pequeno avanço, essa tropa concentrou-se num despenhadeiro perto de Big Pine Valley; pois metade dos cavaleiros continuou avançando e conseguiu chegar à barricada. Começaram alguns incêndios e algumas caixas de munições explodiram. Nesse momento os homens do major continuavam a descarregar seus rifles. Muitos morreram, entre os quais o tenente John G. Jennes. O terceiro ataque não demorou a acontecer; apesar dos conselhos de prudência de Crazy Horse, Red Cloud incitou os guerreiros ao ataque.  Eles sofreram grandes perdas e se dispersaram. Enquanto que alguns soldados ficavam alertas, outros tentavam apagar o fogo, utilizando os barris de água dos carroções. Não houve mais ataques. A batalha tinha durado seis horas, durante as quais os soldados do major James W. Powell mantiveram longe Sioux, Cheyennes e Araphoes, e matando 800 índios. Somente três soldados morreram e dois ficaram feridos. Por algum tempo a calma, graças a esse fato heróico, voltou a reinar na Bonanza Trail.  

Bate estradas – Touros ou vacas de bom caráter e espertos em trilhas, que tinham o dever de guiar a manada.
 
Bean, Roy – Obstante suas extravagâncias Roy Bean, nascido em Kentucky em 1825, pode ser considerado o pioneiro da justiça. Durante a Guerra Civil comandava um Destacamento de guerrilheiros, chamado por ele de “Os Vagabundos Livres”, mas que os habitantes da região chamavam de “Os Quarenta Ladrões”. Quando ficava bêbado, e ficava todas as noites, perturbava os presentes, falando do seu grande amor que tinha pela atriz inglesa Lily Langtry, que a viu somente uma vez e de relance. Transferido para o Texas e nominado Juiz de Paz, constituiu o seu próprio Palácio de Justiça, que era um bar e o sinalizou-o com algumas placas indicativas estranhas: “Law West of the Pecos” - A Lei a oeste de Pecos, “Judge Roy Bean – notary public” - Juiz Roy Bean notário público, “Justice of the Peace” - Justiça da Paz, “Ice Beer” - Cerveja Gelada, “The Jersey Lilly”. Seu último escrito foi em honra a uma mulher pela qual o juiz sonhava. A foto da atriz completava a decoração do bar. A atividade de Bean como juiz era aceita, sobretudo por seus “pontos de vista”. Um dia absolveu um cowboy que tinha matado um chinês, com a seguinte afirmação: “Não existe somente uma maldita linha nesse código e nem em algum outro que diga que é ilegal matar um chinês”. Quando fazia o casamento, encerrava a cerimônia com a seguinte reflexão: “Que Deus, tenha piedade de vossas almas”. Na última eleição para o cargo de juiz ele ganhou 100 votos a mais que os próprios eleitores votantes presentes. Terminava assim a sua “pitoresca” carreira de juiz. Bean morrerá com 80 anos. 

Bear River City – Desde que os trilhos da Union Pacific chegaram ao início de outubro de 1868 Bear River City, que até então era somente um embrião de uma colônia, habitada por Charles Deloney e seus lenhadores, esse local, cresceu rapidamente do dia para a noite. A noite do nada apareceu à ferrovia, surgiram os saloons, os primeiros hotéis e armazéns. E com a fuligem da fumaça do trem chegou tudo o que ele podia trazer: operários rudes, carpinteiros, comerciantes de whiskey barato, jogadores, prostitutas, comerciantes em geral, artesãos, aventureiros, pistoleiros e Legh Freeman com o seu Frontier Index. Após uma semana da chegada do trem, a população da cidade tinha crescido 10 vezes mais, após duas semanas 30 vezes e uma infinita fila de tendas, cabanas e casas, acompanhavam os binários. E com toda essa gente, chegaram também selvagens bandos de jovens arruaceiros, os quais já tinham sido expulsos de outras cidadelas. A partir daquele momento; homicídios e assassinatos faziam parte do confuso quotidiano da cidade. Para colocar um fim a tudo isso, surgiu Legh Freeman. Na noite de 11 de novembro ele e outros três cidadãos corajosos, capturaram três bandidos. Na manhã seguinte eles foram encontrados enforcados a um poste do telégrafo com bilhetes nos peitos: “Como advertência para os bandidos”. Em 13 de novembro de 1868, sexta-feira, Freeman estampava a sua advertência no jornal Frontier Index: “Todo o território sabe que sempre fomos contra a violência e que respeitamos a Lei, mas as condições de Bear River tornaram-se tanto fora de controle, que agora chegou o momento de colocarmos ordem. Dia 11 foram enforcados três delinqüentes. Todos aqueles que transgrediram a Lei, devem deixar a cidade até a meia-noite. Ou serão enforcados”. Uma semana depois Legh Freeman, teve que fugir. A sua tipografia tinha sido incendiada e foi queimado tudo dentro. Assim acabava um jornal que havia sido publicado poucas vezes e nesse curto espaço de tempo, tinha cumprido o dever de representar o direito dos homens livres.   
 
Beecher-Bibles – Em 1858 o predicador de Boston e opositor a escravidão Henry Ward Beecher, mandou 200 rifles Sharps em 6 caixas para o seu amigo e guia do Partido Antiescravista em Kansas, John Brown, declarando como se fossem “Bíblias”. O predicador tinha por sua vez recebido 5.000 dólares da Autoridade Eclesiástica para a compra de Bíblias para os fiéis que iam para o ocidente e explicava depois, quando Brown assaltou em 1859 a fábrica de armas do Exército dos USA a Hapers Ferry, com seus homens e os tais rifles Sharps, “que era mais útil e de grande efeito um só rifle Sharps no conflito dos negros, que 100 Bíblias”. Daquele dia, especialmente para os cowboys, todas as armas Sharps carregadas por trás e com cartuchos de alta velocidade, passaram a ser chamadas de “Beecher-Bibles”.
 
Beecher Island – Quando um trem do Kansas Pacific Railroad foi atacado e dois homens mortos, os exploradores do general George Alexander Forsyth seguiram as pistas e descobriram na manhã de 17 de setembro de 1868, grande parte dos Cheyennes Araphoes e Sioux, acampados perto do Republican River. Soube-se mais tarde que eram 970 guerreiros. Os homens de Forsyth, montados, atravessaram uma pequena ilha de areia em meio ao rio que em seguida tomaria o nome de Beecher’s Island, do subtenente Frederic Beecher, que foi morto no início da batalha. Os índios atacaram com uma fileira de 60 cavaleiros, comandados pelo cacique Roman Nose, dos Cheyennes do norte. Eles ignoravam que os soldados brancos estavam armados com rifles Spencer de repetição, com seis balas no carregador e uma no cano. O ataque foi recebido por disparos intermitentes, durante o qual o cacique Roman Nose, foi morto. Durante a noite, os “scouts” Pierre Trudeau e Jack Stiwell atravessaram as linhas inimigas para pedirem ajuda ao Fort Wallace. Eles encontraram durante o percurso um grupo de índios, caçando bisontes e esconderam-se na grama ala, onde Jack Stiwell encontrou-se frente a frente com uma cascavel. O scout então, sem nervosismo cuspiu-lhe nos olhos o tabaco que mastigava e livrou-se do intrometido réptil. Chegando a Fort Wallace, eles obtiveram reforços da Décima Cavalaria e partiram em socorro de Forsyth, que já tinha sido anteriormente ferido, várias vezes. 6 soldados tinham sido já mortos e 17 estavam feridos. O general declarou de haver matado 32 índios, mas, em seguida um guerreiro Sioux assegurou que entre seus homens havia 75 mortos; mais que o dobro.
    
Beef – (Manadas). Manadas compostas exclusivamente por touros, diferenciadas de manadas mistas com touros e vacas, chamadas “Cattle-Herd”.
 
Beef Bonanza – Ou seja, Mina de Ouro para Criação de Bovinos. Após o período do ouro e da prata no Velho Oeste, que tinha alvoroçado multidões, essa denominação tornou-se popular também fora das fronteiras dos USA, porque também os bancos, sindicatos e magnatas ingleses, escoceses, alemães e franceses, participavam na criação de bovinos, conseguindo um ótimo lucro. O próprio nome é derivado do título de um livro, que foi publicado em 1881 em Philadelphia e que fez muito sucesso: “The Beef Bonanza” - “How to Get Rich on The Plains”, escrito pelo general americano James S. Brisbin.
Bell Mare – (Égua de trabalho). Égua fiel, de confiança e de meia idade, de grandes carroções ou de bandos de cavalos, que eram seguidos por outros animais. A noite colocava-se um sino de cobre em seu pescoço e assim evitava-se fechar o cercado dos animais.

Belle Starr – A “Rainha dos Bandidos”, que foi amiga de Cole Younger. Filha de um aristocrático de Virginia conduzia a sua vida bandida, por puro espírito de aventura. Em 1889 seu corpo foi encontrado num mísero vilarejo de Missouri, perto de uma trilha, cravejado por balas. Jamais o assassino encontrado. Tinha preparado o próprio epitáfio, para a sua tumba: “Considero-me uma mulher, que aproveitou bem a vida”.
 
