person_outline



search

Minha sina

Peço-lhe perdão,

se escrevo em versos fracos e sem valor.

Da rima já desisti, 

antes ausêntes do que incompetentes. 

Espero que me entenda. 

 

Sou assim. 

Uma cabeça louca

- era verdade, confesso - 

Teoricamente, procuro entender a vida,

mas não sei levantar o próprio nariz.

 

Se alguém como você aparece...

Ai!

Minha vida estremesse. 

São semanas e semanas tentando te esquecer.

Para quê entrar na tua vida

Se nem ao menos entro na minha?

 

Se sofro?

Claro, sempre sofro.

Essa é minha sina. 

Sofredora privada de vacina

Me faço assim. 

 

Então, perdoe-me, pelos meus gestos inconsequentes

Não ajo por mal.

Tanta cautela,

tão pouco resultado...

Pin It
Atualizado em: Sáb 3 Maio 2014

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222