person_outline



search
  • Artigos / Textos
  • Postado em

Divisão de Ensino Soldados que sonhavam ser pará-quedistas PART: 15

15
De Volta Onde Tudo Começou
Depois de um mês na reserva só recebendo treinamentos e instruções em Ghazzah a companhia foi informada que voltaríamos para Port em Beirut à companhia seriamos transportada de avião todos nós gostamos muito disso alguns de nós queríamos saltar mais só o fato em saber que iríamos de avião já foi o suficiente independente de ter que saltar ou não sabíamos que seria uma boa viagem e bem confortável, para alguns seria a primeira viagem desde que estavam na guerra o dia estava nublado o sol se escondia entre as nuvens para os graduados era a primeira vez que todos subiriam no KC-390 e fariam uma viagem sem ter que saltar dele embarcamos no KC-390 o Adail conseguiu uma garrafa de vinho para cada regimento quando o avião decolou todos nós bebemos durante a viagem, conversarmos e bebendo todo o vinho alguns de nós conseguimos alguns pacotes de amendoim da cozinha do rancho e dividiram com os companheiros de regimento durante toda a viagem foi uma viagem muito tranqüila não houve tuborlencia estávamos voltado para Port depois de quase dois ano longe de lá pensávamos que não voltaríamos mais para lá, voltar para Port nos levou a pensar com mais certeza que todos nós seriamos empregados em uma operação de assalto em algum lugar da Síria chegamos em Port por volta das 16h em vez de ficar nos prédios e casas todos os combatentes foram alojados em grandes alojamentos de madeira que foram construídos improvisadamente após todos os regimentos se alojarem nas cabanas de madeira todos começaram a limpar e trocar os lençóis da cama em cada alojamento havia um banheiro com chuveiros quentes e luz elétrica por toda Beirut havia sido restaurada por completo todas as casas, estradas e serviços públicos haviam sido reconstruídos agora havia ali muitos bares, lanchonetes, padarias e restaurantes a vida ali havia voltado ao normal nem parecia que o país estava em guerra e que Beirut foi palco e protagonista de grandes combates no dia seguinte chegou novos substitutos que fez com que o Adail aumentasse mais o quadro de exercícios e instruções isso fez com que os graduados ficassem um pouco mais insatisfeitos com o Adail, todos sentiam como se estivessem passando pelo período básico novamente Evanildo notou essa insatisfação por parte dos graduados ele notificou o Adail juntamente com os outros comandantes de regimento no dia seguinte Adail ordenou que todos fizessem serviço de policiamento por toda a cidade que para muitos foi bom mais todos começavam a setir falta da liberdade do combate.
Os substitutos que haviam chegado todos eles vieram da AMAN em sua maioria os combatentes eram de Resende uma pequena parte era de Volta Redonda a primeira impressão que todos eles tiveram de todos os graduados foi que todos nós éramos velhos durões muitos dos substitutos eram tímidos e por achar que todos nós éramos durões e rígidos alguns nos tratavam como se fossemos oficiais sendo que muito de nós tínhamos quase a mesma patente que eles, só interagíamos com eles quando tínhamos exercícios e nos treinamentos noturnos eles melhoravam a cada exercício principalmente nos exercícios noturnos todos eles estavam tão bons que nem precisavam serem ordenados já fazia direto sem precisar de alguma ordem ou perguntar para algum graduado ou superior depois de uma semana em Port toda a companhia nos olhos de Adail estava pronta para entrar em combate novamente todos os regimentos estavam completos de novo, para testar realmente se a companhia estava realmente pronta para entrar em combate novamente Adail juntamente com o QG organizou um exercício de simulação de ataque contra uma divisão inimiga a simulação ocorreria na noite seguinte durante o dia seria de instruções e informações sobre a operação de simulação que seria realizado durante a noite após o jantar todos foram se preparar e arrumar todo o equipamento para a operação.