Bellknap, William – Secretário da Guerra de 1865 a 1872. Em 1876 foi processado e reconhecido culpado de haver enganado os índios das Reservas, manipulando os fundos para o abastecimento de seus depósitos, e conseguiu “ganhar” 25.000 dólares. Não foi um caso isolado, era somente mais uma das selvagerias com os índios, das inúmeras concebidas pelos brancos.  
 
Benjamim, Harrison – Foi presidente dos USA de 1889 a 1893. Era um homem impopular por ser muito reservado. Republicano, partiu com a intenção de rejeitar compromissos e de reformar a burocracia, mas suas intenções foram em vão. Foi ele que assinou o Before-Trust Act.     
 
Benjamin, “Pap” Singleton – A escravidão desapareceu. Em 1870 os negros obtiveram o direito de votar, em 1875 o Congresso aprovou a Lei dos cidadãos civis que garantia a todos eles, sem distinção de raça, acesso aos hotéis, aos meios públicos de transporte, aos teatros. Mas logo os negros notaram que nos Estados do Sul o exercício de seus direitos era sistematicamente “esquecido”. Pois nas plantações de algodão continuavam a trabalhar crianças, não recebiam salários, mas eram pagos com o próprio algodão. Os plantadores bloqueavam todos os tipos de emigração ao Norte, para continuarem com a mão de obra assim barata e escravizada. Benhamin “Papa” Singleton, chamado de o “Moisés dos Negros”, organizou então em 1875 a emigração em massa de seus companheiros. Os Democratas do Sul acusaram os Republicanos do Norte de favorecimento pelo êxodo dos negros para aquelas regiões eleitoreiras.         
 
Benjamim, Roberts – Filho de pioneiros originários da Virginia lutou contra os Nortistas, usando as mesmas armas utilizadas contra os índios, perto das fronteiras ocidentais do Estado, como centenas e centenas de homens como ele. O Texas estava longe dos campos de batalhas, porém sua posição era precária por sua vulnerabilidade de suas costas fronteiriças e pelas Guarnições Nortistas, sitiadas em Novo Mexico.  
 
Bernhardt, Sarah – Nasceu em Paris em 1844, foi uma atriz que não podia ser comparada a nenhuma outra ao mundo, era considerada a “Voz de ouro do Teatro” ou a “Divina Sarah”, e possuía inúmeros admiradores em todos os Países. O seu debuto triunfal na América aconteceu em 1880, a sua última turnê além-oceano, ocorrerá em 1918 quando, não obstante tivesse já amputada a sua perna, a atriz continuará a declamar sentada ou deitada. A imagem fotográfica faz parte de uma série que Sarah Bernhardt ordenou “para os meus íntimos e para a minha família”. Porém uma tirada com ela e sua amiga em seu apartamento de New York em 1896, que apareceu publicada no jornal “Mumsey’s Magazine”, bateu um recorde extraordinário, vendendo mais de 700.000 exemplares.
 
Bíblia 2 – (Biblie Two). Nome sarcástico que os Texas Rangers dava à lista dos procurados, publicada anualmente no escritório do ajudante geral, na qual geralmente eram nominados mais de 5.000 procurados. Esta lista era lida com grande atenção pelos Texas Rangers, como a própria Bíblia.
 
Bighorn – 1- Bighorn River, o afluente mais importante do Yellowstone River, com 880 quilômetros. 2 – Little Bighorn River, pequeno afluente direito do Bighorn River, em Montana, em meio u uma grande planície, que em 1876, perto da metade dele, foi palco da mais catastrófica batalha (O Sétimo Regimento de Custer), da história do Exército dos USA. 3 – Bighorn Basin, o vale do Bighorn River, circundada por montanhas. 4 – Bighorn Mountains, 3960 metros, o pico mais alto da cadeia montanhosa (Rock Mountains) no ocidente dos USA.     
 
Billy the Kid – O “Desperado” mais discutido dos USA, ainda quando vivo foi amaldiçoado e glorificado, como caridoso ou um simples cretino psicopata, era também distinguido pelo seu cinismo e por sua mira infalível. Nasceu em 23 de novembro de 1859 com o nome de Henry McCarthy em New York, deixou-a em 1875 após a morte da mãe chamando-se Henry Antrim quando esteve em Silver City e tornava-se com apenas 16 anos o cowboy William Bonney em Texas.  Possuía 1,52 mts de estatura, cabelos loiros e olhos azuis, com lineamentos regulares. Durante um inverno, o jovem comerciante Inglês John Henry Tunstall, que possuía um armazém em Lincoln City, New Mexico, e um pequeno ranch, dava trabalho a esse rapaz. Esse gesto de generosidade e também a forte amizade que ligava o jovem cowboy e o comerciante, talvez fosse o motivo que induziu Billy the Kid após a morte de John em 18 de fevereiro de 1878 a participar ativamente de uma “Guerra”, que no fundo não era sua, porque combatiam dois grupos opostos por interesses diversos. Em 1 de abril de 1878 o xerife William Brady e o seu vice George Hindman foram mortos em Lincoln por três homens, jamais identificados. Daquele momento, Billy the Kid com um punhado de homens temerários, continuo uma parte dessa guerra como sua vingança pessoal. Essa vingança custaria à vida de mais 300 homens. Quando esses combates tornaram-se intoleráveis, o governador Lewis Wallace anunciou em 7 de outubro de 1878, a proclamação de uma anistia do presidente dos USA, Rutherford B. Hayes, eu prometia impunidade a todos aqueles que depusessem suas armas e retornassem a um lavoro digno. Para Billy the Kid e seus assim chamados “Reguladores”, não sobrava que deixar o País ou assumir o banditismo. O fim seria inevitável; o bando de Billy the Kid foi aniquilado homem após homem e ele próprio foi preso em 20 de fevereiro de 1880 pelo xerife Pat Garret, numa casa perto de Stinking Springs. Em 30 de março de 1881 foi acusado de homicídio do xerife Brady pela Corte dos USA-District de Mesilla, em 13 de abril foi declarado culpado e em 15 de abril foi condenado à morte. Foi levado para a prisão de Lincoln, onde seria executado, mas ele escapou de sua cela em 28 de abril de 1881, após ter matado dois guardas. O projétil mortal disparado por Pat Garret atingia Billy the Kid em 14 de julho de 1881.   
 
Bisley Colt – Revólver construído pela fábrica de armas Colt em 1896 para melhorar o modelo Peacemaker, diferenciava-se desse pela empunhadura, que era maior, recurva e retangular; o cão era mais reto e o gatilho angular. Esse modelo foi construído até 1912. No total foram construídos 45.000 exemplares nos calibres: .32, .38, .41, .44, .45 e .450. O Bisley Colt foi muito usado, principalmente em disputas de tiros ao alvo. 
 
Blab – Um pedaço de lata, retangular com cerca de 15x20 cm, que era afixado com um caseado de fio de ferro perto do nariz do novilho, o qual devia ser desmamado. Esse objeto permitia ao novilho de pastar, mas não de se aproximar aos úberes da vaca. 
Black Bart – O mais famoso assaltante a diligências foi certamente Black Bart, um professor de Letras, que deixava sempre uma poesia no local de seus crimes. Antes que o bando de Jesse James aperfeiçoasse a técnica de assalto ao trem, as diligências da companhia Wells Fargo, que transportavam ouro e dólares, foram o alvo predileto dos audazes bandidos do Velho Oeste. A maioria desses bandidos eram sobreviventes da Guerra Civil Americana, incapazes de se reintegrarem novamente, na vida civil normal. Causa essa, passada de guerra a guerra, até os dias de hoje.
 
Black Hawk – Em ocasião das guerras de 1812, os índios Sawks e os Foxes dividiram-se; os Sawks, seguindo Black Hawks, uniram-se aos ingleses, enquanto que os Foxes aliaram-se aos americanos. Apesar do acordo assinado em 1808, Black Hawk o cacique não quis mais voltar para as margens oeste do Mississippi River, sustentando que o seu povo e ele mesmo estavam sendo manipulados. Houve então uma série de escaramuças, formando aquela que veio ser chamada de a guerra di Black Hawk, na qual participou com a função de capitão, Abraham Lincoln. Agindo como cacique supremo dos Sawks e dos Foxes, título usurpado e conferido pelo governo de Washington, Keokuk, assinou um tratado com os USA e aceitou que a sua gente andassem habitar nas margens do Rock River. Black Hawk, após ter severamente desaprovado a traição de Keokuk, organizou a resistência. Seus guerreiros, após terem combatido em Illinois e em Wisconsin, foram derrotados no verão de 1832. Black Hawk procurou refúgio ao Norte e capturado logo após, foi jogado numa prisão da Virginia. Em seguia a essa guerra, em 1832, foi criado um Batalhão com seis Companhias de Rangers a cavalo, que no ano seguinte foi substituído por dez Companhias dos célebres Dragões, comandados a partir de 1835, pelo coronel Stephen W. Kearny. 
 
Black Hills – Em 1874, por determinação do general Phil Sheridan, o general George Armstrong Custer partiu para uma expedição nas Black Hills, uma zona da grande Reserva dos Sioux. Tinha sido, contudo prometido aos índios, por meio de um tratado, que não seria feita jamais uma incursão naquelas terras. As Black Hills tinha siso antes ocupadas pelos Cheyennes e Kiowas, mas os Sioux, os expulsaram. Quando Custer visitou aquela região, não encontrou nenhum índio, mas os geólogos que o acompanhavam, fizeram importante constatação de ouro no terreno. O governo, então, tentou de obter uma negociação com aquelas terras, mas os caciques Sportted Tail e Red Cloud mostraram-se exigentes. Não obstante os avisos, os garimpeiros vindos de todos os locais, invadiram as Black Hills, desafiando não somente os índios, mas também o próprio Exército dos USA. Assim no início de 1870, foi uma verdadeira e própria corrida ao ouro, por lá.   
 
