person_outline



search

Quando o Medo Se Foi (Prólogo)

Eu estava de olhos fechados e braços abertos para absorver cada detalhe daquele momento.  Fazia uns três anos que eu não sentia o mar e eu queria aproveitar cada segundo dessa sensação maravilhosa. Foi quando senti que alguém me envolvia num abraço e beijava o meu cabelo. Eu não me assustei, aquele abraço era familiar, naqueles braços era o meu lar, tudo nele me pertencia assim como eu era dele.
- O mar é lindo não é? – Continuei de olhos fechados, aquele momento estava perfeito.
- Tão belo quanto você. – Eu sorri ao som de sua voz. Sim, ele era romanticamente brega, mas eu gostava disso. Disso e de tantas outras características dele.
- No que você está pensando?
- Em ler um livro agora... Sabia que a praia é um lugar perfeito pra ler? Apesar de que minha ultima experiência resultou em uma bíblia encharcada... – Me virei para contemplar aquele sorriso que tinha uma enorme capacidade de acalmar as minhas guerras.
- Acho que você já me contou sobre isso. – Ele riu e então me abraçou mais forte, apoiou seu queixo em minha cabeça e respirou fundo, pronto para tentar pela milésima vez me dizer aquelas tão esperadas três palavras.
- Eu te a...
-Shhhhhhh! – Interrompi-o bem a tempo. – Você sabe que não pode falar estas palavras ainda... Por favor, eu te pedi... Desculpa se eu sou assim, mas não posso evitar...
- Às vezes eu me esqueço do quão complicada você é. – Ele suspirou. – Mas isso é umas das coisas que me faz ser tão apaixonado por você. Você é diferente, diferente de todas que já conheci e de todas que já gostei e valeu a pena cada vez que meu coração foi quebrado, cada vez que Deus não permitiu que eu me envolvesse com alguém porque depois que eu te encontrei, entendi que o plano de Deus para minha vida era você, sempre foi... O mais perfeito plano dEle para mim.
Apesar desse romantismo todo exagerado, eu não pude deixar de sorrir e de agradecer a Deus por ter me dado alguém como ele. Eu queria eternizar aquele momento, tudo estava perfeito! Até que...
- Então, minha Belli, por favor, não me peça pra esperar mais! Eu preciso te falar isso, eu preciso te perguntar isso. – Ele se ajoelhou, na frente de todos, e pronunciou a frase que eu mais temia. – Bellinda, eu te amo. Você aceita se casar comigo?
Pin It
Atualizado em: Qua 8 Ago 2018

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222