A operação se deu inicio ás 02h a noite estava calma e um pouco fria não havia nenhuma nuvem no céu apenas a lua e poucas estrelas no céu todos os graduados dos regimentos estavam abrindo espaço deixando para que os novatos agissem mais de todos eles quem mais se destacou mais uma vez foi o primeiro tenente Gomez do regimento divisão de ensino e o subtenente Bento do arranca-toco, durante o exercício o regimento se separou em dois para realizarem um ataque pelo flanco e servirem de distração o subtenente Bento se perdeu de seu grupo durante o exercício ele continuou andando em frente pra onde seria o objetivo de seu grupo logo ele encontrou um grupo do regimento da divisão de ensino que estava sendo comandando pelo Gomez ele se juntou com o grupo e seguiu em frente, quando chegou próximo da onde seria um objetivo Bento assumiu uma posição de caçador onde ele enxergou uma posição onde poderia posicionado algumas metralhadoras e morteiros e usar essa posição como um ponto de distração ele informou o Gomez sobre isso logo ele planejou um plano de ataque as metralhadoras e os morteiros ficariam atrás da ondulação disparando e distraindo a guarnição logo depois da separação Bento levou todos e os posicionou em diferentes pontos ele distribuiu ordens para todos como se tivesse toda a experiência ele impressionou todos os graduados todos eles pensaram rapidamente que os treinamentos e exercícios feitos enquanto a companhia estava reserva no final de contas fez para os substitutos eles estavam no nível dos graduados e até melhor que eles, após Bento posicionar todos eles esperou o sinal do Gomez pelo radio logo após o sinal ele ordenou que todos disparassem aleatoriamente sem um alvo fixo simplesmente para chamar a atenção após isso do outro lado do campo Gomez avançou com a tropa pelo campo por trás de todo o ataque em poucos minutos ele alcançou o objetivo e atacou por trás de toda a linha depois do grupo de Gomez iniciou o ataque as metralhadoras e os morteiros centraram o ataque sob o comando do Bento depois de alguns minutos de intenso tiroteio intenso continuo eles tomaram toda a linha concluído assim o objetivo do exercício noturno após isso só o que eles tinham que fazer era estabelecer uma posição fixa de defesa da linha.
Nos primeiros raios do dia logo após o fim do exercício era impossível não ouvir a boa atuação de todos os substitutos principalmente os que estavam ali fazia mais ou menos duas semanas todos os substitutos ficaram impressionados com os comentários eles não esperavam receber bons elogios e comentários de todos os graduados e oficiais e nem esperavam que saíram tão bem no exercício, naquele mesmo dia Adail aumentou a grade de serviços da companhia alem de serviço de policiamento ele montou postos de observações de artilharia por toda Port principalmente na zona litorânea, no final daquela semana algumas promoções ocorreram dentro da companhia e um pouco mais antes do almoço o 26º chegou em Port e também iria compor a reserva e o quadro de serviço de policiamento e de postos de observações eles ocuparam os alojamentos de madeira no campo atrás do nosso no inicio da semana seguinte chegou uma carga de material vindo de São Paulo juntamente com alguns oficiais e soldados que iriam compor o serviço de suplementos do QG entre os oficiais que vieram para compor o serviço de suplementos estava capitão Torres agora coronel Torres o primeiro combatente que esteve sobre seu comando a velo foi o terceiro sargento Willian Santos que na época em que ele era comandado pelo Torres eles era apenas um simples soldado que acabava de ser incorporado as fileiras do exercito, ele viu Torres após se apresentar ao comando do QG como ele fazia todas as manhas antes de assumir algum posto de observação após ele se apresentar para o tenente coronel Assis ao invés dele ir assumir o posto de observação como ele fazia ele correu até o alojamento do regimento para avisar todos ninguém acreditava naquilo alguns diziam que o Willian Santos estava ficando louco mais um pouco mais antes da hora do almoço todos do regimento da divisão de ensino estava sabendo da sua chegada inclusive Adail que na época em que Torres comandava o regimento era apenas um simples tenente. A relação de Torres e o regimento divisão de ensino e Adail nunca foram amenizados e esquecidos por todos que ficaram sob seu comando em Resende, Rio de Janeiro e em Sochi todos achava que nunca mais veriam Torres ainda mais depois de saberem que ele estava comandando um batalhão em São Paulo, Torres agora era coronel e Adail major subcomandante da companhia o que levou todos a pensar que o coronel Fontelli passaria o comando da companhia para Torres isso fez com que todos fossem falar com o Adail até os pára-quedistas que integraram o regimento quando Adail já comandava o regimento e a compania isso fez com que o Adail fosse checar a informação diretamente com o coronel Fontelli. –Coronel com licença o senhor vai passar o comando da companhia?