Black, James – O homem que construiu e fabricou a primeira faca Bowie. Nasceu em 5 de maio de 1800 em Hackensack, New Jersey. Em 1808 após a morte de sua mãe, foi para a Philadelphia e tornou-se aprendiz de ourives e foi para Washington, Arkansas, onde aprendeu a profissão junto ao fabricante de facas John Show. Em 1825 esposou Anna Show, a filha de seu mestre e abriu a sua própria oficina, perto do Cossatot River. O seu aço, o seu modo de temperar suas facas eram já famosos antes mesmo que criasse a faca Bowie. Depois, porém vangloriou-se de uma glória lendária e tornou-se rico. Em 1838 faleceu a sua esposa. O shock o levou para a cama com uma pulmonite aguda. Enquanto estava acamado, o seu sogro enlouquecido pela morte da filha atacou-o com um pedaço de madeira em testa, diante de seus quatro filhos pequenos. Gastou a sua fortuna, em viagens a procura de oculistas ou médicos em busca daquele infeliz ferimento. Continuou assim por anos a fio, até acabar em um hospício para indigentes, do doutor Isaac Jones, aonde veio a falecer aos 64 anos de idade, sem ter revelado a ninguém os segredos da sua magnífica profissão.  
 
Black, Jack, Ketchum – Enforcado em 1901. Black Jack (Thomas “Black Jack” Ketchum) foi um dos chefes de um dos bandos, que tinham seu refúgio no “Buraco na Parede”. Sua especialidade era assaltos a trens. Preso com as indicações do próprio irmão e condenado a morte por homicídio, observava da janela de sua cela os homens que montavam o patíbulo e disse a eles: “Bom trabalho, rapazes! Mas porque não derrubam toda a cerca, assim todos poderão ver o enforcamento de um homem, que nunca matou outro!”. O seu desejo foi realizado.  Como também o de ter alguém tocando um violino, enquanto morria. No exato momento em que colocavam o laço em seu pescoço, comentou: “Eu já estarei no Inferno, quando vocês começarem a tomar o café da manhã, rapazes!”.     
 
Black, William – O mais jovem soldado Nortista ferido em combate; não tinha ainda quinze anos. Os dois Exércitos possuíam um grande número de soldados jovens. Durante todo o percurso da Guerra Civil, 800.000 jovens que não haviam ainda superado os dezessete anos serviram nas fileiras da União.
 
Blaine, G. James – Quando aos negros foi dada a possibilidade de um emprego digno, eles os realizavam com extrema seriedade, para demonstrarem de ser a altura dos brancos. O líder Republicano James G. Blaine declarou, referindo-se aos negros que faziam parte do Congresso: “Seguem as regras, são homens honestos e ambiciosos, cuja pública conduta faz honra a qualquer raça”. Terminada a guerra, um negro em dez, tinha aprendido a ler; em 1870 a percentual subiria a 21%.
 
Blanket-Índios – (“Blanker” = Cobertor). Assim era chamado nas Reservas em contraposição aos índios “Farmer”, que tinham a intenção de serem agricultores. Os índios que se opunham a qualquer tipo de civilização (“Recalcitrants = Recalcitrantes) porque para eles, bastava o cavalo e um pedaço de pano ou pele qualquer, para viverem.
 
Blinder – (Blind). Pedaço de pele ou lenço dobrado, que era amarado nos olhos de um cavalo bravio, antes que o cavaleiro o montasse. Apenas montado na sela, o cowboy, tirava o Blinder.
 
Blizzard – Tempestade ou ventania proveniente do noroeste, que são o prenuncio de tormentas de neve e intenso frio. Durante essas tempestades, que começavam inesperadamente, o trabalho mais duro do cowboy era de levar ao reparo o gado que geralmente vagava nas pradarias, entre árvores, altas rochas ou nos vales. Geralmente a boiada corria diante da ventania ou com ela própria, afastando-se assim centenas de milhas do próprio pasto, apavorados entre muita poeira, ou neve, caiam em rios ou penhascos, dispersando-se em todas as direções. As principais vítimas nessas ocasiões eram os novilhos, o boi doente ou fraco. Durante essas transformações climáticas, o cavaleiro permanecia junto a seus animais, sempre.    
 
Blood Tanks – Encontra-se em Gila County a cabeceira do Blood Tank’s Wash, um pequeno rio, que antes da batalha de “Blood Tanks”, era conhecido como o afluente ocidental do Pinal Creek. Em 24 de janeiro de 1864, King S. Woolsey com seus homens da Prescott e 15 índios Maricopa, acampavam-se numa depressão no solo em forma de poço a margem do rio. Sobre uma colina perto, encontrava-se o acampamento dos Apaches. Woolsey os convidou uma noite em seu acampamento e aconteceu uma discussão. De repente os homens de Woolsey abriram fogo sobre os convidados e após dez minutos, existiam 60 Apaches a menos em Arizona. O sangue deles escorria para o rio e mesclava-se com a água. A partir daquele tempo o rio ficou chamado assim, bem como a cidade perto.
 
Bob Ford – “Jesse W, James ou simplesmente Jesse James, morreu em 3 de abril de 1882, com 32 anos, 6 meses e 28 dias; assassinado por um vil traidor, cujo nome não é digno em aparecer aqui”.  É a escrita do epitáfio na tumba de Jesse. Bob fazia parte do bando dele e que assassinou o chefe, para ganhar a recompensa. James tinha lhe dado às costas, para ajeitar um quadro na parede, de sua casa. Os jornais publicaram a notícia nas primeiras páginas com títulos enormes: “O Dia do Juízo para Jesse”, “O implacável bandido morreu com as botas”, “Adeus, Jesse”. Em outubro do mesmo ano Frank James, irmão e amigo inseparável de Jesse, entregou-se dando seus próprios revólveres ao governador de Missouri. Processado por seus inúmeros delitos foi absolvido porque possuía ótimos e poderosos amigos. Morrerá em 1915, em sua própria cama.

Bonito – Vilarejo em forma de uma enorme fortaleza, que podia hospedar 2.000 pessoas, em 500 quartos, distribuídos em diversos andares. Numerosas escadas circulares permitiam chegar de um terraço ao outro e eram retiradas, em caso de ataques. Construído em pedra e adobe, ou seja, tijolos feitos com palha cortada e barro seco, esse edifício era alto três ou cinco andares e circundava um quintal fechado por uma construção térrea; portanto era uma fortaleza formidável. As cerimônias religiosas aconteciam em alguns aposentos, os chamados “Kivas”, que ocupavam do toda a maior parte desse local. Os produtos cultivados pelos índios eram similares aos aqueles dos Índios Pueblos de hoje; grãos, milho e algodão, com o qual teciam os tecidos usados na confecção de roupas. 
  
Booker, T. Washington – Foi o primeiro mais famoso negro dos USA. Nascido escravo em 1856, fundou em 1881 o Instituto Normal e Industrial para negros, em Tuskegee, Alabama. O seu objetivo, o qual nenhum governo o fizera antes, era o de educar os negros, para inseri-los na sociedade. Quando morreu em 1915, os Institutos por ele criados, tinham se multiplicado e dezenas de milhares eram os negros que freqüentavam com grandes proveitos, seus cursos.       
 
Boone, Daniel – O Fort Bonesboro foi construído por Daniel Boone, para a colonização do Kentuck. Suportou em 1778 um sangrento ataque índio da tribo Shawnee, sob o comando do cacique “Peixe Negro”. Naquela ocasião as mulheres dos colonos combateram ao lado de seus maridos, no qual muitos morreram em defesa de Kentuck que em língua Shawnee significava “Terra Sangrenta”. Foi ele que também ao lado de alguns companheiros, disse: “O Lugar mais lindo que um caçador pudesse sonhar: o Monte Pilot’s Knob”. O vale do rio Kentuck, era habitado por inúmeras aves selvagens. Ao fim da guerra com os Ingleses, ele começou a guiar os pioneiros até Kentuck, Tennessee, Ohio e não apenas essas regiões foram colonizadas, Daniel Boone estabeleceu-se no vale do Missouri, ainda inexplorado.
 
Bonnet – Ornamento para a cabeça dos índios de tantas tribos, feito com penas.  Originalmente era usado pela tribo dos Sioux e foi adotado, em seguida por outras tribos. Consistia em uma tira feita com pele mórbida, no qual eram costuradas penas e plumas das asas e rabos de águias. Os caciques usavam os chamados “Trailor”, ou seja, longas tiras de couro repletas com penas, que iam até o solo; tornando-as exuberantes.
 
