person_outline



search

Minha Mãe

Descobri que minha mãe é mais que minha mãe, ou seja, é mais que aquela senhora que me deu à luz. Minha Mãe é um conceito mais amplo. Minha Mãe se mistura e se faz, na minha memória juntamente com meu pai, minha casa e também com o espaço da minha infância, o segundo útero onde fui acabando de me formar antes de sair a caminhar com meus próprios pés mundo à fora. Quando penso em minha mãe hoje, 20 anos depois de sua partida,vejo-a no quintal de minha casa a colher couves para a sopa, a conversar com as galinhas, a limpar a horta das ervas daninhas sob a garoa fria do inverno. Às vezes ainda consigo escutá-la a prometer-me tabefes se eu não tirasse os sapatos antes de entrar em casa... Minha mãe era parte integrante desse espaço, onde eu me gestava para a vida: o quintal de minha infância, ele está sempre presente em minha memória. Sempre volto para ele quando batem os medos porque minha mãe ainda está lá. Ele ainda permanece como pano de fundo da minha existência. Aquele quintal abrigava um abacateiro gigante, um pessegueiro onde pedurávamos um balanço mambembe, e, apressados, colhíamos os pêssegos antes de amadurecer...Um quintal que abrigava galinhas poedeiras e cacarejantes e um galo arrogante, um gramado onde rolávamos até ficar coceirentos...Também tinha um limoeiro sob cuja sombra chupávamos rodelas de limão com sal escondidas da mãe...No chão batido, próximo ao portão havia sempre, desenhado à giz, uma quadra pra pular amarelinha. Ali também pulávamos corda com a primaiada cantando em coro: "Batalhão lhão...lhão, quem não entra é um bobão! Abacaxi...xi...xi, quem não sai é um saci " O saci era sempre o primo Guaraci que fazia questão de avacalhar a brincadeira só porque o nome dele rimava com saci. No fim da tarde minha mãe a nos mandar tomar banho porque "já está gelando e vocês vão pegar uma gripe" O quintal de minha casa era a extensão de minha mãe quando eu já não cabia mais no seu ventre.
Os lugares de nossas origens são lugares sagrados e permanecem sempre dentro de nós como refúgios secretos, ventre da Mãe!

Pin It
Atualizado em: Seg 5 Out 2020

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222