-Não major porque ?
- Todos do regimento da D.E estão comentando que Torres esta em Port e irá substituir o senhor.
-Pode ficar tranqüilo e tranqüilizar todos do regimento major, eu não entregarei o comando da companhia tão cedo.  
 Depois da longa conversa que Adail teve com o coronel Fontelli que informou e deixou bem claro que para o Adail que Torres foi convocado para comandar o serviço de suplementos do QG já que o coronel Amaro sofreu um infarto a algumas semanas atrás e esta doente no hospital, Torres não interferiria em nada da companhia ou de regimento.
Após saber disso Adail convocou uma reunião com o regimento logo depois do almoço Adail reuniu todo o regimento e informou todos que tudo iria continuar como estar não iria mudar nada e que Torres não interferiria em nada no regimento ou da companhia, todos ficaram mais aliviado e calmos alguns estavam até organizando um motim caso Torres viesse mesmo comandar a companhia mais logo depois que Adail esclarecer tudo e deixo bem claro que isso não iria acontecer desistiram dessa idéia suicida.
Adail e Torres se viam poucas vezes Adail só se deparava com Torres quando levava algum documento de requerimento de equipamento para o serviço de suplementos quando os dois se viam Adail prestava a continência normalmente por Adail ser superior ele Torres ao invés de fazer o mesmo simplesmente abaixava a cabeça e seguia em frente sem bater a continência isso se repetia varias e varias vezes, na semana seguinte Torres continuava com o seu desprezo ao Adail e ao regimento D.E isso era inegável isso foi provado quando o regimento antes de um exercício de tiro noturno recebeu munição alem de receber pouca munição os carregadores de munição dos fuzis estavam um pouco enferrujados e desgastados após Evanildo relatar isso ao Adail, ele já imagina o motivo e o porque por sorte Adail conhecia alguns oficiais e soldados que trabalhavam no posto de suplementos e conseguiu fazer as trocas dos carregadores antes do inicio do exercício e isso se repetiu depois algumas vezes durante a semana todo o equipamento que o regimento recebia estavam danificados e obsoletos e os pacotes de ração chegava menos do que era pedido. Adail chegou no seu entendimento que era preciso da um basta nisso ele engoliu o orgulho e foi falar com Torres depois de quase três anos era a primeira vez que ele ia falar com ele pessoalmente desde Sochi mais não teve sorte das cinco vezes que Adail tentou falar com o Torres em sua sala nas três vezes o seu assistente o major Cunha dizia que Torres não estava nas duas ultimas Cunha dizia a Adail que Torres não queria ser incomodado, Depois disso Adail tentou abordar ele no rancho dos oficiais ou durante os exercícios físicos na parte da manhã mais não teve sorte Torres nunca almoçava ou jantava no rancho dos oficiais justamente para não se deparar com o Adail e ter que prestar continência e durante os exercícios ele nunca estava sozinho sempre estava acompanhado de algum outro oficial ou dos soldados e oficiais que trabalhavam no serviço de suplementos do QG.
Naquela mesma semana Adail soube que os soldados que trabalhavam no posto de suplementos não estavam contentes com o Torres eles estavam fazendo mais exercícios e trabalhando mais pesado do que quando era com o coronel Amaro que deixava muito das vezes todos eles livres, Deu a entender que Torres continuava mesquinho e autoritário Torres continuava achando que era melhor do que Adail e deveria estar no posto de Adail e ter saltado junto com a companhia em Beirut Adail sempre soube da opinião de Torres e de seu desprezo mais Adail nunca contou que se Torres tivesse saltado em Beirut ele não estaria vivo pois antes dele ser transferido e voltar para o Brasil ele estava inscrito para saltar no avião da arranca-toco que foi abatido antes de alcançar a zona de salto em Beirut, Adail antes de todos sempre soube que o regimento seria dividido no salto em Beirut ele contou isso mais tarde para o segundo sargento Hartmman e para o terceiro sargento Adílio que eram soldados na época em que o regimento estava em Sochi recebendo os últimos treinamentos e preparativos para o salto em Beirut os dois perguntaram porque ele nunca havia dito isso para o regimento Adail simplesmente respondia: -Eu achava que não era a hora certa de contar isso a vocês, se eu falasse antes da hora isso poderia chegar nos ouvidos dele e ele poderia fazer algo pra não ser transferido e continuar no comando do regimento.