Booth, Wilkes, John – Em 14 de abril de 1865, cinco dias após o fim da Guerra Civil Americana, Lincoln assistia com sua esposa, no Ford’s Theatre de Washington, a representação da comédia “O Nosso Primo Americano”. Após as 22h00min horas, John Wilkes Booth, um ator conhecido, fanático e adepto a guerra, entrou no camarote, onde o presidente estava; pois o soldado de guarda, tinha se afastado para tomar algo, e dispara dois tiros na nuca de Lincoln, exclamando: “Sic semper tyrannis” (Sempre assim aos tiranos), depois salta ao palco e mesmo quebrando sua perna, consegue escapar com um cavalo que seu amigo David Herold, tinha preparado. O Presidente morria as 7:00 da manhã, sem recobrar a consciência. John foi morto dia 27 de abril, após uma ferrenha caçada humana, alguns soldados o encontraram escondido, num celeiro que esperava um transporte, para ser medicado. Uma bala, disparada entre um vão do edifício, atravessou-lhe o pescoço. Pela manhã tinha pedido para ver suas mãos, pois não às conseguia movê-las. David, que estava com ele as levantou um pouco e ele simplesmente murmurou: “Inúteis, inúteis,” foram suas últimas palavras. David entregou-se normalmente, seria enforcado em 7 de julho de 1865, juntamente com seus cúmplices: Mary Surrat, Lewis Payne, e George Atzerot.      
 
Boothill – Segundo algumas interpretações, simplesmente cemitério dos pioneiros. Assim foi chamado primeiramente o cemitério de Dodge City, Kansas. Boot = porque quase todos os homens eram sepultados com suas botas calçadas e Hill = porque o cemitério era situado numa colina. “Assim os pecadores ficavam mais próximos do céu”. Alguns afirmaram que lá só eram enterrados homens violentos, que tiveram sua morte pior ainda, porém algumas investigações sobre o West descobriram que somente uma mínima parte das sepulturas era de mortos padecidos em tiroteios. Após Dodge City muitas outras cidades e cidadelas usaram a indicação “Boothill” e algumas delas, tiveram certa importância na história.  
 
Boots – (Botas) de um cavalo: (A booted horse) “Um cavalo com botas”. Um cavalo que ao galopar tinha a tendência a arrastar as patas anteriores com os cascos vinha protegidos com as chamadas “Boots” (Polainas de pele), evitando-se maiores danos ao animal.
 
Bosal – (Em espanhol: Bosalea, bozal = focinho). Nome dado pelo cowboy do sudoeste para um artefato para o nariz, usado para domar cavalos bravios; que era inserido acima e debaixo do nariz do animal, feito com plaquetas de ferro curvadas, parecendo feros para marcar gado, que eram amarradas com tiras de couro trançadas e tinham em ambos os lados anéis de ferro, os quais eram fixados as rédeas. Um forte puxão a esse “instrumento da boca” ou do nariz, ao animal selvagem, provocava dores e feridas ensangüentadas e daí, sabia-se reconhecer um cavalo domado por um Bosal.
 
Bovinos – A criação de bovinos nos USA é variado como nenhum outro ao mundo. Os animais trazidos pelos Conquistadores Espanhóis, do Sul para a América do Norte eram da pura raça Andaluzia, enquanto que os primeiros colonizadores da Nova Inglaterra trouxeram de lá as raças inglesas: Durham e Devon e mais tarde também a raça negra Escocesa: Aberdeen-Angus. Mas somente a raça Espanhola escapou para terras inexploradas e multiplicou-se em milhares de exemplares, nascendo assim à raça Texana Longhorn, que ainda hoje é para o cowboy americano o símbolo de uma raça forte, combativa e selvagem. A difusão da criação bovina, muito além do Texas, onde as condições climáticas e geográficas tinham originado a raça Longhorn, levou a provas aventureiras de cruzamentos entre o Longhorn e todas as outras raças existentes na terra, tentando criar uma raça ideal e ao mesmo tempo rentável, que fosse adaptada a todo o território Americano. A raça Indiana Brahma, forte e resistente, parecia no início ser a melhor para tais cruzamentos. Da Brahma X Longhorn obteve-se a Bralong. Da Brahma X Angus obteve-se a Brangus. Da Brahama X Hereford obteve-se a Braford. Da Brahma X Charolise obteve-se a Charbray. Mas tais resultados não se afirmaram até que o “Rei dos Bovinos” Richard King, cruzasse a Brahama X Shorthorn, nascendo assim a Santa Gertrudes. Os bovinos dessa raça pesavam 200 libras mais que os demais da mesma idade. Todas essas raças Americanas são principalmente raças de carne, o que quer dizer que suas vacas dão somente o leite durante o aleitamento do bezerro. Esse pequeno macho até um ano de idade é chamado de “Yearling”, até o terceiro ano de “Bull” e até o quarto ano de “Steer”. Depois todos os animais sem distinção de sexo, são chamados de “Stock” ou “Beef”.   
 
Bovinos da raça Durham – Raça de bovinos inglesa, introduzida pela primeira vez em 1841 por um colono inglês de Matagorda, Texas e doada pela Rainha Vitória a um coronel texano em 1848. Os cowboys atiravam nesses primeiros exemplares, que possuíam as patas menores que as dos Longhorns e eram mais fortes e com uma andadura mais desengonçada, já que não queriam “gado cansado de matadouro”, mas sim “gado guerreiro”.
 
Bovinos selvagens – Principalmente todos os bovinos da raça Longhorn, que criados ao estado livre, cruzavam com bovinos da raça Andaluza, que tinha sido importada pelos Conquistadores Espanhóis, resultando no que chamavam de “Bovinos Selvagens”.
 
Bovinos sem chifres – (Polled Cattle). Termo usado para designar os bovinos aos quais tinham sido cortados os chifres e também aqueles que não possuíam chifres por natureza, como por exemplo, os da raça Angus de Aberdeen, que era chamado pelos cowboys também por “Polled Angus”.
 
Box Canyon – Barranco semelhante a um saco, ou então riachos secos com margens ríspidas, pelos quais os cowboys levavam a boiada durante as tempestades de neve, para evitar maiores perdas.
 
Bowie – James Bowie (Jim) nasceu em 1796 no Kentuck, transferindo-se em 1800 com seus genitores para Catahoula em Lousiana, onde de pequeno já matava aligátores a faca. Em 1818 com sue irmão Rezin deixa a casa dos pais e vai para Galveston, Texas, onde compra 2 dólares ao quilo, escravos negros do pirata Jean Lafitte, em sua ilha-fortaleza em San Louis Island. No giro de três anos os irmãos ganhavam 65.000 dólares com o comércio de escravos. Depois Bowie especializou-se na compra e venda de terrenos, e ganhou em dois anos mais de 100.000 dólares. Ao mesmo tempo os irmãos construíam em Lousiana o primeiro moinho para cana de açúcar, que funcionava a vapor e venderam em 1827 por 90.000 dólares, foi quando o Alexandria Bank retirou o crédito deles, pois haviam mais de 500.000 dólares em débitos. Depois perambulou, entre muitas aventuras e das quais se saia muito bem com a sua faca. Casou-se depois com a espanhola Maria Ursula e embolsava 15.000 dólares em ouro e 222.800 dólares em bens imobiliários, como dote. Quando em outubro de 1835 começou a Guerra da Independência do Texas contra o Mexico, Bowie doente de tuberculose combatia ao lado de 92 voluntários sob o comando do coronel Fannin contra 400 atiradores de elite mexicanos, dos quais 200 foram mortos. Quando outros soldados mexicanos ameaçaram San Antonio, Bowie, já como coronel, atacou-os e afastou-os. Nos últimos dias de fevereiro de 1836 o presidente Mexicano em pessoa, com 6.000 soldados regulares, guiou uma expedição punitiva contra os Texanos. Jim Bowie foi morto em 6 de março de 1836, durante o ataque a Álamo. Os inimigos encontraram Jim Bowie moribundo, ao meio de 22 soldados mortos, por sua faca Bowie; o seu caixão e restos e a sua famosa faca “El Diablo Americano” foram queimados. Após tantos anos seus descendentes possuem dificuldades ainda atualmente em saldar os débitos de Jim Bowie, em intermináveis processos.     
 
Bowie (Faca) – Faca de combate com lâmina pesada, de 14 polegadas (35 cm) de comprimento e de 2 polegadas (5 cm) de largura e com um dorso para corte que mede 6 cm na ponta, pesada um quilo, com o cabo de cobre e zinco, longa 7,6 cm. Em dezembro de 1830 James Bowie solicitava o protótipo dessa faca com um modelo de madeira, ao armeiro James Black de Hempstead, Arkansas. Após quatro semanas, originária de um aço especial, endurecido segundo um método complicado por mais de três semanas, ela estava pronta. Como demonstração o armeiro cortou por uma hora, um pedaço de lenha seco em dois pedaços, fazendo a própria barba com aquela lâmina. Enquanto retornava da visita que fizera a James, atravessando a velha Sudwest-Trail para o Texas, três homens do bando cujo chefe era “Blood Jack” Sturdivant, esperavam James Bowie em uma emboscada.  Após 30 segundos os bandidos estavam mortos ao chão, um com o coração furado, outro com a garganta cortada e o terceiro com a cabeça cortada em duas partes. Essa luta espetacular e outras aventuras com similares resultados deram não só glórias ao homem, como a própria faca. Começava então a Era da “Luta honrada da faca Bowie”, nos Estados ocidentais dos USA, que dava assim o troco à moda dos duelos com revólveres. A partir daquele momento as disputas de honra entre gentis homens eram feitas com a “Faca Bowie” (semelhantes a espadas curtas), cuja indústria Inglesa de aço Sheffields, exportaria a partir de 1831. Milhares de exemplares para todos os rincões dos USA. Para o cowboy a faca Bowie era um objeto essencial: ele a usava para moer e comer, para cortar árvores, para procurar água em rios secos, para cortar cascos e chifres, para fazer a barba, para fazer cercados, para cortar saltos e solas de botas, como espeto e como arma contra lobos, pumas e índios. As disputas de honra o cowboy não as resolvia jamais com armas ou facas, mas sempre e somente com o revólver.    
 
Brady, Mathew – O fotógrafo da Guerra. A maioria das fotografias existentes sobre a Guerra Civil Americana, pertencem a Mathew Brady, um irlandês que seguiu as tropas da União com o encargo especial de documentar os acontecimentos mais notáveis. Após a batalha de Bull Run, envolto pelas tropas em fuga, vagou perdido, por três dias pelas florestas. A guerra também fez nascer nos USA os enviados especiais dos principais jornais europeus.
 
Brant, Joseph – O seu nome verdadeiro era Thayendanega. Foi um famoso cacique dos índios Mohawks que lutou ao lado dos Ingleses, contra os Americanos. A sua família vivia perto de Canajoharie, no Estado de New York. Nasceu em 1742, enquanto seus genitores participavam a uma expedição de caça. Seu pai era um Mohawk puro, mas sua mãe tinha sangue Europeu nas veias. Após a perda do pai, quando era ainda menino, sua mãe casou-se novamente com um branco chamado Brant. Daí ele tomou o nome de Joseph Brant e quando sua irmã casou com Sir William Johnson, foi morar na casa do inglês. Quanto tinha treze anos uniu-se aos índios que, em 1755, sob as ordens de Sir William participando a batalha de Lake George. O seu superior se interessou e o mandou para a Escola de Lebanon em Connecticut, onde aprendeu a ler e a escrever o inglês. Em 1763 participou na Expedição de Sir William em Niágara e sempre no mesmo ano, participou na guerra de Pontiac. Mais tarde casou com a filha de um cacique Oneida e em 1765 morou na antiga habitação de família o Canajohanie Castle. Quando sua esposa morreu, casou-se com sua irmã adotiva. Nesse mesmo ano foi para a Inglaterra onde foi recebido com todas as honras e recebeu o título de coronel do Exército Britânico. Durante a Revolução, tomou parte de inúmeras batalhas e principalmente aquela de Cherry Valley, durante a qual foram massacrados muitos brancos. Uma vez terminada a hostilidade, dispensado do exército, estabeleceu-se num terreno que se estendia por seis milhas as margens do Big River, em Ontário. Homem muito inteligente traduziu em sua língua Mohawk o Novo Testamento. Morreu em 24 de novembro de 1807 e foi sepultado na pequena igreja que tinha mandado construir a três milhas de Brantford, em Ontário. Sobre sua tumba foi erigido um monumento que portava os dizeres: “Esse túmulo foi erguido em memória de Thayendanega o Capitão Joseph Brant, cacique e guerreiro das Seis Nações Indígenas, de seus amigos admirados por sua fidelidade e de seu respeito e obediência a Coroa Britânica”. Em 1873 um médico e alguns estudantes de medicina, profanaram sua tumba e roubaram o seu cadáver.
 
Brasada – (Em espanhol: abrasado = queimado). Região que se estendia aos pés do Cap Rock Plateau no Texas ocidental no meio dos rios: Colorado, Brazos, Pease e Wichita, para o sudoeste, com inúmeros e profundos penhascos, crateras, formações rochosas calcarias, coloridas em cores ferrugem e amarela, recortada também por centenas de riachos arenosos, vegetação desértica. Lá cresciam muitos tipos de cactos e os arbustos espinhosos mais alto que um homem, formando por milhas, uma barreira natural, insuperável. Nos primeiros anos do crescimento dos bovinos, os criadores de gado que habitavam na Brasada ou “Brushland”, não se interessavam pelos milhares de bois selvagens. Esses Longhorns, também chamados de “Cobras dos Espinhais”, “Leões de Precipício” ou “Animais do Inferno”, estavam totalmente adaptados a viver entre aqueles arbustos, que metiam medo até aos lobos e pumas. Muitos deles havia na cabeça, chifres e dorso, uma cobertura de um extrato de musgo, verde oliva e espesso um dedo. Nos anos 80, quando as grandes manadas de bois selvagens da planície tinham já encontrado um bom tempo seus proprietários os chamados “Brush Rancher”, cowboys especializados em retirar os Brasada Longhorns daquele Inferno. Isso só era possível com enorme fadiga e com perdas e muitos ferimentos.     
 
Brasada-equipamento – O equipamento para o cowboy nos locais inóspitos e espinhosos era totalmente diferente daqueles das planícies. Serviam principalmente contra os espinhos, geralmente imensos e finos. Os chapéus possuíam uma pequena aba e eram de pele grossa, também usavam pesadas jaquetas em couro e luvas também reforçadas, feitas a modo de asas de morcego = “bat wing chaps”, protegiam o cavaleiro. Os cavaleiros protegiam também seus animais com peitorais, perneiras e cabrestos frontais feitos em couro. O laço naqueles locais desolados, geralmente era utilizado. Usavam geralmente cães amestrados (catch dogs) em seus manejos, para o transporte dos Mossyhorns. Como podem observar algo bem parecido, com as vestimentas do vaqueiro nordestino brasileiro.

 
Brass Boy – Nome sarcástico dado ao primeiro rifle Winchester com fechamento inferior com leva, carregador em forma de tubo e caixa de cobre, que em 1866 saiu no mercado como Winchester 66, calibre .40, arma de fogo a repetição com capacidade de 16 cartuchos. O raio de ação dos cartuchos era pequeno e a eficácia por causa da possibilidade de atirar 16 tiros em menos de 8 segundos, era enorme.

Bridger, Jim – Viveu por longos dezessete anos longe da civilização, nutrindo-se exclusivamente com aves selvagens. Foi um dos mais famosos caçadores de castores. Falava todos os dialetos indígenas e era capaz de desenhar com grande exatidão de detalhes, mapas de cada região do West, com um simples pedaço de carvão em papel. A ele é atribuído à descoberta do Grande Lago Salgado e o Passo do Sul, das Montanhas Rochosas.
 
Bronco – Em espanhol: selvagem, duro. Nome atribuído a todos os cavalos pequenos e fogosos. 
 
Bronco Buster – Indicação para um cowboy, cuja especialidade era a de “quebrar” ou simplesmente a de domar um cavalo selvagem. O domador, ou Bronco Breaker, Bronco Peeler, Bronco Snapper, Bronco Stomper, Bronco Twister, fazia exclusivamente esse trabalho. Ele ia de um ranch a outro e domava por cinco dólares os cavalos selvagens, dentro de uma pequena cerca, montando em sela a esse animal, iniciando uma grande luta, que geralmente durava mais de uma hora e era muito perigosa. Quando finalmente o cavalo era subjugado, abria-se a cerca e deixava galopar o cavalo “quebrado”, no sentido verdadeiro da palavra, fazendo entrar no recinto o próximo animal arisco. Nos anos 80 teve início métodos menos brutal e a maioria dos ranchs dava quotidianamente emprego a qualquer Bronco Buster, cujo dever era habituar os cavalos selvagens com amor e com a “arte de encantar” esses animais, serem domados, com a menor crueldade possível. 
 
Brooklyn – 1- A grande ponte suspensa do mundo – Sua construção deu-se início em 1870, sendo aberta ao tráfico em 24 de maio de 1883 e custou mais de 25 milhões de dólares. Une Manhattan ao Brooklyn através do East River, um afluente do Hudson. Longa 485 metros e alta 40 metros sobre a água é uma das pontes mais longas do mundo. Os americanos são orgulhosos dessa construção. Em 1878 foi inaugurado, no centro de New York, o primeiro trajeto da ferrovia sobrelevada. – 2 – Brooklyn – Foi a Marinha Americana que rendeu definitiva a conquista de Cuba. Em 3 de Julho de 1898 a frota do almirante espanhol Cervera (quatro cruzadores e três torpedeiros), que estava bloqueada no porto de Santiago até 19 de maio, zarpa para tentar uma fuga, porém é destruída pela frota americana. O cruzador Brooklin recebeu a nave americana New York.    
 
Brown, John – Em 1859 John Brown um abolicionista que havia começado uma “espécie” de guerra privada, fuzilando os proprietários de escravos e atacando propriedades meridionais, foi capturado, julgado, condenado e enforcado em Virginia. Foi por muitos julgado um homem perigoso e exaltado, por outros se tornou uma figura lendária de mártir pela liberdade. Uma canção Nortista cantada durante a Guerra Civil seria “A marcha de John Brown”.      
 
Browning – Rifle. Dos tantos modelos que construía a empresa Browning Bros., de Odgen, Utah, para o cowboy e o pioneiro somente um modelo foi de grande importância: o Browning Winchester Rifle de um só tiro, de 1876, calibre .45-70, que foi produzido até 1920.  
 