-Se ele saltasse ele agora estaria morto – Disse Hartmman com um pouco de raiva.
-Sim ou não nenhum de nós contávamos e sabíamos que o avião da arranca-toco seria abatido antes de todos terem saltados ou seja se isso não tivesse acontecido talvez agora ele estaria sendo subcomandante da companhia.
Hartmman só afirmou com balançando a cabeça com o sinal positivamente e deu um gole no vinho que estava tomando  logo depois disso eles mudaram de conversa e começaram a falar sobre a boa atuação dos substitutos e sua coragem borá a cada leva de substitutos que chegava parecia ser um mais jovem que o outro.
Na semana seguinte Adail fez uma inspeção na companhia e fez algumas mudanças em alguns regimentos principalmente no regimento alfa borá todos estavam tendo uma boa atuação nos exercícios o regimento alfa sempre estava abaixo da media dos outros regimentos e até mesmo do que era exigida pelo QG, borá todos os pára-quedistas do regimento estavam em muita boa forma e faziam tudo perfeitamente mais a ordem unida e os uniformes quando era feito a inspeção deixava um pouco a desejar e não dava a impressão que era o mesmo regimento que iam tão bem nos exercícios e nas instruções para resolver esse problema ele mexeu no comando do regimento colocando o segundo tenente Carneiro e o promoveu para capitão e rebaixou o capitão Reinaldo Martinez para segundo tenente e deixou ele como subcomandante do regimento isso causo muita discussão dentro do regimento alguns combatentes até tentaram organizar um montin dentro do regimento mais logo foram punidos Adail puniu todos eles com três dias de detenção e depois desses três dias transferiu todos eles para o regimento xavante depois de uma com o Carneiro no comando do regimento as coisas começaram a apresentar melhoras borá lentamente mais começaram a melhorar, na mesma semana alguns pára-quedistas diziam o motivo do Reinaldo ter sido rebaixado de posto foi por conta de sua bebedeira que muitas das vezes fazia que ele mandasse outros fazerem suas obrigações ou até mesmo atrasar para os serviços e nos exercícios diários ou até mesmo nem ir apenas justificando a falta depois através de algum relatório algumas horas depois da emissão do relatório alguns oficiais do QG e até mesmo soldados da companhia viam ele em algum bar bebendo uísque e cerveja a noite toda e algumas das vezes até arrumava briga com alguém depois que muitas reclamações sobre a postura de Reinaldo antes que o problema fosse maior Adail decidiu rebaixar ele, depois que ele foi rebaixado e passo a ser subcomandante do regimento alguns do regimento diziam que ele havia diminuído com a bebida mais ainda bebia e passou a falar menos com todos do regimento a tristeza por ter sido rebaixado era muito nítido nele mais no fundo ele sabia que estava errado sempre e uma hora isso seria cobrado depois de quase duas semanas como subcomandante do regimento tudo voltou ao normal ele até se aproximou mais de Carneiro os dois eram sempre vistos juntos em todo lugar principalmente quando o regimento estava em horário de almoço, os dois passavam hora e horas planejando exercícios e treinamentos para o regimento que de certo modo isso fez com que o regimento melhorasse bastante a sua media sendo muito das vezes o melhor regimento da semana que era recompensado com um jantar com o coronel Fontelli durante o final de semana.
Depois de dois meses em Port no dia 7 de setembro como era feriado no Brasil todos os pára-quedistas foram recompensados nesse dia não haveria treinamentos e nenhum exercícios físico somente na parte da manha o comando do QG e do serviço de inteligência organizaram um grande desfile militar para toda a população de Port próximo a zona portuária, durante a preparação para o desfile todos os pára-quedistas engraxaram suas botas e lustraram bem até brilhar bem, poliram as armas e todo o equipamento, alguns tiraram as condecorações do baú às poliram e as colocaram na camisa do uniforme alem disso todos da 1ºCIA fizeram uma braçadeira com o nome do regimento para usar como forma de identificação do regimento um dia antes do grande desfile como era chamado por todos, a companhia toda passou o dia todo ensaiando e treinando os passos de ordem unida juntamente com a canção dragões do ar todos decoraram a letra da canção rapidamente que surpreendeu o coronel Fontelli durante a ultima passagem do ensaio geral da compania todos marchavam quase que em um único passo todos estavam em uma sincronia perfeitamente e cantando a canção dragões do ar todos cantavam em perfeita sincronia como se fosse um grupo de um coral que estava em uma apresentação mais a parte que mais chamou a atenção de todos do QG e principalmente do Adail e do coronel Fontelli foi o trecho da canção: -Voltar não desejamos, fugindo nunca, viver não imploramos.