Brunnel – “Embalsamamento de mortos”, “Fique longe da porta – perigo de infecção” e “Embalsamação – Doc Bunnel” advertiam os transeuntes de uma mísera cabana, perto de um campo de batalha, iguais a tantas outras. O embalsamamento era muito usado, durante a Guerra Civil, especialmente entre as fileiras Nortistas, que muitas vezes seus soldados eram provenientes de regiões distantes a milhares de quilômetros. Os caixões eram, quando possível, enviados para suas famílias que providenciavam as despesas.
 
Brush – Novilhos selvagens que viviam exclusivamente nas regiões de Brasada. Eles podiam ser pegos somente quando estavam fracos, conseqüentemente não eram perigosos aos cavaleiros. Então se amarrava os novilhos capturados, no local, com a cabeça e chifres a uma árvore e deixava-os ali por um ou dois dias. A sede tirava deles toda sua impetuosidade, seguindo assim depois o cowboy pelas planícies, com as patas anteriores amarradas com cordas aos chifres, de maneira que pudessem dar pequenos passos. Eles entravam nos currais juntamente com uma manada de novilhos domesticados e ali eram demoradamente obrigados a esquecer da vida selvagem. Para evitar que eles retornassem a Brasada, colocavam-se pequenos palitos de madeira entre suas pálpebras, ou talhava-se a pálpebra superior. Assim sendo quando os primeiros ramos da vegetação batendo em seus olhos, eles voltavam para trás. Mesmo permanecendo muito agressivo e representando perigo aos cowboys e os demais bovinos, serrava-se a ponta dos chifres, limando-os depois bem. Eles eram tão fortes e resistentes que superavam qualquer adversidade, aumentando ainda mais de peso, durante as caminhadas para o Norte, com as boiadas e isso tornava o aumento de preço de venda, feita pelos Brush Ranchers.    
 
Brush Popper – (Um que enfia os dedos no nariz). Termo sarcástico inglês, para indicar aqueles cowboys que deviam tirar das matas espinhosas, os novilhos da raça Longhorn.
 
Bryant, Cullen, William – 1794/1878.  A “era” de ouro da literatura americana, no período de 1830 e 1860, pertenceu a Bryant, cuja poesia mais famosa foi “O Campo de Batalha”
 
Buchanan, James – De 4 de março de 1857 a 3 de março de 1861, o presidente dos USA foi o democrático James Buchanan; um homem fraco, favorável à escravidão nos Estados do Sul. Teve como seu ministro da justiça, Jeremiah Black.   
 
Buck, Rufus – O pior de todos os bandos de bandidos, que deixavam o West inseguro, foi sem sombra de dúvidas, o bando de Rufus-Buck. Ele era um índio Yuchi (Euchee) de sangue puro, Lewis Davis, Sam Sampsom e Meome Juli eram autênticos índios Creeks, enquanto que Luck Davis era um mestiço de raça índia Creek com a negra. Em 7 de julho de 1895 o bando entrou repentinamente em ação e cometeu em seis dias, quatro assassinatos e no espaço de um mês, 40 assaltos e 16 homicídios. Os índios brutalizavam as mulheres e jovens, sob os olhares impotentes dos maridos e pais. Esse bando tornou-se o mais vil, justamente por esses atos. Os índios Creeks estavam assim furiosos e indignados que colocou toda a polícia do Regimento “Mustang” em seu encalço.  Os policiais índios caçavam seus próprios companheiros de tribo em todo o País e um dia os fizeram cair nas mãos dos US-Deputy Marshals: Heck Thomas, Bud Ledbetter e Paden Tolbert. O bando de Rufus foi debelado durante um tiroteio que durou três horas. Os Marshals os algemaram e foram colocados num carroção-prisão e os levou diante do juiz Parker, que os condenou a morte. Em junho de 1896 todos os cinco assassinos subiam o cadafalso e morriam enforcados, juntos.     
 
Buckaroo – Deformação inglesa da palavra: Vaquero. Assim eram chamados os cowboys em Califórnia, que conseguiam dominar um cavalo selvagem.
 
Buckboard – Carroção com quatro rodas com o seu cambão baixo. Sua estrutura era fixada sobre as molas transversais em formas de foices, cujas partes terminais eram unidas respectivamente com os eixos das rodas; veículo indispensável para pequenas distâncias e para pequenos carregamentos. 
 
Buckshot – Também conhecidas como “Jogo com a corça” ou “Jogo com o porco”, bolinhas de chumbo com diâmetro de 6, 6 ½, 7, 7 ½ e 8 mm, com as quais eram carregados os cartuchos dos rifles de caça. Em cada um deles, cabiam quase 7, 9, 11, 13 ou 15 bolinhas, os quais possuíam um efeito terrível se fossem disparados a uma distância de 50 metros. Destes buckshots usados, especialmente em tiroteios aproximados, surgiu o ditado popular: “reduzir alguém em pedaços”. Eram usados tais cartuchos também, em espingardas com os canos cerrados, os conhecidos cartuchos “Multiball”, carregados com três dessas pequenas esferas no cartucho de metal e o restante com pólvora. A 100 metros de distância esse “Multishot” tinha um efeito quase que explosivo.   
 
Buckskin – Jaquetas, calças e coletes feitos com pele de cervo ainda hoje os prediletos dos cowboys americanos, porque não existe nada mais prático e melhor. Depois que era tirada a pele dele, estende-se com muita atenção fixando-a ao chão com pequenas lascas de madeira e tira-se todo o pelo com escovas próprias e urina. Depois ela é manipulada, sendo passado nela o cérebro do animal, lentamente espalmado em seus poros. Depois é batido nela alguns saquinhos de pele com areia dentro. Logo após, quando a pele crua ficou mórbida como a lã e impermeável como a borracha, ela é costurada como um saco em forma cônica e pendurada com a parte aberta sobre uma pequena fogueira. Segundo a cor desejada, do amarelo mel até o marrom avermelhado, usando como combustível do fogo o cedro branco ou vermelho ou o fruto seco chamado “Acorn” = Bolota. A fumaça fecha os poros e a faz tornar-se resistente e flexível, assim que for molhada, permanecerá macia.  
 