Quando esse trecho era cantado todos aumentavam a voz num tom tão alto que pareciam que estavam berrando isso impressionou muito todos os oficiais até os comandantes de regimento que estavam liderando o regimento ficaram surpresos com isso eles não esperavam essa atitude, depois do ensaio geral Adail foi para seu escritório no posto de comando do QG ele ficou pensando no tom de raiva que foi cantado aquele trecho ele ficou quase duas horas sentado com um copo de café na mão pensando nisso e relembrando umas coisas do passado quando ainda estava no Brasil recebendo o treinamento na AMAN e sendo preparado para saltar de tudo que passou até ali e dos amigos que perdeu e dos que ainda estão vivos depois de um tempo ele chegou a conclusão que todos estavam no seu limite, mais ainda queriam lutar mesmo sabendo que não poderiam voltar só o fato de se estar em uma guerra a ultima coisa que todo combatente poderia pedir e implorar para viver. No dia seguinte depois do café da manhã todos foram para o local onde seria o desfile após o hasteamento da bandeira do Líbano ao som do hino nacional libanês foi hasteado a bandeira do Brasil ao som do hino nacional brasileiro e para a nossa surpresa todos os libaneses presentes cantaram o hino nacional brasileiro corretamente e em português aquilo impressionou todos nós nenhum de nós esperávamos por isso algum de nós ate paramos de cantar para ouvir e ate gaguejamos um pouco quando eles começaram a cantar, foi uma cena muito emocionante para todos nós encaramos aquilo como um sinal de agradecimento por ter lutado e estar lutando para libertar o país deles deve ser horrível ver seu pais ser tomado e não poder fazer nada para ter ele de volta e depender da ajuda dos outros para reconquistá-lo de voltar e não ter maneiras melhor de agradecer do que cantando o hino nacional no idioma do país que mandou seus filhos para lutar e combater não só pela liberdade de um país mais sim pela paz e pela gloria.     
Após o hasteamento da bandeira do Brasil e do Líbano o general de exercito Marco Antonio que assumia o posto de general no inicio do ano fez um breve discurso para toda a tropa brasileira cada trecho falado de seu discurso era traduzido por um tenente coronel que dominava o idioma árabe, no final do seu discurso ele disse: - Vocês mostraram e estão mostrando para o mundo e para os terroristas que o Brasil não foge a luta e por isso vocês estão a cada momento, a cada combate, a cada tiro dado entrando para a historia do Brasil e do mundo e por isso todos vocês serão recompensados e condecorados com a ordem do mérito militar.
Todos nós ficamos muito felizes com essa noticia não esperávamos uma condecoração tão alta desse tipo sabíamos a todo instante que receberíamos medalhas e condecorações durante a guerra mais não esperávamos que seriamos condecorados com uma ordem honomérita, era a primeira vez na historia do exercito que uma companhia inteira era condecorada com a ordem do mérito militar talvez essa condecoração foi uma forma que o exercito encontrou para nos recompensar e pedir desculpas pelos erros e a falta de equipamento e suplemento em Qadisha depois do discurso do general e do desfile que ocorreu bem e perfeitamente como foi planejado e ensaiado por todos vieram as dispensas alguns iam ficar em Port e descansar mais a maioria iria para Ras Beirut e Moussaitbeh não só para voltar lá depois de ter saltado e lutado lá mais pra descansar um pouco e ir a praia de lá, Port também havia praias mais a diferença da praia de Port e em Ras Beirut é que em Ras Beirut não havia navios de combate nem cruzadores na vista do horizonte muitos foram para Mazraa e Ashrafieh que eram os locais onde não havia muitas tropas e canhões era percebido e visto que a maioria aproveito a licença para fugir um pouco do meio militar e ter um dia normal como um civil qualquer.
A licença dada pra todos nós foi de uma semana mais depois de três dias de licença as coisas sairiam do eixo muitos soldados foram presos e punidos por brigas no bar estar portando o revolver na cintura estando de licença e algumas das vezes até trocando tiros, foram muitos casos de desordem causados pelos soldados de liceçenca em sua maioria eram substitutos, o caso mais grave foi de um soldado substituto do regimento xavante que deu um tiro na cabeça do subtenente após eles discutirem e acusar o subtenente de ter trapaceado na partida de buraco isso fez com que o coronel Fontelli revogasse todas as licenças e ordenou que todos voltassem para Port e se apresentasse no posto de comando da 1ºCIA em 24 horas muitos pára-quedistas não sabia que estava acontecendo todos acharam que seriamos empregados em alguma operação de ultima hora e precisava de todos rapidamente por isso todos tinham 24 horas para voltar se apresentarem ao posto de comando da 1ºCIA mais depois de chegarem em Port e se apresentarem ao posto de comando todos nós soubemos o real motivo da revogação das licenças todos ficaram revoltados e acharam um pouco injusto tudo isso mais no dia seguinte a revolta aumento mais ainda Adail mandou intensifica todos os exercícios e treinamentos e cortando todas as regalias da companhia como chuveiros com água quente e as seções de cinema antes do final de semana todos estavam rastejando na lama, quebrando cercas e pulando aramos farpados e sendo submetidos a exercícios com mais freqüência a cada dia os exercícios ficavam mais pesado e exaltante isso fez com que muitos substitutos que ainda não estavam acostumados com essa tensão toda fosse parar nos postos médicos e no hospital medico do QG na semana seguinte mais da metade dos substitutos estavam internados e apresentando atestados médicos que fazia aquele combatente se abster do exercício e da simulação de manobra no dia seguinte o numero de dispensa por licença medica havia aumentado mais que fez com que Adail fosse verificar pessoalmente o motivo e se realmente era real, alguns mais poucos estavam com lesões musculares inclusive um soldado da arranca-toco que havia rompido um ligamento do joelho esquerdo ele seria operado e logo depois seria mandado de volta para o Brasil onde ele seria incorporado a algum serviço não precisasse fazer muito esforço ou seria dispensado os outros ficavam deitado o dia inteiro lendo algum livro e revistas isso fez com que o Adail abrisse uma sindicância para apurar isso e colocou o tenente coronel Giovanni como relator dela sindicância depois de três dias o numero de dispensa por licença medicas havia caído drasticamente muitos que iam para o posto medico tomavam uma vacina de vezetacil ou algum analgésico e logo voltava para o exercício em menos de uma semana havia reduzido drasticamente e só quem ia para o posto medico era casos mais graves como algumas torções de tornozelos e a sindicância foi apurada e finalizada nenhuma fraude foi descoberta por parte dos médicos e dos enfermeiros.