Buffalo – Nome dado pelos americanos, aos bisontes, ou bisões nos EUA. Os historiadores continuam indecisos sobre a palavra “Buffalo”, como nome para o bisão norte-americano, embora algum especulasse que os primeiros exploradores Europeus comparassem o bisonte desconhecido para o búfalo mais familiar Africano e Asiático. Uma visão relacionada é que a palavra búfalo seja derivada de termos usados em outras línguas, para descrever aquele animal simplesmente estranho, como; buffles, buffelo, buffes e outros. Aliás, alguns deles (bufle e buffe) são semelhantes os quais eram nominados, para definir qualquer animal que tivesse um bom couro.  O bisonte era um animal indispensável aos índios das planícies que, sem eles, não poderiam ter sobrevivido. O “Buffalo” que preenchiam as planícies do Oeste (afirma-se que fossem mais de 60.000.000) fornecia aos habitantes da terra tudo o que podiam para alimentar-se, vestir-se, para confeccionar milhares de objetos de primeira necessidade e também para o combustível que alimentava suas fogueiras.  Um explorador que visitara os Kiowas escutou um dia essa lenda: “O Grande Manitou plantou desde o primeiro dia, as margens de um grande rio, a “Árvore da Vida”, cujos ramos subiam altos em direção ao céu. Através desses ramos todas as criaturas desceram para a Terra. Os últimos a descer foram os índios, um casal de Kiowas que, passeando admiravam as maravilhas do Criador. Encontraram o bisonte e eis que o Grande Espírito apareceu para eles e disse: “Esse é o bisonte. Ele será o vosso alimento e darão o que vestir, mas atenção, quando o verem desaparecer da face da terra, fiquem sabendo que para vocês os Kiowas, o fim estará próximo e para todos, o sol desaparecerá”. A existência dos bisontes foi uma questão de vida ou morte para os índios. O desaparecimento desses animais, absurdamente massacrados pelos brancos que os caçavam sim, por sua carne e pele, mas que os abatiam também sem razão alguma, estupidamente, para serem fotografados, ou somente para mostrar a um amigo, da plataforma de um carroção, que era o melhor caçador, sinalizou o declínio dos índios, como tinha sido mencionado na lenda Kiowa. Eles obtinham sua alimentação; uma carne sadia que cortavam em filetes pequenos e faziam com que secasse ao sol. Essas tiras eram reduzidas em pó pelas índias com pilões de pedra. Esse pó era o “Pemmican”, que podia ser conservado por muitos meses. Não se perdia nada. Tudo era minuciosamente conservado: a carne, o fígado, o cérebro, os nervos e os tendões. Até o conteúdo do ventre e os cálculos encontrados nos rins ou na bexiga, pois serviam para fazer uma tinta mágica. Segundo o uso que era destinado, a pele passava por vários tratamentos. O manto era usado para confeccionar roupas e na estação fria, o pêlo servia de leito improvisado, enquanto que a pele servia de cobertor. Também o couro, segundo o uso, fazia-se tratamentos diferenciados. Macio, vinha usado para confeccionar mocassins, perneiras para os homens e roupas femininas. As peles serviam também para construir os “Teepes” ou os “Wigwams” e nesse caso, elas eram reunidas e costuradas, apesar de um inconveniente; os cães as dilaceravam. As peles trançadas formavam cordas sólidas que podia ser feitas também com finas tiras de couro. Com o couro podia construir recipientes que eram usados em fogueiras e serviam para o cozimento de alimentos. Os índios Mandans em Dakota faziam com o couro pequenas embarcações redondas, facilmente transportáveis, os “Bull-boats”, que permitiam atravessar cursos d’água. Com o couro extraído do pescoço do novilho fabricava-se escudos sólidos que resistiam balas de mosquetões. O couro mais utilizado pelos índios era o “Raw Hide”. A pele do animal era estendida ao chão. As mulheres raspavam o que ainda sobrava da carne e a pele ficava exposta ao sol por vários dias. Uma vez seca, era colocada por três ou quatro dias, no leito de um riacho, ou enterrada no solo após ter sido passado brasas na parte dos pêlos, que, dessa maneira, desapareciam.  Era chamada de “Shaganappi” ou “Aço Índio”. Os índios os usavam para o cabo das armas de guerra, caixas dos tambores e para todos os objetos que exigiam certa solidez. A pele bruta, uma vez sem os pêlos, serviam para confeccionar uma espécie de caixa dobrável ou saco, chamado “Parflèche”, no qual os índios conservavam o pemmican, colocavam suas roupas, jóias e outros pequenos objetos.  As costelas dos bisões transformavam-se em canos, ou uma espécie de taco para golfe, ou mais exatamente para hokey, com os quais os índios, durante o verão na grama das pradarias, ou no inverno sobre as águas congeladas, dedicavam-se a intermináveis partida de “Lacrosse”; jogo mais conhecido pelas tribos. As costelas menores serviam para fazer patins, para trenós usados durante o inverno e puxados por cães. Os pêlos dos bisões serviam para embutir a parte interior das selas ou os travesseiros, enquanto que os pêlos da barba do animal, desejados, eram usados para fazer adornos e enfeitarem os escudos dos guerreiros. Os cascos dos animais forneciam uma substância espessa grudenta, com a qual eram fixadas as flechas, de uma parte e da outra as pontas afiadas talhadas em pedra ou em metal. O ventre era usado como saco. Um objeto bastante curioso era fabricado com uma parte do osso omoplata; quando era girado velozmente, através de cordas de couro, reproduzia em maneira fiel um lúgubre mugido de bisão. Esse instrumento musical era usado quando os índios dançavam a “Dança do Bisonte”, acompanhado com flautas e tambores. Os intestinos, como os tendões das costas, forneciam o fio para trabalhos de costura e cordas para os arcos. Enrolados entre os dedos formavam correias extremamente resistentes. O chifre de cor negra era transformado em copo e talheres, os mais bonitos serviam para decorar os cocares dos caciques e dos pajés. Alguns, de grandes dimensões, podiam ser transformados em arcos. Um pedaço de fígado misturado ao cérebro fazia-se uma mistura muito útil para queimaduras da pele. Para caçar o bisonte, os Assiniboines, Blackfeets e os Creeks não usavam armas. As outras tribos andavam armadas somente com arcos e flechas. Muitas vezes os índios ficavam completamente nus, usando só uma pequena tanga. Existiu um cacique dos Kiowas, “Katzatos” (Escudo Defumado), alto mais de seis pés, ou seja, mais de dois metros, eu não conseguia encontrar um cavalo para si, por causa de seu físico, ele corria então a pé e os matava com a sua lança. Quando os navegadores vindos da Europa descobriram a América, os bisontes deviam ser em 60.000.000 de cabeças, nas planícies do Oeste. Em 1865, sobraram 15.000.000 e por volta de 1895, dizimados por massacres absurdos (a partir de 1870 começou o extermínio sistemático dos bisontes, pelos brancos), eram por assim dizer “desaparecidos” de seu habitat. Entre 1868 e 1881, foram vendidas 210.000 toneladas de crânios e ossos de bisões, ao valor de 12 dólares por tonelada, sendo necessários 100 bisontes para completar cada uma delas. Quando os caçadores terminavam a matança, chegavam os carregadores de ossos, que já encontravam amontoados em pilhas longas por vários quilômetros, sendo altas três metros e largas igualmente. O coronel William Frederick Cody (Buffalo Bill) em 1863 tinha a missão de matar 12 bisontes ao dia, para nutrir os operários da Ferrovia Kansas-Pacífico. Matou 4.000 desses magníficos animais, por 500 dólares ao mês, sendo originário daí o seu lendário apelido. Hoje em Canaã e USA a caça ao bisão é proibida e estão fazendo grandes esforços para salvarem a raça. Nos USA tinha sobrado somente três manadas, com 1.000 exemplares cada. A primeira estava em Witchita Refuge, Oklahoma. A segunda no Parque de Yellowstone e a última em Montana, na Reserva Crow, não longe de Sheridan.                  
 
Buffalo Bill – William Frederick Cody nasceu em 26 de fevereiro de 1846 morreu em 10 de janeiro de 1917. A Lenda Americana de Buffalo Bill é alimentada por três colunas principais: 1 - Quando homem. 2 - Do seu Wild Old West Show, apresentado não só nos USA, como também na Europa. 3 - E suas inumeráveis e intermináveis aventuras publicadas. Quando jovem foi por pouco tempo carteiro trabalhando para o Pony Express, depois soldado, após a Guerra Civil Americana, tornou-se caçador de bisontes, e finalmente participou como “Scout” do Exército dos USA, em batalhas contra os Cheyennes e Sioux. Foi casado com Luisa e teve duas filhas: Arta e Ora.  Em 1872 foi eleito para a Câmara dos Representantes do Estado de Nebraska e em 1883 fundou o famoso Wild Old West Show, no qual exibia índios, cowboys e exímios atiradores, escolhidos do próprio e selvagem Oeste. Após a sua morte, em Denver, Colorado, foram escritas centenas e centenas de biografias heróicas ou não que se contradizem entre elas. Aos 22 anos ele fundou uma cidadela chamada Roma, em Kansas, que a princípio foi engrandecendo. Mas um seu rival criou outra cidade pouco distante, a Hays City e melhor politicamente que ele, conseguiu com que a linha da Ferrovia Kansas-Pacific passasse perto de Hays City e não perto de Roma. Permanecendo por lá, algum tempo somente a família de Buffalo Bill. Durante a sua permanência no “Pony Express”, certa vez o cavaleiro que devia trocar o turno com ele, foi morto pelos índios, Buffalo Bill percorreu então, galopando sem parar 450 quilômetros, trocando 21 cavalos nesse trajeto. É um recorde que jamais foi batido. Um dia relatou: “Encontramos certa vez, índios em Arkansas, perto do Fort Larned, os fizemos correr, com a ajuda de meus homens, então escalpelamos os dois que tínhamos matado e retornamos calmamente ao Fort, com os nossos inigualáveis troféus”. Possuiu um rifle que ele chamava de “Lucrezia” e um cavalo inseparável o “Brigham”. Nos últimos anos da sua vida, ele que havia obtido e perdido milhares de dólares, durante sua meteórica carreira de entretenimento, transformou-se ao fim, um simples e mortal humano, procurando esquecer o seu passado, bebendo.                             
 
Buffalo Chips – Esterco de bisontes, secos em formas arredondadas, que nas pradarias, privas de árvores, vinha utilizado pelos cowboys como combustível ao lugar da lenha.
 
Bullard – Rifles. O modelo de um só tiro, apareceu no mercado por volta de 1883, e o de repetição em 1886. Não obstante a grande potência e precisão de tiro, tiveram no West uma difusão transitória e limitada, enquanto que o de repetição da “Bullard Repeating Arms e Co.” de Springfield, Massachusetts, usava cartuchos de calibre especial.  No West, quando faltavam esses cartuchos especiais, as armas tornavam-se inutilizáveis. Calibres: .32/40/150, .38/45/190, .40/75/259, .40/85/290, .40/90/400 e .50/115/300. 
 
Bull-boat – Barco de couro circular, dos índios Mandans. Grupo importante dos índios Sioux que um tempo viviam onde hoje se encontra a cidade de Bismark, capital de Nord Dakota. Eles entraram em contato com os primeiros descobridores da América do Norte; os Vikings. Ainda hoje existem descendentes dessa tribo que possuem olhos azuis e cabelos loiros. Esses índios receberam e ajudaram os exploradores Merywether Lewis e William Clark, durante sua primeira viagem, feita no Oeste em 1804 e mais tarde o pintor George Catlin, ficou entre eles e pintou lindos retratos. Os Mandans viviam em tendas redondas reagrupadas as margens do rio Mississippi, portavam cocares de penas, sobretudo de penas de águias e tatuagens no peito e braços. Raramente foram inimigos dos brancos, apesar de um dia levarem um presente de péssimo gosto: a varíola. A epidemia em 1837 diximou-os; de uma tribo com 1.600 pessoas, somente 31 escaparam da morte. Eram hábeis navegadores e utilizavam, suas embarcações arredondadas de couro. 
 
Bullbuster – Cowboy especializado em lançar contemporaneamente um laço em torno aos chifres de um boi, outro em torno de suas patas posteriores, girar o seu cavalo num ângulo reto e com um puxão derrubar o boi de costas para o chão.  
 
Bulldogging – Um dos exercícios usado pelo cowboy em Rodeo, no qual o cavaleiro a pé pega um touro pelos chifres e o derruba. 