Na semana seguinte veio a noticia que todos esperavam a muito tempo as tropas aliadas da Russia e dos Estados Unidos romperam o cerco dos terroristas em Jwayya e Blint Jubayl e estavam indo em direção a Israel onde se juntaria com as tropas e avançaria a caminho da Síria o serviço de inteligência estava preparando um ataque Izra, Damasco, Duma, Az Zabadani e a capital Damasco onde os pára-quedistas seriam empregados, todos principalmente os substitutos se animaram e ficaram ansiosos pra saltarem em Damasco muitos passaram até a se empenharem mais nos exercícios e nas instruções depois de três o comando do QG emitiu um comunicado para a 1ºCIA e para o 26º dizendo que os pára-quedistas não saltariam em Damasco, todos seriam empregados na operação cruzada e o salto seria a noite em Az Zabadani que estava sendo preparada nos moldes da operação do salto em Beirut muitos graduados não gostaram muito da idéia de saltar a noite mais se aquilo faria a guerra acabar e mandasse todos pra casa a operação cruzada seria ainda maior que a operação realizada em Beirut depois de duas semanas de treinamentos e exercícios tensos e instruções sobre a operação o serviço de inteligência emitiu um comunicado dizendo que não empregaria nenhuma companhia pára-quedistas não seriam empregados na operação cruzada, depois que o comando do QG notificou toda a companhia todos os novatos ficaram decepcionados pois eles ainda não fizeram nenhum salto real apenas saltos de treinamentos na escola de paraquedista e nos exercícios alguns graduados ficaram um pouco mais aliviados em saber que não saltariam em Az Zabadani e esconderam esse sentimento preferiram ficar quietos o salto em Az Zabadani seria ainda maior que o salto em Beirut todos os graduados lembraram das grandes perdas que tiveram naquela operação e todo exercício que faziam muitos imaginavam o tamanho seria as perdas em Az Zabadani mesmo com todo o treinamento e preparo que eles estavam tendo baixas era uma coisa inevitável. Na semana seguinte um pouco depois do almoço alguns pára-quedistas em sua maioria novatos que foram engajados na companhia depois de Qadisha foram até a pista de pouso olhar os KC-390 levando caixas de suplementos e algumas companhias da infantaria francesa avançar pela pista e levantar vôo e voar em circulo até entrar em na formação em V e seguir em direção oeste alguns substitutos mais tarde diziam que aquela foi à cena mais bela que já viram em toda a sua vida até então alguns se arrependeram de não ter encontrado algum meio de registrar aquela cena com alguma fotografia, naquele dia não houve nenhum exercício ou instrução todos os pára-quedistas ficaram de prontidão e prontos caso fosse necessário partir e saltar muitos estavam torcendo para que isso acontecesse alguns eram graduados para a nossa surpresa mais no fim das contas todos ficaram torcendo por todos que partiram e estavam participando da operação todos estavam dentro do alojamento sem dizer nada apenas sentado na cama desejando sorte a todos da operação, o silencio era tanto que por um instante lembrando-se da cena vista a pouco tempo dos aviões levantando vôo entrando em formação e partindo sumindo no horizonte juntamente com o som do ronco dos motores a sensação era de uma profunda inutilidade sobre todos nós por um instante pensamos que não éramos mais úteis para o serviço de inteligência pouco a pouco estávamos sendo abandonados e deixados de lado, durante o jantar recebemos a noticia que os aliados conseguiram romper o cerco dos terroristas em Az Zabadani e em Izra que apenas um avião foi abatido o avião que levava parte do efetivo do S4 o serviço suplementos mais tarde depois do jantar Adail fez uma reunião com o regimento da divisão de ensino para dizer a todos que um dos combatentes que estavam no avião que foi abatido era o tenente coronel Torres ainda não tinham informações se havia sobreviventes mais estava sendo realizado uma operação de busca no local da queda em busca de sobreviventes, no dia seguinte durante o café da manha toda a companhia foi informada sobre o abatido e que durante a noite foi feito uma operação de busca por sobreviventes no local da queda do avião infelizmente das doze pessoas que estavam no avião apenas três foram resgatados com vida o co-piloto o capitão Felipe Dioca, o soldado Felipe Dioca do serviço de suplementos, juntamente com o segundo sargento Victor Andrade e o tenente coronel Torres que era a vitima mais grave.
Quando os graduados do regimento divisão de ensino que eram do regimento quando Torres era capitão e comandante do regimento souberam que Torres mesmo em estado grave havia sobrevivido a queda do avião acharam aquilo impossível todos principalmente Hartmman dizia: - Torres é a prova viva que vaso ruim não quebra.
Todos procuraram o Adail e o posto de comando para saber se era verdade mesmo que Torres havia sobrevivido a queda, quando todos viram o nome dele na relação confirmavam que diziam sobre o vaso ruim que não quebra alguns procuraram saber pra onde ele seria levado e receberia cuidados médicos pois queriam lhe fazer uma visita mesmo que ainda tivesse raiva dele mais isso nunca aconteceu um pouco antes do meio dia Torres faleceu no hospital do QG em Jwayya o corpo dele seria transportado para o Brasil e entregue aos familiares naquele mesmo dia Torres foi condecorado com a medalha sangue do Brasil essa foi a única medalha que Torres recebeu durante a guerra.
A operação cruzada estava sofrendo uma pequena dificuldade borá os aliados estavam conseguindo avançar entre as linhas e romper o cerco os terroristas estavam bastante resistentes e ferozes o III exercito russo avançava lentamente o Bloudan um pouco antes do inicio da tarde os russos tomaram Bloudan e já estavam indo em direção ao coração industrial de Damasco e forma um cerco para que os terroristas não avançassem, mais para que os russos pudessem avançar para Damasco eles precisavam fortalecer o cerco em Bloudan o comando do III exercito emitiu um comunicado para o serviço de inteligência dizendo a necessidade de fortalecer o cerco antes de avançar para Damasco o serviço de inteligência rapidamente emitiu a ordem de para o posto de comando do QG da 1ºCIA e do 26º ordenando que os pára-quedistas partissem imediatamente e saltassem em Bloudan, os graduados não gostaram muito da idéia de saltar em Bloudan eles não acreditavam que a guerra estava no seu fim e que voltariam para casa com vida borá todos não gostaram muito da idéias de saltar em Bloudan mais todos preferiram fazer um salto e voltar pra zona de combate do que o tédio do quartel e dos exercícios e instruções apesar de Port ser um lugar fantástico mais o tédio falava e a monotomia falava mais alto todos os substitutos haviam aprendido e muito com os graduados quando eles chegaram eles mal sabiam cuidar de si mesmo depois que engajaram na 1ºCIA e se alocaram nos regimentos eles receberam mais instruções e exercícios que quando estavam na escola de pára-quedistas todos haviam aprendido e muito a atirar melhor, combate corpo a corpo, salvamento e orientação. Alem de serem aceito entre os graduados eles sabiam se cuidarem sozinhos e comportarem em um combate no inicio da noite todos os pára-quedistas estavam prontos para partir para Bloudan o coronel Fontelli ordenou que todos partissem nas primeiras horas da manhã durante os primeiros raios do sol, a noite todos os pára-quedistas estavam ansiosos para saltarem logo os graduados não viam a hora de voltar para o combate e os substitutos estavam ansiosos e aflitos para realizarem um salto em combate ás 04:30 todos os pára-quedistas estavam subindo no KC-390 seriam dois aviões para levar todos nós um para o 26º e um para a 1ºCIA exatemente ás 5 horas os primeiros raios do sol começavam a clarear o céu escuro e pouco a pouco expulsar a noite, para a surpresa de todos nós o Adail saltaria com todos nós e ele que comandaria o salto ao invés de Evanildo até os substituto ficaram surpresos com o Adail realizando e comandando todo o salto aquilo foi especial para todos nós por algum motivo todos nós sabíamos que seria o ultimo salto de todos nós não pelo fato da guerra estar no seu fim era mais pelo fato do Adail fazer questão de saltar com a 1ºCIA quando o avião levantou vôo era possível ver a satisfação e a felicidade no rosto de todos os substitutos que efetivaram na companhia depois de Qadisha todos nós estávamos indo de encontro com os sírios e com os terroristas estavam em direção ao fim da guerra e dando um passo rumo ao caminho de casa.
A viagem seria de mais ou menos uma hora quando chegamos perto Bloudan a luz vermelha ascendeu todos nós levantamos e fizemos tudo que era ordenado pelo Adail aquele foi melhor salto que todos nós fizemos durante toda a guerra era difícil esconder a emoção nos nossos rostos quando a luz verde ascendeu todos nós saltamos sob as ordens do Adail saímos correndo em direção a porta do avião com uma grande emoção quando saímos da porta vimos uma das mais belas cenas que já vimos em toda a guerra Bloudan ficava em uma região montanhosa a vista das montanhas era uma das coisas mais belas que já vimos, vendo os pára-quedistas saltarem do avião sem ter nenhum tiro de canhão ou metralhadora rompendo céu e estourando por todo lado a sensação que tivemos quando realizamos aquele salto era como se estivéssemos saltando pela primeira vez a sensação era a mesma de quando fizemos o salto pra conquistar e ter o direito de usar a tão cobiçada de todas as insígnias a asa de prata de pára-quedista durante o salto ocorreu tudo bem caímos perto um do outro o que facilitou para reagrupar toda a companhia e seguir destino até a nossa missão.
Pin It
Atualizado em: Sáb 9 Dez 2017
  • Nenhum comentário encontrado

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222