Bull riding – Um dos exercícios usado pelo cowboy em Rodeo, no qual um cavaleiro deve cavalgar por ao menos 8 segundos um touro selvagem, segurando-se somente por uma corda frouxa. Tarefa extremamente perigosa.

Bull Whacker – Literalmente chicoteadores de bois. Guias que, munidas com chicotes pesados, cavalgavam ao lado de 10 ou 12 duplas de bois, que puxavam enormes e pesados carroções de mercadorias, através das pradarias. Geralmente esses homens recebiam 1 dólar de pagamento ao dia; eram homens furos, sem escrúpulos quando se tratava de levar as mercadorias ou o manuseio de seus chicotes.
 
Bullwhip – Chicote de pele crua, trançada e longa de 5 a 7 metros, tendo em sua parte final cerca de 90 cm feita com pele de cervo e pequenos chumbos nela. Muito usado pelos guardiães de bovinos entre os anos 1870 a 1900, mas também pelos cowboys durante as longas cavalgadas com as boiadas. Nas mãos de um homem capaz, eles valiam por um segundo homem. Bastava um simples movimento para arrancar das costas do boi, um pedaço de pele grande como a palma da mão, ou decapitar uma cascavel. Hoje não é mais utilizado.   
 
Buntline, Edward, Zane, Caroll, Judson – nascido em 1823 em Stamford, New York, jornalista e escritor escreveu sob o pseudônimo de “Ned Buntline”, mais de 20 pequenas novelas em livros baratos (Dime Novels = dime 1 centésimo), sobre seus contemporâneos como Buffalo Bill Cody, Texas Jack Omohundro e Wild Bill e realizou inúmeras viagens pelo West, através do jornal “New York Weekly”.    
 
Buntline Special Colt Revolver – Narra-se que Ned Buntline ordenou a fábrica de armas Colt, cinco revólveres modelo Peacemaker 1873 com canos mais alongados dos normais e que fossem presenteados como “Buntline Colt” para os já famosos Wyatt Earp, Buffalo Bill e Wild Bill. Essa estória foi divulgada pelo biógrafo Stuart N. Lake; de Wyatt Earp. Das faturas de vendas da fábrica de armas Colt, resulta que de 1877 e após, fossem entregues revólveres Peacemaker com canos de 10 e 16 polegares (25,4 cm e 40 cm) e com o “esqueleto” da caixa reforçado em aço, sob a ordem especial do comerciante de armas B. Kittredge & Co. e por exatidão 4 exemplares no mês de dezenbro de 1877 e 5 de março de 1880. Em 1960 a fábrica de armas Colt produziu novamente os mesmo modelos Long Colt com canos de 12 polegadas (30,5 cm) de calibre .45. 
Burnside – O general Burnside entrando em Virginia, decidiu atacar o Exército do general Lee, que estava nas colinas perto da cidade de Fredericksburg. Em 13 de dezembro de 1862, Burnside queria uma vitória, a qualquer custo. Perdeu 12.000 soldados na batalha de Fredericksburg e enlouqueceu, pela dor da derrota.
 
Buscadero – (Espanhol: Buscar, procurar). Cinturão com dois coldres para revólveres. Chamava-se assim também um homem que portava consigo o tal cinturão com dois revólveres. Esses cinturões foram usados no território do sudoeste, rico em boiadas, por algum homem da lei e mais tarde também por bandidos mexicanos e os revolucionários. O cowboy americano evitava esses cinturões, porque não necessitava de um segundo revólver ou porque atrapalhava, durante o seu trabalho. O armamento habitual dos cowboys era somente com cinturão de um coldre e um revólver. Hollywood “armou” os seus heróis de filmes com cinturões de dois revólveres.  
 
Butch Cassidy – Legendário chefe do Bando “Wild Bunch” e fundador da “Outlaw Trail”.  Nasceu em 1867, filho de Maximiliam e Ann (Campbell) Parker, ambos Mórmons.  Conheceu de pequeno, Mike Cassidy admirando-o para sempre, e ele o ensinou todos os truques de um cowboy e de ladrão de gado que era. Após a fuga de Mike Cassidy, o jovem George Leroy Parker “pegou” o nome de seu mestre e ficou famoso, primeiramente como “George Cassidy” depois como “Butch Cassidy”. Foi o chefe do mais famigerado bando do West, mas evitava sempre o derramamento de sangue, quando possível. Ele mesmo só matava em casos extremos. Talvez por isso entrasse para a história como o “Robin Hood” de Utah e o “Gentleman Outlaw”, que nunca se embebedava, era gentil com as mulheres, generoso, justo com seus inimigos e de extrema lealdade com seus amigos, resumindo era um homem honra. O velho e selvagem West dos fora-da-lei estava desaparecendo, vencido pelo telégrafo e Agentes, da Agência Pinkerton. O último, maior e pitoresco bando, foi o “Wild Bunch” (Bando Selvagem). Seus componentes, todos os cowboys, começaram como ladrões de gado, especializando depois em assaltos a diligências, trens e bancos. O chefe de todos Butch Cassidy, era considerado o “Melhor Ladrões de Cavalos do West”. Os furtos, os assaltos e as mortes do bando, preencheram um arquivo particular nas prateleiras de Pinkerton. Por algum tempo o refúgio do “Wild Bunch” foi o “Buraco na Parede”; uma localidade em Wyoming. A decadência do bando teve inicio o dia in que seus principais personagens após um plano bem sucedido, renderam-se a vaidade de vestirem-se como homens de posse e posar em grupo, para uma fotografia de recordação. Eram eles: William Carver, Harvey Logan, Harry Longbaugh (Sundance Kid), Ben Kilpatrick e George Leroy Parker (Butch Cassidy). Essa foto veio cair em mãos de um Agente da Pinkerton. Mortos ou presos quase todos os membros do bando, Butch Cassidy morreu em 1908 num tiroteio com a polícia Boliviana; estava com ele seu companheiro Sundance Kid, alguns historiadores dizem que Butch, vendo-se cercado, sem escapatória, e ambos concordando, teria matado seu amigo Sundance e depois teria se suicidado, para não caírem nas mãos dos policiais. A última refeição deles foi peixe frito e cerveja. Outros, porém, afirmam que os dois voltaram para os USA e morreram de velhice. O seu apelido Butch era originário e derivado do breve período, que ele trabalhou em um açougue em Rock Springs, Wyoming em 1892.      
 
Butler, Benjamin – Os negros fugidos dos Estados do Sul e recrutados pelo Exército Nortista como cocheiros de carroções eram chamados de “Contrabando de Guerra”. A definição teve início de uma expressão usada pelo general Unionista Benjamin Butler, comandante do Fort Monroe, em Virginia, que deu a um oficial Confederado que com uma bandeira branca tinha vindo pedir a restituição de três negros fugitivos e o general teria respondido, que do momento que a Virginia, após a Guerra Civil, iria se tornar um “Estado estrangeiro”; pois os negros “eram considerados contrabando de guerra”. A União acolhe esse “contrabando” e o emprega em trabalhos militares. Os negros tornam-se guias, exploradores, operários, enfermeiros. Antes da Proclamação de Emancipação de Lincoln, eles não combatiam: oficialmente a guerra não aconteceu para combater a escravidão, mas para conservar a União. Após 1 de janeiro de 1863 os negros são também recrutados como soldados regulares. Com a convicção que “a liberdade conquistada somente pelos brancos, perderia metade da sua beleza”. 86.000 negros combatem no Exército Nortista, 92.000 vieram dos Estados da Confederação, 54.000 dos Estados da União, 40.000 dos Estados fronteiriços, 38.000 negros caem combatendo. Em 1863 é também abolida a separação racial em veículos coletivos.     
 
Butterfield Overland – (ou Oveland Mail Company). Linha de diligências postais intercontinental, que entre 1858 e 1861 fazia o trajeto de St. Louis (Missouri) através Fort Smith em Arkansas, o sudoeste de Texas, o sul do Arizona e a Califórnia até San Francisco. Essa linha crescia por 2.757 milhas (4.436,96 km) com 139 estações. Uma diligência para oito pessoas, com seis ou oito cavalos ou mulas, empregava para percorrê-la 24/25 dias. A Sociedade fundada por John Butterfield, William B. Dinsmore e William G. Fargo recomendava a cada seu passageiro o seguinte equipamento: 1 fuzil Sharp e 100 cartuchos. 1 revólver Colt Navy com meio quilo de pólvora negra. 1 quilo de balas de chumbo. 300 tampões e 500 cápsulas. 1faca Bowie com bainha. 1 par de calças de lã. 6 camisetas. 6 cuecas. 3 camisas de lã. 1 chapéu de abas largas. 1 capa. 1 capote militar. 2 cobertores de lã, durante o verão e 4 cobertores de lã durante o inverno. 1 par de luvas, agulha e fios, um saquinho higiênico contendo objetos para sua limpeza íntima e um invólucro impermeável.  3 ou 4 toalhas. O preço da viagem era alto; de St. Louis a San Francisco: 225 dólares; e a bagagem não devia superar os 250/300 quilos. Essas diligências eram chamadas de “Celerity” (Rapidez), ou “Mud Ships” (Barcas de barro).
Pin It
Atualizado em: Sex 22 Set 2017
  • Nenhum comentário encontrado

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222